A IMPRENSA SERTANEJA COMO FONTE DE PESQUISA

APONTAMENTOS ACERCA DO JORNAL O COMBATE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/rbba.v8i2.6322

Palavras-chave:

Imprensa, Sertões, Jornal O Combate, Intelectuais, Fonte de pesquisa

Resumo

Os estudos sobre a história da imprensa no Brasil têm tido consideráveis avanços nos últimos anos. De fato, pesquisadores dessa área têm dado grande contribuição ao analisarem o papel dos periódicos no processo de formação do Estado e da Nação brasileiros, seja no Oitocentos, quando as linhas de definição acerca da identidade nacional foram esboçadas e consolidadas, seja no século XX, a partir das novas demandas impostas pela implantação da República (1889) e a abolição da escravidão um ano antes (1888). Todavia, a despeito desses importantes estudos, a análise acerca da imprensa existente nas áreas interioranas e, mais especificamente, nos sertões da Bahia, ainda se constitui um campo em aberto para novas investigações. O artigo discute a importância da imprensa periódica como fonte documental e apresenta algumas possibilidades de pesquisa a partir do Jornal O Combate, um dos mais importantes e duradouros que circulou em Vitória da Conquista entre os anos de 1929, quando foi criado, e 1964.

Referências

ARAÚJO, Dilton O. O tutu da Bahia: transição conservadora e formação da nação, 1838-1850. 1. ed. Salvador: EDUFBA, 2009.

CABRAL, M. C. N.; MAGALHAES, L. D. R. O ideal Modernizador da Educação em Vitória da Conquista -BA entre as décadas de 1930 a 1950. In: VIII Seminário Nacional de Estudos e pesquisas "História, Sociedade e Educação no Brasil", Campinas/SP, HISTEDBR, 2009.

DINIZ, J. Péricles. Uma breve trajetória da Imprensa no Recôncavo da Bahia durante o século XIX. Disponível em: http://www.ufrgs.br/alcar/encontros-nacionais-1/encontros-nacionais/7o-encontro20091/Uma%20breve%20trajetoria%20da%20imprensa.pdf. Acesso 02.03.2020).

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do Cárcere. 5 ed., Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

______. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1968.

FERNANDES, Luís. Revista Histórica. Cem anos de jornalismo em Vitória da Conquista. Vitória da Conquista: Brasil Artes Gráficas, 2011.FERREIRA, Luan Vinicius et al. A origem do jornal impresso em Vitória da Conquista (Disponível em: https://focanativa.wordpress.com/2016/03/14/a-origem-do-jornal-impresso-em-vitoria-da-conquista/Acesso em 01.03.2020.

IVO, Isnara Pereira. O Anjo da morte contra o santo lenho: poder, vingança e cotidiano no sertão da Bahia. 2. ed. Vitória da Conquista: Edições Uesb, 2017.

JACOBELIS, Paola Gentile. O problema dos intelectuais no mundo contemporâneo sob duas perspectivas: organizadores da cultura ou expressão das contradições sociais. Disponível em file:///C:/Users/caiod/Downloads/8095-Texto%20do%20artigo-19621-1-10-20140814.pdf. Acesso em 27.04.2019.

LUCA, Tania Regina de. Imprensa periódica e escrita da História: algumas observações. In: REIS, Júlia Bianchi (Org.). Anais do seminário de Pós-Graduandos em História da UFF. Estudos de Imprensa no Brasil. Niterói: UFF, 2012, p. 12-15.

MEDEIROS, Ruy Hermann Araújo. Política, família e educação em Vitória da Conquista na primeira metade do século XX. Revista HISTEDBR On-line, Campinas n.36, p. 1115-123, dez.2009 –I.

MEIRA, Esmeralda Guimarães. O arquivista de si – História e Memória do escritor Camillo de Jesus Lima. Vitória da Conquista: UESB, 2017 (Tese de Doutorado).

MICELI, Sérgio (Org.). Estado e cultura no Brasil. São Paulo: IDESP, 1984.

MIGUEL, Antonieta. Vida material e cotidiano na Imperial Vila da Vitória na segunda metade do século XIX. Salvador: UFBa, 2000 (Dissertação de Mestrado).

MOREL, Marco. O surgimento da imprensa no Brasil: questões atuais. Rio de Janeiro, Maracanan, n. 3, p. 17-30, 2005.

______. (Org.). Cipriano Barata. Sentinella da Liberdade e outros escritos (1821-1835). São Paulo: EDUSP, 2008.

______. Imprensa periódica no século XIX. Rede Memória. Rede Memória Virtual Brasileira. Disponível em https://bndigital.bn.gov.br/dossies/rede-da-memoria-virtual-brasileira/imprensa/imprensa-periodica-no-seculo-xix/. Acesso em 03.03.2020

NOVAIS, Idelma Aparecida F. Produção e Comércio na Imperial Vila da Vitória-1840-1888. Salvador: UFba, 2008 (Dissertação de Mestrado).

OLIVEIRA, Jeremias Macário de. A Imprensa e o Coronelismo no Sertão do Sudoeste. Vitória da Conquista: edições UESB, 2005.

PIRES, Maria de Fátima Novais. Hommes de Letrres na “Corte do Sertão”: João Gumes e a escrita social. Revista Veredas da História, Ano IV -Ed. 2 –2011, p. 151-166.

REIS, Joseni Pereira Meira. Instâncias formativas, modos e condições de participação nas culturas do escrito: o caso de João Gumes (Caetité, Bahia, 1897 a 1928). Belo Horizonte: UFMH, 2010.

SANTOS, Paulo Henrique Duque. Légua tirana: sociedade e economia no alto sertão da Bahia. Caetité, 1890-1930. São Paulo: USP, 2014 (Tese de Doutorado).

SARTRE, Jean-Paul. Em defesa dos intelectuais. São Paulo: Ed Ática, 1994.

SCHWARZ, Roberto. Cultura e política. 3 ed. São Paulo: Paz e Terra. 2009.

SILVA, Paulo Santos. Âncoras de tradição. Luta política, intelectuais e construção do discurso histórico na Bahia (1930-1949). Salvador: EDUFBA, 2000.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da Imprensa no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad, 1999.

SOUZA, Belarmino de Jesus. Uma polis sertaneja, fora do eixo e fora do centro: imprensa e memória nas disputas políticas em Vitória da Conquista (1962-1992). Salvador: UFBA, 2010 (Tese de Doutorado).

SOUZA, Daniela Moura R. de. Memória de Professores Intelectuais como Interlocutores do Republicanismo em Vitória da Conquista entre os anos de 1910 até 1945. Vitória da Conquista: UESB, 2009 (Dissertação de Mestrado).

SOUZA, Daniela Moura R. de; MAGALHÃES, Lívia Diana Rocha. Não fazem mal as musas aos... alfaiates: Um professor intellectual em Vitória da Conquista – Bahia – O caso de Laudionor de Andrade Brasil. Revista HISTEDBR on-line. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640265/7824. Acessado em 25.02.2020.

SOUSA, Maria Aparecida Silva de. Bahia: de capitania a província. São Paulo, Universidade de São Paulo, 2008(Tese de Doutorado).

______. Conjuntura política nas páginas da Gazeta: Idade d ́Ouro do Brazil (Bahia, 1811-1820). In: BERTONI, Luci; MORORÓ, Leila Pio; CAMARGO, Caudinei (Orgs). Desafios epistemológicos das Ciências na atualidade. São Paulo: Canal 6, 2013, p. 151-163.

TEIXEIRA, Byron de Castro Muniz. Memória, República e Sertão em um Periódico Sertanejo (A PENNA, 1897-1930). UESB, 2012 (Dissertação de Mestrado).

Downloads

Publicado

2020-03-29

Como Citar

de Sousa, M. A. S., & de Almeida, J. R. M. (2020). A IMPRENSA SERTANEJA COMO FONTE DE PESQUISA: APONTAMENTOS ACERCA DO JORNAL O COMBATE. Revista Binacional Brasil-Argentina: Diálogo Entre As Ciências, 8(2), 199-213. https://doi.org/10.22481/rbba.v8i2.6322