https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/issue/feed Saúde.com 2024-01-15T10:23:38-03:00 Drª Alba Benemérita Vilela rsc@uesb.edu.br Open Journal Systems <div align="justify">A <strong>Revista Saúde.com (RSC)</strong> é um órgão de divulgação científica na área da saúde, abrangendo as sub-áreas das <em>Ciências Biológicas, Educação Física, Enfermagem, Fisioterapia, Medicina, Nutrição, Psicologia e Odontologia</em>, entre outras. A <strong>RSC</strong> aceita a submissão de artigos em português, sendo necessário também o resumo na versão em português e inglês.</div> https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/12311 Aspectos clínicos, socioambientais e nutricionais da doença de chagas na atualidade 2023-10-07T18:27:08-03:00 Amanda Aurea Rodrigues amandaaureamed@gmail.com Cinoélia Leal de Souza cinoelia5@hotmail.com Denise Lima Magalhães denisemagalhaes0605@hotmail.com <p>A doença de Chagas representa um sério problema de saúde pública, visto que reflete as vulnerabilidades sociais e possui elevada carga de morbimortalidade. Pretende-se, com este estudo, analisar os aspectos clínicos, socioambientais e nutricionais da doença de Chagas na atualidade. Trata-se de uma pesquisa de campo, quantitativa e exploratória, realizada em uma cidade endêmica para a doença, no interior da Bahia. Os participantes do estudo foram 183 pessoas diagnosticadas com Chagas. Utilizou-se para coleta de dados um questionário semiestruturado e o Miniexame do estado nutricional. Na análise dos dados foram utilizados os testes estatísticos de Pearson e o teste de correlação de Qui quadrado. O estudo foi aprovado por um comitê de ética sob protocolo CAAE 73169517.3.0000.8068. Os resultados, Odds Ratio (OR), mostraram que os fatores associados ao estado nutricional, em indivíduos com Chagas, foram o histórico de hospitalizações (OR= 2,4; IC=1,14- 5,11); o histórico de realização de cirurgia (OR= 3,1; IC=1,52- 6,29) e sofrer com astenia (OR= 2,6; IC=1,29- 5,39). Nota-se que é imprescindível alargar o conhecimento sobre o campo epidemiológico, entomatológico, social e biológico da doença de Chagas, pois atuam como elementos intrínsecos à doença, e impactam na qualidade de vida do indivíduo.</p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/12862 Perfil epidemiológico de hospitalização por neoplasia maligna do lábio, cavidade oral e faringe no Ceará de 2018 a 2022 2023-11-22T16:09:14-03:00 Francisco Márcio Lima Albuquerque marcio_lima04@outlook.com Francisca Mariane Martins Monte fmarianemm@gmail.com Nara Lhays Teixeira Nunes naralhaysnunes@gmail.com Hélvia Menezes Vasconcelos Diogenes helviavasconcelos@yahoo.com.br Mauro Vinicius Dutra Girão viniciusgirao@gmail.com <p>Objetivamos identificar o perfil epidemiológico de hospitalização por neoplasia maligna do lábio, cavidade oral e faringe nas regiões de saúde no estado do Ceará, no período de janeiro de 2018 a dezembro de 2022, por sexo, faixa etária, cor/raça e região de saúde. Trata-se de um estudo descritivo de dados secundários de domínio público obtidos na plataforma DataSUS, sucedendo os passos: acesso à informação, informações de saúde, epidemiológicas e morbidade, morbidade hospitalar do SUS, geral por local de internação, a partir de 2008, abrangência geográfica Ceará, CID-10, neoplasia, lista de morbidade do CID-10, neoplasia maligna do lábio, cavidade oral e faringe, faixa etária, sexo, cor/raça e ano de atendimento em qualquer uma das vinte e duas coordenadorias regionais de saúde do estado do Ceará. Os dados mostram que, ao longo do período de estudo, foram hospitalizados 3833 pacientes, com média anual de 766 internações, ocorrendo principalmente no ano de 2022. O perfil das hospitalizações revela a prevalência do sexo masculino de cor/raça parda na faixa etária de 50 anos a 69 anos, sendo contabilizadas principalmente na 1ª região de saúde Fortaleza. Diante dos resultados foi evidenciado que centenas de cearenses são hospitalizados anualmente por esta classificação de câncer. Esperamos que os gestores possam utilizar os resultados do presente estudo para o adequado planejamento, execução, monitoramento e avaliação das ações multiprofissionais em saúde.</p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/13003 Perfil epidemiológico das crianças com transtorno do espectro autista da APAE 2023-12-29T06:55:51-03:00 Katielly Oliveira Lago katielly1999@gmail.com Maria Nice Dutra de Oliveira mnicedutra@gmail.com <p>O presente trabalho tem por objetivo descrever o perfil epidemiológico das crianças com TEA assistidas pela APAE de Jequié (BA). A pesquisa é do tipo descritiva, com cunho quantitativo, realizada através da análise de fichas dos pacientes pediátricos, de 1 a 12 anos, com diagnóstico definitivo, matriculados e atendidos na APAE entre 2020 e 2022. 90 passaram pelos critérios de seleção, sendo 81,1% do sexo masculino e 18,9% do sexo feminino; 76,6% tiveram a mãe como responsável, seguido pelo pai (11,1%) e avó (6,6%); 10% possuíam histórico familiar de TEA. Em conclusão, o perfil é composto por sua maioria: meninos, de 4 a 6 anos, cursantes do ensino infantil, moradores de Jequié, diagnosticados no ano de 2022, detêm TEA grau 3, associado a TDAH ou Retardo Mental Moderado, fazem uso de risperidona, e possuem atraso na fala, déficits socioemocionais, estereotipias motoras, e hiper ou hiporreatividade a estímulos sensoriais.</p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/13253 Inserção de cuidados de enfermagem, cuidados básicos de higiene e primeiros socorros nas instituições de ensino infantil 2024-01-12T11:55:27-03:00 Débora Moreira Torres deboramoreiratorres18@hotmail.com Gisele Aparecida Massé dos Santos giselemasse.f@gmail.com Maria Cristina dos Santos José cristinazazazazazazaz@gmail.com Maria Fernanda Pereira Gomes m_fernanda_pgomes@hotmail.com Daiane Suele Bravo daianebravo@hotmail.com <p>O objetivo da presente pesquisa foi apontar a opinião de professores, funcionários, cuidadores e pais de crianças de 0 a 6 anos de idade sobre a inserção do serviço de enfermagem nas instituições infantis e identificar se professores e funcionários da instituição de ensino infantil conhecem e realizam cuidados básicos de higiene e primeiros socorros. Trata-se de uma pesquisa exploratória de abordagem quantitativa com a participação de professores, e/ou responsáveis de crianças de 0 a 6 anos, cuidadores e profissionais de uma instituição de ensino infantil localizada em um município de pequeno porte do interior do Estado de São Paulo. A pesquisa teve 30 participantes, destes 18 (60%) eram pais e 12 (40%) eram profissionais que trabalham na escola. Evidenciou-se que os pais e funcionários da escola concordam com a inserção dos serviços de enfermagem na instituição de ensino infantil, pois acreditam ser muito importante o auxílio no cuidado de higiene e saúde, administração de medicações, acompanhamento do desenvolvimento e crescimento infantil, realização de primeiros socorros e a identificação de problemas de saúde desde o início.</p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/13351 Dinapenia está associada a autopercepção de saúde negativa em pessoas idosas 2023-07-31T09:23:31-03:00 Kleyton Trindade Santos kleyton_santos@hotmail.com Marcos Henrique Fernandes mhf.uesb@gmail.com Thaís Alves Brito thaisbrito@uesb.edu.br Halison Antony Rocha de Sousa halison.antony341@gmail.com José Ailton Oliveira Carneiro Hitoef@uesb.edu.br <p><strong>Objetivo: </strong>verificar a associação entre dinapenia e autopercepção de saúde em pessoas idosas residentes em comunidade. <strong>Métodos:</strong> estudo com delineamento transversal, realizado com 286 pessoas idosas, de ambos os sexos, residentes em comunidade. A autopercepção de saúde foi definida como variável dependente, e foi classificada em positiva, regular e negativa. A variável independente do estudo foi a dinapenia, verificada por meio do teste de força de preensão manual, de acordo com índice de massa corporal e sexo. <strong>Resultados:</strong> a prevalência de dinapenia foi de 28,7%. Foi possível verificar que 9,8% das pessoas idosas apresentavam uma autopercepção de saúde negativa. A dinapenia esteve associada de forma significativa a autopercepção de saúde negativa (OR: 3,05; IC: 1,31-7,08; p=0,010), aumentando em 3 vezes a chance da pessoa idosa &nbsp;se autodeclarar com uma saúde negativa se comparado as pessoas os idosas não dinapênicas (p=0,010). <strong>Conclusão: </strong>a presença de dinapenia estar associada a uma autopercepção de saúde negativa na pessoa idosa.</p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/13808 Incidentes relacionados à segurança do paciente no estado do Piauí: estudo retrospectivo 2024-01-12T12:01:44-03:00 Maria Eduarda de Sousa Brito meduarda@hotmail.com Indira Camilly Esmero Carvalho e Silva indiraesmero@ufpi.edu.br Maria Luiza Sousa Carvalho mluizacarvalho@ufpi.edu.br Maysa Lis Luz e Silva maysalis@ufpi.edu.br Francisco Gilberto Fernandes Pereira gilberto.fp@hotmail.com <p>Objetivou-se descrever os incidentes relacionados à assistência à saúde entre os anos de 2018 a 2020 no Estado do Piauí. Trata-se de um estudo descritivo, retrospectivo, que utilizou como fonte os relatórios do Sistema de Notificações para a Vigilância Sanitária. Os dados foram coletados por meio de um formulário e analisados por meio da estatística descritiva. A faixa etária mais acometida está entre 56 a 85 anos (3.456 – 45,9%). O evento adverso mais notificado é a Lesão por Pressão (2.368 – 31,5%) e broncoaspiração, tendo o mês de fevereiro apresentado maior índice de notificação (775 – 10,3%). O ambiente hospitalar é o responsável pelo número mais expressivo de notificações (7.087 – 95,7). Em relação ao grau de dano, os casos leves foram os mais evidenciados (2.466). Conclui-se que os incidentes relacionados à assistência à saúde se constituem em uma realidade no Estado do Piauí, necessitando assim de medidas educativas para sua redução.</p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/14223 Perfil dos egressos do doutorado do programa de pós-graduação de enfermagem e saúde - UESB (2015-2022) 2024-01-09T11:04:35-03:00 Saú da Silva Souza saued1@hotmail.com Saulo Correa Peixoto scpeixoto@uesb.edu.br Valéria dos Santos Ribeiro vavalribeiro@gmail.com Alba Benemérita Alves Vilela abavilela@uesb.edu.br Sérgio Donha Yarid yarid@uesb.edu.br <p>Este estudo propôs analisar o perfil dos egressos do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia campus de Jequié-BA em nível de doutorado do ano de sua implantação até 2022, trata-se de um estudo exploratório, documental e descritivo. Foram analisados documentos que pudessem traçar o perfil dos alunos que concluíram o doutorado até o ano de 2022. Foi analisado o currículo lates como fonte de coleta das informações: sexo, formação e tipo de vínculo após o término do doutorado. Observou se que grande parte dos egressos são do sexo feminino com predominância de formação na área de enfermagem e a maioria dos concluintes estão vinculados à docência no ensino superior, seja em instituições públicas ou privadas espalhadas por todo Brasil.</p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/14283 Caracterização da cobertura vacinal no município de Pedreiras (MA) nos anos de 2021 e 2022 2024-01-12T11:47:41-03:00 Inaldo Kley do Nascimento Moraes professorinaldokley@gmail.com Tiago Sá dos Anjos thiagoanjos93@gmail.com <p><strong>Introdução: </strong>A vacinação é um pilar fundamental da saúde pública, desempenhando um papel crucial na prevenção de doenças contagiosas e na proteção da comunidade. O Brasil tem uma longa história de programas de vacinação bem-sucedidos, mas a manutenção de altas taxas de cobertura vacinal é fundamental para garantir a eficácia desses esforços de saúde pública. <strong>Objetivo:</strong> Caracterizar a cobertura vacinal no município de Pedreiras, localizado no estado do Maranhão, durante os anos de 2021 e 2022<strong>. Metodologia: </strong>Trata-se de um estudo ecológico, com abordagem de série temporal. Os dados obtidos foram referentes as doses de vacinas administradas, sem intervalo de idade no município de Pedreiras – MA,&nbsp; referente aos anos de&nbsp; 2021 e 2022 , foram coletados no site oficial do DATASUS/TabNet no período de &nbsp;setembro a agosto de 2023, sendo tabulados por meio do programa Microsoft Excel 2010®, analisados por estatísticas descritivas simples. <strong>Resultados:</strong> As vacinas que tiveram maior aumento na cobertura vacinal foram: Rotavírus Humano (+16,83%), Hepatite B (+16,71%), Penta (+16,71%), Pneumocócica (+14,92%), Poliomielite (+18,69%) e Tríplice Viral D1 (+22,07%). As vacinas que tiveram maior redução na cobertura vacinal foram: BCG (-6,44%), Hepatite B em crianças até 30 dias (-4,94%), Poliomielite 4 anos (-2,6%), Hepatite A (-17,79%), Poliomielite (1º ref) (-11,84%) e Dupla adulto e tríplice acelular gestante (-24,79%). A cobertura vacinal acima de 95% em ambos os anos foram: BCG e Hepatite B em crianças até 30 dias. As vacinas que tiveram cobertura vacinal abaixo de 50<strong>% </strong>em ambos os anos foram: Tetra Viral (SRC+VZ), Poliomielite 4 anos e dTpa gestante. <strong>Considerações finais</strong> :A análise comparativa da cobertura vacinal em Pedreiras (MA) nos anos de 2021 e 2022 revela um cenário complexo, marcado por desafios persistentes e algumas melhorias nos programas de imunização. O município enfrenta obstáculos na manutenção de coberturas ideais, evidenciados pelos declínios em vacinas cruciais, como Hepatite A e B, possivelmente relacionados a fatores socioeconômicos, logísticos e de conscientização.</p> <p><strong>Palavras -chave:</strong> Vacina; Caracterização; Cobertura.</p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/12876 Liberdade médica questionável 2023-07-07T15:24:33-03:00 Heslley Silva heslley@uniformg.edu.br <p>Uma suposta liberdade ou autonomia médica foi o álibi para o uso de medicamentos inócuos e que envolveram riscos durante a pandemia de Covid-19 no Brasil. É importante discutir como isso ocorreu e quais as possíveis consequências. Também é fundamental atribuir responsabilidades em relação à essa atitude de parte da comunidade médica brasileira, e analisar como é possível reconhecer esse equívoco e desmistificar qualquer justificativa para esse processo. Finalmente é preciso perceber o papel do Conselho Federal de Medicina, no seu alinhamento político e ideológico, no suporte ao uso dessas drogas ineficazes de forma precoce contra o SARS-CoV-19.</p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/14143 Avaliação da saúde bucal de crianças e adolescentes na estratégia de saúde da família 2024-01-12T11:45:25-03:00 Renata Laís Soares Neves renatinhalais16@gmail.com Jefferson Paixão Cardoso jpcardoso@uesb.edu.br <p>O estudo da <strong>Avaliação da saúde bucal de crianças e adolescentes na estratégia de saúde da família</strong> tem como objetivo conhecer as condições em saúde bucal, a prevalência das doenças bucais e seus impactos; orientar o plano de ação, reduzindo os índices de adoecimento e conscientizar o autocuidado, estimular o hábito de higiene oral e alimentação saudável, planejando de forma multidisciplinar em conjunto com os profissionais da saúde, a escola e gestores locais na criação de políticas públicas e programas sociais. &nbsp;O artigo apresenta abordagem qualitativa, mediante coleção de estudos bibliográficos e coleta de levantamentos epidemiológicos em saúde bucal - Projeto SB Brasil 2003 e 2010. Para a seleção utilizou os bancos de dados eletrônicos: Google Acadêmico e o portal BVS. Sua análise dos dados será feita agrupando as ideias comuns e comparando cada dado coletado. Chegando a concordância de uma opinião comum da importância de conhecer a condição de saúde bucal dos brasileirinhos no âmbito da atenção básica. O leitor compreenderá a relevância do dentista na atenção básica no cuidado da criança e adolescente, respeitando os princípios do SUS: Universalidade, Equidade e integralidade na Estratégica da Saúde da família.</p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/12980 Gamificação na promoção de saúde bucal em crianças: um relato de experiência 2023-11-02T08:38:06-03:00 Bruno Rafael Soares da Silva brunorafael.academico@outlook.com Kelvin de Oliveira Soares kelvin.oliveira@academico.ufpb.br Leandro Estrela da Silva leandro.estrela@academico.ufpb.br Larissa Aparecida do Nascimento Andrade larissanandrade2310@gmail.com Mateus Henrique Rodrigues de Sousa Alves matheushenrique647@icloud.com Cláudia Batista Mélo claudia.melo@academico.ufpb.br <p><span style="font-weight: 400;">O objetivo deste trabalho foi relatar a experiência da criação de um software educativo que proporciona o entretenimento às crianças, mediante uma interface interativa que expõe curiosidades e informações acerca do desenvolvimento de uma boa higiene bucal. Trata-se de um estudo descritivo, do tipo relato de experiência, realizado por discentes e docentes do curso de Odontologia, por meio da disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação em Odontologia. De acordo com estudos catalogados, a adoção de comportamentos saudáveis estimuladas por jogos impulsiona um maior índice de aprendizagem entre as crianças. Nesse contexto, foi escolhida, para elaboração do game, a plataforma </span><em><span style="font-weight: 400;">Genially</span></em><span style="font-weight: 400;">, que contempla a dinâmica de perguntas e respostas, por meio de uma interface virtual, combinando diferentes linguagens acessíveis ao público infantil. Conclui-se que, a partir das análises, essa metodologia representa um potencial mecanismo de ensino pouco evidente, que precisa ser ampliado nas áreas que compreendem a promoção da saúde bucal.</span></p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/13580 Probióticos no tratamento da obesidade: uma revisão integrativa 2023-10-26T19:42:34-03:00 Paula Eduarda Oliveira Honorato p.eduarda@hotmail.com Maria Jaqueline Oliveira Silva jaquelinemjs99@gmail.com Maria Eduarda Pereira Melo eduardaamelo15@gmail.com Camilla de Jesús Pires nutricaochrisfapi@gmail.com Ana Luísa Araújo Ferreira de Sousa analuiisa.araujo@gmail.com <p>O desenvolvimento de sobrepeso e obesidade está crescendo, e essa ocorrência é conhecida como uma pandemia do século XXI.&nbsp;O motivo que mais contribui para o surgimento da obesidade consiste no fácil acesso a comidas processadas, onde ocorre a instabilidade entre o consumo e o gasto energético ocasionando o aumento da gordura corporal.&nbsp;A microbiota intestinal equivale a uma condição ambiental que age no metabolismo de todo o corpo humano, influenciando o balanço energético, a inflamação e o papel da barreira intestinal, englobando sinais reguladores periféricos e centrais do consumo de alimentos e, deste modo, aumentando o peso corporal. A pesquisa avalia os achados científicos a respeito do conteúdo, ainda de caráter básica, natureza observacional, a forma de abordagem é qualitativa descritiva. Para a realização da revisão foram selecionados 9 artigos dentre as bases de dados, como objetivo de mostrar benefícios dos probióticos para obesos. De acordo com os critérios utilizados foi observado que a estratégia de prevenção e controle da obesidade por meio do uso de probióticos tem uma série de respostas favoráveis associado a práticas alimentares, pois os mesmos atuam no apetite e na homeostase energética resultando na redução de peso e da circunferência da cintura e quadril. Com isso, pode-se concluir que é relevante a realização de mais estudos sobre o tema já que algumas cepas de probióticos possuem um efeito positivo maior em conjunto com uma alimentação balanceada.</p> <p>&nbsp;</p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/14009 Estudo do potencial nutricional e funcional de frações do jambolão syzygium cumini (l.): uma revisão 2023-12-01T14:28:30-03:00 Lauriane Silva Souza lauriane.silvas@outlook.com Eduardo Bruno Macêdo Viana ebmviana@gmail.com Carla Állyssa de Lima Silva dos Santos carla.allyssa2017@gmail.com Jéssica Souza Ribeiro jsribeiro.nutri@gmail.com Cassiara Camelo Eloi de Souza cassiarapb@yahoo.com.br Marcia Elena Zanuto mezanutoufba@gmail.com <p><em>O objetivo do estudo foi </em><em>abordar a composição química, teor de bioativos e potencial nutricional e terapêutico de diferentes partes do fruto </em>de <em>Syzygium cumini (L</em>.) (<em>jambolão).&nbsp; Foi realizada uma revisão bibliográfica, utilizando três bases de dados eletrônicas (Science Direct, Google Acadêmico e PubMed) e descritores de características química, bioativos e funcionalidade. Foram identificados 241 artigos, publicados entre 2011 a 2021, dos quais 34 artigos foram selecionados para compor a presente revisão. Dos 34 (100%) artigos encontrados, 21 (61,76%) foram realizados no Brasil, 10 (29,41%) na Índia, 1 (2,94%) na China, 1 (2,94%) em Bangladesh e 1 (2,94%) no Paquistão.&nbsp; Das características físico-químicas e químicas observou-se maior número de trabalhos com a polpa do jambolão. Entretanto as sementes se destacaram quanto ao teor de proteína, lipídeos, fibras e carboidratos. Quanto aos bioativos presentes na polpa com casca e semente do jambolão, os principais foram os compostos fenólicos, antocianinas e taninos. O jambolão também mostrou diversas propriedades funcionais como a atividade antidiabética, principalmente na semente do fruto, função antioxidante, ação antineoplásica, </em><em>ação anti-hiperlipidêmica</em><em>, cardioprotetora, antibacteriana, antiobesidade e anti-hipertensiva. Conclui-se que as partes do fruto estudadas apresentam elevado valor nutricional e diversas funcionalidades, mostrando potencial para serem integradas a dieta em sua forma in natura, quanto processada, agregando maior valor a esta espécie medicinal “jambolão”.</em></p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/14285 Letramento vacinal e sua relação com os indicadores de saúde 2024-01-10T18:29:58-03:00 Inaldo Kley do Nascimento Moraes professorinaldokley@gmail.com Vanessa Meira Maia vmmaia45@gmail.com Sérgio Donha Yarid yarid@uesb.edu.br Alba Benemérita Alves Vilela abavilela@uesb.edu.br <p><strong>Objetivo:</strong> compreender o letramento vacinal e sua relação com os indicadores em saúde. <strong>Método:</strong> Pesquisa de abordagem metodológica com natureza descritiva, da tipologia, revisão integrativa da literatura. A questão norteadora estabelecida foi: Qual a relação do letramento vacinal com os indicadores de saúde?&nbsp;&nbsp; A busca ocorreu entre os meses agosto à setembro de 2023, na base de dados Biblioteca Virtual em Saúde (BVS); os descritores em Ciências da Saúde (DeCS) utilizados, foram: Letramento em Saúde; Vacina e Indicadores em Saúde combinados com o operador booleano AND. Os critérios para a seleção dos artigos: Utilizou-se como critério de inclusão: artigos que tivessem como interesse de pesquisa a letramento vacinal e indicadores de saúde aplicados à pesquisa no ambito da saúde e investigassem a relação da alfabetização em saúde com a hesitação e/ou motivação para se vacinar, escritos em língua portuguêsa, disponíveis para download e publicados nos últimos cinco anos (2018 a 2023). O critério de exclusão aplicado foi: artigos que apareceram repetidos. <strong>Resultados:</strong> A revisão integrativa realizada neste estudo analisou um total de 19 artigos selecionados dentre os 34 artigos encontrados na literatura. Os resultados destacam a influência do letramento vacinal nos determinantes de saúde, afetando a suscetibilidade à desinformação e teorias da conspiração sobre vacinas, assim como o acesso aos serviços de saúde.<strong>Considerações Finais:</strong> A pesquisa sublinhou a importância do letramento vacinal na promoção da vacinação e na redução da hesitação, tendo implicações significativas nos indicadores de saúde e na prevenção de doenças. Portanto, a necessidade de estratégias de comunicação adaptadas a contextos culturais foi enfatizada para melhorar a qualidade de vida e a saúde pública.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Palavras-chave: </strong>Letramento em Saúde. Vacina. Indicadores de Saúde.</p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/14288 (Re)pensar em momentos de novas perspectivas acadêmicas 2024-01-12T15:29:15-03:00 Alba Benemérita Alves Vilela abavilela@uesb.edu.br <p>Após a pandemia da COVID 19 a academia universitária brasileira, conjuntamente com a sociedade brasileira e a internacional vem trazendo e propondo novos olhares e perspectivas no mundo da ciência universitária. É neste caminho que procuramos refletir como (re)pensar esses novos caminhos a serem seguidos pela academia brasileira e pela educação universitária brasileira...</p> 2024-01-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Saúde.com