O anticomunismo do General Ferdinando de Carvalho no contexto da abertura política (1977-1978): uma (re) leitura de “Os Sete Matizes do Vermelho”. (El anticomunismo del general Ferdinando de Carvalho en el contexto de apertura política (1977-1978): ...)

Autores

  • Sandra Regina Barbosa da Silva Souza

Palavras-chave:

Anticomunismo, Ditadura militar, Representações, Memórias

Resumo

O fio condutor deste artigo é o tema das representações políticas anticomunistas do Exército Brasileiro sobre o Partido Comunista Brasileiro (PCB) durante os anos de 1964-1978. Para isso, analisamos o Inquérito Policial Militar (IPM) nº. 709, do PCB, e o livro de ficção de Ferdinando de Carvalho, Os Sete Matizes do Vermelho, e seus contrapontos a partir de entrevistas, memórias e autobiografias de comunistas. A pesquisa visou tratar e identificar os dispositivos de representação do imaginário anticomunista, como ele se revestiu de simbologias, sobretudo pelas narrativas ficcionais, e o quanto representava setores conservadores e autoritários da época. O artigo refere-se, portanto, a um estudo das "lutas de representações" do Exército sobre os comunistas, ou melhor, a visão construída pelo exército sobre os comunistas, no momento da abertura política.

Referências

ARNS,Dom Paulo Evaristo (Prefácio). Brasil: nunca mais.2. ed. Petrópolis: Vozes, 1985.

BENOIT, Hector. “Teoria (dialética) do partido ou a negação da negação leninista”. In: Revista Outubro, n. 2, 1998.

BEZERRA, Gregório. Memórias: segunda parte (1956-1969). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

CARVALHO, Ferdinando de. Entrevista realizada no dia 17 de agosto de 2000.

In: Coleção História Oral do Exército –1964. Rio de Janeiro: Bibliex, 2005.

CARVALHO, Ferdinando de. Os Sete matizes do vermelho. Rio de Janeiro: Bibliex, 1977.

CASTRO, Celso. D’ARAÚJO, Maria Celina & SOARES, Gláucio Ary Dillo.

Dossiê Geisel. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2002.

CHARTIER, Roger. “Por uma sociologia histórica das práticas culturais”. In: A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa: DIFEL, 1990.

D ́ARAÚJO, Maria Celina. SOARES, Gláucio Ary Dillon. CASTRO, Celso (Int. Org.). Visões do golpe: a memória militar sobre 1964. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

FICO, Carlos. Como eles agiam: os subterrâneos da ditadura militar – espionagem e polícia política. Rio de Janeiro: Record, 2001.

______. “Versões e controvérsias sobre 1964 e a ditadura militar”. In: Revista Brasileira de História. S. Paulo: v. 24, n. 47, p. 29-60, 2004.

GASPARI, Helio. A ditadura derrotada. São Paulo: Companhia das Letras. 2003.

MATTOS, Marco Aurélio Vannucchi L. Contra os inimigos da ordem: a repressão política do regime militar brasileiro (1964-1985). Rio de Janeiro: DP & A, 2003.

MORAES, Denis de. (Org.). Prestes com a palavra: uma seleção das principais entrevistas. Campo Grande: Letra Livre, 1997.

PANDOLFI, Dulce. Camaradas e companheiros: história e memória do PCB. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1995.

PASSARINHO, Jarbas. Um híbrido fértil. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1996.

PCB: vinte anos de política (1958-1979), documentos. São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas, 1980.

SILVA, Golbery do Couto e. Geopolítica do Brasil. Coleção Documentos Brasileiros. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1967.

______. Planejamento estratégico. Brasília: UNB, 1981, 536 p. (Cadernos UNB.

Downloads

Publicado

2020-11-15

Como Citar

Barbosa da Silva Souza, S. R. (2020). O anticomunismo do General Ferdinando de Carvalho no contexto da abertura política (1977-1978): uma (re) leitura de “Os Sete Matizes do Vermelho”. (El anticomunismo del general Ferdinando de Carvalho en el contexto de apertura política (1977-1978): .). Revista Binacional Brasil-Argentina: Diálogo Entre As Ciências, 3(1), 161-183. Recuperado de https://periodicos2.uesb.br/index.php/rbba/article/view/1391

Edição

Seção

Artigos de Fluxo Contínuo