https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/issue/feed Saúde.com 2020-10-05T13:16:18+00:00 Drª Alba Benemérita Vilela revsaudecom@yahoo.com.br Open Journal Systems <section style="text-align: justify; padding: 3px;">A&nbsp;<strong>Revista Saúde.Com (RSC)</strong>&nbsp;é um órgão de divulgação científica na área da saúde, abrangendo as sub-áreas das&nbsp;<em>Ciências Biológicas, Educação Física, Enfermagem, Fisioterapia, Medicina, Nutrição, Psicologia e Odontologia</em>, entre outras. A&nbsp;<strong>RSC</strong>&nbsp;aceita a submissão de artigos em português, sendo necessário também o resumo na versão em português e inglês.</section> <section style="text-align: justify; padding: 3px;"> <section></section> </section> https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/5742 AMPLIANDO A SALA DE AULA: O USO DE METODOLOGIAS ATIVAS NA MONITORIA ACADÊMICA 2020-07-24T17:53:29+00:00 Francisco Willian Melo de Sousa williancarire123@gmail.com Jessica Ketleen Caetano Lopes ketleenlopes78@outlook.com Maria Luisa Damasceno Silva geezerdl4@gmail.com Maria do Socorro Melo Carneiro socorromelocarneiro@gmail.com Lycélia da Silva Oliveira lycelia@gmail.com <p>Relatar as atividades desenvolvidas por meio de metodologias ativas na monitoria acadêmica do curso de graduação em enfermagem. Estudo descritivo, do tipo relato de experiência, de abordagem qualitativa, elaborado a partir de vivências na monitoria acadêmica do módulo Atenção Primária à Saúde II, componente da grade curricular do curso de graduação em enfermagem bacharelado, da Universidade Estadual Vale do Acaraú, no período de abril a agosto de 2019. A abordagem das temáticas Sistema Único de Saúde, Estratégia Saúde da Família, participação social, ferramentas de avaliação familiar e o uso de metodologias ativas nos encontros de monitoria oportunizaram a construção efetiva do aprendizado coletivo, possibilitaram a troca de conhecimentos, de experiências e saberes que enriqueceram a formação acadêmica e profissional. A monitoria enquanto programa de iniciação à docência proporciona o aprimoramento acadêmico no ambiente universitário, permitindo ao estudante aproximação do ofício de ser professor, sobretudo, oportuniza o desenvolvimento de competências e habilidades comunicacionais e sociais.</p> 2020-11-03T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/6331 ABORDAGEM TERAPÊUTICA DOS PACIENTES PEDIÁTRICOS TRANSPLANTADOS CARDÍACOS 2020-07-24T18:03:42+00:00 Erivan de Souza Oliveira erivan@edu.unifor.br Rayssa Priscilla Costa Reis rayssapricr@hotmail.com Isabelle Barbosa Pontes isabelle_barbosa@hotmail.com Larissa Moura Barbosa lariissa.mb@hotmail.com Arlandia Cristina Lima Nobre de Morais arlandia@unifor.br <p>O transplante cardíaco é uma abordagem cirúrgica, sendo um importante recurso no tratamento da insuficiência cardíaca. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a farmacoterapia dos pacientes pediátricos transplantados cardíacos. Trata-se de um estudo descritivo, retrospectivo e com abordagens quantitativas, realizada em um hospital terciário da rede pública do Estado do Ceará. As variáveis analisadas foram: idade, sexo, peso atual, idade e peso quando foi transplantado, tempo de pós-transplante, problemas de saúde preexistentes, prescrição ambulatorial, nome do medicamento, posologia, dose, forma farmacêutica, duração do tratamento e exames laboratoriais. Os dados foram dispostos como frequência absoluta (n) e relativa (%), média e desvio padrão, considerando o intervalo de confiança de 95%. Foram analisados 18 prontuários/prescrições de pacientes com idade de 1 a 18 anos que tinham realizado o transplante cardíaco no hospital da pesquisa. Através dos resultados obtidos, foi observado que 27,8% (n=5) dos pacientes apresentaram alterações nos exames das transaminases (TGO e TGP), 33,3% (n=6) na ureia e creatinina, 50% (n=9) teve anemia após o transplante e todos os pacientes utilizavam as estatinas como medicamento profilático. Através dos resultados obtidos nesse estudo, considera-se o aumento da possibilidade do desenvolvimento de intervenções que alcancem benefícios para os pacientes pediátricos.</p> 2020-10-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/6884 Português DOAÇÃO DE SANGUE: UM ATO DE HUMANIZAÇÃO LIMITADO 2020-07-24T17:46:05+00:00 Leandro Freire Meira enfermagemleandro@yahoo.com.br Luciana Araújo Melo lulyamelo@hotmail.com <p>Objetivos: analisar a visão dos profissionais de saúde de dois serviços de hemoterapia e hemoderivados sobre do critério de doze meses em abstinência sexual para que Homens que fazem sexo com outros Homens, Bissexuais e suas parceiras, se tornem aptos para a doação de sangue; Metodologia: um estudo de caráter descritivo e exploratório e de corte transversal, onde os locais escolhidos para ser o campo de pesquisa foram um Hemocentro e um Banco de Sangue, ambos situados em um município do interior baiano. O Hemocentro recusou-se a assinar o Termo de Anuência do Gestor. Resultados: os profissionais concordam com as regras propostas pela portaria que regulamenta a doação de sangue no Brasil, porém também concordam que há necessidade de modificar alguns artigos da mesma, buscando regras mais rigorosas para a aptidão de novos doadores, mostra a opinião dos profissionais sobre uma possível mudança nas regras para que houvesse uma igualdade para todos diante do ato de doar sangue, unanimidade opinou por não alterar as regras e manter a inaptidão por 12 meses. Conclusão: A Enfermagem visa pelo reconhecimento desse público, sugerindo que seja levantada a consideração da possibilidade de reduzir o período de inaptidão temporária para no máximo 120 dias.<br>Descritores: Doação de Sangue; Enfermagem; Saúde.</p> 2020-10-05T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/7472 Editorial 2020-10-05T13:02:26+00:00 Alba Benemérita Alves Vilela revsaudecom@yahoo.com.br <p>No momento de isolamento social em que viveu e vive a humanidade, essa foi levada a repensar, se reconstruir diante de um cenário novo com momentos a serem experenciados nos mais diversos contextos sociais. O panorama mundial são índices bastantes significantes de morbidade e mortalidade na humanidade causados pela Pandemia do COVID-19 que trouxe ao mundo novas formas de buscar sua sobrevivência diante de tamanha incidência mundial. Diante de todos os percalços os mais acometidos foram a saúde e a educação em nosso país devido aos cortes de verbas que deveriam ser destinados a esses dois ministérios governamentais.</p> <p>&nbsp;</p> 2020-10-05T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Saúde.com