REFLEXIVIDADE NARRATIVA E PODER AUTO(TRANS)FORMADOR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i44.8018

Palavras-chave:

Formação, Reflexividade narrativa, Subjetividade

Resumo

As abordagens biográficas em educação, malgrado sua diversidade, têm como pressuposto comum o poder transformador da ação de narrar a experiência vivida. Admitem que a reflexividade narrativa propicia à pessoa que narra a possibilidade de dar sentido ao que antes não tinha e, ao ordenar narrativamente os acontecimentos, ela (re)constrói outra versão de si e de sua formação. Uma das grandes inquietações da pesquisa consiste em examinar os modos como a ação de linguagem permite operar versões provisórias de si e da experiência narrada. O objetivo do artigo é contribuir para os estudos sobre a reflexividade narrativa como capacidade humana de operar com a linguagem essas versões de si e seu poder auto(trans)formador. Discutirei as noções de autobiografização e de heterobiografização na articulação com a reflexividade narrativa e suas incidências sobre a formação humana. Interrogo a emergência do eu e a hesitante entrada da subjetividade na pesquisa qualitativa, adotando a perspectiva defendida por Dilthey (2010), que considera inseparáveis os vínculos entre a vida, a experiência vivida e a ciência. A vitalidade do sujeito é aqui estudada com base nas noções de sujeito empírico, sujeito epistêmico e sujeito autobiográfico, enquanto dimensões da subjetividade, que se constituem pela reflexão narrativa nos processos de produção e recepção de narrativas da experiência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria da Conceição Passeggi, Universidade Federal do Rio Grande do Norte / Universidade Cidade de São Paulo - Brasil

Doutora em Linguística pela Université de Montpellier 3, França. Professora dos Programas de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e da Universidade Cidade de São Paulo (Unicid). Líder do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa-Formação, Representações e Subjetividade (GRIFARS) da UFRN, certificado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Bolsista de produtividade CNPq - Pq1-D-Ed.

Referências

ASIHIVIF. Carta da ASIVIF. Nossa carta. Trad. Maria da Conceição Passeggi. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto) Biográfica, Salvador, v. 01, n. 01, p. 177-179, jan./abr. 2016.

AUSTIN, J.L. Quando dizer é fazer: palavras e ação. Tradução Danilo Marcondes de Souza Filho. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990.

BARTHES, Roland et al. Análise estrutural da narrativa. Trad. Maria Zélia barbosa Pinto. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

BRUNER, Jerome. Fabricando histórias. Direito, Literatura, Vida. Tradução Fernando Cássio. São Paulo: Letra e Voz, 2014.

BRUNER, Jerome. Para uma teoria da educação. Trad. Manoela Vaz. Lisboa: Relógio D’Água Editores, 1999.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Abordagens metodológicas da pesquisa biográfica. In: Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, v. 17, n. 51 set/dez, 2012b. p. 523-740.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Biografia e educação: figuras do indivíduo-projeto. Tradução de Maria Passeggi, João Gomes da Silva Neto, Luís Passeggi. São Paulo: Paulus, Natal: EDUFRN, 2008.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Vocabulaire des Histoires de Vie et de la Recherche Biographique. Toulouse: Érès.

DILTHEY, Wilhelm. Introdução às ciências humanas -Tentativa de uma fundamentação para o estudo da sociedade e da história. Trad. de Marco Antônio Casanova. São Paulo: Forense Universitária, 2010.

DOMINICÉ, Pierre. L’histoire de vie comme processus de formation. Paris: L’Harmattan, 2000.

FERRAROTTI, Franco. História, história de vida. O método biográfico nas Ciências Sociais. Tradução Carlos Galvão Braga e Maria da Conceição Passeggi. Natal: EDUFRN, 2012.

GADAMER, Hans Georg. Le problème de la conscience historique. Paris: Éditions du Seuil, 1996.

GADAMER, Hans Georg. Verdade e método I. Traços fundamentais de mais uma hermenêutica filosófica. Trad. Flávio Paulo Meurer. Brasil: Editora Universitária São Francisco, 1997.

JOSSO, Marie-Christine. Experiência de vida e formação. São Paulo: Paulus, Natal:Edufrn, 2010.

LABORIT, Emmanuelle, Le cri de la mouette, Paris: Robert Laffont, 1993.

PASSEGGI, Maria da Conceição. Enfoques narrativos en la investigación educativa brasileña. Revista Paradigma (Edición Cuadragésimo Aniversario: 1980-2020), Vol. XLI, p. 57-79, junio/2020. Disponível em: http://revistaparadigma.online/ojs/index.php/paradigma/article/view/929. Acesso em: 15 ago. 2020.

PASSEGGI, Maria da Conceição. Reflexividad narrativa: "vida, experiencia vivida y ciência”; Márgenes Revista de Educación de la Universidad de Málaga, 1(3), 91-109. https://doi.org/10.24310/mgnmar.v1i3.9504

Disponível em: https://revistas.uma.es/index.php/mgn/article/view/9504

PASSEGGI, Maria da Conceição Narrativas da experiência na pesquisa-formação: do sujeito epistêmico ao sujeito biográfico. Roteiro, Joaçaba, v. 41, n. 1, p. 67-86, jan./abr. 2016. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/9267. Acesso em: 15 ago. 2020.

PASSEGGI, Maria da Conceição. Experiência em formação. Educação. Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 147-156, maio/ago. 2011b. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/8697. Acesso em: 30 ago. 2020.

PINEAU, Gaston; Le Grand, Jean-Louis. As histórias de vida. Trad. Maria Passeggi; Carlos Braga. Natal: Edufrn, 2012.

PINEAU, Gaston. Emergência de um paradigma antropoformador de pesquisa-ação-formação transdisciplinar. Saúde e Sociedade, v.14, n.3, p.102-110, set./dez.2005. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-12902005000300006. Acesso em: 25 jul. 2020.

PRINCE, Gerald. Récit minimal et narrativité In: Le récit minimal: Du minime au minimalisme. Littérature, arts, médias [en ligne]. Paris : Presses Sorbonne Nouvelle, 2012 Disponível em : http://books.openedition.org/psn/190. Acesso em: 5 dez. 2020.

RICŒUR, Paul. Tempo e Narrativa, Tomos 1,2,3. São Paulos: Papirus, 1994.

SCHÖN, Donald. The reflective practitioner: how professionals think in action. New York: Basic Books, 1983.

TOURAINE, Alain. La société invisible. Regards (1974-1976). Paris: Éditions du Seuil, 1977.

Downloads

Publicado

2021-02-01

Como Citar

Passeggi, M. da C. . (2021). REFLEXIVIDADE NARRATIVA E PODER AUTO(TRANS)FORMADOR. Práxis Educacional, 17(44), 1-21. https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i44.8018