Comunidade Quilombola de Velame/BA: história, lutas, superações e adiamentos

Resumo

No presente artigo a proposta foi discutir alguns processos que tem marcado a história da Comunidade Quilombola de Velame, localizada a 54 km do município de Vitória da Conquista/Bahia. A metodologia utilizada foi a qualitativa, com a utilização da técnica de entrevistas (idosos, adultos e jovens) e pesquisa de campo. Cotejamos essas informações com as encontradas no Relatório Antropológico da Comunidade Quilombola de Velame. O processo de expulsão de suas terras e o posterior regresso, deixaram profundas marcas na comunidade, uma vez que isso interferiu diretamente na dimensão territorial e na quantidade de famílias que residiam na mesma. A análise de todo material coletado revelou que a incorporação da identidade quilombola é indicador de uma leitura estratégica da comunidade, tanto para acessar políticas públicas, como para dar início ao processo de titulação de suas terras. Notamos ainda que o Estado brasileiro continua a viver um enorme dilema, em se tratando da garantia dos direitos dos povos tradicionais, visto os seus operadores jurídico e político parecem, na maioria das vezes, inoperantes ante a necessidade de dar celeridade aos processos de titulação das terras quilombolas.


Palavras-chave: comunidade quilombola; desenvolvimento social; políticas públicas; território.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Alfredo W. B de. Quilombos: sematologia face a novas identidades. In SMDDH; CCN. (Org.) Frechal Terra de Preto: quilombo reconhecido como Reserva Extrativista. São Luís, 1996 p. 11-19.

____________ Os Quilombos e as Novas Etnias. In: O´Dwyer, Eliana C. (Org) Quilombos: identidade étnica e territorialidade. Rio de Janeiro. Editora FGV, 2002 p.43-81.

ARRUTI, José Maurício A.P. A Emergência dos ‘Remanescentes: notas para o dialogo entre indígenas e quilombolas. MANA 3(2), 1997. p. 7-38. https://doi.org/10.1590/s0104-93131997000200001

____________________ O quilombo conceitual: para uma sociologia do artigo 68 do ADCT. In: Relatório técnico-científico sobre os remanescentes da Comunidade de Quilombo de Cangume, município de Itaóca/SP. ITESP, setembro de 2003. 191 p.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Trad. Myriam Avila Eliana Lourenço de Lima Reis e Gláucia Renata Gonçalves. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

BRASIL. Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Programa Brasil Quilombola. Brasília, DF: SEPPIR, 2005.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações adotadas pelas Emendas Constitucionais n os 1/1992 a 68/2011, pelo Decreto Legislativo no 186/2008 e pelas Emendas Constitucionais de Revisão n os 1 a 6/1994. – 35. Ed. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2012. 454 p. – (Série textos básicos; n. 67).

CONCEIÇÃO, Silvano da. Estratégias de permanência e desenvolvimento social na Comunidade Rural Quilombola de Velame, Bahia. Tese de Doutorado – São Carlos, 2016. 225 p.

HALL, Stuart. A Identidade Cultural na Pós-Modernidade. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2000.

____________. Quem precisa de identidade? In: Identidade e Diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Trad. Tomaz Tadeu da Silva. Petrópolis: Vozes, 2000.

___________. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Editora UFMG, 2003.

INCRA. Relatório Antropológico da Comunidade Quilombola de Velame. Brasília, 2009.

SANCHEZ, Fábio José Bechara. Identidade e Conflito: a construção política dos “remanescentes de quilombo” do Vale do Paraíba. 2004. 158 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia), Programa de Pós-Graduação em Sociologia. Universidade de São Paulo. São Paulo, 2004. 158 p.
Publicado
2020-06-30
Como Citar
DA CONCEIÇÃO, Silvano. Comunidade Quilombola de Velame/BA: história, lutas, superações e adiamentos. ODEERE, [S.l.], v. 5, n. 9, p. 132-153, jun. 2020. ISSN 2525-4715. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/odeere/article/view/6661>. Acesso em: 08 jul. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/odeere.v5i9.6661.