Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed <div align="justify">A <strong>Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED (ISSN 2675-6889)</strong>, visa dialogar com várias áreas do conhecimento pela sua temática e aspecto interdisciplinar. Ainda, a revista tem a intenção de colaborar com a ciência e seu o crescimento, com a produção, difusão e compartilhamento de informações (saberes/conhecimentos), buscando fortalecer e fomentar o conhecimento científico, contribuindo para o desenvolvimento do país.</div> Edições UESB pt-BR Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED 2675-6889 <p><strong>Você é livre para:</strong></p> <p>Compartilhar - copia e redistribui o material em qualquer meio ou formato; Adapte - remixe, transforme e construa a partir do material para qualquer propósito, mesmo comercialmente. Esta licença é aceitável para Obras Culturais Livres. O licenciante não pode revogar essas liberdades, desde que você siga os termos da licença.</p> <p><strong>Sob os seguintes termos:</strong></p> <p>Atribuição - você deve dar o crédito apropriado, fornecer um link para a licença e indicar se alguma alteração foi feita. Você pode fazer isso de qualquer maneira razoável, mas não de uma forma que sugira que você ou seu uso seja aprovado pelo licenciante.</p> <p>Não há restrições adicionais - Você não pode aplicar termos legais ou medidas tecnológicas que restrinjam legalmente outros para fazer qualquer uso permitido pela licença.</p> AS INFÂNCIAS NO “REINO GRANDE DO SUL": SCRIPTS DE GÊNERO NA LITERATURA PARA CRIANÇAS https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10149 <p>Neste trabalho realizamos uma análise narrativa dos livros da coleção “Reino Grande do Sul”, uma releitura dos clássicos infantis para o contexto da cultura gaúcha. Apoiados nos Estudos de Gênero e nos Estudos Culturais em uma perspectiva pós-estruturalista, problematizamos a constituição e representação de feminilidades e masculinidades das e dos protagonistas. Por meio das análises, que focaram tanto nos elementos quanto na estrutura das histórias, percebemos como os <em>scripts</em> de gênero estão inseridos nas narrativas, reforçando aspectos que, apesar de presentes nas tramas ficcionais, relacionam-se diretamente com a nossa realidade. Tanto os contos clássicos como os contos adaptados à cultura gaúcha são, em sua maioria, pautados por uma noção de superioridade masculina, enaltecendo o perfil de uma masculinidade aventureira, desbravadora do mundo e salvacionista, enquanto a mulher continua sendo visibilizada como submissa ao casamento, responsável pelo lar e cuidadora da família.</p> Cristiano Rosa Jane Felipe Vanessa Costa Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 23 10.22481/reed.v3i7.10149 A LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ESTUDO DAS PRÁTICAS DE ENSINO DE PROFESSORAS DE ESCOLAS DA ZONA RURAL DE ESTREITO – MARANHÃO https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10343 <p>O objetivo do trabalho é analisar as práticas de ensino de leitura de professoras da Educação Infantil de escolas localizadas na zona rural do munícipio de Estreito – MA. Para a geração de dados desta pesquisa qualitativa, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com quatro professoras com experiência em salas de Educação Infantil da zona rural do referido município. O roteiro das entrevistas buscou dados sobre a realidade do trabalho dessas professoras, abordando suas práticas de leitura e sua percepção e avaliação sobre o trabalho desenvolvido. Os resultados evidenciam que elas usam textos de gêneros diversificados, em atividades lúdicas e que promovem a autonomia das crianças. Além disso, verificamos que, apesar da falta de recurso e de apoio das famílias, as professoras reconhecem a contribuição do trabalho com leitura nessa etapa da educação básica.</p> Regysane Botelho C Alves Cleonilde Aguiar de Barros Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 18 10.22481/reed.v3i7.10343 POLÍTICAS EDUCACIONAIS PARA A INCLUSÃO DE ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10310 <p>O objetivo deste artigo é apresentar uma análise das políticas educacionais e currículos atuais para inclusão no nível do ensino primário, bem como uma revisão dos dados sobre a população com deficiências no México, enquanto a educação à distância é proposta como meio de inclusão para estudantes com deficiências. Esta pesquisa teórico-analítica e documental retoma a perspectiva dos direitos humanos para sua análise, considerando que a educação é um direito fundamental para todas as pessoas no mundo, razão pela qual se considera que o Estado tem o poder de estabelecer um modelo de educação capaz de cobrir as necessidades de treinamento, mesmo daqueles que não podem viajar fisicamente para instituições educacionais. Conclui-se que apesar das modificações feitas nas Políticas de Educação desde meados do século XX, a inclusão universal - para todos os estudantes - ainda não é alcançável no México, muito menos para os estudantes desfavorecidos ou vulneráveis.</p> Zaira Navarrete-Cazales Héctor Manuel Manzanilla-Granados Lorena Ocaña-Pérez Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 24 10.22481/reed.v3i7.10310 PEDAGOGIAS DE FAVELAS: EDUCAÇÃO POPULAR, EMANCIPAÇÃO E DESCOLONIZAÇÃO https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10289 <p>As favelas são territórios marcados historicamente pela negação de direitos, mas são também lócus de rica diversidade sociocultural. Nestes contextos, as escolas têm potencial transformador de contribuir para a construção de sociedades mais equânimes. Destarte ao se questionar sobre quais elementos devem compor as práticas curriculares comprometidas com a transformação social em comunidades de favela, o presente trabalho visa apresentar uma perspectiva pedagógica de viés emancipatório e descolonizador centrado de forma crítica nas construções culturais, identitárias, históricas e epistemológicas das comunidades de favelas. Para tanto, partindo de análises bibliográficas e apresentando resultados de pesquisa monográfica, realizada com estudantes e professores de escola pública, são discutidos alguns elementos socioculturais relevantes de serem incluídos nas práticas pedagógicas educacionais. Como resultados o artigo apresenta elementos necessários à construção de perspectivas pedagógicas emancipadoras e descolonizadoras, comprometidas com a transformação social com base na cultura dos sujeitos das favelas, reconhecendo suas potencialidades e contradições a partir do diálogo horizontal com a comunidade local e os movimentos sociais representantes dos anseios populares.</p> Marcelo de Jesus Arouca Cláudia Pons Cardoso Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 19 10.22481/reed.v3i7.10289 PERSPECTIVAS E DEBATES CRÍTICOS NA FORMAÇÃO DOCENTE EM TEMPOS DESAFIADORES: UMA EXPERIÊNCIA MEDIADA https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10384 <p>Em tempos desafiadores como os que vivemos, discutir a formação docente implica pensarmos os processos educativos nas suas mais diversas perspectivas. A proposta deste artigo é problematizar a formação docente em tempos pandêmicos e pós pandêmicos, a partir do relato de uma experiência realizada em um curso de licenciatura, com o uso de recursos tecnológicos dentro da perspectiva crítica de educação. Recursos esses que foram utilizados como instrumentos de mediação e diálogo, buscando a formação ampliada dos estudantes, em meio às discussões sobre a necessidade do resgate da importância do conhecimento científico como forma de enfrentamento ao negacionismo e a desvalorização da vida em geral. Ressalta-se que as oportunidades de diálogos síncronos entre professores e estudantes foram fundamentais para propiciar o desenvolvimento do processo. Os momentos dialógicos para orientação, elaboração e discussão coletivas confirmaram a hipótese de que as tecnologias quando utilizadas de forma complexa, podem potencializar as mediações no processo de aprendizagem. O texto faz uma contextualização sobre a formação docente, discute os pressupostos dessa formação na perspectiva crítica, apresenta a experiência de formação em um curso de licenciatura no âmbito da Rede Federal de Educação, Ciência e Tecnologia e tece as considerações a respeito dos desafios enfrentados no atual cenário.</p> Luciana dos Santos Rosenau Sandra Terezinha Urbanetz Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 17 10.22481/reed.v3i7.10384 ENSEÑAR MATEMÁTICAS: ESTUDIO DE CASO EN UNA ESCUELA PRIMARIA URBANA MEXICANA https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10432 <p>El objetivo de esta investigación es comprender los procesos de enseñanza de las matemáticas realizados por una docente de tercer grado de primaria en una escuela urbana mexicana y su impacto en los aprendizajes de los alumnos. El enfoque que se utilizó fue cualitativo y como estrategia el estudio instrumental de caso. Las técnicas fueron la observación no participante y entrevista etnográfica. Como resultado se identificó una escasa supervisión y retroalimentación del desempeño de los alumnos por parte de la docente en cada secuencia didáctica, la evaluación formativa fue ausente. Los alumnos muestran dificultades para realizar sustracciones y multiplicaciones mediante cálculo mental. Se concluye que la enseñanza se basa en una lógica rutinaria predeterminada por el libro de texto; se avanza rápidamente en el programa, pero no se logra consolidar el aprendizaje.</p> Jorge Chacón Reyes Daniela Alarcón Vega Luz Angélica Hernández García Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 26 10.22481/reed.v3i7.10432 APRESENTAÇÃO DO DOSSIÊ TEMÁTICO: “EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS PARA NOVOS TEMPOS: PERSPECTIVAS E DEBATES CONTEMPORÂNEOS” https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10536 <p>Apresentação do Dossiê</p> Mara A. Alves da Silva Letícia dos Santos ´Pereira Fredy Ramon Garay Garay Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 5 10.22481/reed.v3i7.10536 AS PESQUISAS DESENVOLVIDAS EM UM CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA: REFLEXÕES PARA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR-PESQUISADOR https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10347 <p>A pesquisa tem grande potencial formativo e é com a elaboração do trabalho de conclusão de curso que muitos dos licenciandos têm sua primeira experiência como professor-pesquisador. Nesta perspectiva, este trabalho tem como objetivo identificar as linhas temáticas do Ensino de Química e os conteúdos específicos presentes em trabalhos de conclusão de curso da Licenciatura em Química da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e seus reflexos para a formação do professor-pesquisador. Para obter tais dados, foram investigados os conceitos químicos estruturantes e as linhas temáticas da Educação Química presentes em trinta e seis monografias de Licenciatura em Química defendidas no período de 2014 a 2018. O método de análise utilizado foi a análise de conteúdo. A partir dos dados obtidos foi possível constatar que a linha experimentação no Ensino de Química é a que possui uma maior quantidade de pesquisas. Em relação aos conceitos químicos estruturantes, Funções Orgânicas é o mais citado. Desta maneira, além de conhecer as tendências das pesquisas realizadas na Licenciatura em Química deste curso em específico, este trabalho apresenta o potencial que a monografia tem no processo de formação do pesquisador, além de proporcionar mais estudos e compreensões sobre as pesquisas realizadas na área de Ensino de Química.</p> Kelly de Santana Santana Mara A. Alves da Silva José Gilberto da Silva Elisa Prestes Massena Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 25 10.22481/reed.v3i7.10347 PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DO PENSAMENTO CIENTÍFICO QUÍMICO BASEADO EM MODELOS DIDÁTICOS COMO MEDIADORES NA APRENDIZAGEM DO EQUILÍBRIO QUÍMICO https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10320 <p>A análise dos conhecimentos profissionais, práticos e básicos que um professor deve utilizar para projetar, validar e executar uma estratégia didática, com o objetivo de ensinar um conceito químico que estrutura o corpus conceitual da química, levou a propor a modelagem como estratégia de ensino da "Mudança Química", tendo como objetivo a aprendizagem dos alunos do décimo ano, baseando a estruturação da proposta nas formulações teóricas da didática da química. A estratégia de intervenção foi concebida e validada com base na modelagem científico-escolar, o que permitiu determinar e comparar as interpretações dos alunos do décimo ano sobre o modelo científico de mudança química. Os estudantes tiveram que analisar vários fenômenos cotidianos, priorizando, dentro da estratégia, as habilidades de trabalho colaborativo, criatividade, observação, indagação e argumentação. Os resultados mostram que as dificuldades dos estudantes estavam relacionadas a interpretações microscópicas da matéria. Os recursos didáticos utilizados pelo professor mostram erros conceituais em relação às teorias e conceitos anteriores e fundamentais para a compreensão do conceito. Conclui-se que a didática da química deve ser reforçada, a pesquisa sobre educação em química deve ser realizada e as estratégias de ensino para esta ciência devem ser repensadas.</p> Alexandra Castaño Duran Fredy Ramon Garay Garay Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 15 10.22481/reed.v3i7.10320 CONVERGÊNCIA ENTRE PERSPECTIVAS CRÍTICAS DA EDUCAÇÃO CIENTÍFICA, DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL E DA EDUCAÇÃO INTERCULTURAL NA PROMOÇÃO DO ENGAJAMENTO ESTUDANTIL https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10444 <p>Ao retomarmos estudos que têm se debruçado na busca de compreensão dos processos que levaram à visão da ciência como conhecimento dominante nas sociedades ocidentais modernas, constatamos que, historicamente, não se reconhece os jovens como agentes da produção de saberes válidos e legítimos diante dos desafios ambientais das suas escolas e comunidades. Visando ampliar nossa reflexão sobre as potencialidades das escolas no exercício transformador das condições socioambientais, nos dedicaremos a discutir potencialidades da convergência de perspectivas emancipatórias e críticas da educação ambiental, do ensino de Ciências e da educação intercultural na promoção do engajamento dos estudantes. Diante do exposto, consideramos que uma forma promissora de operacionalizar o conceito de escola sustentável, no que se refere à dimensão do currículo, é através da abordagem dos problemas socioambientais em uma perspectiva que aproxime a educação científica orientada para a ação sociopolítica, através uma abordagem das relações CTSA por meio do enfoque de QSCs; a educação ambiental na sua vertente emancipatória, que se apoia em uma visão mais ampla da ciência, através da superação do enfoque naturalista acrítico; e a educação intercultural, promovendo o diálogo de saberes e a problematização das relações de poder existentes entre eles.</p> Rosiléia Oliveira de Almeida Maria Aparecida da Silva Andrade Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 26 10.22481/reed.v3i7.10444 PROPOSTA DE USO DA ABORDAGEM TEAM-BASED LEARNING EM AULAS DE HISTÓRIA DA QUÍMICA NO ENSINO REMOTO: DISCUTINDO A RELAÇÃO ENTRE A ALQUIMIA E A QUÍMICA https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10269 <p>Este artigo apresenta uma proposta de intervenção didática baseada na abordagem Team-Based Learning para aulas de História da Química. A intervenção proposta tem como objetivo discutir a relação entre a Alquimia e a Química, problematizando a visões ingênuas e presentistas sobre a Alquimia e a relação desta com a disciplina Química. A intervenção didática foi construída para atender as necessidades do ensino remoto, modalidade adotada pelas instituições de ensino superior em decorrência da pandemia de coronavírus. A intervenção proposta está estruturada em três etapas – Leitura dos textos selecionados e Teste de Preparo Individual; Testes de Preparo em Grupo; Teste de Aplicação – realizadas em momentos assíncronos e síncronos. Espera-se que a proposta possa contribuir com a formação de concepções de Natureza da Ciência mais adequadas pelos estudantes e no despertar de sensibilidades históricas - o que consideramos ser os objetivos principais da disciplina História da Química.</p> Letícia dos Santos Pereira Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 22 10.22481/reed.v3i7.10269 DESIGN DE ESTUDOS DE CASO HISTÓRICOS PARA AS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS: CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO DE QUÍMICA https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10382 <p>Neste trabalho temos como objetivo apresentar a proposta de design de estudos de caso históricos para as Relações Étnico-Raciais para o Ensino de Química, com foco específico nas questões raciais negras, como possibilidade de modificação dos problemas apresentados nesse tipo de material didático frente ao racismo e a realidade das/dos estudantes. Para tanto, nos pautamos em trabalhos sobre as temáticas citadas e apresentamos as etapas de elaboração de um estudo de caso destinado à Educação de Jovens e Adultos, sobre o contexto histórico da pandemia do novo coronavírus e as dificuldades enfrentadas pela população negra. Além disso, elaboramos uma proposta de aplicação que pode ser utilizada por professores, a partir das adequações necessárias perante a sua prática. Destacamos a potencialidade de modificação de metodologias já conhecidas para inserção de temas de discussão imprescindíveis em aulas de química em todos os níveis de ensino.</p> Jucimara de Jesus Santos dos Santos Paloma Nascimento dos Santos Patrícia Fernanda de Oliveira Cabral Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 24 10.22481/reed.v3i7.10382 O QUE É SER CIENTISTA PARA ESTUDANTES DE PEDAGOGIA? https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10270 <p>Esse artigo tem o objetivo de discutir as representações imagéticas do ser cientista de estudantes do curso de Pedagogia através da aplicação da atividade “a minha percepção do ser cientista” com nove discentes matriculados na disciplina “Conteúdo e Metodologia do Ensino de Ciências”. No viés metodológico, essa pesquisa qualitativa utilizou-se das representações sociais por meio do desenho e das narrativas escritas dos sujeitos participantes. O movimento de análise, ancorou-se em Bardin (2016), evidenciando três categorias a partir dos dados coletados, a saber: a) cientista herói; b) cientista de laboratório; e c) a mulher na ciência. Os resultados denunciam a visão estereotipada do cientista, associando-o, majoritariamente, ao ambiente laboratorial e com atributos hercúleos, de modo que, por meio das análises, acreditamos que tal compreensão pode estar vinculada a ênfase midiática dada a essa face do cientista. Além disso, o trabalho identificou a pouca representação da mulher cientista nos desenhos dos graduandos, desvelando questões históricas e sociais que marcam a trajetória e a disparidade de gênero na ciência. Sendo assim, o estudo traz elementos importantes para novas investigações e discussões no âmbito da formação de professores, especialmente, sobre as práticas, áreas de atuação e multifaces do ser cientista.</p> Felipe da Costa Negrão Alexandra Nascimento de Andrade Priscila Eduarda Dessimoni Morhy Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 20 10.22481/reed.v3i7.10270 CONSTRUINDO RAZÕES PARA A DOCÊNCIA: AS CONTRIBUIÇÕES E LIMITES DE UM CURSINHO POPULAR NA FORMAÇÃO INICIAL DE LICENCIANDOS DAS CIÊNCIAS DA NATUREZA NA UFBA https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10303 <p>Colaborando com a compreensão acerca da dinâmica dos cursinhos populares, os quais se configuram como um espaço não-formal de educação, a presente investigação consistiu em uma pesquisa qualitativa que visa identificar as contribuições do Pré-Vestibular Social (PréVest) na formação inicial dos professores de ciências. Seis professores que atuaram ou que ainda atuam no projeto foram entrevistados de forma semiestruturada e suas respostas foram interpretadas com base em três categorias de análise. Primeiramente, discutimos a possibilidade do PréVest ser um espaço viável para a realização do movimento dialético entre a teoria e prática pedagógica. Refletimos também sobre como os professores consideram o público-alvo na sua prática pedagógica. E, por fim, relacionamos a permanência neste projeto com a criação de motivações pessoais para o seguimento na docência. Os resultados apontaram algumas tentativas de realização do movimento dialético entra a teoria e prática. Assim, pudemos identificar que, embora as formas de ensino sejam diversificadas, a falta de consideração do público-alvo compromete a utilização de uma abordagem crítica dos conteúdos.</p> Hugo Henrique David da Silva Santos Hélio da Silva Messeder Neto Raiana Wilsa Linhares Oliveira Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 27 10.22481/reed.v3i7.10303 CHÁS E INFUSÕES NO ENSINO DE QUÍMICA: UMA OFICINA TEMÁTICA PARA O ENSINO DE FUNÇÕES ORGÂNICAS https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10246 <p>O ensino de química vem se apresentando, muitas vezes, distante da realidade dos educandos, por não haver uma conexão entre a vivência do aluno e os conteúdos abordados em sala de aula. Nesse contexto, podemos notar que há diversas temáticas que poderiam ser trabalhadas no âmbito escolar; dentre elas, podemos destacar os chás e infusões com plantas medicinais, cujo saber popular sobre seu emprego é algo conhecido na humanidade desde a antiguidade. Este trabalho apresenta os resultados do desenvolvimento de uma oficina temática, de caráter experimental, com abordagem contextualizada e valorização do saber popular, no tema dos chás e infusões, para o ensino dos conceitos de funções orgânicas. A pesquisa, de caráter qualitativo, teve seus dados obtidos por meio de questionário semiestruturado e de observação participativa e analisados por meio da análise textual discursiva. Os resultados indicaram que os alunos aperfeiçoaram seus conhecimentos sobre a temática e demonstraram ter compreendido as funções orgânicas presentes nos chás/infusões, apontando para o estímulo da aprendizagem e do interesse por meio da atividade experimental, indicando possibilidades efetivas de contextualização e de promoção de discussões relevantes no ensino de funções orgânicas por meio da oficina temática sobre chás e infusões.</p> Viviane Silva Santos Rafael Moreira Siqueira Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 26 10.22481/reed.v3i7.10246 UMA ANÁLISE DE VÍDEOS DO YOUTUBE SOBRE ENSINO DE QUÍMICA NA EDUCAÇÃO INDÍGENA https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10297 <p>Em um contexto de ampla utilização de dispositivos móveis e de redes sociais, inclusive por populações tradicionais, este artigo apresenta resultados de uma pesquisa exploratória que teve como objetivo geral investigar se e como aparece a discussão sobre o ensino de ciências e de química articulado à educação indígena em vídeos distribuídos pela plataforma YouTube. Foram analisados 36 vídeos apresentados na plataforma pelo filtro de relevância a partir das seguintes expressões de busca: “química indígena”; “química” e “educação indígena”; e “ciências da natureza” e “educação indígena”. Realizou-se a análise de conteúdo dos vídeos por categorização emergente. As categorias analisadas foram as que emergiram na “visualização flutuante”: canais em que os vídeos apareceram, os sujeitos de fala e o conteúdo das falas. Embora tenhamos encontrado importantes falas de intelectuais indígenas, a maior parte dos vídeos analisados possui não-indígenas como sujeitos de fala. De forma geral, observou-se poucos vídeos que apresentam discussões que podem ser direta ou indiretamente relacionadas com o ensino de química no contexto da educação indígena. Finalmente, constatamos que parece ainda não existir a disponibilização de algum canal direcionado ao ensino de ciências (e/ou ao ensino de química) para estudantes da Escola Básica na educação indígena.</p> Maristela Cabral da Silva Piedade Marcelo Leandro Eichler Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 20 10.22481/reed.v3i7.10297 ATIVIDADES STEAM MAKER: INVESTIGANDO CONTRIBUIÇÕES DE PRÁTICAS EXTRACURRICULARES NO IFBA CAMPUS SEABRA https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10184 <p>A educação STEAM – sigla em inglês para Science, Technology, Engineering, Arts, Mathematics – contempla as ciências de modo interdisciplinar e contextualizado. Trata-se de uma abordagem que, aos poucos, tem sido implementada no ensino básico com capacidade de auxiliar o estudante a compreender os reais sentidos dos seus aprendizados ao desenvolver habilidades, a criatividade e conhecimentos específicos tornando-o livre para aprender. Com igual perspectiva, surge o movimento Maker, conhecido como o “faça você mesmo”, o qual oportuniza o experimentar, o fazer e o testar. Busca-se atribuir significados aos saberes, aproximando do aluno atividades práticas para a criação de algum instrumento ou protótipo. Nesse contexto, o presente artigo analisa as iniciativas do Laboratório de Educação STEAM Maker (LESTEAMM) expondo os resultados obtidos e discutindo suas contribuições para o processo de ensino-aprendizagem. Evidenciou-se que o projeto, ao promover práticas extracurriculares no âmbito STEAM Maker, estimulou a curiosidade, o gosto pela leitura e novas perspectivas para a maneira de adquirir o conhecimento científico. Ao aproximar dos estudantes práticas que exploram as ciências e a tecnologia de forma aplicada, estes desenvolveram o senso crítico e habilidades para um melhor uso das ferramentas tecnológicas, contextualizando os aprendizados com base em experiências práticas e discussões coletivas.</p> Rafaelle da Silva Souza Joelson Novaes Sá Teles Laura de Araújo Rodrigues Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 23 10.22481/reed.v3i7.10184 EDUCA AÇÃO COM CIÊNCIA: POR UMA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISAS EM INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E LETRAMENTO CIENTÍFICO https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10336 <p>Os avanços em inteligência artificial (IA) trouxeram novas oportunidades e desafios para os pesquisadores lidarem com problemas e sistemas complexos e incertos, que não poderiam ser resolvidos pelos métodos tradicionais. Abordagens tradicionais desenvolvidas para problemas matematicamente bem definidos com modelos precisos podem carecer de autonomia e capacidade de tomada de decisão em ambientes incertos e nebulosos. Este trabalho objetiva, com base em pesquisa bibliográfica, apresentar a IA com o intuito de revelar sua capacidade de abrangência, natureza científica e sua aplicabilidade nos contextos do letramento científico. Contemplar a complexidade de ambos como modos positivos em múltiplas áreas de pesquisas científicas e desenvolvimentos nos processos de ensino e aprendizagem. Aqui pretende-se revelar a urgente necessidade de criação e organização de uma “sociedade brasileira de pesquisas em inteligência artificial e letramento científico” (SBPIALC). A pesquisa revelou uma certa escassez de trabalhos publicados sobre o uso da IA no letramento científico quando comparada com o número de trabalhos encontrados sobre a IA na educação. Entretanto, a IA está habilitada para ser parte integrante das atividades dos pesquisadores, professores e estudantes na produção de conhecimento e letramento científico devido a sua capacidade de coleta e análises de grandes dados de informação.</p> Antonio Luiz de Almeida Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 27 10.22481/reed.v3i7.10336 SUPERMERCADOS ENQUANTO ESPAÇOS DE CULTURA CIENTÍFICA: POSSIBILIDADES PARA O ENSINO DE QUÍMICA https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10151 <p>Estudos recentes na área de Ensino de Ciências indicam ser necessário considerar a cultura científica como parte fundamental da formação dos cidadãos e que uma verdadeira cultura científica não pode ser separada da cultura clássica, mas deve ser considerada como parte integrante e essencial dela. Nesse contexto, o presente ensaio tem como objetivo indicar a potencialidade de supermercados como espaços que contribuem para a formação da cultura científica. Para isto, exploramos alguns termos (colesterol, glúten e fator de proteção solar), comumente observados em embalagens de produtos industrializados, que podem ser utilizados como temas de estudo em disciplinas de Química. Chamamos a atenção para o fato de alguns termos científicos serem utilizados apenas como marketing científico para influenciar a compra do produto, tal como os termos "sem colesterol" e "sem glúten". Defendemos que os supermercados são espaços coadjuvantes de divulgação da ciência e que, no contexto da Educação Básica, podem (e devem) ser entendidos pelos professores de Ciências como um rico espaço para trabalhar a cultura científica, uma vez que a produção dos inúmeros produtos ali contidos possuem muita ciência e tecnologia associadas. Trata-se, portanto, de uma possibilidade que permite ampliar a cultura clássica dos estudantes com a cultura científica, objetivo das disciplinas científicas.</p> Manoel Henrique Estércio Farias Plácido Rafaelle Bonzanini Romero Adriano Lopes Romero Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 26 10.22481/reed.v3i7.10151 DIVULGAÇÃO DA ASTRONOMIA PARA O PÚBLICO VIDENTE E COM DEFICIÊNCIA VISUAL: EXPERIÊNCIA EM UM ESPAÇO NÃO FORMAL DE ENSINO/APRENDIZAGEM https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10281 <p>Este artigo apresenta um trabalho desenvolvido por estudantes do curso de licenciatura em Física cujo objetivo foi elaborar e realizar uma exposição voltada à divulgação da Astronomia para o público vidente e não vidente. O trabalho foi desenvolvido na disciplina de Instrumentação para o Ensino de Física III em parceria com o Museu de História Natural do Sul do Estado do Espírito Santo (MUSES). O material foi desenvolvido sob orientação da professora e com a colaboração de uma professora do Atendimento Educacional Especializado (AEE) para alunos com deficiência visual de uma escola da rede pública. De forma geral, público vidente demonstrou interesse pela exposição, principalmente com relação às maquetes dos foguetes e ao um vídeo em Realidade Virtual. A criança visitante não vidente se sentiu bem à vontade quanto ao material, mas demonstrou estranheza quanto à maquete da superfície da Lua. O visitante não vidente adulto demonstrou uma maior facilidade em manipular o material e compreender as informações, pois perdeu a visão na adolescência e tinha conhecimento inicial sobre o tema e memória visual. O visitante adolescente com baixa visão avaliou positivamente os materiais informando que os textos, imagens e maquetes permitiam compreender o que estava sendo informado.</p> Diego Santos de Jesus Simone Aparecida Fernandes Anastácio Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 22 10.22481/reed.v3i7.10281 FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE QUÍMICA: ESTRATÉGIAS PARA O PLANEJAMENTO DE UMA AULA INCLUSIVA PARA ALUNOS COM BAIXA VISÃO https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10365 <p>A Educação Inclusiva (EI) tem sido pouco discutida nas Instituições de Ensino Superior que promovem a formação de professores. No entanto, em praticamente todos os espaços educacionais existem alunos com Necessidades Educativas Especiais (NEE), incluindo aqueles com baixa visão. O objetivo dessa pesquisa foi avaliar o conhecimento e a aprendizagem dos egressos do curso de Licenciatura em Química do Centro de Formação de Professores (CFP) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia referente aos recursos e ao uso de materiais adaptados em sala de aula para alunos com baixa visão. A pesquisa realizada teve abordagem qualitativa, sendo desenvolvido um curso temático como estratégia metodológica. Os dados foram obtidos por meio de questionários semiestruturados e duas atividades. Os resultados indicaram que existe uma carência nas discussões sobre EI no decorrer da formação acadêmica e que a realização do curso foi importante para que os egressos pudessem entender o mecanismo de preparação e desenvolvimento de uma aula inclusiva. No geral, acreditamos que a matriz curricular do curso de Licenciatura em Química do CFP deveria disponibilizar componentes curriculares que abordassem conteúdos sobre EI, NEE e o uso de materiais adaptados para o Ensino de Química para alunos com deficiência visual e outras deficiências.</p> Larissa da Fonseca Conceição Gil Luciano Guedes dos Santos Fabiana Rodrigues dos Santos Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 26 10.22481/reed.v3i7.10365 REGISTRO DE SINAIS-TERMO NA ÁREA DA BOTÂNICA https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10380 <p>Este trabalho resulta da dissertação desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Gestão Educacional- Mestrado Profissional, da Universidade Federal de Santa Maria. Trata-se de uma pesquisa sobre terminologias específicas da área da Botânica. O objetivo consistiu em desenvolver uma proposta de organização e registro de um glossário bilíngue, Língua Portuguesa (LP) e Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). O método qualitativo coletou os vocábulos em Português nas referências bibliográficas básicas do componente curricular evolução do curso de Ciências da Natureza. A validação foi realizada por docentes surdos. Como resultados se destaca a complexidade do processo de criação de um glossário em Libras. A falta de sinais-termo em áreas do conhecimento específicas, pode impactar na aprendizagem de acadêmicos surdos, pois a ausência de vocabulário em Libras causa dificuldade para a aquisição de conceitos científicos, assim como a compreensão do conteúdo exposto em sala de aula. Conclui-se que quanto mais sinais-termo estiverem disponíveis, em áreas diversas do conhecimento, melhor ocorrerá a aprendizagem. O produto da pesquisa, resultou em um glossário, com os sinais-termo da área da Botânica, que foram disponibilizados para livre acesso em meio digital.</p> Taise Gomes dos Santos Cá Silvia Maria de Oliveira Pavão Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 15 10.22481/reed.v3i7.10380 CONCEPÇÕES DE UM GRUPO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS SOBRE A AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM ESCOLAR https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10267 <p>O presente estudo refere-se a uma investigação sobre a avaliação da aprendizagem escolar. O objetivo desta pesquisa consistiu em identificar as concepções sobre a avaliação de um grupo de professores de Ciências. Utilizando elementos do método qualitativo, foi realizada uma pesquisa de caráter exploratório. Os dados foram coletados a partir de um questionário respondido por seis professores de Ciências que lecionam em escolas públicas de um município situado no interior do Piauí. Os resultados desta investigação sugerem que os docentes investigados conhecem as características essenciais do ato avaliativo, praticam a avaliação diagnóstica, utilizam instrumentos diversificados para coletar dados para a avaliação e utilizam o sistema de notas para registrar os resultados avaliativos. Porém, a avaliação praticada, segundo as respostas obtidas, não baseia ações visando a reorientação do ensino para promover melhores aprendizagens. Nesse sentido, observou-se, de uma forma geral, o predomínio de concepções tradicionais em relação à avaliação da aprendizagem escolar. Diante desse quadro, recomenda-se que a avaliação tenha como função principal o diagnóstico contínuo das aprendizagens. Além disso, é necessário refletir sobre as questões teóricas (conceito e características) e práticas (instrumentos de coleta de dados e usos dos resultados) que envolvem o ato avaliativo.</p> Márcia da Silva Lima Lucas dos Santos Fernandes Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 18 10.22481/reed.v3i7.10267 DISCURSOS SOBRE GENES NA SALA DE AULA DE GENÉTICA EM UMA UNIVERSIDADE FEDERAL NO BRASIL https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10134 <p>Este artigo analisa nos discursos sobre genes na sala de aula, os conceitos e modelos de função gênica usados na disciplina de Genética II na graduação em Biologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA) no primeiro semestre do ano 2016. Conceitos de gene, aceitos pela comunidade científica e amplamente divulgados, têm sido desafiados por avanços recentes nas áreas de Genética, Biologia Molecular e Genômica. Nessa pesquisa foram aplicados dois testes, ao começo e ao final do curso, para verificar variações conceituais sobre genes no desenvolvimento do curso, com o objetivo de estabelecer relações entre os discursos sobre genes usados no processo de ensino da disciplina de genética e os testes respondidos pelos estudantes. Os principais resultados obtidos mostram que existe uma relação direta entre os discursos de genes usados na sala de aula e os questionários respondidos pelos alunos, mostrando que o conceito molecular clássico de gene e outras ideias controversas ainda estão bastante presentes nos discursos dos professores no desenvolvimento da disciplina Genética II. Os resultados encontrados sugerem a necessidade da inclusão, na educação científica, de uma abordagem mais atualizada e epistemologicamente bem fundamentada a respeito dos conceitos de gene e dos fenômenos que desafiam ideias típicas a seu respeito.</p> Leonardo Celin Patino Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 20 10.22481/reed.v3i7.10134 ESTRATÉGIAS DIDÁTICAS POTENCIALIZADORAS NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE QUÍMICA https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10379 <p>Quando se trata do Ensino de Química nas escolas, percebe-se que, na maioria das vezes, à abordagem se restringe ao tradicional, em que o professor transmite conhecimentos e os aprendizes são meros receptores. Além disso, é um componente curricular visto pelos estudantes de difícil compreensão, apresentando dificuldades e baixos rendimentos. Diante disso, esta pesquisa visa debater estratégias didáticas potencializadoras no ensino e aprendizagem de Química, com objetivo de promover aulas contextualizadas, com linguagem acessível e estimular os discentes a serem protagonistas na busca de conhecimentos. Inicialmente, foram realizadas pesquisas sobre estratégias que promovam um maior aproveitamento nas aulas de Química. E em seguida, foram confeccionados e aplicados jogos didáticos nas turmas das 2ª e 3ª séries do ensino médio, em uma escola pública, localizada em Barreira-CE. Para tanto, foi utilizada a pesquisa qualitativa, com levantamento de informações e dados durante a aplicação dos jogos. Os resultados apontam que as estratégias metodológicas utilizadas contribuíram para a melhoria do processo de ensino e aprendizagem de Química, possibilitando aos discentes, e ao docente, uma experiência motivadora na construção do conhecimento.</p> Maria Mabelle Pereira Costa Paiva Aluísio Marques da Fonseca Regilany Paulo Colares Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 25 10.22481/reed.v3i7.10379 Expediente https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10551 Lúcia Gracia Ferreira Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 6 Editorial https://periodicos2.uesb.br/index.php/reed/article/view/10552 Roselane Duarte Ferraz Copyright (c) 2022 Revista de Estudos em Educação e Diversidade - REED https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-31 2022-03-31 3 7 1 1