NARRATIVA (AUTO)BIOGRÁFICA E SUAS CONTRIBUIÇÕES: DA PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO À FORMAÇÃO DOS SUJEITOS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i44.8015

Palavras-chave:

Narrativa, Abordagem (auto)biográfica, Experiência

Resumo

O presente artigo tem por objetivo tecer algumas reflexões centradas na abordagem (auto)biográfica com vistas a caracterizar os processos inscritos na construção narrativa e seus efeitos sobre o narrador e sobre o pesquisador. O alcance deste objetivo será guiado pela narrativa de um profissional de saúde que compôs o grupo de participantes da pesquisa de pós-doutoramento da autora na França que, tomada como exemplo, permite apontar para cinco elementos de resposta à busca pela vitalidade do sujeito que a narrativa (auto)biográfica coloca em relevo: dar forma às experiências vividas através das palavras; levar o narrador a entrar em contato com novas facetas das situações vividas; estar a serviço da compreensão da construção do indivíduo que nasce do exame da sua trajetória de vida sem, contudo, perder de vista o cruzamento da mesma com a dimensão espaço-tempo social; basear-se na co-construção do conhecimento; adentrar por meio das histórias de vida dos sujeitos na dimensão analítica e global da experiência. Conclui-se que a narração das experiências vividas é tanto ato organizador do vivido, quanto espaço de produção de novas percepções, compreensões e perspectivas. O compromisso em compreender o sujeito a partir desta abordagem está em assumir o compromisso ético de engajamento junto aos mesmos e as suas realidades de vida, dentro de um paradigma do singular plural, que tem na co-construção a condição de possibilidade de produzir conhecimentos situados e implicados com os modos de ser, estar e agir no mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Aloisio Alves

Doutora em ciências da saúde pelo Instituto Nacional de Saúde da Mulher, Criança e Adolescente Fernandes Figueira (IFF/FIOCURZ). Professora da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP) e pesquisadora associada da Université Sorbonne Paris Nord, Centre de Recherche Experice.

Referências

ALHEIT, Peter ; DAUSEIN, Betina. Processus de formation et apprentissage tout au long de la vie. L'orientation scolaire et professionnelle, v. 34, n. 1, 2005. Disponível em: http://journals.openedition.org/osp/563. Acesso em 28 out. 2020.

ALVES, Camila Aloisio. L’approche biographique et la temporalité des soins palliatifs aux enfants malades chroniques : des apprentissages qui se tissent entre la vie et la mort. Cadernos de Pesquisa, São Luis, PPPGI/UFMA, v. 27, n. 1, p. 381-399 Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa Acesso em 10 nov. 2020.

ALVES, Camila Aloisio; DIZERBO, Anne. Le vécu de la maladie chronique et l’approche biographique dans la société contemporaine : quels enjeux éducatifs, sociaux et politiques sont en jeu ? In : Approches « (auto)biographiques et nouvelles épreuves de transitions – construire du sens avec des parcours de vie ». Orgs. : Slowik, A. Rywalski, P. Souza, E. C. Paris : L’Harmattan, p. 147-158, 2019.

ALVES, Camila Aloisio; DIZERBO, Anne. A experiência da doença crônica e a abordagem biográfica: contribuições metodológicas para a construção de um saber compartilhado. In: Ciências da saúde [recurso eletrônico] : teoria e intervenção 2 / Organizadora Marileila Marques Toledo. – Ponta Grossa, PR: Atena. https://doi.org/10.22533/at.ed.0702023041 Acesso em 10 nov. 2020.

BARBIER, Jean-Marie Barbier ; THIEVENAZ, Joris. Le travail de l’expérience, Paris : L’Harmattan, 2013, 319 p.

BRETON, Hervé. Investigação narrativa: entre detalhes e duração. REPI – Revista Educação, Pesquisa e Inclusão, Boa Vista, v. 1, n. 1 (especial), p. 12-22, 2020. Disponível em: https://revista.ufrr.br/repi/article/view/e20201 Acesso em 10 nov. 2020

CAVACO, Carmen. Experiência e formação experiencial: a especificidade dos adquiridos experienciais. Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 13, n. 3, 220-227, 2009. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/4949 Acesso em 10 nov. 2020

CLANDININ D. Jean; LESSARD Sean e CAINE, Vera. Reverberations of narrative inquiry. How resonant échoes of an inquiry with early school leavers shaped further inquiries. Educação Sociedade & Culturas, Porto/Portugal n. 36, p. 7-24, 2012. Disponível em: https://www.fpce.up.pt/ciie/?q=publication/revista-educa%C3%A7%C3%A3o-sociedade-culturas/edition/educa%C3%A7%C3%A3o-sociedade-culturas-36 Acesso em 10 nov. 2020

DELORY-MOMBERGER, Christine. Trajectoires, parcours de vie et apprentissage biographique. In: DELORY-MOMBERGER C. ; SOUZA, E. C. La condition biographique. Essais sur le récit de soi dans la modernité avancée. Paris : Téraèdre, col.Autobiographie et éducation, 2009, p. 17-30.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Fundamentos epistemológicos da pesquisa biográfica em educação. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.27, n.01, p.333-346, 2011a. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982011000100015&lng=pt&nrm=iso Acesso em 10 nov. 2020.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Narrativa de vida: origens religiosas, históricas e antropológicas. Revista Educação em Questão, Natal, v. 40, n. 26, p. 31-47, 2011b. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/4039 Acesso em 10 nov. 2020.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Abordagens metodológicas na pesquisa biográfica. Revista Brasileira de Educação, v. 17, n. 51, p. 523-536, 2012. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/2526 Acesso em 10 nov. 2020.

DELORY-MOMBERGER, Christine. De la recherche biographique en éducation. Fondements Méthodes Pratiques. Paris: Téraèdre, col. Autobiographie et éducation, 2014.

DELORY-MOMBERGER, Christine. A pesquisa biográfica ou a construção compartilhada de um saber do singular. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto) Biográfica, Salvador, v. 01, n. 01, p. 133-147, 2016. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/2526 Acesso em 10 nov. 2020.

DOMINICÉ, Pierre. La formation biographique. Paris: L’Harmattan, 2007.

HENRIQUES Fernanda. A racionalidade hermenêutica de Paul Ricoeur: diálogo, abertura e inclusão. Revista Portuguesa de História do Livro, Lisboa/ Portugal, vs. 33-34, p. 81-98, 2014. Disponível em: http://hdl.handle.net/10174/12950 Acessado em 10 nov. 2020.

JANNER RAIMONDI, Martine. Visages de l’empathie. Paris : Champ Social, 2017.

JANNER RAIMONDI, Martine. Identité narrative. In : DELORY-MOMBERGER C. (dir.) Vocabulaire des histoires de vie et de la recherche biographique. Paris : ERES, 2019, p. 94-96.

JOBERT, Guy. La place de l’expérience dans les entreprises. In: B. COURTOIS; G. PINEAU, La formation expérientielle des adultes. Paris, La Documentation Française, 1991, p.75-81.

JOSSO, Marie-Christine. O caminhar para si: uma perspectiva de formação de adultos e de professores. Entrevistador: Margaréte May Berkenbrock-Rosito Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 2, n.2, p. 136-139, 2009. Disponível em: http://publicacoes.unicid.edu.br/index.php/ambienteeducacao/article/view/560/528 Acesso em 10 nov.2020.

JOSSO, Marie-Christine. A transformação de si a partir da narração de histórias de vida. Educação, Porto Alegre, v. 3, n. 63, p. 413-438, 2007. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/2741 Acesso em 10 nov. 2020.

MICHEL, Johann. Narrativité, narration, narratologie : du concept ricœurien d’identité narrative aux sciences sociales. Revue européenne des sciences sociales, [En ligne], XLI-125, 2003. Disponível em : http://journals.openedition.org/ress/562 ; DOI : 10.4000/ress.562 Acesso em 10 nov. 2020.

PASSEGGI, Maria da Conceição. Nada para a criança, sem a criança: o reconhecimento de sua palavra para a pesquisa (auto)biográfica. In: MIGNOT, A. C., SAMPAIO, C. S., & PASSEGGI, M. C. (orgs.) Infância, aprendizagem e exercício da escrita. Curitiba, PR:CRV, 2014, p. 133-148.

PASSEGGI, Maria da Conceição; NASCIMENTO, Gilcilene; OLIVEIRA, Roberta Antunes. As narrativas autobiográficas como fonte e método de pesquisa qualitativa em Educação. Revista Lusófona de Educação, Lisboa/Portugal, n. 33, pp. 111-125, 2016. Disponível em https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=34949131009 Acesso em 10 nov. 2020.

PAUL, Patrick. Formação do sujeito e transdisciplinaridade. São Paulo: Editora Triom, 2009.

PINEAU, Gaston; Legrand, J.-L. Les histoires de vie. Collection Que sais-je ? Paris: Puf, 1993.

PINEAU, Gaston; MARIE-MICHELE Produire sa vie : autoformation et autobiographie, Montreal : Éditions Saint-Martin ; Paris : Edilig, 2012.

PORTER, Elias. An introduction of Therapeutic Counseling, Boston, Houghton Mifflin, 1950.

RICŒUR, Paul. Existence et herméneutique. Dialogue. v. 4, p. 1-25, 1965. Disponível em: http://journals.cambridge.org/ abstract_S0012217300033278. Acesso em 05 nov. 2020.

RICŒUR, Paul. Temps et récit I, Coll. L’ordre philosophique. Paris, Seuil, 1983.

RICŒUR, Paul. Temps et récit III. Paris : Seuil, 1985

ROGERS, Carl. Le développement de la personne. Paris: Dunod, 1967.

SOUZA, Elizeu Clementino. (Auto)biografia, histórias de vida e práticas de formação. In NASCIMENTO, AD., HETKOWSKI, TM., orgs. Memória e formação de professores [online]. Salvador: EDUFBA, 2007. Pp. 59-74. Disponível em: http://books.scielo.org. Acesso em 10 nov. 2020

STRAUBER, Barbara. Taking the Biographical Approach Seriously – What Does it Mean for the Concept of Biographicity? Revista de Sociología de la Educación (RASE), Valência/Espanha, v. 11, n.2, p. 216-227, 2018. Disponível em: https://ojs.uv.es/index.php/RASE/article/view/12305 Acesso em 10 nov. 2020.

Downloads

Publicado

2021-02-01

Como Citar

Alves, C. A. . (2021). NARRATIVA (AUTO)BIOGRÁFICA E SUAS CONTRIBUIÇÕES: DA PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO À FORMAÇÃO DOS SUJEITOS. Práxis Educacional, 17(44), 1-20. https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i44.8015