Pesquisas sobre as ciências da natureza na base nacional comum curricular: um mapa recente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i48.8757

Palavras-chave:

Base Nacional Comum Curricular, Ciências da Natureza, Pesquisas

Resumo

O artigo apresenta os resultados de um mapeamento dos artigos científicos que focalizam a área das Ciências da Natureza na BNCC nas bases de dados do Portal de Periódicos da Coordenação de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e no Google Acadêmico, no período de 2017 a 2021 (primeiro trimestre). Trata-se de pesquisa qualitativa, caracterizada como um balanço inventariante e descritivo. Nas buscas, 927 artigos científicos foram encontrados sobre a BNCC após a utilização de filtros e, desse conjunto, apenas 38 deles tiveram como foco a Ciências da Natureza. O balanço dessas produções indica um debate ainda emergente e em crescimento, tensionado por diferentes olhares e perspectivas acerca da BNCC, movimento, aliás, peculiar aos estudos no campo das políticas curriculares. Embora os artigos abordem a mesma área do conhecimento, se aprofundam em diferentes questões, sobressaindo-se temas ligados a prática, a educação científica, a saúde e aos elementos estruturantes do texto da BNCC nas diferentes versões. Os artigos que analisaram o processo de construção e as diferentes versões da BNCC apresentam como pontos de convergência a percepção de que a versão homologada desse documento oficial possui uma estrutura que está na contramão do esperado, pelos estudiosos da área, de uma formação em Ciências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kleyane Morais Veras, Universidade Estadual do Ceará - Brasil

Doutoranda e Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Bolsista CAPES/DS do PPGE/UECE. Membro do Grupo de pesquisa Docência no Ensino Superior e na Educação Básica (GDESB).

Maria Marina Dias Cavalcante, Universidade Estadual do Ceará - Brasil

Doutora em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Profa. Associada da Universidade Estadual do Ceará, vinculada ao Curso de Pedagogia e ao Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE/UECE). Líder do grupo de pesquisa Docência no Ensino Superior e na Educação Básica (GDESB).

Luciana de Oliveira Souza Mendonça, Universidade Estadual do Ceará - Brasil

Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Estadual do Ceará (UECE) e Mestre em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), campus de Maracanaú.

Ivo Batista Conde, Universidade Estadual do Ceará - Brasil

Doutorando e Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Bolsista CAPES/DS do PPGE/UECE. Membro do Grupo de pesquisa Docência no Ensino Superior e na Educação Básica (GDESB).

Referências

AGUIAR, Márcia Angela; DOURADO, Luiz Fernandes (Orgs.). A BNCC na contramão do PNE 2014-2024: avaliação e perspectivas (livro eletrônico). Recife: ANPAE, 2018.

APPLE, Michael Whitman. A política do conhecimento oficial: faz sentido a ideia de um currículo nacional? In: MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa; SILVA, Tomaz Tadeu da. (Orgs.). Currículo, cultura e sociedade. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2006, p. 59-91.

BALL, Stephen J.; MAGUIRE, Meg; BRAUN, Annette. Como as escolas fazem as políticas: atuação em escolas secundárias. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2016, 230p.

BRASIL. Coordenadoria de Aperfeiçoamento de pessoal de Nível Superior. Cursos avaliados e reconhecidos. 2021. Disponível em: <https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/index.xhtml>. Acesso em: 01mar. 2021.

BRASIL. Resolução CNE/CP Nº 2, de 22 de dezembro de 2017. Institui e orienta a implantação da Base Nacional Comum Curricular, a ser respeitada obrigatoriamente ao longo das etapas e respectivas modalidades no âmbito da Educação Básica. Brasília, DF, 2017. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=79631-rcp002-17-pdf&category_slug=dezembro-2017-pdf&Itemid=30192>. Acesso em: 02 mar 2021.

______. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Versão final. Brasília, DF, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em: 22 fev. 2021.

CURY, Carlos Roberto Jamil; REIS, Magali; ZANARDI, Teodoro Adriano Costa. BaseNacional Comum Curricular: dilemas e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2018, 144p.

DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. 2. ed. Porto Alegra: Artmed, 2006, 432p.

FARIAS, Isabel Maria Sabino de; CASTRO, Francisco Mirtiel Frankson Moura; VEIGA, Ilma Passos. Que caminho seguir? Apontamentos sobre os objetivos educacionais no contexto da Educação Superior. In: VEIGA, Ilma Passos; FERNANDES, Rosana César de Arruda (Orgs.). Por uma Didática da Educação Superior. Campinas, São Paulo: Editora Autores Associados, 2020, p.79-100.

FARIAS, Isabel Maria Sabino de; GUIMARÃES, Marília Duarte; MOURA, Ingrid Louback de Castro. Grupos de pesquisa que investigam a formação de professores no Nordeste: quem são, o que produzem e como produzem. Revista Práxis Educacional, Vitória da Conquista – Bahia – Brasil, v. 16, n. 43, p. 297-318, Edição Especial, 2020.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, n.79, p. 257-272, ago. 2002. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/es/v23n79/10857.pdf >. Acesso em: 23 fev. 2021.

LOPES, Alice Casimiro. Políticas curriculares: continuidade ou mudança de rumos?.Revista Brasileira de Educação, n. 26, p. 109-118, mai./jun./jul./ago. 2004. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/rbedu/n26/n26a08.pdf>. Acesso em: 02 fev. 2021.

MACEDO, Elizabeth. “A base é a base”. E o currículo o que é?. In: AGUIAR, Márcia Angela; DOURADO, Luiz Fernandes (Orgs.). A BNCC na contramão do PNE 2014-2024: avaliação e perspectivas (livro eletrônico). Recife: ANPAE, 2018, p. 28-33.

MATOS, Kalma Socorro Lopes de; VIEIRA, Sofia Lerche. Pesquisa Educacional: o prazer de conhecer. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha; UECE, 2001, 143p.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). 34ª Ed. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28ª. ed. Petrópolis: Vozes, 2015, 112p.

ROLDÃO, Maria do Céu; ANDRÉ, Marli Eliza Damalzo; BRZEZINSKI, Íria; ROMANOWSKI, Joana Paulin; LIMA, Edileuza. III Simpósio de Grupos de Pesquisa sobre Formação de Professores do Brasil – Síntese das observações realizadas. Revista Formação Docente, Belo Horizonte, v. 10, nº 18, p.11-18, jan./jul. 2018.

SILVA, Silvina Pimentel; NÓBREGA-THERRIEN, Silvia Maria; FARIAS, Isabel Maria Sabino de. Produções sobre a formação de professores no EPENN: análise do período 2003 a 2011. In: GOMES, Alfredo Macedo; LEAL, Telma Ferraz. Pesquisas em Educação nas regiões Norte e Nordeste: balanço e perspectivas. Recife: editora UFPE, 2014, p.127-152.

STAKE, Robert E. Pesquisa Qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Porto Alegre: Penso, 2011, 263p.

Downloads

Publicado

2021-09-03

Como Citar

VERAS, K. M. .; CAVALCANTE, M. M. D.; MENDONÇA, L. de O. S.; CONDE, I. B. Pesquisas sobre as ciências da natureza na base nacional comum curricular: um mapa recente. Práxis Educacional, [S. l.], v. 17, n. 48, p. 1-19, 2021. DOI: 10.22481/praxisedu.v17i48.8757. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/8757. Acesso em: 18 set. 2021.