Crise conjuntural e estrutural do capitalismo: luta pela base nacional comum na formação de professores ANFOPE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i46.8919

Palavras-chave:

Formação de Professores, ANFOPE, Base Nacional Comum

Resumo

A formação inicial e continuada de professores, mantém nexos e relações com a crise estrutural do capitalismo e a especificidade da crise conjuntural no Brasil. O capitalismo, em sua fase imperialista atual aprofunda ainda mais a subsunção real da vida e do trabalho ao capital (LÊNIN, 2007), tem como resultados novas formas de exploração do trabalho, afetando dimensões reprodutivas seja material como imaterial, por mediações e expressões na mercantilização da vida e regressão dos direitos sociais e trabalhistas e a destruição das democracias. Na particularidade da política educacional está na avança a precarização do trabalho e da formação de professores. O presente texto destaca algumas mediações, que estão contidas na disputa dos rumos de projeto de formação de professores e defende proposição crítica superadora apresentada pela ANFOPE. Inicialmente apresentamos elementos sobre a crise, em seguida designamos algumas mediações e, por fim, defendemos a proposta da Base Nacional Comum (BNC) para a formação de professores como propõe a Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação (ANFOPE).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Celi Nelza Zulke Taffarel, Universidade Federal da Bahia - Brasil

Pós-doutora em Educação Física pela Universidade de Oldenburg- Alemanha; Docente na Universidade Federal da Bahia (UFBA)- Brasil; Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação; Coordenadora do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Física, Esporte e Lazer (LEPEL/FACED/UFBA); Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq.

Marize Souza Carvalho, Universidade Federal da Bahia - Brasil

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA); Docentena Universidade Federal da Bahia (UFBA)-Brasil;Coordenadora do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo (GEPEC/FACED/UFBA).

Referências

ALMEIDA, S. Prefácio. In: HAIDER, A. A Armadilha da identidade: raça e classe nos dias de hoje. São Paulo, Veneta, 2019.

ANDRADE, D. R. Uberização da Educação Física. 2019. Disponível em: http://cev.org.br/biblioteca/uberizacao-da-educacao-fisica/. Acesso em: 20 ago. 2020.

ANPED. Militarização de escolas públicas – Solução? Disponível em: https://anped.org.br/news/militarizacao-de-escolas-publicas-solucao. Acesso em 20 ago. 2020.

ANFOPE - BIBLIOTECA. Políticas de formação do Magistério: ANFOPE em Movimento. Formação em movimento – a revista da ANFOPE. Goiânia: Ed. Espaço Acadêmico, 2018.Disponível em:http://costalima.ufrrj.br/index.php/FORMOV. Acesso em 20 de ago. de 2020.

BELTRÃO; J. A. Novo ensino médio: o rebaixamento da formação, o avanço da privatização e a necessidade de alternativa pedagógica crítica na educação física. Salvador/Bahia, Tese (doutorado). UFBA, Faculdade de Educação, 2019.

CBCE. GTT Atividade Física e saúde lança Carta de repúdio ao programa Brasil em Movimento do Governo Federal. Disponível em: http://www.cbce.org.br/noticias- detalhe.php?id=1405. Acesso em: 20 ago. 2020.

CEGALINI, V. L.; FLEURY, F.; CARDOSO, M.V. A implementação da meritocracia como plataforma de desempenho em uma entidade esportiva de alto rendimento. PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review (UNINOVE)Vol.5, N. 3 Setembro/Dezembro. 2016. Disponível em: www.podiumreview.org.br. Acesso em 15 de nov. de 2020.

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do Ensino da Educação Física. São Paulo: Cortez, 2012.

COLEMARX. Em defesa da Educação Pública comprometida com a igualdade social. Rio de Janeiro: UFRJ, 2020a.

COLEMARX. Universidades Públicas e aulas remotas: Nenhum estudante pode ser excluído. Rio de Janeiro: UFRJ, 2020b.

DA EMPOLI, Giuliano. Engenheiros do caos: Como as fakes news, as teorias da conspiração e os algoritmos estão sendo utilizados para disseminar ódio, medo e influenciar eleições. São Paulo, Vestígio, 2020.

DUARTE, N. O debate contemporâneo das teorias pedagógicas. In: MARTINS; Ligia M. DUARTE; N. Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias. São Paulo: Editora Cultura Acadêmica, 2010.

DUARTE, N. Vigotski e o “aprender a aprender”. Campinas/SP, Autores Associados, 2004. ENGELS, F. Política. In: FERNANDES F. (Coordenador); PAULO NETTO, J.

FRIEDERICH ENGELS: Política. São Paulo: Ática, 1981.

ENGELS, Friederich. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São aulo: Boitempo, 2008.

FREITAS, Luis Carlos de. A reforma empresarial da educação: nova direita, velhas ideias. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

FREITAS, L.C. Projeto histórico, ciência pedagógica e “didática”. Educação & Sociedade. 1987, no 27, p. 123-140. Disponível em: educação e sociedade - v.10 - n.27 - 1987 (cev). Acesso em 15 de nov. de 2020.

GRAMSCI, A. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

GOULARTDT, F; FLORENTINO, G. Covid-19: drogas e armas – os impactos da proibição de operações policiais nas favelas. Disponível em: https://dmjracial.com/2020/06/29/covid- 19-drogas-armas-os-impactos-da-proibicao-de-operacoes-policiais-nas-favelas/. Acesso em: 15 nov. 2020.

HACK, C. Formação de professores e professoras de Educação Física no Brasil e o embate de projetos no campo de conhecimento da Saúde: contribuições da Teoria Pedagógica Histórico-Crítica. 235 f. 2017. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, 2017.

HAIDER, A. A armadilha da identidade: raça e classe nos dias de hoje. São Paulo, Veneta, 2019.

JINKINGS, Ivana et al. (Org.). Por que gritamos golpe. São Paulo: Boitempo, 2016.

LENIN, V. I. O Imperialismo, fase superior do capitalismo. Brasília: Nova Palavra, 2007.

GUIDO, Liguori; VOZA, Pasquale. Dicionário Gramsciano. São Paulo: Boitempo, 2017.

MANACORDA, Mario Alighiero. História da educação: da antiguidade aos nossos dias. Tradução deGaetano Lo Monaco. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2001

MALANCHEN, J. Cultura, conhecimento e currículo: contribuições da pedagogia histórico critica. Campinas-SP: Autores Associados, 2016.

MARTINS, L. M.; DUARTE, M. (Org). Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo. Boitempo, 2007. MASCARO, A. Estado e forma política. 1aed. São Paulo: Boitempo, 2013. MASCARO, A. Crise e Golpe. São Paulo: Boitempo, 2018.

MBEMBE, A. Necropolitica: biopoder, soberania, estado de exceção, política de morte. São Paulo: M-1 Edições, 2020.

MEIRELES, A. C.; SANTOS, A. R. Estudantes, Uni-vos! A ameaça aos grêmios estudantis pelo movimento Escola sem Partido. 2020 (No prelo).

MEJIA; E. A. Papel del deporte em la irrupción Fascista em Brasil 2018: Como el deporte fue convertido em elemento importante de la campaña de Bolsonaro? De que forma el Mundial de Fútbol y Juegos Olímpicos contribuyeron com la destitución de Dilma Rouseff, el punto de quiebre de la democracia? ATHLOS: Revista Internacional de Ciencias Sociales de la Actividad Física, el juego y el Deporte. Vol XVI – Ano VIII, Enero, 2019.

MEJIA, E. A. Deporte, sociología, ideología, política, poder y globalización. Lima Peru. Centro Experimental De Estudios Latinoamericanos “Dr. Gastón Parra Luzardo”. Universidad Del Zulia Maracaibo-Venezuela Asociación Panamericana De Juegos Y Deportes Autóctonos Y Tradicionales. 2020

MNCR. 10 anos na luta pela regulamentação do trabalho. 2010. (Mimeo).

MONTORO, X. A. Capitalismo y Economía Mundial: bases teóricas y análisis empírico para la comprensión de los problemas económicos del siglo XXI. Madrid: Instituto Marxista de Economía, 2014.

MORSCHBACHER, M. Formação de Professores: proposições para a formação para o trabalho científico na Licenciatura em Educação Física. Salvador/Bahia. Tese de Doutorado. Faculdade de Educação, 2016.

MORSCHBACHER, M. Reformas curriculares e a formação do (novo) trabalhador em Educação Física: a subsunção da formação à lógica privada/mercantil. Pelos/RS. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação Física. UFPEL, 2012.

RAMOS, Marise. Escola sem Partido: A criminalização do Trabalho Pedagógico. 2016. Disponível em: https://anped.org.br/news/escola-sem-partido-criminalizacao-do-trabalho- pedagogico. Acesso em: 20 de dez. de 2020.

SACOMANI, D. et al. O discurso meritocrático e o esporte. 2016. Disponível em: https://eticadebolso.com.br/o-discurso-meritocratico-e-o-esporte-no-brasil/. Acesso em: 8 ago. 2020.

SAVIANI, D. Prefácio. In: MANACORDA, Mario Alighiero. Marx e a pedagogia moderna. Tradução de Newton Ramos de Oliveira. Campinas, SP: Editora Alínea, 2007.

SAVIANI, D. Crise estrutural, conjuntura nacional, coronavirus e educação – o desmonte da educação nacional. Revista Exitus, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e020063, 2020. DOI: 10.24065/2237- 9460.2020v10n1ID1463. Disponível em: http://ufopa.edu.br/portaldeperiodicos/index.php/revistaexitus/article/view/1463. Acesso em: 20nov. 2020.

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-Critica: primeiras aproximações. Campinas-SP: Autores Associados, 2013.

SAVIANI. D. Educação: Do senso comum a consciência filosófica. Campinas/SP: Autores Associados, 2009.

TAFFAREL, C; SANTOS JÚNIOR, C. Política nacional do esporte: as consequências do Desmonte do Ministério do Esporte. Motrivivência, Florianópolis: v. 31, n. 60, p. 01-33, outubro/dezembro, 2019. Universidade Federal de Santa Catarina. DOI:10.5007/2175- 8042.2019e66105. Disponível

em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/2175- 8042.2019e66105.Acesso em: 15 nov. 2020.

TAFFAREL, C. HACK, C. MORSCHBACHER, M. Sistema de proteção do trabalho, do trabalhador e da trabalhadora da Educação Física: Porque somos contra a regulamentação da profissão. Salvador/BA, 2020 (No prelo).

TAFFAREL, C. Z.; ESCOBAR, M. O. A cultura corporal e os dualismos necessários para a ordem do capital, 2009. Disponível em:http://www.rascunhodigital.faced.ufba.br/ver.php?idtexto=277. Acesso em: 11 jul. 2018.

TAFFAREL, C. Formação de professores de educação física: diretrizes para a formação unificada. Kineses, v.30, n.1, p. 95-133, jan./jun. 2012. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/kinesis/article/view/5726/3395.Acesso em: 19 de dez. de 2020.

ALBUQUERQUE, Joelma de Oliveira; TAFFAREL, Celi Nelza Zülke. Projeto Histórico e Projeto de Escolarização: Contribuições das Teorias Histórico-Cultural, Pedagogia Histórico- Crítica e Abordagem Crítico- Superadora do Ensino da Educação Física. Poiésis - Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação, [S.l.], v. 14, n. 25, p. 52-70, ago. 2020. ISSN 2179-2534. Disponível em: <http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Poiesis/article/view/8965/5299>. Acesso em 20 de ago. de 2020.

VALIM, Rafael. Estado de Exceção: A forma jurídica do neoliberalismo. São Paulo: Editora contracorrente,2017.

Downloads

Publicado

2021-07-01

Como Citar

TAFFAREL, C. N. Z.; CARVALHO, M. S. Crise conjuntural e estrutural do capitalismo: luta pela base nacional comum na formação de professores ANFOPE . Práxis Educacional, [S. l.], v. 17, n. 46, p. 1-22, 2021. DOI: 10.22481/praxisedu.v17i46.8919. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/8919. Acesso em: 26 set. 2021.