Educação, estudos pós-coloniais e decolonialidade: Diálogos com a Lei 11.645/08

Resumo

Este artigo surge das inquietações que foram nascendo à medida que fui tendo acesso as leituras de teóricos Pós-coloniais e Decoloniais no Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade - IAHC/UFBA e realçado ao participar do Curso Pensar em Movimento: Diálogos de saberes na sala de aula. No decorrer das leituras, debates e experiências fui motivada a relacionar os discursos promovidos com o campo da educação tanto no âmbito da sala de aula e enquanto atuante em programas de formação de professores no qual por muitas vezes voltamos nossos estudos e apreciação para a Lei 11.645 para a educação básica. Assim este artigo traz para o centro das discussões os paradigmas pós-coloniais e decoloniais do pensamento no intuito de fomentar as reflexões necessárias para a aplicabilidade da referida Lei, seus desafios e dilemas. Busca-se direcionar um olhar para o currículo oculto e subalternizados historicamente de forma a contribuir para colocar os povos afrodescentes e indígenas como protagonistas de sua própria história.


Palavras-chave: Educação; Estudos Pós-coloniais e Decoloniais. Lei 11.645/08.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Referências

ACHINTE, Adolfo Alban, "Conocimiento y lugar: más allá de la razón hay un mundo de colores" Texiendo Textos. Cinco Hilos Para Pensar Los Estudios Culturales, La Colonialidad Y La Interculturalidad . En: Colombia ISBN: 958-9475-92-2 ed: Ediorial Universidad Del Cauca ,2006.

BARBOSA, Joaquim Gonçalves, “Multirreferencialidade e produção do conhecimento”. In: Revista Educação em Questão, Natal, v. 32, n. 18, p. 209-223, maio/ago. 2008.

BHABHA, Homi K. O pós-colonial e o pós-moderno. In: O local da cultura. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1998.

MARCOLINI, Adriana. Carta Capiital, "A educação colabora para a perpetuação do racismo" Entrevista - Kabengele Munanga, 30/12/2012.

BRASIL. Lei de Diretrizes de Bases. Lei 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em 19 de Abril de 2017.

________. Constituição Federal. Lei nº 11.645, de 10 março de 2008. Disponível em : http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm. Acesso em 10 de abril de 2017.

________. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana, Brasília. Distrito Federal, 2004.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande & Senzala. 29. ed. Rio de Janeiro: Record, 1994

GALCERAN HUGUET, Montserrat, “La novedad de lo postcolonial.” In: La bárbara Europa. Una mirada desde el postcolonialismo y la descolonialidad, Madrid: Traficantes de Sueños, 2016, 21-65.

MOURA, Glória. Proposta Pedagógica Educação Quilombola. In: BRASIL, Educação Quilombola. Salto Para o futuro. Boletim 10, Junho, 2007.

MUNANGA, Kabengele. Uma abordagem conceitual das noções de raça, racismo, identidade e etnia. Palestra proferida no 3o Seminário Nacional Relações Raciais e Educação-PENESB-RJ, 05/11/03. Disponível em: https://www.ufmg.br/inclusaosocial/?p=59

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, Edgardo (Org.). A Colonialidade do Saber: Eurocentrismo e Ciências Sociais perspectivas latino-americanas. ColecciónSur-Sur,
CLACSO, Ciudad Autonoma de Buenos Aires, Argentina, setembro, 2005.

RANCIÈRE, Jacques. As desventuras do pensamento crítico. In: O espectador emancipado. Lisboa: Orfeu Negro, 2010.

RISÉRIO, Antônio. risério n’o tempo. In.: SALAMALANDRO, Gonçalves Léo. Entrevista cedida em março de 2008. Disponível em: http://www.salamalandro.redezero.org/riserio-no-tempo.

_________Antônio. A utopia brasileira e os movimentos negros. In.: CASTELO, José. Sorretino. 2017. Disponível em: https://i2.wp.com/waltersorrentino.com.br/wpcontent/ uploads/2017/03/SorrentinoNegros.png.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências. In: A gramática do tempo: por uma nova cultura política. São Paulo: 2010.

SILVA, Edson. Povos indígenas: história, culturas e o ensino a partir da lei 11.645. In.___ revista Historien UPE/Petrolina, v. 7, p. 39-49, 2012.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? Tradução: Sandra Regina Goulart Almeida. Marcos Feitosa Pereira e André Pereira Feitosa. Editora UFMG, Belo Horizonte, 2010.

WALSH, Catherine. Desenvolvimento como Buen Vivir: arranjos institucionais e laços (de)coloniais. Novoamerica. 126, abr-jun 2010.
Publicado
2018-06-30
Como Citar
SANTOS, Cledineia Carvalho. Educação, estudos pós-coloniais e decolonialidade: Diálogos com a Lei 11.645/08. ODEERE, [S.l.], v. 3, n. 5, p. 161-174, jun. 2018. ISSN 2525-4715. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/odeere/article/view/4143>. Acesso em: 06 jun. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/odeere.v3i5.4143.