Paulo Freire: uma leitura de seu pensamento social e pedagógico crítico a partir do sul

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i47.7046

Palavras-chave:

Paulo Freire, Pedagogia Libertadora, Pensamento Pós-Abissal

Resumo

O pensamento do educador Paulo Freire pode ser lido sob ângulos e perspectivas diferentes em cada momento histórico e realidade sociocultural. Contudo, é no campo da tradição crítica da teoria social e educacional e na periferia do sistema dominante que seu pensamento viceja vigorosamente. No intuito de buscar contribuir com o revigoramento desse campo teórico crítico na atualidade, é que esse artigo procura apresentar outras possibilidades de leitura acerca do pensamento de Paulo Freire a partir do Sul, em particular a partir da noção de Sul Anti-imperial, presente no Pensamento Pós-Abissal de Boaventura Santos. Como fio de análise, coloco a seguinte questão: ao se posicionar Paulo Freire sob essa perspectiva do Sul, é possível fazer emergir outras leituras de seu pensamento pedagógico libertador e contribuir para o revigoramento de sua teoria crítica na atualidade? Esse texto se inscreve no bojo de um projeto de pesquisa, que está em andamento, que busca estabelecer um diálogo Sul-Sul entre o pensamento de Freire e o pensamento de Boaventura Santos, com foco nos temas da democracia e educação pública na atualidade da sociedade brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sergio Roberto Moraes Corrêa, Universidade do Estado do Pará - Brasil

Doutor em Ciências Sociais pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal de Campina Grande (PPGCS-UFCG); Universidade do Estado do Pará – Brasil; Grupo de Estudo e Pesquisa em Pensamento Social e Educacional das Margens Amazônicas

Referências

ARIAS, Patrício G. Colonialidad del saber e insurgencia de las sabidurías otras: corazonar las epistemogías hegemônicas, como resposta de insurgencia (de) colonial. Quito: Universidad Andina Simón Bolívar, Sede Equador, 2016.

ARROYO, Miguel. Outros sujeitos, outras pedagogias. Petrópolis-RJ: Vozes, 2012.

BATISTA NETO, José; SANTIAGO, Santiago. Contribuições de Paulo Freire para o Pensamento Educacional Latino-Americano. Interritórios - Revista de Educação da Universidade Federal de Pernambuco. Caruaru, Brasil. V.2. N.2, 2016.

CALADO, Alder. Tecelão da utopia: uma leitura transdisciplinar de Paulo Freire. Caruaru: Edições FAFICA, 2000.

_____. Paulo Freire: sua visão de mundo, de homem e de sociedade. Caruaru: Edições FAFICA, 2001.

CALDART, Roseli S. Elementos para a construção de um projeto político e pedagógico da Educação do Campo. MOLINA, Mônica. [et al]. Contribuições para a Construção de Um Projeto de Educação do Campo. (Orgs). Brasília, DF: Articulação Nacional “Por uma Educação do Campo”, 2004. Coleção Por uma educação do campo, n 05.

CANDAU, Vera Maria. Direitos humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. Revista Brasileira de Educação. v. 13 n. 37 jan./abr. 2008.

______. “Ideias-Força” do Pensamento de Boaventura Sousa Santos e a Educação Intercultural. Educação em Revista. Belo Horizonte. v.32. n.01 p. 15-34 |Janeiro-Março 2016.

COSTA, Sérgio. Desprovincializando a Sociologia: a contribuição pós-colonial. Revista Brasileira de Ciências Sociais - Vol. 21 no. 60.

FALS BORDA, Orlando. Ante la crisis del pais: ideasaccion para el cambio. Bogota: El Ancora Editores; Panamericana Editorial, 2003.

FREIRE, Paulo. Cartas a Guine Bissau: registros de uma experiência em processo. 4a. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra,1978.

_______. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. 6a. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

_______. Educação como prática da liberdade. 15a. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984. ________; FAÚNDEZ, Antônio. Por uma pedagogia da pergunta. Rio de Janeiro: Paz e

Terra, 1985.

_______. Pedagogia do Oprimido. 29a. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

_______. Educação na cidade. São Paulo: Cortez, 1991.

_______. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

_______. Pedagogia da Indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora Unesp, 2000.

_______. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e

Terra, 1996. – (Coleção Leitura).

_______. Política e educação: ensaios / Paulo Freire. São Paulo, Cortez: 2001.

_______. Educação e Atualidade Brasileira. 3a. ed. São Paulo: Cortez; Instituto Paulo Freire, 2003.

LANDER, Edgardo (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005.

MAIA, José. Ao Sul da Teoria: A atualidade teórica do pensamento social brasileiro. Revista Sociedade e Estado – Volume 26 Número 2 Maio/Agosto, 2011.

MARTINS, Carlos Eduardo. (Resenha). A outra face da dependência. In: Revista de la Facultad de Economía-BUAP, ano 6, n. 18. [2007].

______. A superexploracão do trabalho e a economia política da dependência. In: SADER, Emir; SANTOS, Theotonio; MARTINS, Carlos; VALENCIA, Adrian S (Orgs.). A América Latina e os desafios da globalização: ensaios dedicados a Ruy Mauro Marini. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio. São Paulo: Boitempo Editorial, 2009.

GADOTTI, Moacir; FREIRE, Paulo; GUIMARÃES, Sérgio. Pedagogia: diálogo e conflito. São Paulo: Cortez, 1985.

MOTA NETO, João Colares. Por uma pedagogia decolonial na América Latina: reflexões em torno do pensamento de Paulo Freire e Orlando Fals Borda. Curitiba: CRV, 2016.

______. Paulo Freire e Orlando Fals Borda na genealogia da pedagogia decolonial latino- americana Revista Folios. Segunda época. n.o 48 Segundo semestre, 2018.

OLIVEIRA, Inês Barbosa de. Boaventura & a Educação. 2aed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Toward a New Common Sense: Law, Science and Politcs in the Paradigmatic Transition. Nova Iorque: Routledge, 1995.

______. Para uma pedagogia do conflito. In: SILVA, Luís E. Reestruturação curricular: novos mapas culturais, novas perspectivas educacionais. Porto Alegre: Sulina, 1996.

______. (Entrevista) Dilemas do nosso tempo: globalização, multiculturalismo e conhecimento. Revista Educação e Realidade. Jan-Jul, 2001.

______. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. In: SANTOS, Boaventura de Sousa. São Paulo: Cortez, 2001.

______. Os processos de globalização. In: SANTOS, Boaventura de Sousa (Org). A Globalização e as ciências sociais. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

______ (Org). Democratizar a democracia: os caminhos da democracia participativa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

______. (Introdução). In: SANTOS, Boaventura de Sousa (Org.). Conhecimento Prudente para Uma Vida Descente: um discurso sobre as ciências revisitado. São Paulo: Cortez, 2004a.

_____. Para uma Sociologia das Ausências e uma Sociologia das Emergências. In: SANTOS, Boaventura de Sousa (Org.). Conhecimento prudente para uma vida descente: um discurso sobre as ciências revisitado. São Paulo: Cortez, 2004b.

______. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006a.

______. Uma Sociologia das Ausências e uma Sociologia das Emergências. In. SANTOS, Boaventura de Sousa (Org). A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006b.

_____. A Ecologia dos Saberes. In. SANTOS, Boaventura de Sousa (Org). A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006c.

______. Para uma democracia de alta intensidade. In: Renovar a teoria crítica e reinventar a emancipação social. São Paulo: Boitempo, 2007.

______. Para além do Pensamento Abissal: das Linhas globais a uma ecologia dos saberes. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENEZES, Maria Paula. Epistemologias do Sul (Org). São Paulo: Cortez, 2010a.

______. A universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da Universidade. 3aed. São Paulo: Cortez, 2010 (Coleção questões de nossa época; v. 11).

______. Aula: “Porque as epistemologias do Sul?” (03/2012a). Seminários Avançados: Globalizações Alternativas e a Reinvenção da Emancipação Social. Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=ErVGiIUQHjM. Acesso em: 07 jan. 2013.

______. A difícil democracia: reinventar as esquerdas. São Paulo: Boitempo, 2016.

______. O Fim do Império Cognitivo: a afirmação das epistemologias do Sul. Belo Horizonte-

MG: Autêntica Editora, 2019a.

______. Pedagogia do Oprimido, investigação-ação participativa e epistemologias do Sul. In: O Fim do Império Cognitivo: a afirmação das epistemologias do Sul. Belo Horizonte-MG: Autêntica Editora, 2019b.

______. Corpos, conhecimento e corazonar. In: O Fim do Império Cognitivo: a afirmação das epistemologias do Sul. Belo Horizonte-MG: Autêntica Editora, 2019c.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENEZES, Maria Paula. (Orgs). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENDES, José Manuel (Orgs). Demodiversidade: imaginar outras possibilidades democráticas. Belo Horizonte - MG: Autêntica Editora, 2018.

SCOCUGLIA, Afonso C. A história das ideias de Paulo Freire e a atual crise de paradigmas. João Pessoa-PB. Editora da UFPB, 1999.

STRECK, Danilo R. Cinco razões para dialogar com Paulo Freire. Revista e-curriculum. São Paulo, v.7 n.3. Dezembro, 2011.

_______. Uma pedagogia do movimento: Os movimentos sociais na obra de Paulo Freire. R. Educação Pública. Cuiabá, v. 18, n. 36, p. 165-177, jan./abr. 2009.

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

CORRÊA, S. R. M. Paulo Freire: uma leitura de seu pensamento social e pedagógico crítico a partir do sul. Práxis Educacional, [S. l.], v. 17, n. 47, p. 1-23, 2021. DOI: 10.22481/praxisedu.v17i47.7046. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/7046. Acesso em: 28 out. 2021.