A brinquedoteca em espaço de acolhimento hospitalar: reflexões sobre a prática freireana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i47.9383

Palavras-chave:

Educação Popular, Espaço de Acolhimento Hospitalar, Pedagogia Freireana

Resumo

Este artigo objetiva analisar o trabalho pedagógico desenvolvido na brinquedoteca de um Espaço de Acolhimento vinculado a um hospital, que atende crianças vítimas de escalpelamento, no estado do Pará, no período de 2018-2019, com o foco na ludicidade. As questões orientadoras do estudo são: Por que brincar no ambiente hospitalar? Em que contribui o brincar na formação das crianças no ambiente hospitalar? Trata-se de ação pedagógica desenvolvida por um núcleo de educação popular universitário, cuja referência é Paulo Freire. Para compreender a atuação pedagógica na brinquedoteca, realizaram-se pesquisa bibliográfica, observação in loco, análise das práticas desenvolvidas e conversas informais com os profissionais e usuários do espaço. Conclui-se que o brincar, como atividade lúdica, possibilita subverter e aflorar sentimentos presentes na vida das crianças e viabiliza a superação da dor e das angústias e medos gerados pela doença e internação prolongada de crianças em tratamento de saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ivanilde Apoluceno de Oliveira, Universidade do Estado do Pará - Brasil

Professora titular da Universidade do Estado do Pará. Doutora em Educação pela PUC-SP e UNAM-UAM-Iztapalapa – México. Pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação e coordenadora do Núcleo de Educação Popular Paulo Freire (NEP) e da Cátedra Paulo Freire da Amazônia. Bolsista produtividade do CNPq2.

Tânia Regina Lobato dos Santos, Universidade do Estado do Pará - Brasil

Professora titular da Universidade do Estado do Pará. Doutora em Educação pela PUC-SP e professora do curso de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGED/UEPA. Pesquisadora do Núcleo de Educação Popular Paulo Freire (NEP) CCSE/UEPA e coordenadora do Projeto de Extensão – Educação Básica: Inclusão Social e Educacional.

Referências

AZEVEDO, Antônia Cristina Penuso de. Brinquedoteca no diagnóstico e intervenção em

dificuldades escolares. Campinas: Alínea, 2004.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A educação popular na escola cidadã. Petrópolis: Vozes, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Classe hospitalar e atendimento pedagógico domiciliar: estratégias e orientações. Secretaria de Educação Especial. Brasília: MEC; SEESP, 2002.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei Federal n.o 11.104/2005. Brasília, 2005.

BRASIL. Ministério da Saúde. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília: Editora do

Ministério da Saúde, 2008.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. São Paulo: Saraiva, 2009.

CARDOSO, Maria de Fátima dos Santos. A higienização dos brinquedos no ambiente hospitalar. In: VIÉGAS, Dráuzio (org.) Brinquedoteca hospitalar: isto é humanização. Associação Brasileira de Brinquedotecas. 2.ed. Rio de Janeiro: WakEditora, 2008. p.147-150

COSTA, Edwaldo; DE PAULA, Nisley Martins. Brinquedoteca hospitalar e a importância da higienização dos brinquedos. SCIAS–Arte/Educação, 2014. Disponível em: www.scielo.com.br. Acesso em: 20 janeiro de 2021.

CUNHA, Nylse Helena da Silva. O significado da brinquedoteca hospitalar. In: VIÉGAS, Dráuzio (org.). Brinquedoteca hospitalar: isto é humanização. Associação Brasileira de Brinquedotecas. 2.ed. Rio de Janeiro: WakEditora, 2008. p.71-74

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 4. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981. FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São

Paulo: Cortez; Autores Associados, 1982.

FREIRE, Paulo. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho D’Água, 1993.

FREIRE, Paulo. À sombra desta mangueira. 4. ed. São Paulo: Olho D’Água, 2001a. FREIRE, Paulo. Pedagogia dos sonhos possíveis. São Paulo: UNESP, 2001b.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 36. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2007.

GOLDENBERG, Margareth. A importância da humanização do hospital: brinquedotecas terapêuticas – Instituto Ayrton Senna. In: VIÉGAS, Dráuzio (org.).Brinquedoteca hospitalar: isto é humanização. Associação Brasileira de Brinquedotecas. 2.ed. Rio de Janeiro: WakEditora, 2008. p.85-90.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli. A pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2. ed. São Paulo: EPU, 1986.

OLIVEIRA, Ivanilde Apoluceno de; SANTOS, Tânia Regina Lobato dos. Caderno de Atividades Pedagógicas em Educação Popular. Belém: NEP/CCSE/UEPA, 2015. n.4.

OLIVEIRA, Kássya Christinna et al. Educação em ambiente hospitalar: a complexidade vida- morte. In: OLIVEIRA, Ivanilde Apoluceno de (org.). Caderno de atividades pedagógicas em educação popular: pesquisas e práticas educativas de inclusão social. Belém: NEP/CCSE/UEPA, 2004.n. 1; p. 15 a 28.

OLIVEIRA, Vera Barros de. Algumas experiências: algumas experiências internacionais. In: VIÉGAS, Dráuzio (org.).Brinquedoteca hospitalar: isto é humanização. Associação Brasileira de Brinquedotecas. 2.ed. Rio de Janeiro:WakEditora, 2008. p. 77-84

SANTOS, Marli Pires dos. Brinquedoteca: o lúdico em diferentes contextos. Petrópolis: Vozes, 2004.

VASCONCELOS, Sandra Maia Farias. Classe hospitalar no mundo: um desafio à infânciaem sofrimento. Fortaleza: UEC, 2005. Disponível em: http://www.sbpcnet.org.br/livro/57ra/programas/CONF_SIMP/textos/sandramaia-hospitalar.htm. Acesso em: 5 maio 2018.

VIÉGAS, Dráuzio (org.).Brinquedoteca hospitalar: isto é humanização. Associação Brasileira de Brinquedotecas. 2. ed. Rio de Janeiro: WakEditora, 2008.

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

OLIVEIRA, I. A. de; SANTOS, T. R. L. dos. A brinquedoteca em espaço de acolhimento hospitalar: reflexões sobre a prática freireana . Práxis Educacional, [S. l.], v. 17, n. 47, p. 1-20, 2021. DOI: 10.22481/praxisedu.v17i47.9383. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/9383. Acesso em: 27 nov. 2021.