O ciclo da vida em Queimadas: as etnicidades geracionais presentes no nascer, viver e morrer

Resumo

Este artigo é um recorte de uma pesquisa desenvolvida no mestrado entre os anos de 2016 e 2017 numa comunidade quilombola denominada Queimadas, que se localiza no sertão baiano, na zona rural do Município de Guanambi. A referida pesquisa teve como objetivo investigar a transmissão dos pertencimentos étnicos entre as diferentes gerações que ali se encontram. Para tanto, o método utilizado foi a etnografia, com o emprego de entrevistas, observações e narrativas em história oral de vida. Nessa investigação ficou evidente que os quilombolas de Queimadas lançam mão de variadas estratégias de transmissão dos pertencimentos étnicos, que vão desde o casamento, a manutenção da terra, a organização espacial do território, a transmissão oral de tradições, costumes e cultura, dentre muitos outros. Assim, eles conseguiram, no decorrer de mais de cem anos, preservar os pertencimentos étnicos e a harmonia da comunidade e tudo isso só foi possível porque são um coletivo que protege a terra, a família e a ancestralidade do grupo cotidianamente, de geração em geração.


Palavras-chave: Quilombo; Etnicidade Geracional; Ancestralidade Étnica.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Referências

CONSORTE, Josildeth Gomes. Relações Étnicas e Relações Raciais: diferenças e aproximações. Revista do Programa de Pós-Graduação em Relações Étnicas e Contemporaneidade. Ano 2019, Volume 4, número 8, Julho – Dezembro de 2019, p. 30-34. https://doi.org/10.22481/odeere.v4i8.6232

CUNHA, Manuela Carneiro da. Enicidade, indianidade e política. In: Cultura com aspas. São Paulo: Cosac & Naify, 2009.

FEIXA, Carles; LECCARDI, Carmem. O conceito de geração nas teorias sobre juventude. Revista Sociedade e Estado. v. 25, nº 2, Maio / Agosto, 2010. https://doi.org/10.1590/s0102-69922010000200003 Acesso em: 13/05/2016.

LÉVI-STRAUSS, Claude. As estruturas elementares do parentesco. Mariano Ferreira (trad.). Petrópolis: Vozes, 1982.

MANNHEIM, Karl. O problema sociológico das gerações. IN: Marialice M. Foracchi (org). Karl Mannheim: Sociologia, São Paulo, Ática, 1982, p. 67-95.

MELO, Ana Lúcia Aguiar. et al. “Palmas” para o quilombo: processos de territorialidade e etnicidade negra. Santa Maria: Editora da UFSM, 2011.

OLIVEIRA, Eduardo David de. Filosofia da ancestralidade como filosofia africana: educação e cultura afro-brasileira. Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação – RESAFE. Número 18: maio-outubro/2012. P. 28-47. https://doi.org/10.26512/resafe.v0i18.4456. Acesso em: maio 2020.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Relatório Mundial de Envelhecimento e Saúde. Acesso em: 01/07/2017. Disponível em: http://sbgg.org.br/wp-content/uploads/2015/10/OMS-ENVELHECIMENTO-2015-port.pdf.

POUTIGNAT, Philippe; STREIFF-FENART Jocelyne. Teorias da etnicidade: seguido de grupos étnicos e suas fronteiras de Fredrik Barth. 2ª ed. São Paulo: Ed. Unesp, 2011. 250 p.

WEBER, Max. Relações comunitárias étnicas. IN: Economia e Sociedade. Vol. 1. Brasília: Editora UNB, 1991, p. 267-277.

WELLER, Wivian. A atualidade do conceito de gerações de Karl Mannheim. Revista Sociedade e Estado, v. 25, nº. 2, Maio / Agosto 2010, p. 205-224. https://doi.org/10.1590/s0102-69922010000200004. Acesso em: 13/05/2016.
Publicado
2020-06-30
Como Citar
DOS SANTOS, Jamile Pereira Pimentel; BARBOSA, Ana Angélica Leal. O ciclo da vida em Queimadas: as etnicidades geracionais presentes no nascer, viver e morrer. ODEERE, [S.l.], v. 5, n. 9, p. 205-233, jun. 2020. ISSN 2525-4715. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/odeere/article/view/6686>. Acesso em: 08 jul. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/odeere.v5i9.6686.