O ACESSO DE ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR E SUA RELAÇÃO COM O PROJETO DE SOCIEDADE EXISTENTE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i41.7258

Palavras-chave:

Educação inclusiva, Ensino superior, Sociedade

Resumo

Este artigo, de caráter ensaístico, tem por objetivo discutir sobre o acesso ao ensino superior às pessoas com deficiências no Brasil. Discute sobre as barreiras existentes no acesso, permanência e conclusão do curso pleiteado, a proporção de menos de 0,5% de estudantes com deficiência no Ensino Superior, e sobre a cultura do capacitismo que submete as pessoas com deficiência à falsa a concepção de igualdade de oportunidades. Este artigo discute ainda a implantação do Decreto n° 9.034/17, em que o Governo Federal altera as regras do programa de cotas dos Institutos e Universidades Federais e inclui pessoas com deficiência na lista de estudantes com direito à reserva de vagas nessas instituições. Considera que, com relação à abertura das IFES é fundamental que estas organizem esforços para a garantia da acessibilidade e da permanência das pessoas com deficiência, com direito à apropriação do conhecimento universal e científico ao longo do processo de estudos. Seguindo esta compreensão, este artigo propõe que os espaços que se baseiam numa materialidade inclusiva constituem mais um instrumento contra hegemônico de luta, para a construção de ambientes favoráveis à consecução de igualdade de condições e oportunidades para acessibilidade do conhecimento historicamente produzido às pessoas com deficiência. Alerta para o fato de que será preciso compreender que, as dificuldades em relação à contradição inclusão e exclusão extrapola a questão da deficiência, pois entende que a relação direta é com o projeto societário existente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marinalva Silva Oliveira, Universidade Federal do Rio de Janeiro – Brasil

Doutora pela Universidade de São Paulo (USP); Professora Associada IV da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Coordenadora do Laboratório de Inclusão, Mediação Simbólica, Desenvolvimento e Aprendizagem (LIMDA) e do Grupo de Pesquisa REPRESENTAÇÃO + INCLUSÃO – reflexões sobre o papel das representatividades no processo de desenvolvimento e aprendizagem de alunos com síndrome de Down e Transtorno do Espectro Autista.

Sandra Cordeiro de Melo, Universidade Federal do Rio de Janeiro - Brasil

Pós-Doutorado em Educação (Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ); Professora Adjunta, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Coordenadora do Laboratório de Inclusão, Mediação Simbólica, Desenvolvimento e Aprendizagem – LIMDA/FE/UFRJ.

Maria do Carmo Lobato da Silva, Universidade Federal do Amapá - Brasil

Doutoranda em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Professora do colegiado de Pedagogia na Universidade Federal do Amapá (UNIFAP). Integrante do Grupo de Pesquisa de Formação de Recursos Humanos em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR).

Downloads

Publicado

2020-09-07

Como Citar

OLIVEIRA, M. S.; DE MELO, S. C.; DA SILVA, M. do C. L. O ACESSO DE ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR E SUA RELAÇÃO COM O PROJETO DE SOCIEDADE EXISTENTE. Práxis Educacional, [S. l.], v. 16, n. 41, p. 167-183, 2020. DOI: 10.22481/praxisedu.v16i41.7258. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/7258. Acesso em: 30 nov. 2021.