O reformismo capitalista e os contrassensos entre o movimento escola nova e a educação socialista

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v18i49.8476

Palavras-chave:

reformismo capitalista, escola nova, educação socialista

Resumo

A educação em face da vida em sociedade modificada pela industrialização do século XX e as implicações decorrentes da ordem social capitalista, nos ideais de trabalho e formação humana, induziram reformas no sistema educacional que perduram, ainda, no século XXI, assentadas, por um lado, na tradição do Movimento Escola Nova e, por outro, na tradição socialista. E, nesse campo de força, as reformas continuam situadas, impondo obstáculos à emancipação humana, à transformação social e à soberania popular. Nessa perspectiva, este artigo examina essa problemática tomando como base duas obras fundamentais: Introdução ao Estudo da Escola Nova, de Lourenço Filho, do século XX e Educação para Além do Capital, de István Mészáros, do século XXI. A primeira referência postula uma revisão crítica do sistema de ensino, por meio de influência de determinações do industrialismo da época; e a segunda, se caracteriza por postular uma ruptura com o tipo de educação forjada dentro da ordem social capitalista e suas determinações reprodutivas. Questiona-se a lógica da dependência, da hierarquização e da verticalização das relações de trabalho do mundo industrial transposta ao campo da educação por meio de arranjos centrados nos acordos da V Conferência Mundial da Escola Nova de 1929. Essa lógica resultou na negação dos modos elementares da vida cotidiana brasileira e, além disso, numa educação adaptada aos ditames do mercantilismo, de uma ética utilitarista e ao estado de coisificação do homem, fragilizado pela subordinação estatal frente ao sistema de produção capitalista e a tirania do autoritarismo político.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Suzana dos Santos Gomes, Universidade Federal de Minas Gerais - Brasil

Doutora em Educação, UFMG. Pós-Doutorado em Educação, Universidade de Lisboa, U.L e Universidade de São Paulo, USP. Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG - Brasil; Programa de Pós-Graduação em Educação: Conhecimento e Inclusão Social. Líder do Grupo de Pesquisa Universitátis. Contribuição de autoria: escrita do artigo, análise formal e revisão. Não há conflito de interesse. https://lattes.cnpq.br/7926600962920347

 

 

Adelson Ferreira da Silva, Universidade do Estado da Bahia – Brasil

Doutorando em Educação, UFMG.  Universidade do Estado da Bahia – Brasil; Programa de Pós-Graduação em Educação: Conhecimento e Inclusão Social. Membro do Grupo de Pesquisa Universitátis. Contribuição de autoria: escrita do artigo, conceituação e análise formal. Não há conflito de interesse.

 



Referências

APPLE, Michael Whitman. Para além da lógica do mercado: compreendendo e opondo-se ao neoliberalismo. Tradução de Gilka Leite Garcia e Luciana Ache. Rio de janeiro: DP&A Editora, 2005.

ARENDT, Johanna Cohn. Sobre a Revolução. Tradução Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

BALL, Stephen John. Performatividades e fabricações na economia educacional: rumo a uma sociedade performativa. Revista Educação & Realidade, n.35, v.2, p.37-55, maio/ago,2010.

DORE SOARES, Rosemary. Escola nova versus escola unitária. Educação e Sociedade. v.54, p.141-160, 1996.

IANNI, Octavio. Teorias da globalização. 15 ed. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 2008

LAVAL, Christian. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. Tradução de Mariana Echalar. 1 ed. São Paulo: Boitempo, 2019.

LOURENÇO FILHO, Manuel Bergström. Introdução ao estudo da Escola Nova: bases, sistemas e diretrizes da Pedagogia contemporânea. São Paulo: Melhoramentos, 1974.

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social I. Tradução de Carlos Nelson Coutinho, Mário Duayer e Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 2012.

MARTINS, Hermínio. Experimentum Humanum: civilização tecnológica e condição humana. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012.

MÉSZÁROS, István. O século XXI: socialismo ou barbárie? Tradução de Paulo Cesar Castanheira. 1ª ed. São Paulo: Boitempo, 2003.

MÉSZÁROS, István. Educação para além do capital. Tradução Isa Tavares. 2ª. ed. São Paulo: Boitempo, 2008.

MÉSZÁROS, István. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. Tradução Paulo Cezar Castanheira e Sérgio Lessa. 1ª. ed. São Paulo: Boitempo, 2011.

MÉSZÁROS, István. O poder da ideologia. Tradução Magda Lopes e Paulo Cezar Castanheira. 1ed. São Paulo: Boitempo, 2014.

OLIVEIRA, Newton Ramos. A escola, esse mundo estranho. In: PUCCI, Bruno (org.). Teoria crítica e educação: a questão da formação cultural na Escola de Frankfurt. 2ª ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1994, p. 123-138.

PRADO, Eleutério. Pós-Grande Indústria e Neoliberalismo. Revista de Economia Política, vol. 25, nº 1, p. 11-27, janeiro-março/2005.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. 41ª ed. Campinas: Autores Associados, 2009. (Coleção Polemicas do nosso tempo).

SILVA, Adelson Ferreira; GOMES, Suzana dos Santos. O direito fundamental à educação como instrumento de inclusão social do trabalhador e a ideologia privatista nas políticas de educação. In: MARTINS, Juliane; PASCOALINO, Jussara; MONTAL, Zélia (org.). Trabalho digno, educação e inclusão social. 1ª ed. v. 2. Belo Horizonte: Arraes Editores, 2019, p. 152-171.

SILVA, Fabrício Fonseca da; LAMOSA, Rodrigo de Azevedo Cruz. Estado, classe dominante e educação: uma análise crítica das propostas e das ações do movimento brasil competitivo para a educação básica. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v.13, n.1, p.138-151, abr. 2021. ISSN: 2175-5604

SOUZA JUNIOR, Hormindo. Trabalho: mediação produtora, reprodutora e formativa da vida. In: DORE, Rosemary; SALES, Paulo; SILVA, Carlos. (org.). Educação profissional e evasão escolar: contextos e perspectivas. Belo Horizonte: Rimepes, 2017, p. 47-60.

TEIXEIRA, Anísio Spínola. A educação e a crise brasileira. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2005.

Downloads

Publicado

2022-09-16

Como Citar

GOMES, S. dos S.; SILVA, A. F. da. O reformismo capitalista e os contrassensos entre o movimento escola nova e a educação socialista. Práxis Educacional, [S. l.], v. 18, n. 49, p. e8476, 2022. DOI: 10.22481/praxisedu.v18i49.8476. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/8476. Acesso em: 30 nov. 2022.