Educação do campo em perspectiva historiográfica nos periódicos de História da Educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i48.8861

Palavras-chave:

História da Educação Brasileira, Educação do Campo, Historiografia

Resumo

Este artigo resulta de pesquisa sobre as características historiográficas de produções/publicações que abordam a Educação do Campo em perspectiva histórica ou na qualidade de História da Educação. A Educação do Campo tem se constituído como objeto de interesse da História da Educação no Brasil? A resposta à pergunta é construída a partir do mapeamento da produção historiográfica sobre a Educação do Campo em seus 20 anos de existência e da identificação dos objetos, sujeitos, contextos espaço-temporais, fontes, categorias de pesquisa, perspectivas teórico-metodológicas e referenciais presentes nas produções/publicações. A pesquisa é de natureza bibliográfica e bibliométrica, delimitada às publicações em periódicos brasileiros de História da Educação, no período de 2008 a 2020. A conclusão é de que a Educação do Campo ainda não se constitui como objeto marcante nas publicações divulgadas nos periódicos de História da Educação, ao passo que a Educação Rural tem lugar consolidado na área.

 História da Educação Brasileira; Educação do Campo; Historiografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Luiz Batista da Silva, Faculdade Nacional de Educação e Ensino Superior do Paraná / Secretaria Municipal de Educação de Araucária– Brasil

Doutor em Educação pela UTP. Membro do Núcleo de Pesquisa em Educação do Campo, Movimentos Sociais e Práticas Pedagógicas (NUPECAMP). Professor da Faculdade Nacional de Educação e Ensino Superior do Paraná e da Rede Municipal de Ensino de Araucária/PR

Maria Antônia de Souza, Universidade Estadual de Ponta Grossa - Brasil

Doutora em Educação pela UNICAMP. Professora da Universidade Estadual de Ponta Grossa, curso de Pedagogia e Mestrado Profissional (PROFEI). Professora da Universidade Tuiuti do Paraná. Coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Educação do Campo, Movimentos Sociais e Práticas Pedagógicas (NUPECAMP). Bolsista do CNPq, PQ1B.

Referências

BENTES, Glez Rodrigues Freitas; COLARES, Anselmo Alencar. A casa familiar rural e a política de educação do campo: história de resistência do movimento social no oeste paraense. Revista HISTEDBR On-Line, v.16, n.69, p. 267-285, set. 2016. DOI: https://doi.org/10.20396/rho.v16i69.8648231. Acesso em: 20 mar. 2021.

BORDENAVE, Juan Diaz; WERTHEIN, Jorge. Educação Rural no Terceiro Mundo: experiências e novas alternativas. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

BRASIL. Presidência da República. Decreto Presidencial 7.352 de 4 de novembro de 2010. Dispõe sobre a política de educação do campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária - PRONERA. Diário Oficial da União, Brasília, 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7352.htm. Acesso em: 20 jan. 2021.

BRASIL. CNE/CEB. Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Básica. Resolução 01/2002. Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Diário Oficial da União, Brasília, 9 de abril de 2002. Seção 1, p. 32. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=13800-rceb001-02-pdf&category_slug=agosto-2013-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 12 abr. 2021.

BRASIL. CNE/CEB. Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Básica. Resolução 02/2008. Estabelece diretrizes complementares, normas e princípios para o desenvolvimento de políticas públicas de atendimento da Educação Básica do Campo. Diário Oficial da União, Brasília, 29 de abril de 2008, Seção 1, p. 25. Disponível em: http://pronacampo.mec.gov.br/images/pdf/mn_resolucao_2_de_28_de_abril_de_2008.pdf. Acesso em: 12 abr. 2021.

BRAUDEL, Fernand. História e Ciências Sociais: a longa duração. In: BRAUDEL, Fernand. Escritos sobre a História. Tradução de J. Guinburg e Tereza Cristina Silveira da Mota. São Paulo: Perspectiva, 2007. p. 41-78.

CALAZANS, Maria Julieta Costa. Para compreender a educação do estado no meio rural. In: DAMASCENO, Maria; THERRIEN, Jacques (Orgs.). Educação e escola no campo. Campinas/SP: Papirus, 1993.

CALDART. Roseli Salete. O MST e a formação dos sem-terra: o movimento social como princípio educativo. Estudos Avançados, São Paulo, v. 15, n. 43, set./dez. 2001. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-40142001000300016 Acesso em: 15 maio 2021.

CALDART, Roseli Salete. Educação do Campo. In: CALDART, Roseli Caldart; PEREIRA, Isabel B.; ALENTEJANO, Paulo; FRIGOTTO, Gaudêncio. Dicionário de Educação do Campo. São Paulo: Expressão Popular, 2012. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/26224/2/Livro%20EPSJV%20011000.pdf. Acesso em: 15 maio 2021.

CNEC. CONFERÊNCIA NACIONAL POR UMA EDUCAÇÃO DO CAMPO, 1., 1998, Luziânia. Compromissos e Desafios. Por uma Educação Básica do Campo. Semente que Vamos Cultivar. CNBB-MST-UNICEF-UNESCO-UNB. Luziânia/GO, 27 a 31 de julho de 1998

CNEC. CONFERÊNCIA NACIONAL POR UMA EDUCAÇÃO DO CAMPO, 2., 2004, Luziânia. Declaração Final: Por uma Política Pública de Educação do Campo. Educação do Campo – direito nosso, dever do Estado. Luziânia/GO, 2 a 6 de agosto de 2004.

DALMAGRO, Sandra Luciana. História da escola no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Revista HISTEDBR On-Line, v.17, n.3, p.782-810, 2017. DOI: https://doi.org/10.20396/rho.v17i2.8645847. Acesso em: 15 maio 2021.

DAMASCENO, Maria Nobre; BESERRA, Bernadete. Estudos sobre a educação rural no Brasil: estado da arte e perspectivas. Educação e Pesquisa, v.30, n.1, p. 73-89, 2004.

ENERA. ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO NA REFORMA AGRÁRIA, 1., 1997, Brasília. Manifesto das Educadoras e dos Educadores da Reforma Agrária ao povo brasileiro. MST – Reforma Agrária: uma luta de todos. Brasília, 28 a 31 de julho de 1997.

FONEC. FÓRUM NACIONAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO. Carta-Manifesto 20 anos da Educação do Campo e PRONERA. Brasília, DF, junho de 2018.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Projeto Societário contra-hegemônico e educação do campo: desafios de conteúdo, método e forma. In: MUNARIM, Antonio et al. (Org.). Educação do campo: reflexões e perspectivas. Florianópolis: Insular, 2010.

GIMONET, Jean Claude. Praticar e compreender a Pedagogia da Alternância dos CEFFAS. Tradução de Thierry de Burghgrave. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

GIMONET, Jean-Claude. A alternância na formação “Método pedagógico ou novo sistema educativo?” A experiência das Casas Familiares Rurais. Disponível em: Alternância na Formação [1]. Gimonet.doc (ufrb.edu.br). Acesso em: 10 maio 2021.

GLÉNISSON, Jean. Iniciação aos estudos históricos. 5. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1986.

LEITE, Sérgio Celani. Escola rural: urbanização e políticas educacionais. São Paulo: Cortez, 2002.

MUNARIM, Antonio. Movimento Nacional de Educação do Campo: uma trajetória em construção. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPEd, 31., 2008, Caxambu. Trabalho apresentado [...]. Caxambu, MG, 2008. 17f. Tema: GT 3 - Movimentos sociais e educação.

MUNARIM, Antonio. Educação do campo no cenário das políticas públicas na primeira década do século 21. Em Aberto, Brasília, v. 24, n. 85, abr. 2011. DOI: https://doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.24i85.2485 Acesso em: 15 maio 2021.

NOSELLA, Paolo. As origens da pedagogia da Alternância. Brasília: UNEFAB, 2007.

NOSELLA, Paolo. As origens da Pedagogia da Alternância. Vitória: Edufes, 2014. (Coleção Educação do Campo).

NOSELLA, Paolo. Uma nova educação para o meio rural: sistematização e problematização da experiência educacional das escolas famílias agrícolas do Movimento de Educação Promocional do Espírito Santo. Dissertação (Mestrado em Filosofia da Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1977. 204 p.

PINASSI, Maria Orlanda. Balanço dos 30 anos de MST. Correio da Cidadania, São Paulo, 9 mar. 2014.

PRADO, Adonia Antunes. Ruralismo pedagógico no Brasil do Estado Novo. Estudos Sociedade e Agricultura, v. 3, n. 1, jul. 1995. Disponível em: Estudos Sociedade e Agricultura, v. 3, n. 1 | Estudos Sociedade e Agricultura (revistaesa.com). Acesso em: 15 maio 2021.

PRAZERES, Maria Soeli Corrêa. dos. Educação do campo e pedagogia da alternância no Brasil e na Amazônia: bases históricas. Revista HISTEDBR On-line, v. 13, n. 52, p. 357-371, 19 nov. 2013. DOI: https://doi.org/10.20396/rho.v13i52.8640247. Acesso em: 15 maio 2021.

RIBEIRO, Marlene. Movimento Camponês, Trabalho e Educação. Liberdade, autonomia, emancipação: princípios/fins da formação humana. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

RIBEIRO, Simone da Silva; ILHA, Darieli Daltrozo; SOUZA, Dileno Dustan Lucas de. Educação em Alternância: outras lógicas para a educação do campo. Revista de História e Historiografia da Educação, Curitiba, Brasil, v. 2, n. 6, p. 205-222, set./dez. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rhhe.v2i6.55213. Acesso em: 15 maio 2021.

RIZZOLI, Álvaro. O real e o imaginário na educação rural (município de São Carlos). 1988. 190f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1988.

SANTOS, Flávio Reis dos; BEZERRA NETO, Luiz. Políticas públicas para educação rural no Brasil: da omissão à regulamentação do programa nacional de educação na reforma agrária. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 66, p. 178-195, dez. 2015. Disponível em: v. 15 n. 66: dez. 2015 | Revista HISTEDBR On-line (unicamp.br). Acesso em: 10 maio 2021.

SAPELLI, Marlene Lúcia Siebert. Escola itinerante: uma história ocultada, forjada no contexto da luta de classes no Paraná. Revista HISTEDBR On-Line, v.15, n.61, p. 333-354, mar. 2015. DOI: https://doi.org/10.20396/rho.v15i61.8640531. Acesso em: 15 maio 2021.

SANTOS, Arlete Ramos dos. Internacionalização da pesquisa e produção do conhecimento sobre Educação do Campo da área da Educação na Região Nordeste (2013 - 2020). Práxis Educacional, v.16, n.43, p. 196-228, 2020. DOI: https://doi.org/10.22481/rpe.v16i43.7689. Acesso em: 15 maio 2021.

SILVA, André Luiz Batista da. A educação do campo no contexto da luta do movimento social: uma análise histórica das lutas, conquistas e resistências a partir do Movimento Nacional da Educação do Campo. Rev. Bras. Hist. Educ., Maringá, v. 20, e112, 2020.

DOI: http://dx.doi.org/10.4025/rbhe.v20.2020.e112. Acesso em: 15 maio 2021.

SOUZA, Maria Antônia de. Educação e Movimentos Sociais do Campo: a produção do conhecimento no período de 1987 a 2015. 2. ed. rev. ampl. Curitiba: UFPR, 2016a.

SOUZA, Maria Antônia de. Educação do Campo no Brasil. In: SOUZA, E. C.; CHAVES, V. L. J. (Orgs.). Documentação, memória e história da educação no Brasil: diálogos sobre políticas de educação e diversidade. 1. ed. Tubarão: Copiart, 2016b. p.133-158.

SOUZA, Maria Antônia de. Pesquisa educacional sobre MST e Educação do Campo no Brasil. Educ. rev., Belo Horizonte, v.36, e208881, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-4698208881. Acesso em: 15 maio 2021.

SOUZA, Maria Antônia de. Educação e Movimentos Sociais do Campo: a produção do conhecimento no período de 1987 a 2007. Curitiba: UFPR, 2010.

THOMPSON, Edward P. A miséria da teoria ou um planetário de erros. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

THOMPSON, Edward P. Costumes em comum. Estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

THOMPSON, Edward P. Tradición, revuelta y consciencia de clase. Barcelona: Editorial Grijalbo, 1984.

VENDRAMINI, Célia Regina; TIRIBA, Lia. Classe, cultura e experiência na obra de E. P. Thompson: contribuições para a pesquisa em educação. Revista HISTEDBR On Line, Campinas, n. 55, p. 54-72, mar. 2014.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Como Citar

SILVA, A. L. B. da .; SOUZA, M. A. de. Educação do campo em perspectiva historiográfica nos periódicos de História da Educação . Práxis Educacional, [S. l.], v. 17, n. 48, p. 1-23, 2021. DOI: 10.22481/praxisedu.v17i48.8861. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/8861. Acesso em: 17 out. 2021.