https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/issue/feed Revista Extensão & Cidadania 2021-12-20T11:07:11-03:00 Revista Extensão & Cidadania UESB/PROEX revistadeextensao@uesb.edu.br Open Journal Systems <div align="justify">A Revista Extensão &amp; Cidadania é um periódico semestral, em versão on-line, de fluxo contínuo, da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários – PROEX, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB, lançada em 2013. Docentes, discentes, técnicos-administrativos de Instituições de Ensino Superior nacionais e internacionais que estejam ligadas às ações extensionistas estão convidados a submeter seus manuscritos (artigos, relatos de experiências, entrevistas, resenhas entre outros materiais), com ênfase nos eixos temáticos da extensão: Comunicação; Cultura; Direitos Humanos e Justiça; Educação; Meio Ambiente; Tecnologia e Produção; Saúde; Trabalho. As submissões podem ser realizadas de forma contínua. Não são cobradas taxas de submissão, avaliação ou publicação de manuscritos. </div> https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/8671 AÇÕES EXTENSIONISTAS DO GEPAN: INTERDISCIPLINARIDADE E ABRANGÊNCIA 2021-06-28T15:28:20-03:00 Amanda Carla Oliveira amandacarloliv@gmail.com Ana Lúcia Castilhano de Araújo alcastilhano@uesb.edu.br Edisio Pereira da Silva Luz Júnior epsljr@gmail.com Felipe Santos Viana 201521044@uesb.edu.br Grazielle Meira Freire graziellefreire1@gmail.com Mariana Batista de Moraes mbmoraes.psicologia@gmail.com <p><strong>Resumo:</strong> O presente artigo aborda acerca das ações extensionistas do Grupo de Estudos em Psicologia Analítica (GEPAN), que desde 2019 atua através do projeto de extensão Estudos de Psicologia Analítica da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, e promove espaços de estudo e divulgação da psicologia de Carl Gustav Jung. Objetivando destacar o caráter interdisciplinar do grupo de estudos e do projeto de extensão, o trabalho discorre a respeito da abrangência da citada atividade extensionista e da ampliação de seu alcance com a utilização das redes sociais, principalmente com a aderência às modalidades virtuais em decorrência da pandemia de COVID-19. São debatidos resultados como: Encontros Criativos, Minicursos, submissão de resumos no 9º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária (CBEU), além da ampliação da participação comunitária no projeto após o rompimento das barreiras geográficas, proporcionado pela adesão às plataformas virtuais. Finalmente, retoma-se a importância das ações extensionistas, que funcionaram como catárticas à produção de diferentes ferramentas de aproximação da comunidade externa e de construção coletiva e multidimensional dos saberes, ações mediadas e envolvidas pelas artes e tecnologias de comunicação, expandindo as discussões para além do espaço da Psicologia.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/9828 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DAS ÁGUAS DE DIFERENTES FONTANÁRIOS PÚBLICOS DE POÇOS DE CALDAS, ESTADO DE MINAS GERAIS, BRASIL 2021-11-08T11:32:23-03:00 Juliana Carvalho Ribeiro rbrjuliana@yahoo.com.br Maria de Fátima Lino Coelho maria.coelho@pitagoras.com.br Yula de Lima Merola yulamerola7@gmail.com <p>Poços de Caldas é uma cidade brasileira, localizada no Sul do estado de Minas Gerais, que se destaca em função da presença de diversos fontanários hidrominerais. Em função do grande consumo e da falta de cuidados básicos de higiene por parte de muitos usuários, questiona-se quanto à possível contaminação da água nesses locais, pode causar doenças de veiculação hídrica. O objetivo deste trabalho foi realizar um projeto de extensão abordando análises físico-químicas, microbiológicas e parasitológicas de amostras de água coletadas em seis fontanários públicos de diferentes regiões da cidade. Para as análises físico-químicas foram avaliadas as características organolépticas, pH e testes colorimétricos qualitativos para sulfato, cloreto, amônio, cálcio e magnésio. As análises microbiológicas realizadas foram análise de bactérias viáveis e presença de <em>Escherichia coli</em>. De acordo com as análises parasitológicas e físico-químicas as amostras atenderam aos padrões de potabilidade. Porém, em duas amostras observou-se valores de pH levemente alcalinos. As análises microbiológicas atenderam aos padrões de potabilidade e em uma amostra observou-se estado de alerta em função da presença de unidades formadoras de colônia de bactérias viáveis. Conclui-se que quatro amostras atenderam os padrões de potabilidade porém, as amostras 2 e 5 foram reprovadas por apresentarem valores de pH acima do indicado. Recomenda-se um monitoramento continuado e frequente da potabilidade da água para maior segurança dos usuários e direcionando ações corretivas futuras.</p> <p>&nbsp;</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/8679 DIAGNÓSTICO E MANIFESTAÇÕES PRECOCES NA ASMA PEDIÁTRICA: O QUE SABEMOS? 2021-07-12T19:18:26-03:00 Flávia Isabelle Barbosa flaviaisabelle95@gmail.com Sabrina Nayara Pio de Oliveira sabrina.oliveira@sou.unifal-mg.edu.br Gláucia de Oliveira Moreira glaucia.moreira@unifal-mg.edu.br <p>Objetivo: Identificar os critérios clínicos utilizados no diagnóstico precoce de asma e as condutas empregadas a fim de gerar ações otimizadoras específicas. Metodologia: Pesquisa de coorte retrospectiva, com análise quantitativa dos dados, em uma amostra estratificada, na qual foram entrevistados pais de pacientes com idades entre 5 e 12 anos, previamente diagnosticados com asma. Resultados: das 35 crianças, em 85,7% havia algum familiar próximo alérgico e em 60% asma diagnosticada. Apresentou discreto predomínio do sexo masculino (20 - 57,1%), mas a manifestação de tosse sem sibilância associada, prevaleceu no sexo feminino (4:1 – ꭙ² p&lt;0,0001). A tosse seca (91,4%) com piora noturna (96,8%) foi o sintoma mais relatado, além do esforço físico (84,3%), do desconforto respiratório (82,8%) e do chiado (85,7%). Os principais desencadeantes foram a poeira, mofo, fumaça de cigarro e perfume (94,2%), e mudança climática (88%). Houve a percepção de melhora com fenoterol inalado (65,7%) e salbutamol (71,4%) inalado (<strong><em>p</em> = </strong>0,13 - X²), sendo que os meninos usaram mais ß₂ (<em>p</em> = 0,03 - X²) que as meninas. A idade do diagnóstico foi de 2 anos em média (e moda), sem diferença entre os sexos. Anti-histamínicos foram usados na asma (80%), além de ter sido observado o uso de ß₂ contínuo sem corticoterapia inalada. Conclusão: tosse seca, chiado e desconforto respiratório recorrentes, foram os sintomas mais valorizados no diagnóstico. Alergia ou asma familiar, fatores desencadeantes e atenuantes também foram considerados. São necessárias atualizações e medidas educativas direcionadas aos profissionais de saúde e pacientes. Novos estudos maiores são necessários.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/8728 O FUNCIONAMENTO DO GRUPO DE CORRIDA PAPA-LÉGUAS NA PANDEMIA 2021-07-07T14:31:29-03:00 Gabriel Pinzon gabriel.pinzon.mt@hotmail.com Lucas Lopes dos Reis lucasuenp@outlook.com Ricardo Siqueira de Oliveira ricardo.profissional.edfisica@gmail.com Thayana Amorim Berenguel thayana.berenguel@gmail.com Natã José Ayres Christoni nachristoni@outlook.com Rui Gonçalves Marques Elias rgmelias@uenp.edu.br <p>O cenário atual da Pandemia do Covid-19 exige cada vez mais a aquisição de um estilo de vida saudável, principalmente quanto à prática de atividade física. Uma das atividades com maior número de adeptos nesse período, devido sua praticidade foi a corrida de rua, que obtiveram mudanças principalmente na dinâmica dos grupos de corrida. Praticar exercícios físicos mesmo com o isolamento social, se tornou o grande desafio da população mundial, tendo em vista que o modelo de entrega dessas atividades passou a ter um novo formato. Dentro desse panorama, nota-se a importância evidenciada da prática de exercício físico para aquisição de níveis ideias de saúde e também formatação adequada do método de treinamento para atividades <em>online</em>. O presente artigo busca apresentar a proposta de intervenção e resultados do alcance do Grupo de corrida Papa-léguas durante a Pandemia do Covid-19. O grupo utilizou as redes sociais Youtube, Plataforma do Google Meet, Facebook e aplicativos WhatsApp e Strava. Por meio de videoaulas, palestras, mensagens e prática de desafio, os professores e bolsistas envolvidos no projeto de extensão mantiveram suas atividades, desenvolveram conhecimento acadêmico e alcançaram um maior público. Youtube apresentou 1473 visualizações nos vídeos, Facebook abrangeu 120 contas alcançadas, plataforma Google Meet apresentou média de 10 participantes no treinamento online e o Strava apresentou 119 participantes do desafio de 120km em 40 dias. O projeto de extensão Papa-léguas apresentou um excelente retrospecto mesmo durante o isolamento social.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/8715 A LITERATURA NO ENSINO DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA: DIÁLOGOS NO COMMUNICATION CAFÉ 2021-08-11T10:45:35-03:00 Ana Ketilly Manhaes Magalhaes 201710703@uesb.edu.br Alice Vasconcelos Silva 201710354@uesb.edu.br Clarissa Costa e Silva clarissaces@hotmail.com Fernando Gonçalves de Souza Neto 201710590@uesb.edu.br Mateus Freire Santana Silva 201710364@uesb.edu.br <p>Este estudo discute o papel da literatura no ensino de inglês como língua estrangeira, em especial, no tocante a como esta pode auxiliar estudantes em seus processos de aprendizagem. Este trabalho surge como resultado de reflexões tecidas nas disciplinas de Literatura Inglesa e Norte-Americana e no projeto de extensão Communication Café, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB, Campus Vitória da Conquista. Neste estudo, a partir das experiências (de leitura, produção e/ou reflexões de textos literários) vivenciadas nestes dois contextos,&nbsp;traçamos um paralelo entre a importância da literatura e as formas de a incorporarmos ao processo de ensino e aprendizagem da língua inglesa. Pensar o lugar da literatura no ensino de inglês como língua estrangeira abre portas para um possível diálogo interdisciplinar. Ainda, nos permite uma leitura crítica de nossa trajetória humana, considerando a intrínseca relação entre literatura e sociedade (GOMES, 2009). A análise que apresentamos é fundamentada em uma perspectiva qualitativa de pesquisa, na qual a compreensão subjetiva e crítica dos autores (professora coordenadora do projeto e discentes do curso de Letras Modernas) ocupa lugar central (CONNELLY; CLANDININ, 2000). &nbsp;Este estudo poderá interessar estudantes, professores e admiradores das várias facetas da língua inglesa.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/8755 O PROJETO “PEDAGOGIA NA QUARENTENA”: CONTEXTOS E CONTRASTES EDUCATIVOS EM MEIO À PANDEMIA 2021-07-14T10:26:07-03:00 Adriana Patrício Delgado adrypatry@hotmail.com Emília Carolina Bispo dos Santos Augusto emiliacarolina@gmail.com Felipe de Carvalho Ferreira felipec.ferreira47@gmail.com Isadora Loyola M. de Lucena loyolaisadora@gmail.com Janilcec de Oliveira Castello janilcecastello@gmail.com Julia dos Santos Vieira juliavieira_13@hotmail.com <p>O presente artigo tem por objetivo trazer o relato da construção, execução e vivências do projeto de extensão Pedagogia na Quarentena, advindo da urgência do curso de Pedagogia da Universidade Federal do Rio de Janeiro resistir mediante a um momento delicado, sensível e complexo que é a necessidade de isolamento social. Com a divulgação e organização de dois ciclos de atividades ao longo do ano de 2020, o projeto buscou trazer ao debate os desafios impostos à educação, aos professores e alunos com o fechamento de todas as instituições de ensino a partir da crise ocasionada pelo novo coronavírus. Sendo assim, pretendemos nessa reflexão apresentar especificamente as atividades desempenhadas ao longo do segundo ciclo, momento em que o evento passou a estar atrelado a extensão universitária, como Evento de Extensão. Na segunda parte trataremos da execução do evento on-line, seus marcos e desafios. Encerraremos o artigo trazendo relatos de experiências dos extensionistas e como essa vivência, mesmo distanciada, foi relevante na formação e reformulação de nossas práticas como futuros docentes.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/9505 USO DE METODOLOGIA ATIVA E TECNOLOGIAS DIGITAIS PARA FABRICAÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS COM RESÍDUOS SÓLIDOS 2021-10-11T23:41:45-03:00 Juliano da Cunha Gomes juliano.gomes@ifsc.edu.br <p class="western" align="justify"><span style="font-family: Times New Roman, serif;"><span style="font-size: medium;">O modelo social e econômico linear atual baseado na extração, consumo e descarte contribuiu em nível global para que a geração e consequente disposição de resíduos em aterros aumentasse ao longo dos anos. No Brasil, a PNRS orienta que seja observada a seguinte ordem de prioridade na gestão de RSU: não geração, redução, reutilização, reciclagem, tratamento dos resíduos sólidos e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos. Em 2019 foram geradas no País 79 milhões de toneladas de RSU e a maior parte desse montante foi aterrado, indicando, entre as diversas demandas, a necessidade de campanhas de educação ambiental para a reutilização de resíduos de forma a atender as orientações da PNRS. Por isso, esse projeto abordou o uso de tecnologias digitais e metodologia ativa com estudantes do curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental do IFSC de Garopaba/SC durante a fase de atividades não presenciais da pandemia de COVID-19, através da realização de um projeto de extensão com o objetivo de qualificar na comunidade, fabricadores de instrumentos musicais a partir da reutilização de RSU. Ao todo foram produzidos oito vídeos. As <em>Lives</em> tiveram um pico simultâneo médio de 30 pessoas e até o momento da conclusão deste trabalho os oito vídeos somavam 420 visualizações. Os resultados demonstraram que o <span style="color: #000000;">uso da metodologia ativa </span><span style="color: #000000;">e das tecnologias digitais </span><span style="color: #000000;">fo</span><span style="color: #000000;">i</span><span style="color: #000000;"> altamente positivo </span><span style="color: #000000;">e que é imprescindível o olhar institucional para </span><span style="color: #000000;">o melhoramento de sua infraestrutura e </span><span style="color: #000000;">capacitação </span><span style="color: #000000;">contínua </span><span style="color: #000000;">da comunidade acadêmica no uso de metodologias ativa</span><span style="color: #000000;">s</span>.</span></span></p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/8690 APRENDER ESPANHOL COM CANÇÕES: RELATO DE EXPERIÊNCIA DE UM CURSO DE ESPANHOL ONLINE 2021-07-21T11:45:35-03:00 Fabiana Brandão Silva Amorim fabiana.amorim@uesb.edu.br <p>Este relato de experiência refere-se às atividades desenvolvidas dentro do projeto de extensão intitulado “<em>Canta Conmigo</em> - aprender espanhol com canções”, realizado por meio das ações extensivas da PROEX-UESB. A utilização de canções para a aprendizagem do espanhol revelou-se uma ferramenta eficaz, a qual também oportuniza o contato com aspectos socioculturais dos países hispanófonos, de forma lúdica e agradável. Aprender a língua através das canções propicia, ademais, um contato prazeroso entre o estudante e a língua que está aprendendo, e esse prazer é fundamental para uma aprendizagem rica e efetiva. Partindo de uma perspectiva comunicativa do ensino de línguas, os componentes sociocultural e sociolinguístico tiveram especial atenção durante a realização dos encontros. Com um total de dez canções – uma a cada encontro – os/as estudantes entraram em contato com a língua espanhola seguindo uma sequência didática que foi do nível A1 ao A2, níveis iniciais, segundo o Marco Comum Europeu de Referência (MCER). Dessa forma, tanto os conteúdos linguísticos quanto os comunicativos foram explorados, dando à aprendizagem um entorno significativo e afetivo, o qual vincula aquilo que se aprende a experiências duradouras e positivas.&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/9049 CICLO DE SEMINÁRIOS EM QUÍMICA DOS DIVERSOS SABERES – UESB: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DURANTE A PANDEMIA 2021-07-14T10:39:18-03:00 Robson Almeida Silva 201810186@uesb.edu.br Mariele Moraes Brito 201411073@uesb.edu.br Geisa Sales Oliveira 201710952@uesb.edu.br Neiane Oliveira Sampaio 201610396@uesb.edu.br Amanda Pereira Santos 201410540@uesb.edu.br Fabiany Cruz Gonzaga fabianycruz@uesb.edu.br <p>Introdução: A pandemia de COVID-19 declarada em março de 2020, fez com que o mundo inteiro voltasse a atenção ao contágio da nova doença. Universidades e demais meios acadêmicos tiveram que optar por alternativas para o prosseguimento das atividades, logo, diante da impossibilidade do projeto “I Ciclo de Seminários de Química dos Diversos Saberes” ocorrer de forma presencial, foi optado por alternativas remotas. Objetivos: Dilvugar diversas palestras voltadas a diferentes áreas da química e sua contribuição na ciência e no desenvolvimento social. Metodologia: Trata-se de um relato de experiência de ações desenvolvidas no Projeto de extensão durante a pandemia da SARS-CoV-2 pelos membros do Diretório Acadêmico dos Cursos de Química. Resultados: &nbsp;A participação da comunidade externa foi significativa na execusão do projeto de extensão. O projeto ocorreu com uma intensiva participação de discentes de ensino médio e ensino superior. O projeto se deu de forma interdisciplinar agregando participantes de diversas áreas do conhecimento tendo como majoritariedade as grandes áreas das Ciências Exatas e da Terra. Conclusão: Portanto, o projeto de extensão proporcionou uma integração, além dos muros da universidade, promovendo a integração da comunidade interna e externa e a ajudando-as compreender e promover colaborações científicas.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/9193 CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA NUM CURSO DE ENGENHARIA DE TRANSPORTES 2021-08-30T11:06:28-03:00 Alex Mota dos Santos alex.geotecnologias@gmail.com <p>O artigo revela uma experiência da curricularização da extensão universitária num curso de engenharia de transportes sob a perspectiva da educação para o trânsito. A metodologia contemplou a realização de atividades de reflexões teóricas e atividades práticas em escolas e junto à comunidade do entorno da Universidade Federal de Goiás, campus da cidade de Aparecida de Goiânia, Estado de Goiás. Os resultados revelaram uma experiência de curricularização da extensão num curso de engenharia. Ademais, as atividades de vivência das questões relacionadas ao trânsito foram bem avaliadas pelos estudantes. Além disso, contribuiu, na visão dos mesmos, para que pensem de forma autônoma a partir do conhecimento construído às várias mãos, através das ações de extensão e pesquisas empíricas.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/9110 DESVENDANDO A ANATOMIA CARDÍACA POR MEIO DA DISSECAÇÃO: RELATO DE EXPERIÊNCIA DA LADHAS UNIFAL-MG 2021-07-16T11:19:36-03:00 Gabriel dos Reis Pinto gabrieldosreis16@gmail.com Paula Camelo de Almeida Santos paula.santos@sou.unifal-mg.edu.br Bárbara Bianca Melo Toledo barbara.toledo@sou.unifal-mg.edu.br Gabriel Ferro Baccaro gabriel.baccaro@sou.unifal-mg.edu.br Isadora Furlan Ribeiro isadora.ribeiro@sou.unifal-mg.edu.br Evelise Aline Soares evelise.anatomia@gmail.com <p>Este trabalho propõe relatar a experiência sobre o evento “Anatomia cardíaca: aula de dissecação do coração” desenvolvido pela Liga Acadêmica de Diabetes e Hipertensão Arterial Sistêmica (LADHAS) da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG) destinado aos alunos do primeiro ano do curso de Medicina. O evento teve por objetivo empregar&nbsp;metodologias ativas no estudo do coração, utilizando-se da dissecação de coração suíno, uma vez que a dissecação é um método pedagógico que colabora para a construção do aprendizado e o coração suíno possui grande semelhança com o órgão humano. Além disso, o conhecimento da anatomia do sistema cardiovascular é fundamental para compreender a fisiopatologia da hipertensão arterial. A atividade foi realizada no Laboratório de Anatomia da UNIFAL-MG. Participaram da atividade 120 estudantes do curso de medicina da UNIFAL-MG, contando com 20 participantes em cada dia do evento. Foram utilizados kit de dissecação, luvas, coração suíno, tabuleiro, jaleco e o roteiro de dissecação que continha o passo a passo da dissecação. Desta maneira, a experiência do evento para os extensionistas foi de extrema importância para o desenvolvimento de habilidades comunicativas, aprendizagem a partir do ensinamento e trabalho em equipe. Já para os participantes, a atividade permitiu um melhor conhecimento da anatomia cardíaca e o primeiro contato com os instrumentais cirúrgicos.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/8682 FISICÁ & ACOLÁ: DISCORRENDO SOBRE A PALAVRA DA CIÊNCIA 2021-07-26T12:13:14-03:00 Danilo Ribeiro de Sá Teles danilo.teles@ifms.edu.br <p>Este documento relata os caminhos, resultados e conclusões de um trabalho desenvolvido em uma escola municipal da cidade de Dourados-MS, decorrente de um projeto de extensão que envolveu estudantes do ensino básico, fundamental e médio, na discussão de temáticas relacionadas a alguns fenômenos físicos e sociais. Lançando mão de uma pesquisa exploratória com análises das observações realizadas durante a sua execução, o projeto foi desenvolvido por meio de encontros semanais, planejados e executados mediante oficinas pedagógicas, na tentativa de articular teoria e prática, à guisa de alicerçar o protagonismo dos educandos. Fundamentado na apresentação de material ilustrativo lúdico, experimentos de física e leituras de artigos científicos, foi possível estimular o livre pensar e fomentar discussões com jovens estudantes, complementando a sua alfabetização científica e contribuindo para a desmistificação das atividades relativas à física. Acredita-se que a relevância deste relato é a de contribuir, minimamente que seja, para o aperfeiçoamento da educação de ciências de uma pequena cidade do interior do Brasil, sendo um vetor de divulgação científica e de estímulo ao engajamento de crianças e adolescentes na ciência.</p> <p>&nbsp;</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/9271 OFICINAS CULINÁRIAS COMO ESTRATÉGIA PARA FORTALECIMENTO DA ECONOMIA DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19 2021-10-11T23:35:36-03:00 Edson Douglas Silva Pontes edsondspontes@gmail.com Mayany Carolyny Germano de Araújo mayanycarolyny@gmail.com Cleita Keliane do Nascimento Silva cleitanascimento10@gmail.com Ana Carolina dos Santos Costa acarolinasc90@gmail.com Vanessa Bordin Viera vanessa.bordinviera@gmail.com Raphaela Veloso Rodrigues Dantas raphaelavrodrigues@yahoo.com.br <p>Além das consequências na saúde humana, a pandemia de COVID-19 impactou negativamente a economia de milhares de famílias. Diante desse contexto, foi desenvolvido um projeto de extensão na Universidade Federal de Campina Grande, intitulado COMpreender, que uniu conhecimentos de nutrição, gastronomia, tecnologia de alimentos, marketing digital e pessoal para o fomento de renda na pandemia, além do fortalecimento do comércio de bebidas e alimentos por meio de receitas e informações. Dentre as ações elaboradas, destaca-se a elaboração de três oficinas culinárias realizadas de forma remota com conhecimentos práticos e teóricos sobre panificação e alimentos funcionais, com receitas previamente selecionadas e testadas. As oficinas tiveram cerca de 498 inscritos e apresentaram alta aceitação, bem como engajamento pelos participantes que tiveram a liberdade para trocar suas experiências, dúvidas e anseios diante do cenário pandêmico e como isso impactou suas vendas e rendimento familiar. Os relatos obtidos ao fim do projeto, demonstraram grande satisfação, além de uma boa avaliação da metodologia adotada. Diante do que foi observado, destaca-se a importância dessas ações e da necessidade da continuidade destas, para que haja um fortalecimento da economia local. Ademais, acreditamos que o projeto tem um alto valor social e que as ações desenvolvidas foram bem vistas pela população atendida.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/10012 Editorial 2021-12-15T09:47:38-03:00 Luziêt Maria Fontenele-Gomes luzietfontenele@uesb.edu.br Marizete Argolo Teixeira marizeteargolo@uesb.edu.br <p>DOI:</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/10013 Expediente 2021-12-15T10:07:23-03:00 Luziêt Maria Fontenele-Gomes luzietfontenele@uesb.edu.br Marizete Argolo Teixeira marizeteargolo@uesb.edu.br <p>Expediente</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/10014 AS AÇÕES EXTENSIONISTAS NOS ESPAÇOS SOCIOEDUCATIVOS E PRISIONAIS 2021-12-15T13:05:46-03:00 Luziêt Maria Fontenele-Gomes luzietfontenele@uesb.edu.br Socorro Calháu socalhau@gmail.com Rowayne Soares Ramos rowayne.doutoradoemeducacao@gmail.com <p>Número Temático</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/8661 A ANÁLISE DA RECEPÇÃO EM TEIXEIRA DE FREITAS DE MENSAGENS ESCRITAS POR PESSOAS PRESAS 2021-06-06T15:39:26-03:00 Alcides Gomes Oliveira alcidesoliveira140@gmail.com <p>O presente artigo analisa reações a mensagens escritas no Conjunto Penal de Teixeira de Freitas-BA, a fim de investigar a recepção da população teixeirense ao sujeito encarcerado. Tais mensagens foram produzidas em meio ao projeto de extensão <em>Narrativas do Invisíveis </em>(UFSB), que buscou fazer com que as vozes de pessoas em situação de privação da liberdade extrapolassem os muros do sistema prisional. A pesquisa apresentada neste artigo surge como uma aposta na promoção do contato entre a população "livre" e o sistema prisional, além de contribuir para que essas vozes ecoem cada vez mais longe. Realizou-se coleta de dados mediante a aplicação de um questionário com perguntas abertas e fechadas como também uma revisão bibliográfica concernente ao tema. Os dados obtidos evidenciam que por mais que haja estudos, matérias e informações disponíveis a quase toda a sociedade brasileira, ainda imperam no imaginário social estereótipos e repulsa a qualquer tentativa de contato ou aproximação da sociedade com o sistema prisional.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/9572 DIREITO À POESIA - UMA OFICINA LITERÁRIA EPISTOLAR DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19 2021-11-08T11:20:05-03:00 Cristiane Checchia crischecchia@gmail.com Mario René Rodríguez Torres mario.torres@unila.edu.br Layra Fabian Borba Rodrigues layrafab@gmail.com Jhenifer Rodrigues de Almeida jheyrodrigues.a@gmail.com Angélica Moreno Usaquin usaquin.angelica@gmail.com Anderson Alves dos Santos aad.santos.2016@aluno.unila.edu.br <p>O <em>Direito à Poesia</em> é um projeto de extensão desenvolvido por docentes e estudantes da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), na cidade de Foz do Iguaçu-PR, desde o ano de 2015. O projeto consiste na realização de rodas de leitura e de oficinas de escrita com pessoas em privação de liberdade em duas unidades penitenciárias da cidade, a PEF-II (masculina) e a PFF-UP (feminina). Devido ao contexto da pandemia de Covid-19, no ano de 2020 o projeto precisou ser reconfigurado para que pudesse continuar acontecendo mesmo sem a possibilidade de encontros presenciais entre as/os participantes, o que foi possível por meio da troca de cartas. O presente trabalho apresenta justamente essa experiência e os desafios encontrados para o desenvolvimento destas oficinas na modalidade epistolar. As produções literárias resultantes desse processo formaram uma mini-biblioteca de zines reunidos em caixinhas que podem circular pelo presídio. Para nós, essa produção é de suma importância por se relacionar diretamente com o objetivo principal do <em>Direito à poesia</em>: criar condições para que a palavra poética e as vozes singulares de distintos lugares possam romper seus respectivos muros e encontrar-se em espaços e meios diversos de circulação.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/9592 INICIANÇAS, CHEGANÇAS E ESPERANÇAS: EXTENSÃO, SOCIOEDUCAÇÃO E PANDEMIA 2021-10-18T11:54:13-03:00 Ana Nobre Pereira de Melo ananobre2001@gmail.com Bruna Morais da Conceição brunaajm@gmail.com Larissa de Oliveira Rios Pereira Santos lrios@id.uff.br Sophia Wolff Castro sophiaw.castro123@gmail.com <p><span style="font-weight: 400;">O presente relato conta, a partir de quatro vozes, em diferentes momentos da formação acadêmica, o trabalho e a importância do projeto de extensão Escrevivendo a Liberdade (vinculado à Universidade do Estado do Rio de Janeiro, sob a coordenação de Vanusa Maria de Melo e Socorro Calháu), com foco na atuação durante o cenário de pandemia. Buscamos abordar não somente os percalços enfrentados pela socioeducação diante do momento sanitário vivido pelo país, como também as maneiras que o projeto encontrou para manter e fortalecer o elo entre a universidade e suas discussões e a sociedade a partir de uma perspectiva de educação popular. Entendemos que os processos que atravessaram dentro e fora de contextos de privação de liberdade foram de intensa sobrecarga emocional que demandaram saídas e propostas de cuidado coletivo encontradas a partir da literatura. Por isso, relatamos esses contatos, leituras, trocas e inquietações trabalhadas internamente pelos integrantes do projeto em ampliação e o afeto elaborado nas nossas novas formas de interação com os adolescentes.</span></p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/9581 O TEATRO EM PRIVAÇÃO DE LIBERDADE: RELATO SOBRE A FORMAÇÃO DE UMA REDE 2021-10-18T12:31:35-03:00 Laís Jacques Marques laisjacquesm@gmail.com Vicente Concilio viconcilio@gmail.com <p>O presente escrito propõe um relato de experiência sobre a união de três universidades que realizam atividades teatrais em espaços de privação de liberdade. São elas a Universidade de Michigan (UM), a Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio). O objetivo do artigo é dar a ver os avanços, desafios e descobertas realizadas a partir da união das ações realizadas pelas três instituições. Dividido em três seções, na primeira abordamos quais caminhos cada instituição percorreu até que se encontrassem. Na segunda, o que tal encontro propiciou para o desenvolvimento das práticas em espaços de privação de liberdade e, na seção final, como conclusão, discorremos sobre as atividades atuais da rede e o que, delas, nos alimenta para seguirmos na busca pela inclusão do teatro em contextos prisionais e socioeducativos.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/9632 PAPO LÍRICO ENTRE CELAS: OFICINAS DE LITERATURA E CINEMA NO CONJUNTO PENAL DE JEQUIÉ 2021-10-18T10:35:38-03:00 Valéria Lessa Mota valeria.lessa@uesb.edu.br Anísio Assis Filho anisioassisfilho@gmail.com Ana Letícia de Jesus Silva analeticia02@outlook.com Elenita Brito Aragão Assis elenita.aragao@enova.educacao.ba.gov.br Emanoel Jorge Leal Braga emanoelbraga@gmail.com Domingos Calixto dos Santos domingos.calixto@enova.educacao.ba.gov.br <p>Em 2018, o Papo Lírico, Programa de Extensão da UESB, realizou as Oficinas de Literatura e Cinema que objetivavam ler e discutir obras cinematográficas e literárias prioritariamente baianas, no Complexo Penal de Jequié, com grupos formados por pessoas em tempos formativos diversos e com repertórios culturais diferenciados. Através das oficinas, desenvolvidas como roda de conversa, a leitura das obras ficcionais curtas favoreceram debates sobre as relações leitor, vida e mundo, tendo em vista que tanto a leitura quanto o seu objeto são produções de sentido dependentes da visão de mundo, do repertório e da cultura de classe do leitor e possibilita-lhe a reescrita que envolve a auto compreensão e a reflexão sobre a realidade. Posteriormente, a ação realizou-se também com grupos e em ambientes diversificados, entre eles o acadêmico. Após estranhamento inicial, os participantes envolveram-se nas discussões propostas das relações entre leitor e texto, relação com a vida e elaboração de si e do outro. Compreensivelmente, o grupo de graduandos em Letras, diferenciou-se, explorando mais e desembaraçadamente as materialidades. A pandemia da COVID 19 exacerbou o individualismo, o distanciamento e a desigualdade, além de acentuar o adoecimento. Os sentimentos provocados pelo isolamento reclamam mudanças urgentes tais como a construção e a solidificação de modos de viver que ultrapassem barreiras à igualdade e à irmandade. As oficinas e rodas de conversa sobre modalidades artísticas constituem-se cada vez mais em alternativas oportunas de atividades coletivas em múltiplos espaços de discussão e mais uma via de oposição à crescente onda segregacionista no país.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/9591 PSICOLOGIA, SAÚDE E TRABALHO: ATUAÇÃO JUNTO A TRABALHADORES DA SOCIOEDUCAÇÃO 2021-10-18T10:44:46-03:00 Elaine Cristina Schmitt Ragnini elaineschmitt@hotmail.com Camila Brüning elaineschmitt@hotmail.com <p>Este trabalho objetiva apresentar as ações desenvolvidas em um projeto de extensão universitária na área de Psicologia e Trabalho no Sistema Socioeducativo. A partir de um pedido para a intervenção da psicologia junto a trabalhadores que apresentavam sinais de sofrimento e adoecimento no trabalho, operacionaliza-se um diagnóstico institucional, que se desdobra em ações extensionistas. No processo de diagnóstico, que visou apreender as relações instituídas, realizou-se a caracterização da organização/instituição, a análise da rotina e das relações concretas estabelecidas no trabalho, bem como as condições de saúde mental no trabalho. Após a devolutiva da análise diagnóstica para a instituição, foram propostas as ações de intervenção, que consistiram em: período de permanência na instituição; grupos operativos; atendimento clínico-institucional individualizado; acompanhamento do sistema de gestão de faltas e controle de adoecimentos. O diagnóstico e as intervenções foram desenvolvidos a partir de atividades extensionistas, em articulação com o ensino e a pesquisa na área da psicologia. As intervenções, que ocorrem desde 2018 em um centro de socioeducação e foram adaptadas no período da pandemia da Covid-19, demonstram que não há uma política e nem ações sistematizadas em saúde do trabalhador no sistema socioeducativo, mas que há um significativo índice de sofrimento e adoecimento relacionados ao trabalho. Esse fato aponta para a necessidade da construção de um sistema de saúde do servidor que contemple a saúde em geral desses trabalhadores, mas especialmente a saúde mental.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/9569 RELATO DE EXPERIÊNCIA: DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA “ENREDANDO SABERES: IMPASSES DA PRÁTICA”: O TRABALHO EM REDE NA SOCIOEDUCAÇÃO 2021-10-15T10:43:05-03:00 Lucia Maria de Freitas Perez luciafreitasperez@gmail.com Andréa Martello demartello@gmail.com Samia Jraige samia.jraige@gmail.com Marlise Eugenie D'Icarahy marliseeugenie@gmail.com Laura de Sousa Ferreira Brito britosousalaura@gmail.com Yasmim Cristina dos Santos Nascimento cristinasantoscd361@gmail.com <p><span style="font-weight: 400;">O projeto “Em nome do Sujeito: encontros de psicanálise, educação, literatura e artes”, que integra o programa de extensão “Enredando Saberes: impasses da prática”, da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO, em parceria com o Serviço de Psicologia da Vara de Execução de Medidas Socioeducativas do Rio de Janeiro – VEMSE/RJ, compondo o Programa “Eu apoio a voz do adolescente”, objetiva fomentar novas estratégias de atendimento e acolhimento aos adolescentes que estão em cumprimento de medidas socioeducativas. Trata-se de uma proposta que abrange a dimensão psicológica, cultural, política, pedagógica e jurídica com vistas a integrar esses jovens na dimensão simbólica de seu tempo, promovendo desta forma a reflexão e elaboração de seu lugar na cidade. Em execução desde 2018, o projeto passou por várias fases, aqui descritas, atingindo aproximadamente 200 jovens em cumprimento de diferentes medidas socioeducativas e seus familiares. Entre as suas principais ações, destacam-se as visitas mediadas realizadas em museus e centros culturais, ações educativas, esquetes teatrais, sempre acompanhadas de rodas de conversas, nas quais são produzidos documentos individuais com os relatos dos jovens acerca da experiência na socioeducação e das atividades realizadas. Tais documentos, se autorizados pelos jovens, poderão ser anexados aos seus autos processuais, fazendo reverberar a voz desses adolescentes no espaço jurídico.&nbsp;</span></p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/9630 UMA BRINQUEDOTECA NO PRESÍDIO: EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EM TEMPOS DE PANDEMIA 2021-10-09T22:42:16-03:00 Andréa Kochhann andreakochhann@yahoo.com.br Ana Paula Fernandes Soares clabiadragnell@gmail.com Wllisses Cavalcante Santos wllisses_cavalcante@outlook.com <p>O presente artigo é reflexo do projeto de extensão “A PEDAGOGIA E A BRINQUEDOTECA: rompendo fronteiras” que se efetiva pelo atendimento de crianças, filhos dos presos, da Unidade Prisional de São Luís de Montes Belos – GO. O atendimento acontece na brinquedoteca, construída com todos os princípios de uma brinquedoteca, dentro do espaço prisional. Com a pandemia o projeto de extensão se ressignificou e tem realizado suas atividades de forma remota. Os acadêmicos envolvidos no projeto atuam como protagonistas de todo o processo, desde o planejamento das atividades, até a efetivação e avaliação. As atividades são de caráter formativo e educativo, tanto para os acadêmicos quanto para as crianças atendidas. Assim, o objetivo desse artigo é apresentar como o projeto se efetiva, considerando o princípio da extensão acadêmica, processual e orgânica, pela práxis crítico emancipadora, em que a unidade teoria e prática alicerça a formação dos acadêmicos ao longo do ano, para que possam desenvolver as atividades com as crianças compreendendo o sentido de ser da ação.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Extensão & Cidadania https://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/10036 Revista completa 2021-12-17T15:54:33-03:00 Luziêt Maria Fontenele-Gomes luzietfontenele@uesb.edu.br Marizete Argolo Teixeira marizeteargolo@uesb.edu.br <p>Revista completa</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021