Educação remota e pandemia em close-up

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v18i49.9121

Palavras-chave:

Produção de subjetividade; Formação inventiva de professores; Heterotopia

Resumo

Este é um artigo tecido à seis mãos, por meio do encontro e conversas entre três professoras da rede pública de ensino, duas da escola básica e uma da universidade. Esta tessitura conceitua um encontro como aquilo que ativa um campo problemático, princípio de uma formação inventiva de professores. Colocamos em análise e em intervenção uma educação remota, convocada pelos cenários pandêmicos do presente, e o seu plano close-up, que elimina o corpo em sua totalidade como enunciador. No enquadre de uma tela - de computador e/ou celular – a educação vira foco evidenciando um processo de exclusão em massa, tanto do corpo, como de um quantitativo de estudantes e de professores que não possuem acesso ao mundo remoto. Para tanto, o trabalho se divide em três cenas em close-up, a saber: Cena 1:  Pandemia e pandemônio: vai passar!(?); Cena 2: espaços outros e as heterotopias: em uma ofegante epidemia, um pouco de ar para não sufocar; Cena 3/Epílogo: brechas de uma formação inventiva de professores: a evolução da liberdade. A aposta conceitual e metodológica proposta apresenta tomadas que compõem as cenas e funcionam como propagadores da dimensão crítica e de resistência para afirmar modos autogestionários e inventivos de formar que ligam conhecer e viver à um ethos – uma política para a produção de vidas livres, raridades em tempos de educação e controle remotos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rosimeri de Oliveira Dias, UERJ

Doutorado em Psicologia, UFRJ; Professora Associada do Departamento de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação Processos Formativos e Desigualdades Sociais (UERJ) - Brasil; Coletivo Oficinas de Formação Inventiva de Professores (OFIP); Procientista UERJ; rosimeri.dias@uol.com.br

Liliana Secron Pinto, Secretaria Municipal de Educação do Rio de janeiro- SME-RJ; Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro SEEDUC-RJ

Mestrado em Educação no Programa de Pós-Graduação Processos Formativos e Desigualdades Sociais, UERJ; Professora da Secretaria de Estado de Educação (SEEDUC-RJ) e da Secretaria Municipal de Educação (SME-RJ) - Brasil; Coletivo Oficinas de Formação Inventiva de Professores (OFIP); lsecron@gmail.com

Líbia Busquet, Fundação Municipal de Educação de Niterói/RJ; UERJ

Doutorado (em curso) em Educação no Programa de Pós-Graduação Processos formativos e desigualdades sociais, UERJ; Professora da Fundação Municipal de Educação de Niterói/RJ - Brasil. Coletivo Oficina de Formação Inventiva de Professores (OFIP). Atriz e cantora. mcpessin@gmail.com

Referências

DELEUZE, G. A imagem-movimento. São Paulo: Brasiliense, 1990.

DELEUZE, Gilles. L'abécédaire Gilles Deleuze. Paris: Éditions Montparnasse, 1997. Videocassete. Sublinhado em português pelo MEC, TV Escola. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/0B347KgD-3KhNcGdBemhqS3N0b1U/view

DELEUZE, Gilles. Conversações. Trad. Peter Pál Pelbart. Ed. 34: Rio de Janeiro. 1992.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. Ano zero–rostidade. Mil platôs Capitalismo e Esquizofrenia, v. 3. Rio de Janeiro: editora 34, 1996.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. O que é a filosofia? São Paulo: Editora 34, 2004.

DELEUZE, Gilles; PARNET, Claire. Diálogos. São Paulo: Ed. Escuta, 1998.

DIAS, Rosimeri de Oliveira. Deslocamentos na formação de professores: aprendizagem de adultos, experiência e políticas cognitivas. Rio de Janeiro: Lamparina, 2011.

DIAS, Rosimeri de Oliveira. Formação inventiva de professores. Rio de Janeiro: Lamparina, 2012.

DIAS, Rosimeri de Oliveira. Pesquisa-Intervenção e formação inventiva de professores. Revista Polis e Psique. Vol 5, págs (193-209), 2015. Disponível em: file:///C:/Users/lsecr/Downloads/53949-238491-1-PB%20(1).pdf Acesso em: 6/7/2021.

DIAS, Rosimeri de Oliveira. formação inventiva de professores por entre tessituras ética, estética e política de escritas acadêmicas. In: Revista Childhood&Philosophy. Rio de Janeiro: UERJ, 2019. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/childhood/article/view/44236/31759

DIAS, Rosimeri de Oliveira; RODRIGUES, Heliana de Barros Conde. Escritas de si: escutas, cartas e formação inventiva de professores entre universidade e escola básica. Rio de Janeiro: Lamparina/FAPERJ, 2019.

DIAS, Rosimeri de Oliveira; RODRIGUES, Heliana de Barros Conde. Deslocamentos, invenção e formação outra - em companhia de Foucault. In: Revista Reflexão e Ação. Santa Cruz do Sul: UNISC, v. 28, número 3, 2020, p. 166-180. Disponível em file:///C:/Users/rosim/Downloads/14278-66032-3-PB.pdf Acesso em: 23 jun 2021. Acesso em: 01 jul 2021.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade 2: o uso dos prazeres. 7ª ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1994.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: FOUCAULT, Michel. O que é um autor? Lisboa: Veja, 2002, p. 129-160.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

FOUCAULT, Michel. O corpo utópico, as heterotopias. São Paulo: n-1 Edições, 2013.

FOUCAULT, Michel. Do governo dos vivos. São Paulo: Martins Fontes, 2014

KASTRUP, Virgínia. Aprendizagem, arte e invenção. Psicologia em Estudo, Maringá, v.6, n. 1, p. 17-27, jan./jun, 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pe/a/NTNFsBzXts5GHp4Zk8sBbyF/?lang=pt Acesso 01 jul 2021.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

ROLNIK, Suely. Cartografia Sentimental: transformações contemporâneas do desejo. Porto Alegre: Sulina, 2007.

SECRON, Liliana. Salas de leitura e suas heterotopias como dispositivo para uma formação inventiva de professores. 2020. Dissertação (Mestrado em Educação). Rio de Janeiro: Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – FFP-UERJ, Programa de Pós-graduação em Educação - Processos Formativos e Desigualdades Sociais. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1aVw5pr6cehjYlskyXhb9lUEL-hZpiPZJ/view Acesso em: 1/5/2021.

PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCOSSIA, Liliana. Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2009.

TRINDADE, Rafael. Taz – por que zona?. jun 2020. Disponível em: https://razaoinadequada.com/2018/06/20/taz-por-que-zona/

Downloads

Publicado

2022-02-10

Como Citar

DIAS, R. de O.; PINTO, L. . S.; BUSQUET, L. Educação remota e pandemia em close-up. Práxis Educacional, [S. l.], v. 18, n. 49, p. e9121, 2022. DOI: 10.22481/praxisedu.v18i49.9121. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/9121. Acesso em: 22 maio. 2022.