O habitar do ensinar e do aprender em tempos de pandemia e a virtualidade de uma educação OnLIFE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i45.8339

Palavras-chave:

Ecossistema, Educação OnLIFE, pandemia

Resumo

O artigo apresenta uma pesquisa qualitativa, que se apropria do método cartográfico de pesquisa-intervenção para compreender rastros presentes nos contextos educacionais (educação básica, superior e pós-graduação) em tempos de pandemia. Problematiza o habitar do ensinar e do aprender na constituição de redes de conhecimento e de formação que articulam, a partir da pesquisa, a educação em diferentes níveis e a extensão. O objetivo é identificar pistas que possibilitem cocriar uma proposta de Educação OnLIFE, numa perspectiva ecossistêmica. Compreendemos o conceito de rede como o movimento conectivo que forma o social, sendo este composto por diferentes entidades biológicas, físicas e digitais (humanas e não humanas), que por atos conectivos vão tecendo essa rede. Dessa forma, nunca fica totalmente claro quem está atuando/agindo. O ato conectivo se dá no encontro operatório que pode acontecer no espaço geográfico e no espaço digital, de forma síncrona e assíncrona, por presenças plurais, nos hibridismos, onde ecologias diversas (inteligências humanas e não humanas) operam em rede. Essa compreensão traz em si, a superação de uma teoria da ação dualista (sujeito/objeto) e de centralidades (ora no conteúdo, no professor ou no estudante). A rede é então, o que emerge em atos conectivos transorgânicos, produto dos agenciamentos entre humanos e não humanos, que atuam mutuamente, conectando inteligências diversas, promovendo assim, a transubstanciação. Isso contribui para a superação de uma visão de mundo antropocêntrica, sujeitocêntrica e tecnocêntrica. Como resultado apresentamos pistas que permitem atualizar a virtualidade de uma Educação OnLIFE transubstanciada, enquanto ecossistema de inovação na educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Eliane Schlemmer, Universidade do Vale dos Sinos – Brasil

Pós-Doutora em Educação (UAb-Portugal), Doutora em Informática (UFRGS). Professora-pesquisadora titular do PPG em Educação e PPG em Linguística Aplicada (UNISINOS). Líder do Grupo de Pesquisa Educação Digital - GPe-dU UNISINOS/CNPq. Bolsista PQ/CNPq (nível 1D). 

Lisiane Cézar Oliveira, Universidade do Vale dos Sinos / Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Brasil

Mestre em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), campus Ibirubá/RS. Membro do Grupo de Pesquisa Educação Digital (GPedU) UNISINOS/Cnpq.

Janaína Menezes, Universidade do Vale dos Sinos – Brasil

Mestre em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Doutorando em Educação pela UNISINOS. Professora de Língua Inglesa na Educação Básica - IENH. Membro do Grupo de Pesquisa Educação Digital (GPedU) UNISINOS/CNPq.

Referências

ALVAREZ, Johnny; PASSOS, Eduardo. Cartografar é habitar um território existencial. In: KASTRUP, Virgínia; PASSOS, Eduardo; ESCÓSSIA, Liliana da (Org.). Pista do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2015, p. 131-149.

BARROS, Letícia de; BARROS, Maria Elizabeth. O problema da análise em pesquisa cartográfica. In: PASSOS, Eduardo. KASTRUP, Virgínia; TEDESCO, Sílvia. Pista do método da cartografia: a experiência da pesquisa e o plano comum. Vol. 2. Porto Alegre: Sulina, 2016, p. 175-202.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: a era da informação, economia, sociedade e cultura. 6 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2013.

DESCARTES, René. Discurso do Método. São Paulo: Wmf Martins Fontes, 2009.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Vol. 1.Tradução de Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. Rio de janeiro: 34, 1995 (Coleção TRANS).

DI FELICE, Massimo. As redes digitais vistas a partir de uma perspectiva reticular. Revista do Instituto Humanitas Unisinos On-Line, São Leopoldo, p. 24-29, 2011. Disponível em: http://www.ihuonline.unisinos.br. Acesso em: 09 fev. 2021.

DI FELICE, Massimo. Entrevista com Massimo Di Felice. Eduardo Felipe Weinhardt Pires. Teccogs: Revista Digital de Tecnologias Cognitivas, TIDD | PUC-SP, São Paulo, n. 13, p. 7-19, jan-jun. 2016.

DI FELICE, Massimo. Net-ativismo: da ação social para o ato conectivo. São Paulo: Paulus, 2017. Coleção Comunicação.

DI FELICE, Massimo. Paisagens pós-urbanas: o fim da experiência urbana e as formas comunicativas do habitar. São Paulo: Annablume, 2009. Coleção Atopos.

FLORIDI, Luciano (Org.). The OnLIFEe manifesto: Being human in a hyperconnected era. London: Springer Open, 2015a. E-book. Disponível em: https://doi.org/10.1007/978-3-319-04093-6. Acesso em: 09 fev. 2021.

FLORIDI, Luciano. Introduction. In: FLORIDI, Luciano (org.). The Onlife Manifesto: Being Human in a Hyperconnected Era. [S. l.]: Springer Open, 2015b. p. 1–3. E-book. Disponível em: https://doi.org/10.1007/978-3-319-04093-6. Acesso em: 09 fev. 2021.

GUATTARI, Felix; ROLNIK, Suely. Micropolíticas: cartografias do desejo. Petrópolis, RJ: Vozes, 1986.

HARAWAY, Donna (2014). Staying with the trouble: Sympoiesis, String Figures, Multispecies Muddles. Keynote. Research-creation working group think-tank event. University of Alberta, Edmonton, Canadá. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=Z1uTVnhIHS8 Acesso em: 09 fev. 2021.

HARAWAY, Donna. Anthropocene, Capitalocene, Chthulhucene. Entrevista por Martha Kenney. In: DAVIS, Heather; TURPIN, Etienne (orgs). Art in the Anthropocene: Encounters Among Aesthetics, Politics, Environment and Epistemology. London: Open Humanities Press, 2015, p. 255-270.

HARAWAY, Donna. Staying with the trouble: making kin in the Chthulucene. Durham; Londres: Duke University Press, 2016a.

HARAWAY, Donna. Antropoceno, capitaloceno, plantationoceno, chthuluceno: fazendo parentes. ClimaCom Cultura Científica, v. 3, n. 5, p. 139-146, 2016b.

KASTRUP, Virgínia. Aprendizagem, Arte e Invenção. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 6, n. 1, p. 17-27, jan./jun., 2001.

KASTRUP, Virgínia. O funcionamento da atenção no trabalho do cartógrafo. Psicologia & Sociedade, Porto Alegre, v. 19, n. 1, p. 15-22, abr., 2007. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s0102-71822007000100003. Acesso em: 09 fev. 2021.

KASTRUP, Vírgínia. A cognição contemporânea e a aprendizagem inventiva. In: KASTRUP, Virgínia; TEDESCO, Silvia; PASSOS, Eduardo (Org.). Políticas da Cognição. Porto Alegre: Sulina, 2015, p. 91-110.

LATOUR, Bruno. Reagregando o Social: uma introdução à teoria do Ator-Rede. Salvador: EDUFBA/EDUSC, 2012.

LATOUR, Bruno. Onde Aterrar? Como se orientar politicamente no Antropoceno. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2020.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. Rio de Janeiro: 34, 1999.

MORIN. Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2011.

MOREIRA, José António; SCHLEMMER, Eliane. Por um novo conceito e paradigma de educação digital OnLIFE. Revista UFG, Goiânia, v. 20, n. 26, p. 1-35, jan., 2020. Disponível em: https://doi.org/10.5216/revufg.v20.63438. Acesso em: 09 fev. 2021.

OLIVEIRA, Lisiane Cézar de; SCHLEMMER, Eliane; MOREIRA, José; Antonio. Aprendendo em Rede “na” e “com” a Cidade: diálogos entre Portugal e Brasil. Revista Educaonline, Rio de Janeiro, v. 15, n.1, p. 77–96, jan./abr., 2021. Disponível em: http://www.latec.ufrj.br/revistas /index.php?journal=educaonline&page=article&op=view&path%5B%5D=1161. Acesso em: 09 fev. 2021.

OKADA, Alexandra; OKADA, Saburo. Novos Paradigmas na Educação Online com a Aprendizagem Aberta. In: V CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE TIC NA EDUCAÇÃO - CHALLENGES 2007, 2007, Braga. Anais da V Conferência Internacional de TIC na Educação. Braga: Universidade do Minho , 2007. p. 1-11.

PAPERT, Seymour. A máquina das crianças: repensando a escola na era da informática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

PAPERT, Seymour. Mindstorms: Children, Computers and Powerful Ideas. New York: Basic Books, 1980.

PINTO, Alvaro Vieira. O conceito de tecnologia. Vol I. Rio de Janeiro: Cantroponto, 2005.

SCHLEMMER, Eliane. Gamificação em espaços de convivência híbridos e multimodais: design e cognição em discussão. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 23, n. 42, p. 73-89, jul./dez., 2014.

SCHLEMMER, Eliane. Mídia social em contexto de hibridismo e multimodalidade: o percurso da experiência na formação de mestres e doutores. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 15, n. 45, p. 399-421, maio/ago. 2015. Disponível em: https://doi.org/10.7213/dialogo.educ. 15.045.ds02. Acesso em: 09 fev. 2021.

SCHLEMMER, Eliane; MORETTI, Gaia; BACKES, Luciana. Spazi di convivenza ibrida e multimodale: ipotesi e sfide per l’apprendimento. QWERTY – Rivista Interdisciplinare di tecnologia, cultura e formazione, Roma, v. 10, n. 2, p. 78-91, 2015.

SCHLEMMER, Eliane; BACKES, Luciana; LA ROCCA, Fábio. L’Espace de coexistence hybride, multimodal, pervasif et ubiquitaire: le quotidien de l’éducation à la citoyenneté. Educação Unisinos (Online), v. 20, p. 297-306, 2016.

SCHLEMMER, Eliane. Games e Gamificação: uma alternativa aos modelos de EaD. RIED. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, Madri, v.19, n. 2, p. 107-124, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.5944/ried.19.2.15731. Acesso em 09 fev. 2021.

SCHLEMMER, Eliane; MOREIRA, José António. Modalidade da Pós-Graduação Stricto Sensu em discussão: dos modelos de EaD aos ecossistemas de inovação num contexto híbrido e multimodal. Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 23, n. 4, p. 689-708, out./dez., 2019. Disponível em: https://doi.org/10.4013/edu.2019.234.06. Acesso em 09 fev. 2021.

SCHLEMMER, Eliane. Dossiê: Educação em Contextos Híbridos e Multimodais. Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 23, n. 4, p. 602-608, out./dez., 2019. Disponível em: https://doi.org/10.4013/edu.2019.234.ap2. Acesso em 09 fev. 2021.

SCHLEMMER, Eliane. Ecossistemas de Inovação na Educação na cultura híbrida e multimodal, 2020a. (Relatório de pesquisa como professora visitante sênior na Universidade Aberta de Portugal – UAb-PT, referente ao Edital Nº 01/2019 - Programa Institucional de Internacionalização – CAPES-PrInt - Processo Seletivo de Bolsas - 2019/1.

SCHLEMMER, Eliane. A cidade como espaço de aprendizagem: games e gamificação na constituição de Espaços de Convivência Híbridos, Multimodais, Pervasivos e Ubíquos para o desenvolvimento da Cidadania, 2020b. (Relatório de pesquisa, referente ao Edital: UNIVERSAL MCTI/CNPq No 01/2016. Número do Processo: 425903/2016-8.

SCHLEMMER, Eliane; KERSCH, Dorotéia; OLIVEIRA, Lisiane Cézar de. Formação de professores-pesquisadores em contexto híbrido e multimodal: desafios da docência no stricto sensu. Revista Tecnologias na Educação, v. 33, n. Edição Temática XIV, p. 1–23, dez., 2020. Disponível em: https://tecedu.pro.br/wp-content/uploads/2020/12/Art10-Ano-12-vol33-Dezembro-2020.pdf. Acesso em: 09 fev. 2021.

SCHLEMMER, Eliane; FELICE, Massimo Di; SERRA, Ilka Márcia Ribeiro de Souza. Educação OnLIFE: a dimensão ecológica das arquiteturas digitais de aprendizagem. Educar em Revista, Curitiba, v. 36, e76120, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0104-4060.76120. Acesso em: 09 fev. 2021.

SCHLEMMER, Eliane; DI FELICE, Massimo. A qualidade ecológica das interações em plataformas digitais na educação. RELATEC Revista Latinoamericana de Tecnología Educativa, Badajoz, v. 19, n. 2, p. 207-222, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.17398/1695-288x.19.2.207. Acesso em: 09 fev. 2021.

SERRES, M. Polegarzinha. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCÓSSIA, Liliana da. Pistas do Método da Cartografia - Pesquisa: intervenção e produção de subjetividade. Vol.1. Porto Alegre: Sulina, 2015.

PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; TEDESCO, Silvia. Pistas do Método da Cartografia: A experiência da pesquisa e o plano comum. Vol. 2. Porto Alegre: Sulina, 2016.

PASSOS, Eduardo; BARROS, Regina Benevides de. A cartografia como método de pesquisa-intervenção. In: PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCÓSSIA, Liliana da (org.). Pista do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. 4a reimp ed. V.1. Porto Alegre: Sulina, 2015, p. 17–31.

RODRIGUES, Heliana de Barros Conde. Analisar. In: FONSECA, Tania Galli; NASCIMENTO, Maria Lívia do; MARASCHIN, Cleci (Orgs.) Pesquisar na Diferença: um abecedário. Porto Alegre: Sulina, 2012. p. 39.

Downloads

Publicado

2021-04-01

Como Citar

Schlemmer, E., Oliveira, L. C., & Menezes, J. (2021). O habitar do ensinar e do aprender em tempos de pandemia e a virtualidade de uma educação OnLIFE. Práxis Educacional, 17(45), 1-25. https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i45.8339