Amamentação como fator de preservação do meio ambiente

Autores

  • Lucas Amaral Martins Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)

Palavras-chave:

Aleitamento Materno, Cuidados de Enfermagem, Recém-nascido

Resumo

OBJETIVOS: averiguar o conhecimento adquirido por mulheres, durante o ciclo gravídico-puerperal, referente ao aleitamento materno e verificar se foram mencionados pelas puérperas os benefícios do aleitamento materno para a preservação do meio ambiente. MÉTODOS: pesquisa documental, descritiva de natureza quantitativa, com dados secundários, coletados junto aos registros do Projeto de Extensão “Vamos amamentar, mamãe?”, resultante do acompanhamento das puérperas durante o ano de 2008, totalizando 116 puérperas. RESULTADOS: a maioria das puérperas encontra-se na faixa etária de 14 a 18 anos (31,89%); 57,75% apresentam apenas nível fundamental; 62,06% possuem união estável/casadas; 92,24% receberam orientações acerca da amamentação durante o pré-natal, dentre estas se destacaram: amamentação exclusiva até o 6º mês (45,68%); alimentação da gestante (47,41%); cuidado com os seios 28 (24,13%), ao passo que: ordenha esclarecimento de mitos e não utilização de mamadeira e chupetas apresentou cada uma, apenas (0,86%), observando-se ainda que amamentação como fator de preservação ao meio ambiente não foi mencionado. CONCLUSÃO: as puérperas detêm razoável conhecimento acerca do aleitamento. Os profissionais de saúde têm papel importante na estimulação e realização de novos trabalhos voltados para uma prática que contemple essa temática sob uma óptica multidimensional, considerando os complexos fatores biopsicossociais/culturais/ambientais/afetivos enoveladores da amamentação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-03-22

Como Citar

Martins, L. A. (2012). Amamentação como fator de preservação do meio ambiente. Revista Saúde.Com, 8(1), 57-71. Recuperado de https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/212

Edição

Seção

Artigos originais