Paulo Freire: 100 anos de práxis libertadora

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i47.9443

Palavras-chave:

Paulo Freire, Práxis libertadora, Situações-limite

Resumo

O artigo apresenta a atualidade de Paulo Freire para a educação brasileira, focalizando suas contribuições para o campo da práxis libertadora, sobretudo em tempos de um projeto de sociedade ultraneoliberal. Mostra que a educação é um ato político, defende uma educação libertadora, humanizadora e emancipadora, expõe situações-limite vivenciadas por educandos e educadores, anuncia inéditos viáveis a partir das ideias de Paulo Freire e os modos de conjugar, na educação, o verbo esperançar. O texto está dividido em três partes. Na primeira, apresenta-se a atualidade do pensamento de Paulo, tendo como eixo o legado de suas obras e os ataques que vem sofrendo nos últimos anos. Na segunda, discute-se a práxis libertadora em Paulo Freire. Na terceira parte, aborda-se as situações-limite e o desafio do inédito viável freiriano, com base nas experiências e nos desafios enfrentados no ensino remoto. O artigo aponta para a necessidade de conhecer melhor a vida e a obra de Paulo Freire, combater as fake news e a desinformação sobre o autor, divulgar o pensamento e a contribuição da práxis libertadora de Paulo Freire para a educação no Brasil e no mundo, superar as situações-limite que se vive, acreditar nos inéditos viáveis e esperançar na educação.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sonia Maria Alves de Oliveira Reis, Universidade do Estado da Bahia - Brasil

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora adjunta da Universidade do Estado da Bahia onde atua na graduação e nos cursos de especialização lato sensu. É professora externa do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEd/UESB), coordenadora de área do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), líder do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão Educacional Paulo Freire (NEPE/CNPQ). Coordenadora do Doutorado Interinstitucional. Dinter - UNEB/UFMG

Referências

BOLSONARO, Jair. O caminho da prosperidade: Proposta de Plano de Governo. Brasília, DF: [S. n.], 2018. Disponível em: https://divulgacandcontas.tse.jus.br/candidaturas/oficial/2018/BR/BR/2022802018/280000614517/proposta_1534284632231.pdf. Acesso em: 20 ago.2021.

BRASIL. Lei n.º 12.612, de 13 de abril de 2012. Declara o educador Paulo Freire Patrono da Educação Brasileira. Brasília, DF: Presidência da República, 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12612.htm. Acesso em: 20 ago. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 25 abr. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n.o 188, de 3 de fevereiro de 2020. Brasília, DF: MS, 2020. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2020/prt0188_04_02_2020.html. Acesso em: 25 abr. 2021.

CARA, Daniel. O que Paulo Freire e Anísio Teixeira diriam sobre a Base? In: CÁSSIO, Fernando; CATELLI JR., Roberto (org.). Educação é a Base? 23 Educadores discutem a BNCC. São Paulo: Ação Educativa, 2019.

FEITOSA, Sonia Couto Souza; GADOTTI, Moacir. Método Paulo Freire: princípios e práticas de uma concepção popular de educação. São Paulo: Universidade de São Paulo, 1999.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pedagogia crítica: transformações nos sentidos e nas práticas emancipatórias. Revista Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 16, n. 42, p. 423-439, out./dez. 2020. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/6299/5144. Acesso em: 20 ago. 2021.

FREIRE, Ana Maria Araújo. Notas explicativas. In: FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992. p. 168-170.

FREIRE, Paulo. Direitos Humanos e Educação Libertadora: gestão democrática da educação pública na cidade de São Paulo. São Paulo: Paz e Terra, 2019.

FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? 13. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1977.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança – um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1992.

FREIRE, Paulo. Política e educação: ensaios. São Paulo: Cortez, 1995.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido: o manuscrito. Projeto editorial, organização e revisão: Jason Ferreira Mafra, José Eustáquio Romão e Moacir Gadotti. São Paulo: Instituto Paulo Freire: Universidade Nove de Julho; Brasília, DF: Ministério da Educação, 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

FREIRE, Paulo; SHOR, Ira. Medo e Ousadia: o cotidiano do professor. 13. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

GREEN, Elliott. What are the most-cited publications in the social sciences (according to Google Scholar)? In: LSE IMPACT BLOG. London, 12 May 2016. Disponível em: https://blogs.lse.ac.uk/impactofsocialsciences/2016/05/12/what-are-the-most-cited-publications-in-the-social-sciences-according-to-google-scholar/. Acesso em: 20 ago. 2021.

KOHAN, Walter. Paulo Freire, mais do que nunca: uma biografia filosófica. Belo Horizonte: Vestígio, 2019.

O FUTURO da Escola: Seymour Papert e Paulo Freire - uma conversa sobre informática, ensino e aprendizagem. Produção da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – TV PUC. São Paulo: PUC-SP, 1995. Vídeo (60 min.), Formato MP4, son., color. Disponível em: http://177.11.48.108:8080/xmlui/handle/7891/395. Acesso em: 20 ago. 2021.

ROMÃO, José Eustáquio; GADOTTI, Moacir. Prefácio à segunda edição dos manuscritos de Pedagogia do oprimido. História dos manuscritos e de sua obra. In. FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido: o manuscrito. Projeto editorial, organização e revisão: Jason Ferreira Mafra, José Eustáquio Romão e Moacir Gadotti. São Paulo: Instituto Paulo Freire: Universidade Nove de Julho; Brasília, DF: Ministério da Educação, 2018. p. 6-27.

ROSSATO, Ricardo. Práxis. In: STRECK, Danilo R.; REDIN, Euclides; ZITKOSKI, Jaime José (org.) Dicionário Paulo Freire. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 574-576.

SANTANA, Otacilio Antunes; SOUZA, Suzana Carvalho de. Pedagogia do oprimido como referência: 50 anos de dados geohistóricos (1968-2017) e o perfil de seu leitor. Revista História da Educação, Porto Alegre, v. 23, p. 1-31, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/heduc/a/hMnnrH6XJz5kQpCW5bxMXLh/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 20 ago. 2021.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

SOFFNER, Renato. Tecnologia e educação: um diálogo Freire-Papert. Tópicos Educacionais, Recife, v. 19, n. 1, p. 147-162, jan./jun. 2013. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/topicoseducacionais/article/viewFile/22353/18549. Acesso em: 20 ago. 2021.

SOUSA, Carlos Alberto Lopes de. “Professor, quero ser oprimida!”: situação-limite e atos-limites no habitus professoral. Revista Linhas Críticas, Brasília, DF, v. 18, n. 37, p. 551-568, set./dez. 2012.

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

REIS, S. M. A. de O. Paulo Freire: 100 anos de práxis libertadora. Práxis Educacional, [S. l.], v. 17, n. 47, p. 1-21, 2021. DOI: 10.22481/praxisedu.v17i47.9443. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/9443. Acesso em: 28 out. 2021.