Ética, decolonialidade e migração à luz do pensamento freireano

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i47.8739

Palavras-chave:

Decolonialidade, Ética, Migração, Pedagogia da autonomia

Resumo

Dissertar sobre o pensamento de Paulo Freire é um privilégio e uma responsabilidade, pois se trata de uma tarefa árdua apreender as nuances e a riqueza de suas ideias e ideais, bem como relacioná-los com a realidade social. Dito isso e tendo aceito esse desafio, pretendo neste ensaio alinhavar os princípios da Ética ao longo da história, à proposta decolonial e aos movimentos de migração observados na contemporaneidade. Todos esses serão banhados no pensamento freireano expressos na sua obra Pedagogia da autonomia (66ª ed., 2020). Falar em Ética implica em compreender modos particulares de ser e de estar no mundo, com a humanidade e pela humanidade. Pensar a decolonialidade enquanto movimento de fronteira a partir de uma condição de subalternidade implica compreender o tripé crítica, crise e criticidade e o mundo a partir do próprio mundo com suas epistemes e contradições. Enveredar pelas trilhas do fluxo migratório implica em relações de alteridade e na percepção de responsabilidade pelo outro para além de fronteiras políticas e geográficas. Por fim, imergir essas três categorias no pensamento filosófico de Paulo Freire significa a disposição de assumir o compromisso de ser gente mais gente (última frase do livro!). Este ensaio enseja uma tarefa enorme, mas que despretensiosamente me proponho a iniciar em diálogo a ser construído com meus leitores

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rubens Lacerda de Sá, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo – Brasil

Doutor em Linguística Aplicada, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP); Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo – Brasil; Docente colaborador no Programa de Pós-Graduação em Educação e Saúde (UNIFESP); Líder do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Estudos de Linguagem (GIEL/CNPq).

Referências

BURKE, P. Testemunha ocular: o uso de imagens como evidência histórica. Trad. Vera Maria Xavier dos Santos. São Paulo: Editora Unesp, 2017.

DESCARTES, R. Discours de la méthode. Cambridge: Cambridge University Press, 2013.

DUSSEL, E. 1492: el encubrimiento del outro hacia el origen del mito de la modernidad. Madrid: Nueva Utopia, 1992.

DUSSEL, E. O encobrimento do outro. Petrópolis: Vozes, 1993.

DUSSEL, E. Ética de la liberación: ética do discurso e filosofia da libertação. São Leopoldo: Unisinos, 1994.

DUSSEL, E. Anti-meditaciones cartesianas: sobre el origen del anti-discurso filosófico de la modernidad. Tabula Rasa, v. 9, 2008, pp. 153-197.

EGIDO, A. A. Ética em pesquisa em estudos da linguagem: notas introdutórias. Palestra, Curso de Letras. Cubatão, SP: Instituto Federal de São Paulo, 2020.

FANON, F. Les Damnés de la Terre. Paris: Maspero, 1961.

FOUCAULT, M. L’archéologie du savoir. Paris: Gallimard, 1969.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à pratica educativa. 66ª ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2020.

GROSFOGUEL, R. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. Trad. Inês Martins Ferreira. Revista Crítica de Ciências Sociais, nº 80, março 2008, pp. 115-147

GROSFOGUEL, R. A estrutura do conhecimento nas universidades ocidentalizadas: racismo/sexismo epistêmico e os quatro genocídios/epistemicídios do longo século XVI. Revista Sociedade e Estado, vol. 31, núm. 1, jan/abr, 2016, pp. 24-49.

HOBSBAWM, E. Era dos extremos: o breve século XX. São Paulo: Cia das Letras, 1995.

JANSEN, J. C.; OSTERHAMMEL, J. Decolonization: a short history. Princeton, USA: Princeton University Press, 2017.

KANT, I. La metafísica de las costumbres. 3. ed. Madrid: Tecnos, 1999.

KANT, I. Fundamentação da metafísica dos costumes. Lisboa: Edições 70, 1995.

LACAN, J. Le séminaire, livre XI: les quatre concepts fondamentaux de la psychanalyse. Paris: Éditions du Seuil, 1973.

LANDER, E. (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e Ciências Sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Clacso, 2005.

LEVINAS, E. Totalidade e infinito. Trad. José P. Ribeiro. Lisboa: Edições 70, 2008.

NOSELLA, P. Ética e pesquisa. Educ. Soc., vol. 29, nº 102, pp. 255-273, jan./abr., 2008.

MALDONADO-TORRES, N. La topología del ser y la geopolítica del saber: Modernidad, imperio, colonialidad. In: MIGNOLO, W.; SCHIWY, F.; MALDONADO-TORRES, N. (Orgs.). Des-colonialidad del ser y del saber. Buenos Aires: Del Signo, 2006. pp. 63-130.

MALDONADO-TORRES, N. Religion, conquête et race dans la fondation du monde modern/colonial. In: MESTIRI, M.; GROSFOGUEL, R.; SOUM, el Y. (Eds.). Islamophobie dans le monde moderne. Paris: IIIT, 2008.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Trad. Reginaldo Sant’Ana. Rio de Janeiro: Ed. Civilização Brasileira, 2008.

MARX, K. Grundrisse. Trad. Maria Duayer e Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 2011.

MIGNOLO, W. Desobediencia epistémica: retórica de la modernidad, lógica de la colonialidad y gramática de la descolonialidad. Buenos Aires: Del Signo, 2010.

MIGNOLO, W. The darker side of western modernity: global futures, decolonial options. Durham: Duke University Press, 2011.

QUIJANO, A. Colonialidad y Modernidad/Racionalidad. Revista del Instituto Indigenista Peruano, vol. 13, nº 29, 1991, pp. 11-29.

QUIJANO, A. Colonialidad del poder, eurocentrismo y América Latina. In: LANDER, E. (Org.). La colonialidad del saber: eurocentrismo y Ciencias Sociales. Buenos Aires: Clacso, 1993, pp. 201-246.

QUIJANO, A. Colonialidade, poder, globalização e democracia. Novos Rumos, vol. 17, nº 37, 2002, pp. 4-28.

QUIJANO, A. Colonialidade do poder e classificação social. In: SANTOS, B. S.; MENESES, M. P. (Orgs). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010, pp. 84-130.

RANCIÈRE, J. O Desentendimento. Trad. Angela Leite Lopes. São Paulo: Editora 34, 1996.

Rothermund, D. Memories of post-imperial nations: the aftermath of decolonization, 1945–2013. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 2015.

SÁ, R. L. Imigração hispano-americana em São Paulo, (des)construção identitária e inclusão dos (in)visíveis: um olhar da Linguística Sistêmico-Funcional. In: III Workshop Systemic Across Languages (SAL). Brasília: Universidade de Brasília, UnB, 2014, s/p.

SÁ, R. L. Imigração boliviana em mares paulistanos dantes navegados: inclusão dos (in)visíveis e (des)construção identitária. Saarbrücken, Alemanha: Novas Ed. Acadêmicas, 2016.

SÁ, R. L. Imigrantes hispano-americanos, (inter)culturalidade crítica e língua portuguesa. Revista Estudos Acadêmicos de Letras. Universidade do Estado de Mato Grosso. v. 10, nº 01, 2017.

SÁ, R. L. Imigrantes bolivianos em São Paulo: (des)construção de sua identidade (bi)nacional: análise sob a ótica do sistema de avaliatividade. Revista Diálogos, vol. 6, nº 3, 2018, pp. 192-216.

SÁ, R. L. Internacionalização, hospitalidade e ideologia: por um protocolo de acesso, acolhimento e acompanhamento. Tese (Doutorado). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP: UNICAMP, 2020a.

SÁ, R. L. Rasura migratórias: por uma gramática de inclusão. Estágio pós-doutoral. Programa de Pós-Graduação em Educação e Saúde, Universidade Federal de São Paulo. Guarulhos, SP: UNIFESP, 2020b.

SÁ, R. L. Grounded Theory em diálogo transdisciplinar com os Estudos de Linguagem. In: PAIVA, F. J. O.; SILVA, E. D. Estudos da Linguagem: interfaces na linguística, semiótica e literatura em perspectiva. São Carlos: Pedro & João Editores, 2021, pp. 11-32.

SAYAD, A. O retorno: elemento constitutivo da condição do migrante. Travessia, 13 (número especial), jan, 2000, pp. 7-32.

SPIVAK, G. C. Subaltern studies: deconstructing historiography. In: GUHA, R.; SPIVAK, G. C. (Eds.). Selected subaltern studies. Nova Iorque: Oxford University Press, 1985, pp. 3-32.

STRANG, D. Global patterns of decolonization, 1500–1987. International Studies Quarterly, 35, 1991, pp. 429–454.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

WALSH, C. Interculturalidad, Estado, Sociedad: luchas (de)coloniales de nuestra época. Quito: Ediciones Abya-Yala, 2009.

WALSH, C. Gritos e gretas e semeaduras de vida: entreteceres do pedagógico e do colonial. In: SOUZA, S. R. M.; SANTOS, L. C. Entre-linhas: educação, fenomenologia e insurgência popular. Salvador: EDUFBA, 2019, pp. 93-120.

ZITKOSKI, J. J. Reflexões sobre ética na perspectiva de Paulo Freire. In: FÁVERO, A. A.; PAVIANI, J.; RAJOBAC, R. Vínculos filosóficos: homenagem a Luiz Carlos Bombassaro. Caxias do Sul, RS : Educs, 2020, pp. 649-658.

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

SÁ, R. L. de. Ética, decolonialidade e migração à luz do pensamento freireano . Práxis Educacional, [S. l.], v. 17, n. 47, p. 1-22, 2021. DOI: 10.22481/praxisedu.v17i47.8739. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/8739. Acesso em: 1 dez. 2021.