VIVÊNCIAS INICIAIS NO MAGISTÉRIO E FORMAÇÃO PARA A SENSIBILIDADE NA SALA DE AULA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i44.8023

Palavras-chave:

saberes docentes, memória, socialização profissional, entrada no magistério

Resumo

Este artigo analisa relatos de quatro professoras iniciantes, que estão em sala de aula há menos de dois anos, sendo duas delas formadas pela Universidade de São Paulo (USP) e duas pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). O critério para a escolha das colaboradoras da presente pesquisa foi o fato de elas, além de serem recém-formadas, terem realizado estágios curriculares diferenciados, na Escola de Aplicação da Faculdade de Educação da USP (EAFEUSP) e no Programa de Residência Pedagógica (UNIFESP). A análise desenvolvida aqui integra o projeto temático Saberes e práticas  em fronteiras: por uma história transnacional da educação (1810 -...) – coordenado por Diana Vidal e Carlota Boto (USP) e financiado pela  FAPESP (2018/26699-4) – e busca compreender o modo como as dimensões da memória de seus percursos escolares, das experiências vivenciadas durante o estágio e dos conteúdos teórico-práticos do curso foram mobilizadas para a elaboração de um repertório inicial de práticas, num momento em que elas estão dando forma às suas auto-imagens como docentes. Tendo como base, sobretudo, as concepções de memória (Halbwachs), autobiografia (Nóvoa, Souza), ciclo de vida profissional (Huberman), saberes profissionais dos professores (Tardif) e as produções sobre estágio em docência (Souza, Schön), foi possível constatar que os relatos expressam fortemente o sentimento de isolamento, o medo do julgamento dos pares e as nuances da relação com os alunos, evidenciando que tais sentimentos constituem o eixo que articula os diversos saberes, implicando-as como sujeitos. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Perin Vicentini, Universidade de São Paulo – Brasil

Mestre e Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo, com período de estágio de Doutorado-Sanduíche no Institut National de Recherche Pédagogique (INRP), em Paris. Professora na graduação dos cursos de Pedagogia e Licenciatura da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, bem como do Programa de Pós-Graduação da mesma instituição.

Rita de Cassia Gallego, Universidade de São Paulo – Brasil

Mestre e Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo, com período de estágio de Doutorado-Sanduíche no Institut National de Recherche Pédagogique (INRP), em Paris. Pprofessora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, bem como do Programa de Pós-Graduação da mesma instituição.

Rosario Genta Lugli, Universidade Federal de São Paulo – Brasil

Mestre e Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP). Professora da Universidade Federal de São Paulo e do Programa de Pòs-graduação em Educação e Saúde na Infância e Adolescência.

Vivian Batista da Silva, Universidade de São Paulo – Brasil

É Professora Livre-Docente da Faculdade de Educação da USP e integra o Projeto temático FAPESP sobre "Saberes e práticas em fronteiras: por uma história transnacional da educação (1810-...)" como pesquisadora principal. Atua como docente e orientadora do Programa de Pós-Graduação em Educação da USP nos níveis de mestrado e doutorado, além de ser Coordenadora de Área junto ao PIBID/Pedagogia 2020.

Referências

ALMEIDA, Maria Isabel de; PIMENTA, Selma Garrido; FUSARI, José Cerchi. Socialização, profissionalização e trabalho de professores iniciantes. Educ. rev. [online]. 2019, vol.35, n.78, pp.187-206.

ANDRE, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Professores iniciantes: egressos de programas de iniciação à docência. Rev. Bras. Educ. [online]. 2018, vol.23, e230095.

API, Silmara de Oliveira Gomes. Desenvolvimento Profissional de Docentes Iniciantes na Educação Especial. Educ. Real. [online]. 2018, vol.43, n.2, pp.747-770.

AZANHA, José Mário Pires. Uma reflexão sobre a Didática. Educação: alguns escritos. SP: Companhia Editora Nacional, 1987.

BARROS, Ricardo Abdalla; AZEVEDO, Maria Antonia Ramos de. O Impacto do Programa São Paulo faz Escola em Professores Iniciantes. Educ. Real. [online]. 2016, vol.41, n.2, p.359-381.

CARDOSO, Viviani Dias; SANTOS, Joni Luiz Trichês dos; VOLPATO, Gildo; CONCEIÇÃO, Victor Julierme Santos da. Professores iniciantes: análise da produção científica referente a programas de mentoria (2005-2014). Rev. Bras. Estud. Pedagog. [online]. 2017, vol.98, n.248, pp.181-197.

CARRASCOZA, João Anzanello Menina escrevendo com pai. São Paulo: Alfaguara, 2017.

CATANI, Denice Barbara; BUENO, Belmira Amélia Oliveira; SOUSA, Cynthia Pereira & SOUZA, Maria Cecilia Cortez (org.) Docência, Memória e Gênero: estudos sobre formação. São Paulo: Escrituras Editora, 1997.

CUNHA, Maria Isabel da; BRACCINI, Marja Leão e FELDKERCHER, Nadiane. Inserção profissional, políticas e práticas sobre a iniciação à docência: avaliando a produção dos congressos internacionais sobre o professorado principiante. Avaliação (Campinas) [online]. 2015, vol.20, n.1, pp.73-86.

DUBET, François. Quando o sociólogo quer saber o que é ser professor. Revista Brasileira de Educação, n.55, mai/jun/jul/ago, 1997, 222-231.

GALLEGO, Rita de Cassia. In: PEREIRA, Áurea da Silva; VILELA, Marcos Antonio M. Letramentos no estágio supervisionado e formação de professores. Salvador: EDUNEB, 2013.

GIGLIO, C. M. B.; LUGLI, R. S. G. . Diálogos pertinentes na formação inicial e continuada de professores e gestores escolares. A concepção do Programa de Residência Pedagógica na UNIFESP. Cadernos de Educação -UFPEL (ONLINE), v. 46, p. 62-82, 2013.

GORDO, Nívea. História da Escola de Aplicação da FEUSP (1976-1986): a contribuição de José Mário Pires Azanha para a cultura escolar. Tese (Doutorado). Faculdade de Educação da USP, 2010. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-11112010-110318/pt-br.php

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. SP: Centauro, 2006.

HARGREAVES, Andy. Os professores em tempos de mudança: o trabalho e a cultura dos professores na idade pós-moderna.. Lisboa: McGraaw Hill, 1998.

HENRIQUE, José; FERREIRA, Janaína da Silva; JANUARIO, Carlos; SOUZA NETO, Samuel de. Autopercepção de competências profissionais de professores de educação física iniciantes e experientes. Rev. Bras. Ciênc. Esporte [online]. 2018, vol.40, n.4, pp.388-396.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 2000, p.33-61.

KNOBLAUCH, Adriane. Aprendendo a ser professora: um estudo sobre a socialização profissional de professoras iniciantes no município de Curitiba. São Paulo: PUC-SP/EHPS, tese de doutorado, 2008.

LEITE, Dante Moreira “Educação e relações interpessoais”. PATTO, Maria Helena Introdução à Psicologia Escolar. São Paulo: T. A. Queiroz, 1991, p. 234-257.

MEIRIEU, Philippe. Lettre à un jeune professeur. Issy-les-Moulineaux, France: ESF éditeur, 2005.

MELLINI, Carolina Kyoko e OVIGLI, Daniel Fernando Bovolenta. Identidade docente: percepções de professores de Biologia iniciantes. Ens. Pesqui. Educ. Ciênc. (Belo Horizonte) [online]. 2020, vol.22, e16364.

NASCIMENTO, Maria das Graças Chagas de Arruda; FLORES, Maria José Batista Pinto e SILVA, Yrlla Ribeiro de Oliveira Carneiro da. Políticas de inserção profissional na rede municipal de ensino do Rio de Janeiro: uma proposta em movimento. Rev. Bras. Estud. Pedagog. [online]. 2019, vol.100, n.256, pp.558-577.

NOBLIT, George. Poder e desvelo em sala de aula. Revista da Faculdade de Educação, v.21, n.2, 1995, p.119-137.

NÓVOA, António. Os professores e as histórias da sua vida. In: ______ (org.) Vida de professores. 2a ed. Porto: Porto Ed., 2007.

OLIVERIO, Vanessa Cristina Maximo Portella Professores iniciantes: trabalho e desenvolvimento profissional. Rio de Janeiro: PUC-RJ, tese de doutorado, 2014.

PANIZZOLO, Claudia et al. Programa de Residência Pedagógica da UNIFESP: avanços e desafios para a implantação de propostas inovadoras de estágio. Comunicação apresentada no XVI Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino, ENDIPE - 23 a 26 de julho de 2012, FE/UNICAMP, Campinas. Disponível em: http://endipe.pro.br/ebooks-2012/0055s.pdf .

PAPI, Silmara de Oliveira Gomes; MARTINS, Pura Lúcia Oliver. As pesquisas sobre professores iniciantes: algumas aproximações. Educ. rev. [online]. 2010, vol.26, n.3, pp.39-56.

SCHÖN, Donald. The Reflective Practitioner: how professionals think in action. New York: Basic Books, 1983.

SILVA, Vivian Batista da; CATANI, Denice Barbara . Metáforas e comparações que ensinam a ensinar: a razão e a identidade da pedagogia nos manuais para professores (1873-1909). História da Educação, v. 23, 2019, p. 193-223.

SOUZA, Elizeu Clementino. O conhecimento de si: estágio e narrativa de formação de professores. Tese de doutorado, Universidade Federal da Bahia, 2004.

TARDIF, M. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação, n.13, jan-fev-mar-abr/2000, p.5-24.

TARDIF, M.; LESSARD, C; LAHAYE, L. Os professores face ao saber: esboço de uma problemática do saber docente. Teoria e Educação, n.4, 1991, p.215-233.

VICENTINI, Paula Perin ; GALLEGO, R. C. . Narrativas de Professoras, Vozes Esquecidas e uma Escuta Sensível: os dilemas da profissão frente aos novos tempos de ensinar e aprender. In: ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. (Org.). A Nova Aventura (Auto)Biográfica. 1ed.Porto Alegre: EDIPUCRS, 2018, p. 356-383.

VIDAL, Diana Gonçalves; VICENTINI, Paula Perin (Org.). Mulheres inovadoras no ensino (São Paulo, séculos XIX e XX). 1ed. Belo Horizonte: Fino Traço, 2019.

Downloads

Publicado

2021-02-01

Como Citar

Vicentini, P. P., Gallego, R. de C., Lugli, R. G., & Silva, V. B. da. (2021). VIVÊNCIAS INICIAIS NO MAGISTÉRIO E FORMAÇÃO PARA A SENSIBILIDADE NA SALA DE AULA. Práxis Educacional, 17(44), 1-29. https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i44.8023