Relações étnico-raciais e de gênero em debate nos Ateliês de Pesquisa: (re)invenções nas Práticas Pedagógicas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/odeere.v6i01.8581

Palavras-chave:

Relações étnico-raciais, Narrativas docentes, Práticas pedagógicas, Ateliês de Pesquisa, Educação Básica

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir os principais resultados apresentados pelas pesquisas “Relações étnico-raciais e de gênero no contexto das práticas pedagógicas: escrevivências e (re)invenções na educação básica” e a pesquisa “Ensino de História e Cultura Afro-brasileira, Africana e Identidade: desafios e implicações nas Práticas pedagógicas”[1]. Dialogamos com os métodos adotados nas pesquisas, a etnoescrevivência e a pesquisa ação colaborativa, tomando os Ateliês de Pesquisa (APs) como dispositivo de construção de dados e intervenção, que possibilitou a construção de um movimento (auto)formativo e coautoral, pautado na colaboração e na reflexão sobre a prática. As discussões teóricas dialogam principalmente com hooks (2017); Lima (2015); Pimenta (2005); Silva e Costa (2020) e outros/as autores/as. Os resultados apontaram que ao tomar como centralidade as narrativas da experiência docente e suas histórias de vida no entrelace do desenvolvimento profissional, os APs provocaram deslocamentos nos processos formativos com os temas raça e gênero, produzindo reflexão e alteração nas práticas pedagógicas. Demonstraram ainda, que não basta ser colaborador da pesquisa para que a cocriação e coautoria se estabeleçam, é fundamental que o ethos da confiança, a relação ética e horizontal seja construída ao longo do processo, haja vista que o modus operandi dos Ateliês de Pesquisa prima pela horizontalidade, invenção e experiência ancoradas no real do cotidiano escolar como propulsoras da produção do conhecimento pedagógico considerado como conhecimento científico do campo da docência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marleide Alves de Oliveira Medeiros, Secrataria da Educação do Estado da Bahia

Mestra em Educação e Diversidade-(MPED\UNEB). Especialista em Mídias na Educação (UESB), e em Métodos e Técnicas de Ensino (UNIVERSO). Licenciada em História pela (UNEB-Campus IV). Docente da educação básica, realiza estudos na área de educação com enfoque nos temas: formação docente e relações étnico raciais. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Diversidade, Discursos, Formação na Educação Básica e Superior- (DIFEBA/UNEB). E-mail: marleidemedeiros35@gmail.com

Vaneza Oliveira de Souza, Secrataria da Educação do Estado da Bahia

Mestra em Educação e Diversidade (MPED/UNEB). Especialista em Neuropedagogia e Psicanálise. Licenciada em Letras com Inglês pela (UNEB) e em Pedagogia (UNOPAR).  Pesquisadora do Grupo de Pesquisa (DIFEBA-UNEB) Membra do Coletivo Liberta Preta (UNEB, Seabra). Professora da Educação Básica e pesquisadora das relações étnico-raciais e de gênero.  E-mail: vanessas.rita@hotmail.com

Ana Lúcia Gomes da Silva, Universidade do Estado da Bahia

Doutora e Mestra em Educação pela (UFBA). Pós-doutora em Educação (UFTM). Professora titular do Departamento de Ciências Humanas da (UNEB), campus IV. Docente do Curso de Letras Vernáculas e do Programa de Pós-Graduação em Educação e Diversidade (PPED), UNEB. Líder do grupo de pesquisa Diversidade, Discursos, Formação na Educação Básica e Superior (DIFEBA/UNEB). Pesquisadora e orientadora de temas de pesquisa sobre formação de professores para/com a diversidade, relações de gênero e étnico-raciais.  E-mail: analucias12@gmail.com

 

Referências

ALVES, Nilda. Cultura e cotidiano escolar. Rev. Brasileira de Educação, n. 23, p. 62-74, 2003.

AKOTIRENE, Carla. O que é interseccionalidade. Belo Horizonte: Letramento, 2018.

CARVALHO, Graciele Mendes de. Imagens narrativas das práticas pedagógicas em perspectiva de gênero: tessituras cotidianistas. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação e Diversidade) – Universidade do Estado da Bahia. Conceição do Coité, p. 127. 2020.

COLLINS. Patrícia Hill. Pensamento feminista negro: conhecimento, consciência e a política do empoderamento. Tradução de Jamile Pinheiro Dias. São Paulo: Boitempo, 2019.

CRENSHAW, Kimberlé. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Estudos Feministas, n. 171, 2002a. Disponível em: www.scielo.br/pdf/ref/v10n1/11636.pdf. Acesso em: 20 abr. 2017.

CRUZ, Renata Saane de Souza. Gênero e formação docente: cartografias da prática pedagógica do professor de História em contextos de diversidade na Educação Básica de Jacobina-BA. Relatório. Jacobina. 2020. 35 p.

EVARISTO, Conceição. Literatura negra: uma poética de nossa afro-brasilidade. SCRIPTA, Belo Horizonte, v. 13, n. 25, p. 17-31, 2009.

FERREIRA, Daniele. Pedagogias feministas sertanejas: cartografias de práticas escolares. Texto de qualificação. (Mestrado Profissional em Educação e Diversidade) – Universidade do Estado da Bahia. Conceição do Coité, p. 75. 2020.

HOOKS, Bell. Ensinando a transgredir: A educação como prática da liberdade. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2017.

IVENICKI, Ana. Políticas Educacionais e Diversidade na Escola: Desafios da/na Diversidade, In: RIOS, Jane Adriana Vasconcelos Pacheco (Org.). Políticas, práticas e formação na educação básica. Salvador: EDUFBA, 2015. p.129-134.

LIMA. Maria Nazaré de Mota. Relações étnico-raciais na escola: o papel das linguagens. Salvador: EDUNEB, 2015.

MEDEIROS, Marleide Alves de Oliveira. Ensino de História e Cultura Afro-brasileira, Africana e Identidade: desafios e implicações nas Práticas pedagógicas. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação e Diversidade) – Universidade do Estado da Bahia. Jacobina, p. 193. 2018.

PIMENTA, Selma Garrido. Pesquisa-ação crítico-colaborativa: construindo seu significado a partir de experiências com a formação docente Universidade de São Paulo. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 521-539, set./dez. 2005.

PIRES, Tânia Cavalcante; MIRANDA, Carmélia Aparecida da Silva. Relações étnico-raciais: uma abordagem escolar. Interfaces Científicas - Humanas e Sociais, Aracaju, v. 4, ed. esp. Contextos da Cultura, p. 143-153, 2015.

RIOS, Ádina Nunes. Interseccionalidade no entrelace da surdez e sexualidade: o experimento das cartografias corporais na Educação Básica de Jacobina/Bahia. Relatório. Jacobina. 2020. 30 p.

RIOS, Ádina Nunes. A Educação Inclusiva na construção da identidade dos sujeitos surdos. Relatório. Jacobina. 2019. 42 p.

RIOS, Ádina Nunes; SILVA, Ana Lúcia Gomes da Silva. Educação inclusiva e surdez: desdobramentos do ateliê de pesquisa como dispositivo de construção de dados no contexto escolar. In: I Seminário Internacional Juventudes e Educação: cenários educacionais em tempos de reformas. 1., 2020, Juazeiro. Anais eletrônicos. Juazeiro: UNIVASF. 2020. p. 01-12. Disponível em: https://even3.blob.core.windows.net/anais/239709.pdf. Acesso em 26 mar. 2021.

SILVA, Ana Lúcia Gomes da. Ateliês de Pesquisa como método nas pesquisas implicadas com/na educação básica: sentidos propositivos dos estudos em educação e ensino de história. Salvador: 2021[prelo].

SILVA, Ana Lúcia Gomes da; COSTA, Váldina Gonçalves da. O método cartográfico na pesquisa em educação: ateliê de pesquisa como dispositivo formativo. In: SILVA, Ana Lúcia Gomes da. et. al. (Orgs.). Ateliês de Pesquisa: formação de professores(as)-pesquisadores(as) e métodos de pesquisa em educação. 1. ed. Salvador: Eduneb, 2020. p. 57-142.

SILVA, Ana Lúcia Gomes da; MEDEIROS, Marleide Alves Oliveira de. Ateliê de pesquisa na construção colaborativa do conhecimento. In: ARAÚJO, Raimundo Dutra de; ARAUJO, Francisco Antônio Machado. (Orgs.). Processos metodológicos na pesquisa em educação: dispositivos de produção e análise de dados em movimento. 1. ed. Parnaíba: Acadêmica Editorial, 2020. p. 123-140.

SILVA, Ana Lúcia Gomes da; SÁ, Maria Roseli Gomes de Brito. Mestrado profissional: cenários e singularidades em intervenções na educação. Plurais Revista Multidisciplinar. Salvador, v. 1, n. 1, p. 59-71, jan./abr. 2016. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/plurais/article/view/2302/1606. Acesso em 27 mar. 2021.

SILVA, Fernando Macedo da. Práticas pedagógicas em contextos de diversidade na educação básica de Jacobina – BA: interseccionalidade e recursos multimídia. Relatório. Jacobina. 2019. 25 p.

SILVA, Fernando Macedo da. Educação Sexual na Educação Básica: formação em exercício, práticas pedagógicas em contextos de diversidades. Relatório. Jacobina. 2017. 19 p.

SOUZA, Vaneza Oliveira de. Relações étnico-raciais e de gênero no contexto das práticas pedagógicas: escrevivências e (re)invenções na educação básica. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação e Diversidade) – Universidade do Estado da Bahia. Jacobina, p. 239. 2020.

SOUZA, Vaneza Oliveira de; MIRANDA, Carmélia Aparecida da Silva; SILVA, Ana Lúcia Gomes da. Escrevivências e movimentos (auto)formativos na pesquisa por uma educação antirracista. Revell Revista de Estudos Literários da UEMS, v. 1, n. 24, 2020.

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

Medeiros, M. A. de O., de Souza, V. O., & da Silva, A. L. G. (2021). Relações étnico-raciais e de gênero em debate nos Ateliês de Pesquisa: (re)invenções nas Práticas Pedagógicas. ODEERE, 6(01), 311-341. https://doi.org/10.22481/odeere.v6i01.8581