Os contos de fadas e o processo de construção identitária da criança negra

Autores

Palavras-chave:

Contos, Fadas, Racismo, Identidade, Aceitação

Resumo

Este texto tem como finalidade abordar questões voltadas à construção da identidade étnico/racial da criança negra, levantando discussões sobre os contos de fadas, notadamente Branca de Neve e Bela Adormecida, e sua influência no processo de construção identitária, enquanto oferta de um único tipo de obra literária para as crianças. Partindo desse pressuposto, traçamos o seguinte objetivo: analisar a contribuição dos contos de fadas para a formação da identidade étnico/racial da criança negra, investigando dois contos de fadas mais populares e que fortalecem uma concepção de estética que contribui para o fortalecimento do racismo e disseminação de práticas racista na sociedade e consequente baixa autoestima da criança negra. Sendo assim, a metodologia foi análise documental, com revisão das obras: Branca De Neve e a Bela Adormecida. Esta pesquisa visa fornecer instrumentos para aumentar as formas de discussões e debates sobre o assunto, que sirva como um suporte para professores desenvolverem novas concepções sobre ampliação das escolhas literárias e roda de conversas no meio de estudantes para que só aumentem as possibilidades de aprendizagem. Foram trazidos ao debate teóricos como: Gomes (2005), Brandão (1981), Freire (2002) Coelho (2005), Munanga (2003), dentre outros, a fim de embasar esta pesquisa.

Biografia do Autor

Rosemary Lapa de Oliveira, Universidade do Estado da Bahia

Doutora e Pós-Doutora em Educação; Mestre em Letras e Linguística; Especialista em Gramática e Texto e em Psicanálise; Licenciada em Letras Vernáculas com Inglês e respectivas Literaturas. Atualmente professora Titular DE do curso de Pedagogia da Universidade do Estado da Bahia e do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade - PPGEDUC.

Priscila de Oliveira Pinheiro Gomes, Universidade do Estado da Bahia

Graduanda em Pedagogia, Universidade do Estado da Bahia.

Referências

BARTHES, Roland. Mitologias. 11ª Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001

BAUMAN, Z. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001

CHIMAMANDA, Ngozi Adichie. O perigo de uma história única. Trad. Julia Romeu. São Paulo: Campanhia das Letras, 2019.

COELHO, Nelly Novaes. Literatura Infantil Teoria Analise Didática. 7º edição. São Paulo. Moderna, 2005

CORSO, Diana Lichtensein. A psicanálise da Terra do Nunca: ensaios sobre a fantasia. Porto Alegre: Penso, 2011

CORSO E CORSO, Diana Lichtensein, Mario. Fadas no divã, psicanálise das histórias infantis. Porto Alegre: Artmed. 2006

DURKHEIM, Émile. Educação e sociologia. 10ª ed. Trad. De Lourenço Filho. São Paulo, Melhoramentos, 1975

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 15. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002

GOMES, Nilma Lino. Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. In: Educação antirracista: caminhos abertos pela Lei Federal nº 10.639/03. Brasília: MEC/SECAD, 2005

GONÇALVES, Laiza Karine . A leitura do conto de fadas e o desenvolvimento do imaginário infantil. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Letras programa de pós-graduação em letras. 2009

LIBÂNEO, José Carlos. Didática e aprendizagem editora: CORTEZ 1994

LUCKESI, Cipriano Carlos. Educação, ludicidade e prevenção das neuroses futuras: uma proposta pedagógica a partir da Biossíntese. In: LUCKESI, Cipriano Carlos (Org.). Ludopedagogia: Educação e Ludicidade. Salvador: UFBA, Faculdade de Educação, Gepel, 2000.

MUNANGA, Kabengele. Uma abordagem conceitual das noções de raça, racismo, identidade e etnia. In: Seminário nacional relações raciais e educação Penesb. Rio de Janeiro, 2003

PEREIRA, Marcos Emanoel. Psicologia social dos estereótipos. São Paulo: E.P.U., 2002

SILVA, Ezequiel Theodoro da. Leitura na escola e na biblioteca. 4ª ed. –Campinas, São Paulo: Papirus, 1993

Downloads

Publicado

2020-12-31