A abordagem fenomenológica shutziana e sua aplicação na compreensão da prática pedagógica dos anos finais do ensino fundamental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i48.9238

Palavras-chave:

Fenomenologia Sociológica Schutziana., Prática pedagógica., Ensino Fundamental.

Resumo

Esse artigo destaca o aspecto metodológico da pesquisa realizada no mestrado, objetiva apresentar as contribuições da fenomenologia sociológica shutziana e sua aplicação para a compreensão da prática pedagógica, como produtora de sentidos, sustentada nos conceitos de motivação, experiência e sentido, deste modo, trata-se aqui de exibir a coerência interna entre o objeto e a abordagem metodológica escolhida. De natureza qualitativa, a pesquisa foi desenvolvida com professores da rede pública municipal, por meio de entrevista semiestruturada decodificadas pela análise de conteúdo. Dessa forma, foram produzidas metanarrativas, material necessário para compreensão dos sentidos atribuídos por professores às práticas pedagógicas que desenvolvem. Seguindo essa perspectiva, foi possível compreender sentidos de práticas pedagógicas atribuídos por professores, dos anos finais do ensino fundamental, como fenômenos atrelados ao contexto de suas interações sociais, em função de processos interpretativos por eles utilizados ao lidarem com as situações. A abordagem fenomenológica schutziana permitiu perspectivar a ação pedagógica como uma ação dotada de sentidos que ao serem revelados, via pesquisa, permitem enunciar diferentes configurações de práticas, marcadas por crenças e valores idiossincráticos, ainda que ali se incluam prescrições governamentais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isamary Roberta Ferreira Cézar, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Mestre em educação, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB); Professora substituta do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais, Salinas - Brasil; Coordenadora Pedagógica da rede privada na cidade de Vitória da Conquista, Bahia; Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa em Praticas Curriculares e Educativas (GEPPCE), CNPq

Nilma Margarida de Castro Crusoé, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Doutora em educação, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com Estágio Doutoral na Universidade de Coimbra, PT. Professora Plena do Departamento de Filosofia e Ciências Humanas e do Programa de Pós-Graduação em Educação, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Vitória da Conquista - Brasil. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisa em Praticas Curriculares e Educativas (GEPPCE), CNPq.

Referências

AMADO, João, (org.). Manual de investigação qualitativa em educação. 3.ed. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2017.

AMADO, João; COSTA, António Pedro; CRUSOÉ, Nilma. Procedimentos de análise de dados. In: AMADO, João (Coord.). Manual de investigação qualitativa em educação. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2017.

AMADO, João; CRUSOÉ, Nilma; VAZ-REBELO, Piedade. Quadros analíticos da investigação qualitativa em educação. In: AMADO, João (Coord.). Manual de investigação qualitativa em educação. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2017.

CRUSOÉ, Nilma Margarida de Castro Crusoé; SANTOS, Edmilson Menezes. Fenomenologia sociológica de Alfred Schutz: contribuições para a investigação qualitativa em prática educativa. Rev. Tempos Espaços Educ. v.13, n. 32, e-13274, jan./dez, 2020.

CRUSOÉ. Nilma Margarida de Castro. Prática pedagógica interdisciplinar na escola: sentidos atribuídos pelas professoras. 1. Ed Curitiba, PR: CRV, 2014.

GIL, Antônio C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

LAVILLE, Christian e DIONNE, Jean. A Construção do Saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artmed/Belo Horizonte: UFMG, 1999.

MENEZES, Edmilson & CRUSOÉ, Nilma Margarida de. Fenomenologia Sociológica de Alfred Schutz: Contribuições para a investigação qualitativa em prática educativa. Congresso Ibero-Americano em Investigação Qualitativa. Atas CIAIQ 2019. Disponível em: https://proceedings.ciaiq.org/index.php/CIAIQ2019/issue/view/27. Acesso em 20 nov.2019.

MINAYO, M.C. de S. O desafio do conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde. (12ª edição). São Paulo: Hucitec-Abrasco, 2010.

SHULTZ, A. Sobre fenomenologia e relações sociais. Edição e organização: Helmut T. R. Wagner. Tradução: Raquel Weiss. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

VOGEL, Acedriana Vicente. Bananeira não dá pêra: e outras crônicas sobre educação. Curitiba, Editora Piá: 2020.

Downloads

Publicado

2021-09-01

Como Citar

CÉZAR, I. R. F.; CRUSOÉ, N. M. de C. . A abordagem fenomenológica shutziana e sua aplicação na compreensão da prática pedagógica dos anos finais do ensino fundamental. Práxis Educacional, [S. l.], v. 17, n. 48, p. 1-19, 2021. DOI: 10.22481/praxisedu.v17i48.9238. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/9238. Acesso em: 18 set. 2021.