Nova tentativa de padronização dos currículos dos cursos de licenciatura no Brasil: a BNC-formação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i46.8916

Palavras-chave:

Formação de professores, Política educacional, Padronização

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar a nova tentativa de padronização dos currículos dos cursos de formação de professores da educação básica no Brasil, a partir do contexto político conservador que se instalou no país após o golpe de 2016 e a consolidação desse golpe por meio do resultado das “eleições” presidenciais de 2018 que levou a extrema direita de volta ao poder. Alinhados à chamada “ideologia de mercado”, os governos que se sucederam a partir do golpe de 2016 abraçaram o discurso de assegurar a “coerência” entre as diretrizes curriculares nacionais para a formação docente e a Base Nacional Comum Curricular da Educação Básica (BNCC-Educação Básica) e isto certamente representou o retorno à tentativa de homogeneizar as propostas curriculares dos cursos de formação de professores no país. Não há dúvidas que, de maneira semelhante ao que aconteceu no Brasil durante os governos militares ditatoriais (1964-1985), que tentaram controlar as propostas curriculares dos cursos de graduação e, mais especificamente, dos cursos de formação de professores, por meio dos chamados “currículos mínimos”, a BNC-Formação trata-se de uma nova tentativa de uniformizar os currículos das licenciaturas no país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlio Emílio Diniz-Pereira, Universidade Federal de Minas Gerais – Brasil

Professor Titular da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (FaE/UFMG). Doutor (Ph.D.) em Educação pela University of Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos. Professor do Programa de Pós-graduação em Educação da FaE/UFMG. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq – Nível 2.

Referências

BRASIL. Decreto no 8.752, de 9 de maio de 2016. Dispõe sobre a Política Nacional de Formação dos Profissionais da Educação Básica. Diário Oficial da União, Brasília, 10 de maio de 2016.

BRASIL. Lei no 5.540, de 28 novembro de 1968. Fixa normas de organização e funcionamento do ensino superior e sua articulação com a escola média, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 29 novembro 1968.

BRASIL. Lei no 9.394/96. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Lei no 13.415/17. Altera as Leis nos 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e o Decreto-Lei no 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei no 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Diário Oficial da União, Brasília, 17 de fevereiro de 2017.

BRASIL. Parecer CES no 776/97, DE 03 de dezembro de 1997. Orienta para as diretrizes curriculares dos cursos de graduação. Brasília: CNE, 1997.

BRASIL. Parecer CNE/CP 21/2001, de 06 de agosto de 2001. Duração e carga horária dos cursos de Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília: CNE, 2001.

BRASIL. Parecer CNE/CP 009/2001, de 09 de maio de 2001. Sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura. Brasília: CNE, 2001.

BRASIL. Parecer CNE/CP 28/2001, de 02 de outubro de 2001. Dá nova redação ao Parecer CNE/CP 21/2001, estabelecendo a duração e a carga horária dos cursos de Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília: CNE, 2001.

BRASIL. Parecer CNE/CP 7/2018, de 3 de julho de 2018. Solicitação de prorrogação do prazo estabelecido na Resolução CNE/CP n. 1, de 9 de agosto de 2017, que alterou o artigo 22 da Resolução CNE/CP n. 2, de 1o de julho de 2015. Diário Oficial da União, Brasília: CNE, 2018.

BRASIL. Proposta para Base Nacional Comum da Formação de Professores da Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação, 2018 (mimeogr.).

BRASIL. Resolução CNE/CP 01/2002, de 18 de fevereiro de 2002. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores de Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial da União, Brasília, 19 de fevereiro de 2002.

BRASIL. Resolução CNE/CP 02/2002, de 19 de fevereiro de 2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior. Diário Oficial da União, Brasília, 20 de fevereiro de 2002.

BRASIL. Resolução CNE/CP 02/2015, de 1o de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Diário Oficial da União, Brasília, 02 de julho de 2015.

CANDAU, V. M. F. (Coord.). Novos rumos da licenciatura. Brasília: INEP, 1987. 93 p. CARVALHO, A. M. P. A influência das mudanças da legislação na formação dos professores: as 300 horas de estágio supervisionado. Ciência & Educação, Bauru, v.7, n.1, p. 113-122, 2001.

DIAS-DA-SILVA, M. H. G. F. Políticas de formação de professores no Brasil: as ciladas da reestruturação das licenciaturas. Perspectiva, Florianópolis, v.23, n.2, p. 381-406, jul./dez. 2005.

DIAS, R. E.; LOPES, A. C. Competências na formação de professores no Brasil: o que (não) há de novo. Educação e Sociedade, Campinas, v.24, n.85, p.1155-1177, dez. 2003.

DINIZ-PEREIRA, J. E. Desenvolvimento profissional docente: um conceito em disputa. In: Francisco Imbernón; Alexandre Shigunov Neto; Ivan Fortunato (org.). Formação permanente de professores: experiências iberoamericanas. São Paulo: Edições Hipótese, 2019, p. 65-74.

DINIZ-PEREIRA, J. E. Verbete “Formação continuada de professores”. In: OLIVIERA, D. A.; DUARTE, A. C.; VIEIRA, L. F. (orgs.). Dicionário Crítico da Educação. Belo Horizonte: GESTRADO/UFMG, 2010. Disponível em: https://www.gestrado.net.br/?pg=dicionario-verbetes&id=10

DINIZ-PEREIRA, J. E.; FLORES, M. J. B. P.; FERNANDES, F. S. Princípios gerais para a reforma dos cursos de licenciatura no Brasil. Interfaces da Educação, Campo Grande, n. 34, jan./abr. 2021.

DINIZ-PEREIRA, J. E.; VIANA, G. M. Lutas concorrenciais no campo universitário e a atual reforma das licenciaturas na UFMG. ENDIPE, 14, Porto Alegre, abr. 2008. Anais. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008.

FARIA, J. B.; DINIZ-PEREIRA, J. E. Residência pedagógica: afinal, o que é isso? Revista de Educação Pública, Cuiabá, vol. 28, n. 68, maio/ago. 2019.

FREITAS, H. C. L. Formação de professores no Brasil: 10 anos de embate entre projetos de formação. Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 80, p. 136-167, set. 2002.

GATTI, B.; BARRETO, E. ; ANDRÉ, M. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO, 2011.

KRAHE, E. D. Licenciaturas e suas modificações curriculares: as determinações legais do MEC-BR e os currículos da UFRGS. Educação, Brasília, v. 29, n.2, 2004.

LORTIE, D. C. Schoolteacher: A Sociological Study. Chicago: The University of Chicago Press, 1975.

MAUÉS, O. C. Reformas internacionais da educação e formação de professores. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 118, p. 89-118, mar. 2003.

SANTOS, L. L. C. P.; DINIZ-PEREIRA, J. E. Tentativas de padronização do currículo e da formação de professores no Brasil. Caderno CEDES, Campinas, v. 36, p. 281-300, 2016.

TERRAZZAN. E. A. et al. Configurações curriculares em cursos de licenciatura e formação identitária de professores. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 8, n. 23, jan./abr. 2008.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO. Resolução CEPE n. 2.139 de 5 de julho de 2002. Institui a Subcâmara de Licenciaturas no âmbito da Câmara de Colegiados de Graduação.

Downloads

Publicado

2021-07-01

Como Citar

DINIZ-PEREIRA, J. E. Nova tentativa de padronização dos currículos dos cursos de licenciatura no Brasil: a BNC-formação . Práxis Educacional, [S. l.], v. 17, n. 46, p. 1-19, 2021. DOI: 10.22481/praxisedu.v17i46.8916. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/8916. Acesso em: 26 set. 2021.