https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/issue/feed Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED 2021-06-30T23:29:07-03:00 Lúcia Gracia Ferreira Trindade reed@uesb.edu.br Open Journal Systems <div align="justify">A <strong>Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED (ISSN 2675-6889)</strong>, visa dialogar com várias áreas do conhecimento pela sua temática e aspecto interdisciplinar. Ainda, a revista tem a intenção de colaborar com a ciência e seu o crescimento, com a produção, difusão e compartilhamento de informações (saberes/conhecimentos), buscando fortalecer e fomentar o conhecimento científico, contribuindo para o desenvolvimento do país.</div> https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8975 APRESENTAÇÃO DO DOSSIÊ TEMÁTICO: O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NOS CURSOS DE LICENCIATURA: PANORAMA E POSSIBILIDADES NO CONTEXTO DO ENSINO REMOTO 2021-06-30T23:22:29-03:00 Roselane Duarte Ferraz rduarte@uesb.edu.br Osmar Hélio Alves Araújo osmarhelio@hotmail.com Teresa Sarmento tsarmento@ie.uminho.pt Carlos Silva carlos@ie.uminho.pt <p>Apresentação do Dossiê</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8960 CONTRIBUTOS EMER(UR)GENTES PARA A CONSTRUÇÃO PROFISSIONAL DOS EDUCADORES/PROFESSORES – REFLEXÕES EM TEMPOS PANDÉMICOS 2021-06-30T10:52:17-03:00 Teresa Sarmento tsarmento@ie.uminho.pt Carlos Silva carlos@ie.uminho.pt <p>A formação de professores obriga à mobilização e articulação de diferentes tipos de saberes, de ordem pessoal e profissional. Tornar-se professor é, assim, um processo individual e coletivo que exige a simbiose interna da ação, da experiência e da emoção, no sentido de se constituir como uma ação total de uma pessoa no desempenho de uma profissão específica. O presente texto parte de uma abordagem sobre princípios basilares da formação de professores, de índole humanista/reconstrutivista, assim como de uma detalhada reflexão em torno do que consideramos por princípios curriculares para a formação, com base em propostas ou ideias inspiradoras (inovadoras) de sentido disruptivo com o estabelecido. O estágio é um núcleo central no processo formativo, pelo que é aqui especialmente mencionado. Este é desenvolvido com o suporte de uma rede colaborativa constituída pelo(s) estagiário(s), o professor cooperante e o professor supervisor, num processo de colaboração, ação e reflexão, em que a investigação pedagógica aporta um significado muito relevante. Terminamos o texto com um sentido de emer(ur)engência relativa à formação, com uma reflexão induzida pela auscultação sobre algumas perceções de estudantes candidatos a educadores e professores no contexto pandémico, que se repercutem em lógicas já consolidadas da premência de redes colaborativas para a construção profissional, que nos levam a uma última ponderação, em jeito de síntese, sobre contributos de como podemos caminhar no sentido da formação de professores.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8602 O ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE FORMAÇÃO DOCENTE EM TEMPOS DE ENSINO REMOTO: OS DESAFIOS DE UMA FORMAÇÃO CRÍTICA E REFLEXIVA 2021-05-14T20:21:05-03:00 Erivania Melo de Morais moraiserivania@gmail.com <p>Este artigo tem como objetivo refletir acerca do estágio supervisionado de formação docente em contexto de ensino remoto, assim, delimitamos como objetivos específicos<strong>: </strong>problematizar o estágio a partir dessa relação com as atividades remotas e analisar algumas alternativas formativas desenvolvidas durante o estágio docente. Nesse sentido, nos respaldamos em uma pesquisa qualitativa, a partir de estudos bibliográficos e do diário formativo, escrita utilizada para a elaboração dos relatórios finais de estudantes do curso de pedagogia da UERN. Destarte<strong>,</strong> podemos sinalizar inquietações no que refere a formação, uma vez que, o ensino remoto apesar de deixa lacunas no processo formativo, se coloca como uma alternativa necessária para esse contexto de pandemia e que a utilização de caminhos formativos críticos, que permitam pensar o chão da escola, são proposições que não substituem o presencial, mas propiciam uma aproximação com a realidade e portanto, com a perspectiva de constituir ações pedagógicas críticas, que apreendam a totalidade das determinações sociais e com isso possam desenvolver ações pedagógicas críticas e reflexivas. </p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8558 REINVENTANDO LAS FORMAS DE LA PRÁCTICA PEDAGÓGICA EN CONTEXTOS DE PANDEMIA POR COVID-19: REALIDADES, POSIBILIDADES Y DESAFÍOS 2021-05-31T21:43:25-03:00 Luz Adriana Rengifo Gallego luzrengifo@unicauca.edu.co Tatiana Iveth Salazar López tatiana_salazar@cinvestav.mx <p>Esta comunicación recoge un ejercicio de reflexión crítica al documentar la organización de la Práctica Pedagógica Investigativa (PPI) de un programa de formación de profesores durante la coyuntura que emerge de la pandemia por Covid-19. La PPI es un espacio formativo destacado por llevar al profesor en formación a ocupar el rol del profesor, para que desde esa posición construya saberes de la profesión. De allí, la importancia de reflexionar sobre las formas en que este espacio se configuró en la pandemia. La documentación de la PPI se realizó a partir del análisis de: 1) el plan de estudios del programa de interés, 2) los microcurrículos de las unidades temáticas (cursos) que conforman la PPI, 3) una encuesta a estudiantes de las unidades temáticas, y 4) una encuesta realizada a los profesores de las unidades temáticas. Las encuestas se recabaron con etnografía virtual. Como hallazgos se encuentra que la PPI se modificó haciendo énfasis en el ejercicio de la planeación y la innovación relacionada con el uso de materiales y plataformas tecnológicas. La articulación de la teoría y la práctica se ven restringidos a pilotajes y estudios de casos con pequeños grupos.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8318 ENSINO REMOTO EMERGENCIAL E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO EM TEMPOS DE PANDEMIA DA COVID-19 2021-04-03T14:21:07-03:00 Samara Mauad smauad.acep@gmail.com Léia Gonçalves de Freitas leiafreitas@ufpa.br <p>EEssa pesquisa de abordagem qualitativa teve como objetivo investigar os desafios vivenciados por discentes do Curso de Licenciatura em Pedagogia da Universidade Federal do Pará, <em>Campus</em> Universitário de Altamira, durante a Atividade Curricular de Estágio Supervisionado realizado por meio do Ensino Remoto emergencial (ERE), devido a pandemia da COVID-19. Participaram dessa pesquisa vinte estudantes de duas turmas que ingressaram nos anos 2016 e 2017. As técnicas utilizadas para o levantamento dos dados foram o questionário semiestruturado elaborado na plataforma virtual <em>Google</em><em> Forms</em> e entrevista via mensagem de áudio do <em>WhatsApp</em>. Os resultados apontam que os estudantes encontram dificuldades no acesso à internet, no uso das plataformas digitais e na interação com os indivíduos do locus de estágio. No entanto, essas barreiras foram gradativamente superadas e os estágios contribuíram de forma significativa para a construção de novos saberes docentes e práticas pedagógicas significativas. </p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8961 PERCEÇÕES DOS ESTUDANTES SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM CONTEXTO DO ENSINO REMOTO 2021-06-30T12:59:22-03:00 Cristina Mesquita cmmgp@ipb.pt Carlos Teixeira ccteixeira@ipb.pt Manuel Vara Pires mvp@ipb.pt <p>Este estudo tem por objetivo principal analisar as perceções dos estudantes envolvidos em estágios sobre as competências, dificuldades, oportunidades e ameaças que sentiram em contexto de ensino remoto. Seguiu-se uma linha metodológica interpretativa, usando o questionário como técnica de recolha de dados. Para a interpretação e discussão dos dados utiliza-se uma análise estatística descritiva, para o conjunto das questões fechadas, e uma análise interpretativa, tipo análise de conteúdo, para as questões abertas. A análise de conteúdo permitiu criar categorias e subcategorias que foram analisadas de forma interpretativa. Da análise emerge a ideia de que deslocalização para o <em>online</em> permitiu, a alguns, continuar a manter o contacto com os grupos/turmas onde realizavam as suas práticas e recriar as estratégias de ensino-aprendizagem, a partir de outras ferramentas. Esta nova realidade expôs fragilidades socioeconómicas, destacando a desigualdade no acesso aos recursos, quer para os alunos da formação inicial, quer para as crianças da educação básica. Mostra, também, que processos de aprendizagem da profissão são processos complexos que necessitam de interações face a face e experienciais, mas que se podem configurar em outras formas de formação.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8532 ESTÁGIO SUPERVISIONADO E ENSINO REMOTO: EXPERIÊNCIAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM TEMPOS DE PANDEMIA NA UFJF 2021-05-18T22:19:11-03:00 Rafaela Reis Azevedo de Oliveira rafareis2001@yahoo.com.br Reginaldo Fernando Carneiro reginaldo_carneiro@yahoo.com.br <p>A pandemia e o isolamento causado pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) provocou o fechamento das escolas no início de 2020. Com isso, professores e formadores de professores tiveram que repensar suas práticas para atuar em um novo ambiente em aulas remotas. O objetivo deste artigo é discutir e apresentar desafios e aprendizagens de professores, licenciandos e docentes da universidade, para a realização do estágio supervisionado em Matemática e Sociologia durante o ensino remoto na Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF. Para tanto, realizou-se uma pesquisa em que se apresentou o que propuseram o Conselho Nacional de Educação e os órgãos da UFJF para a realização dos estágios nesse período. Além disso, apresentam-se alguns aspectos levantados pelos orientadores de estágio, pelos supervisores de estágio e pelos licenciandos de Matemática e de Sociologia. Realizar os estágios nesse novo formato foi um grande desafio para todos os envolvidos e sugiram dúvidas, inseguranças e medos, mas também foram momentos de muitas aprendizagens, pois compôs-se um espaço formativo para os licenciandos, que poderão ter que atuar nessa modalidade de ensino depois de formados.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8601 ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM CONTEXTOS INDÍGENAS AMAZÔNICOS 2021-05-14T21:35:10-03:00 Josélia Gomes Neves joseliagomesneves@gmail.com <p>O objetivo deste texto é apresentar uma elaboração sobre o Estágio Supervisionado em territórios indígenas na Amazônia Está dividido em duas partes: a primeira compartilha uma experiência desenvolvida em 2018 em escolas indígenas por meio da participação de estudantes da Universidade Federal de Rondônia. Posteriormente, disponibiliza uma proposta pedagógica referente à realização de Estágio Supervisionado em tempos de pandemia nas aldeias indígenas com previsão de execução para abril a agosto de 2021, período do ensino remoto. Os procedimentos metodológicos consideraram a pesquisa bibliográfica e narrativa. Os resultados permitem inferir que a experiência desenvolvida anteriormente será de fundamental importância para a viabilização de uma proposição intercultural que possibilite a aproximação da UNIR com as práticas pedagógicas das escolas indígenas. Concluímos que apesar da precarização que ronda as aldeias brasileiras quanto a falta dos itens básicos para assegurar as exigências do ensino remoto traduzidas em alguns casos na falta de energia elétrica, internet instável e inexistência de computador, a luta pelo direito à educação pode mobilizar ações para a construção de condições básicas por meio de recursos da assistência estudantil que possam materializar a formação docente por meio de análises das práticas pedagógicas através dos recursos tecnológicos possíveis.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8534 ESTÁGIO SUPERVISIONADO E ENSINO REMOTO EMERGENCIAL: O (IM)POSSÍVEL E O INÉDITO O VIÁVEL EM UM CURSO DE LICENCIATURA EM LÍNGUA INGLESA 2021-05-31T23:13:00-03:00 Lígia Cristina Domingos Araújo liligiabh@gmail.com <p>Este trabalho apresenta um recorte de análises de uma pesquisa em andamento, na qual são discutidas experiências de estágio supervisionado de um curso de licenciatura de língua inglesa durante a implantação do Ensino Remoto Emergencial em uma universidade pública em Minas Gerais. Busca-se refletir sobre como instituição, professores e licenciandos construíram soluções para viabilizar a prática do estágio remoto durante a pandemia de COVID-19 à luz de um possível diálogo entre as noções freireanas de situação-limite e inédito viável e o aporte psicanalítico freudo-lacaniano com os conceitos de castração, real e impossível. O estudo sugere que a ação coletiva, com destaque para a atuação das professoras das disciplinas de estágio, viabilizou a prática remota dos estágios, mesmo com a identificação de limitações importantes, o que os remete à ideia de castração e à falha constitutiva da educação. Dessa forma, o reconhecimento da pandemia e seus efeitos enquanto marca de impossibilidade e não de impotência propiciou a emergência do inédito-viável, que se traduziu na construção de alternativas de ação para os contextos singulares de estágio. </p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8115 ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE LETRAS LIBRAS: INTERLOCUÇÃO COM AS NOVAS DEMANDAS SOCIAIS EM TEMPOS DE PANDEMIA 2021-03-29T21:22:58-03:00 Neiva de Aquino Albres neiva.albres@ufsc.br Ana Gabriela Dutra Santos anagabi_dutra@hotmail.com Marília Duarte da Silva mariliaduartedasilva@gmail.com <p>Neste artigo descreve-se um caso de projeto de estágio supervisionado em curso de Letras Libras bacharelado realizado na Universidade Federal de Santa Catarina, para formação de tradutor-intérprete de Libras-português, contribuindo para a compreensão desse tipo de formação e de aspectos da didática da tradução. Assim, objetiva-se construir reflexões sobre sua realização como ensino remoto. Toma-se como base autores dos estudos da tradução (HURTADO ALBIR, 2005) e estudos linguísticos, principalmente, em uma perspectiva dialógica da linguagem (BAKHTIN, 2017). Desenvolve-se um estudo de caso com base em documentos e vivências didático pedagógicas. Utiliza-se o projeto do curso, normativas da universidade para o período de pandemia e ensino remoto e plano de ensino da disciplina de estágio de tradução; analisa-se o projeto de tradução e os espaços de interação entre professores, alunos e supervisores. Evidencia-se o diálogo entre a dimensão pedagógica, o uso de projeto de tradução e o momento singular que os sujeitos vivem, discutindo-se sobre os aspectos subjetivos, afetivos e de ensino e aprendizagem.</p> <p> </p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8900 ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR NA LICENCIATURA EM MÚSICA: FORMAÇÃO E VIVÊNCIAS EM TEMPOS DE ENSINO REMOTO 2021-06-19T21:24:28-03:00 Tais Dantas da Silva tais.dantas@uefs.br <p>Por meio deste relato de experiência, o texto pretende discutir questões relacionadas à viabilidade e aplicabilidade do estágio supervisionado em música realizado de forma remota, a partir das atividades desenvolvidas no componente Estágio Supervisionado II do curso de licenciatura em música da UEFS, refletindo sobre seus benefícios e desafios para a formação docente. O texto aborda o panorama curricular e administrativo do estágio em música na universidade, além de enfatizar de que forma a instituição regulamentou a realização de atividades remotas e como os estágios supervisionados se inseriram nesse contexto. O estágio supervisionado foi realizado em contexto não escolar de forma remota, cujo aporte teórico é um recorte das temáticas trabalhadas no componente curricular, destacando o ensino de música em espaços não escolares, como projetos de inclusão sócio musical e a extensão universitária. Foi possível verificar que uma parte significativa dos processos de ensino e aprendizagem no estágio cumpriu seus objetivos. Assim, é correto afirmar que a prática desenvolvida contribuiu no processo de formação, contudo entendemos que a mesma não substitui a experiência de sala de aula presencial, sendo um caminho possível dentro das diferentes formas de aprender e ensinar.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8589 O ENSINO REMOTO E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GESTÃO NA EDUCAÇÃO BÁSICA: UM CAMINHO POSSÍVEL? 2021-05-18T22:37:49-03:00 Karine Ferreira Monteiro pk.monteiro@hotmail.com Victoria Mottim Gaio vic_mottim@hotmail.com Graziela Ferreira de Souza grazi.fsouza@gmail.com <p>O estágio é um componente curricular necessário para a formação inicial de professores, compreendido enquanto articulação teoria-prática, que envolve um processo de pesquisa e contribui para a formação crítica e reflexiva do estudante. A partir da atuação das autoras na disciplina de Estágio Curricular Supervisionado em Gestão na Educação Básica, em um curso de Licenciatura em Pedagogia, este estudo tem como objetivo problematizar as práticas de estágio desenvolvidas de forma remota e elencar suas limitações e possibilidades, articuladas com a concepção do Estágio com Pesquisa. Por meio do relato de experiência das professoras atuantes na referida disciplina e do levantamento bibliográfico do referencial teórico de Pimenta e Lima (2017) e Ghedin, Oliveira e Almeida (2015), apresentam-se as abordagens utilizadas em adequação às práticas de estágio durante o ensino remoto emergencial. Conclui-se que a realização do estágio remoto enfrentou limitações no que se refere à inserção na cultura e cotidiano escolar e no acompanhamento dos processos educativos referente às práticas com alunos, professores e comunidade. No entanto, por meio de novas abordagens, oportunizou o reconhecimento da organização pedagógica do espaço escolar, e sobretudo do papel do diretor e coordenador pedagógico frente às suas demandas e os desafios impostos pela pandemia.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8963 ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CONTEXTO DO ENSINO REMOTO EMERGENCIAL: ENTRE A EXPECTATIVA E A RESSIGNIFICAÇÃO 2021-06-30T17:18:06-03:00 Roselane Duarte Ferraz rduarte@uesb.edu.br Lúcia Gracia Ferreira luciagferreira@hotmail.com <p>O artigo traz um estudo de abordagem qualitativa em que intenciona analisar os sentidos do estágio supervisionado no ensino remoto, a partir de aspectos formativos-pedagógicos de alunos/as-estagiários/as. Trata-se dos Estágios em Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental, componentes curriculares obrigatórios do curso de licenciatura em Pedagogia, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Itapetinga, no ano de 2020. Metodologicamente, foram analisados os diários de bordo apresentados como relatório final dos estágios, bem como os dados provenientes dos fóruns de discussão ocorridos no decorrer dos estágios. Utilizamos a técnica da análise de conteúdo, através da análise temática (BARDIN, 2010). Os resultados apontam que as expectativas dos estagiários evidenciaram os aspectos constitutivos do estágio, considerando essa etapa formativa como um campo de construção dos saberes docentes, de ressignificação das práticas de ensino e aprendizagem. Os sentidos de estágio são tecidos quando os graduandos ao revelarem suas expectativas sobre uma perspectiva de estágio que não se materializou e, quando ressignificam o modo como este aconteceu, colocam em pauta a formação docente no contexto do ensino remoto.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8968 ESTÁGIO REMOTO EMERGENCIAL: REFRAÇÕES DE UM CONCEITO PARA O ENSINO 2021-06-30T18:51:51-03:00 Ester Maria de Figueiredo Souza efigueiredo@uesb.edu.br <p>Este artigo compõe-se de estudos que se desenrolam no bojo das inquietações sobre o componente de estagio supervisionado para os cursos de licenciatura no contexto da pandemia da COVID-19. Apresentam-se, por meio de levantamento bibliográfico e registros de experiências formativas, discursos produzidos no contexto das decisões para ofertar e validar atividades de ensino para a sua realização. Indicam-se interpretações acerca dos diversos enunciados que circundam os sentidos de remoto na relação com ensino e estágio. Apresentam-se problematizações sobre a constituição desse componente nos cursos de licenciatura, expondo legislação anterior até o atual ordenamento legal para a oferta. Afirma-se, a partir da interpretação desses documentos, a obrigatoriedade de cumprimento do estágio supervisionado para validar a certificação. Os fluxos dos sentidos da docência no formato de estágio remoto emergencial, apreendidos pelos estudantes, são destacados em relatos elaborados por esses para, a partir dessa representação, indicar os movimentos de aceitação ou rejeição ao formato proposto. Delimita-se o enfoque de ensino, vez que se requer a participação dos estagiários no contexto da educação básica e, para o enfrentamento dessa realidade no cenário da pandemia, aposta-se na etnografia virtual como abordagem metodológica para a realização das práticas formativas relacionadas às atividades planejadas para o estágio supervisionado remoto emergencial.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8151 UNIVERSIDADE MULTICAMPI EM TEMPOS DE PANDEMIA E OS DESAFIOS DO ENSINO REMOTO 2021-06-10T11:03:49-03:00 Nayana Teles nayanateles@ufam.edu.br Tiago Gomes ti-pg@hotmail.com Fabrício Valentim fvalentims@yahoo.com.br <p>Discute-se, neste artigo, os desafios do ensino remoto em uma Universidade multicampi, em tempos de pandemia, mediados pelos resultados de uma pesquisa realizada durante os meses de maio e junho de 2020. A amostra do estudo constituiu-se de respostas de docentes, técnicos administrativos em educação e discentes de uma Universidade Federal da região norte do Brasil sobre “Aulas não presenciais fora da universidade durante a Pandemia de COVID-19”. Para fins de análise, as respostas foram agrupadas em quatro categorias: Infraestrutura da Universidade Acesso à internet; Qualidade do processo ensino-aprendizagem realizado exclusivamente por via remota; Garantia dos direitos de aprendizagem de todos os alunos e aprofundamento das desigualdades. Conclui-se que é preciso ter clareza sobre a impossibilidade de garantir os direitos de aprendizagem de todos os alunos em um cenário de profundas diferenças. O ensino remoto, sem um esforço do governo federal em propiciar aos estudantes vulneráveis condições de acessibilidade, pode aprofundar as desigualdades sociais e educacionais. Logo, é preciso pensar agora no pós-pandemia, e nas medidas que serão adotadas para solucionar as possíveis defasagens na formação dos estudantes universitários.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8470 EDUCAÇÃO EM TEMPOS DE PANDEMIA: PROJETO DE VIDA DE JOVENS DO ENSINO MÉDIO 2021-04-20T02:41:47-03:00 Marcia Eliza de Godoi Santos marciae.godoisantos@gmail.com Adriana Leonidas de Oliveira adrianaleonidas@uol.com.br <p>Desde o início da pandemia de COVID-19, verificou-se uma mudança nas rotinas diárias. Profissionais de diversas áreas começaram a atuar em <em>home office</em>, aulas foram suspensas e o distanciamento social foi implantado como regra e no ambiente educacional isso não foi diferente. O artigo tem por objetivo analisar as ações adotadas pela escola diante do afastamento social, provocada pela COVID-19 e discutir fatores que impactam o projeto de vida dos jovens cursantes do ensino médio. Este artigo traz um recorte da pesquisa realizada em um município na Região Metropolitana do Vale do Paraíba Paulista, em que participaram 291 estudantes do primeiro e segundo ano do ensino médio. Foi realizada uma pesquisa de campo, exploratória, seguindo os preceitos da abordagem quantitativa e qualitativa, com jovens entre 14 e 18 anos. Conclui-se que a escola tem uma responsabilidade que vai muito além do ensino de um conteúdo pedagógico programado e ações isoladas, sendo que a dinâmica se constrói para além dos muros da escola. Destaca-se que 69% do alunado pesquisado veem nas atividades da escola uma contribuição essencial para seu projeto de vida.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/7635 HISTÓRIA DA ÁFRICA E DA CULTURA AFRO-BRASILEIRA: O QUE DIZEM OS PROFESSORES DE HISTÓRIA E OS JOVENS ESTUDANTES 2021-06-26T12:10:03-03:00 Camilla Nogueira camillasantos_ap@hotmail.com Astrogildo Fernandes Silva Júnior silvajunior_af@yahoo.com.br <p>O presente texto apresenta resultados finais de uma dissertação que foi desenvolvida no Programa de Pós-graduação em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia (PPGED/UFU). Tem como objetivo identificar e refletir sobre as formas que conteúdos relacionados à História da África e cultura afro-brasileira vem sendo trabalhada na Escola Municipal Machado de Assis, localizada no município de Ituiutaba, MG, Brasil. Trata-se de uma pesquisa qualitativa que recorreu a diferentes instrumentos: a observação das aulas de História e confecção de notas de campo, a técnica do grupo focal e a entrevista com os professores de História. Acredita-se que essa investigação possa colaborar com a formação dos professores de História e suas práticas em sala de aula, sobretudo o que tem sido produzido no campo epistemológico da lei 10.639/03.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8072 DIVERSIDADE DE TRAJETÓRIAS ESCOLARES NO ENSINO SUPERIOR: O CASO DE ESTUDANTES DE ESCOLAS PÚBLICAS EM CURSOS DE PRESTÍGIO 2021-04-19T02:05:55-03:00 Jorge Morgan de Aguiar Neto jmorganrs@hotmail.com <p>O objetivo deste trabalho é conhecer a trajetória de estudantes de média e baixa renda com êxito escolar na escola pública, contribuindo para a explicação do fenômeno no contexto da formação superior. Partimos do pressuposto de que os estudantes de origem popular, oriundos do ensino fundamental e médio público, com defasagem de capitais (cultural, econômico, social e político), são considerados de exceção quando, superando as dificuldades de sua classe de origem, recorrentes em um país marcado por enormes disparidades socioeconômicas e culturais e, por conseguinte, grandes desigualdades de oportunidades educacionais, acessam o ensino superior. Essa questão é investigada através de uma pesquisa qualitativa apoiada na coleta de dados acerca das experiências dos estudantes a partir da aplicação de entrevistas semiestruturadas e observação de campo, que evidenciam os elementos sociais e culturais que agem na formação de suas disposições. Observa-se que as disposições e as socializações desses jovens são dinâmicas, resultando em uma diversidade de trajetórias escolares, cujos pontos de aproximação estão ancorados no investimento familiar e em seu capital subjetivo.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/7735 MULTICULTURALISMO NAS PRODUÇÕES CINEMATOGRÁFICAS: ANÁLISE DOS FILMES CRONICAMENTE INVIÁVEL E CRASH NO LIMITE 2021-01-31T21:04:49-03:00 Keyme Gomes Lourenço keymelourenco@gmail.com Ezequias Cardozo da Cunha Junior biojuniorcardozo@gmail.com Roberta Paixão Lelis da Silva robspaixao1994@gmail.com Astrogildo Fernandes da Silva Júnior silvajunior_af@yahoo.com.br <p>Este trabalho é uma cine-cartografia coletiva dos filmes Cronicamente inviável (2000) e Crash no Limite (2005). Entregues às movimentações de pensamentos provocados pelas leituras de autores e autoras dos estudos culturais e dos estudos descoloniais, tais como Hall (2006), Silva (2000), Grosfoguel (2008), Quijano (2005), Wash (2007) e McLaren (2000), trançamos teorias à filosofia da diferença de Deleuze e Guattari potencializando as análise fílmicas. Organizado em quatro partes, nosso trabalho estreia sobre um possível casamento entre cinema, currículo multicultural e educação. A segunda parte expõe uma análise do filme Cronicamente Inviável, investigando partículas de realidades e ficções possíveis entre as identidades brasileiras, as relações de poder e o explícito. A terceira parte cartografa os territórios, os ritmos, o caos e os devires do filme Crash no Limite. Nesta parte evidenciamos encontros e conversações existentes entre o filme e as teorias, que fertilizaram escritas e pensamentos. Para finalizar, em considerações finais multiplicamos possíveis, pensares e contextos, propondo ao leitor um olhar outro diante obras fílmicas. Filmes como objetos de pesquisa, como compositores de currículos escolares, atuantes nessa construção. Filmes binóculos do real-ficção, que constroem e desconstroem realidades. Considere o desvio dos clichês como possível rota de fuga, “Olhe para o que você não vê”.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8038 GESTÃO DEMOCRÁTICA, NEOLIBERALISMO E EDUCAÇÃO NO CONTEXTO DO CAPITALISMO GLOBAL 2021-05-13T15:32:13-03:00 Vanessa Mariano de Castro vanessamariano@yahoo.com.br Fabiano Alves de Morais prof.fabianomorais@gmail.com Hildemar Luiz Rech hluizrech@gmail.com Francisca Valéria de Sales Peixoto fvaleriasp3@yahoo.com.br <p>Esta investigação, sobre gestão democrática, neoliberalismo e educação no contexto do capitalismo global, busca analisar os limites à educação, sob a influência do neoliberalismo, a fim de caracterizar a gestão democrática na escola pública e identificar o papel da escola na sociedade contraditória do capital. A pesquisa, de cunho bibliográfico, encontra-se apoiada no materialismo histórico-dialético. Como resultado, temos a luta por uma nova sociabilidade, cuja conquista necessita da apropriação do conhecimento historicamente acumulado pela classe trabalhadora.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8824 ENTRE O PERGUNTAR E O RESPONDER: PROBLEMATIZAÇÕES DIALÓGICAS FREIREANAS 2021-05-31T16:08:42-03:00 Lilian Moreira Cruz lmcruz@uesc.br 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8955 Editorial 2021-06-30T09:57:43-03:00 Roselane Duarte Ferraz rduarte@uesb.edu.br Lúcia Gracia Ferreira Trindade lucia.trindade@uesb.edu.br Rita de Cássia Souza Nascimento Ferraz ritasouza@uesb.edu.br 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8970 ENTREVISTA COM A PROFESSORA MAISA HELENA ALTARUGIO: : O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DOCENTE: PANORAMA E POSSIBILIDADES NO CONTEXTO DO ENSINO REMOTO 2021-06-30T19:44:04-03:00 Emerson Augusto de Medeiros emerson.medeiros@ufersa.edu.br Ivan Fortunato ivanfrt@yahoo.com.br Osmar Hélio Alves Araújo osmarhelio@hotmail.com Maisa Helena Altarugio maisahaufabc@gmail.com <p>Nesta entrevista, a professora Maísa gentilmente nos apresenta seu ponto de vista sobre o estágio supervisionado em tempos de pandemia, trazendo excelentes reflexões ao momento vivido, mas que permanecem ecoando ao futuro da formação docente. Sobre a Maísa Helena Altarugio é doutora em Educação pela Universidade de São Paulo, instituição onde realizou mestrado em Ensino de Ciências e conclui o bacharelado e a licenciatura em química. Professora Adjunto da Universidade Federal desde 2008, credenciada como docente permanente no Programa de Pós-Graduação em Ensino, História e Filosofia das Ciências e Matemática com orientações voltadas ao ensino de ciências e outros temas relacionados à produção de conhecimento nas escolas. Desenvolveu projetos de pesquisa sobre Estágio Supervisionado, como “O estágio supervisionado como espaço e possibilidade para a reflexão, (re)construção dos saberes e constituição do papel do orientador de estágio” e “Reflexão, (re)construção dos saberes e constituição do papel do orientador de estágio supervisionado”. Publicou, dentre outros, o artigo “Método Educacional Psicodramático como metodologia ativa no contexto do estágio supervisionado”, na Revista Brasileira de Psicodrama, e o capítulo de livro em coautoria com Samuel Souza Neto “A orientação de estágio supervisionado pelo professor universitário novato: desafios, qualidades e implicações para o processo de formação docente”.</p> 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/8971 Expediente 2021-06-30T20:06:50-03:00 Lúcia Gracia Ferreira Trindade lucia.trindade@uesb.edu.br 2021-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED