Percepções de enfermeiros intensivistas frente a distanásia: revisão integrativa

Autores

  • Kelly Oliveira Santos Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Resumo

A distanásia é o prolongamento da vida de um paciente em fase terminal. Enfermeiros intensivistas vivenciam cotidianamente esta prática em seu cenário de trabalho. Logo, compreender as concepções que este profissional tem sobre esta temática faz-se necessário. Portanto, o presente estudo teve como objetivo conhecer as percepções de enfermeiros intensivistas sobre a distanásia. Trata-se de um estudo de revisão integrativa. Foi efetuada uma busca na base de dados SciELO, LILACS e MEDLINE. Foram incluídos oito artigos. Para analisar e sintetizar o estudo foi utilizado um quadro sinóptico, a partir de então emergiram três categorias temáticas: Contextualizando distanásia; Fatores potencializadores da distanásia; Distanásia x Cuidados paliativos. Os resultados deste trabalho mostraram que a distanásia é freqüente nas Unidades de Terapia Intensiva pelo arcabouço tecnológico disponível, todavia a participação do enfermeiro na tomada de decisão apesar de ser importante é pouco evidenciada. Os enfermeiros percebem que a família, hospitais escola, a falta de protocolos clínicos e a repercussão ética e legal são fatores potencializadores da distanásia. Portanto, o presente estudo oportuniza pensar, refletir e estimular a discussão acerca do processo de morrer com dignidade, no intuito de promover aos profissionais envolvidos uma revisão e melhoria na qualidade da assistência nas Unidades de Terapia Intensiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-06-30

Como Citar

Santos, K. O. (2016). Percepções de enfermeiros intensivistas frente a distanásia: revisão integrativa. Revista Saúde.Com, 12(1), 505-513. Recuperado de https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/403

Edição

Seção

Artigos de revisão