Tempos sombrios entre nós: proposta de aula e de atividade para o ensino de História através da distopia

Autores

  • Gabriel Henrique de Oliveira Furlanetto Universidade da Região de Joinville
  • Wilson de Oliveira Neto Universidade da Região de Joinville

DOI:

https://doi.org/10.22481/riduesb.v7i1.10565

Palavras-chave:

Distopia, Ensino de História, Imaginário social, Século XIX, Século XX, Pibid

Resumo

A primeira metade do século XX se caracteriza por ser um dos períodos mais tenebrosos da História, pelo motivo de o Crash de 1929, a Primeira e Segunda Grande Guerra configurarem grandes decadências. Dado o grande sofrimento desse período, uma das consequências foi a ascensão do gênero literário de distopia, que se trata de inculcar no futuro o pessimismo humano. Por essa questão, esse artigo visa demostrar, através de revisão bibliográfica, como as obras dessa literatura podem servir para o ensino de História através da temática referente aos sofrimentos da primeira metade do século XX, na proposição de uma aula temática para o Novo Ensino Médio e de uma atividade didática utilizando dois exemplos de obras literárias. Nesse assunto, será dissertado sobre o imaginário social do século XIX para que se possa compreender a grande ruptura de experiências europeias entre os oitocentistas e os novecentistas. As informações desse artigo, que foram possibilitadas através dos incentivos do Pibid e experiências de um bolsista, poderão servir para aulas e atividades avaliativas. Dessa forma, será observado como a distopia e a incorporação imaginativa dessa em sala de aula poderá colaborar para o aprendizado de História e para com a prática do criticismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Henrique de Oliveira Furlanetto, Universidade da Região de Joinville

Acadêmico de Licenciatura em História da Universidade da Região de Joinville (Univille).

Wilson de Oliveira Neto, Universidade da Região de Joinville

Professor da Universidade da Região de Joinville (Univille). Possui doutorado em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mestrado em Patrimônio Cultural e Sociedade e graduação em História pela Universidade da Região de Joinville (Univille).

Referências

AZEVEDO, Taiana Teixeira. A utopia e 1984: e evolução do gênero utópico sob a perspectiva das análises extrínsecas e intrínsecas. Revista e-scrita, v. 7, n. 3, p. 1-16, 2016. Disponível em: https://abre.ai/d4Dz. Acesso em: 03 mar.2022.

BRADBURY, Ray. Fahrenheit 451: a temperatura em que o papel do livro pega fogo e queima. 4. ed. Rio de Janeiro: Biblioteca Azul, 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

DILLMANN, Mauro. Fazer histórico pós-moderno como atividade ética e filosófica diante de múltiplos passados. Revista Territórios e Fronteiras, v. 12, n. 1, p. 381-385, 2019. Disponível em: encurtador.com.br/CEMNR. Acesso em: 22 jun. 2022.

FABRETTI, Fernando Tadeu Ginez. Postais futuristas de 1900 mostram como seria a Alemanha hoje. MegaCurioso, 2018. Disponível em: https://abre.ai/d4DB. Acesso em: 03 fev. 2022.

FRYE, Northrop. A imaginação educada. Campinas: Vide Editorial, 2017.

GALLO, Renata Altenfelder Garcia. Distopia e modernidade: o pessimismo tem seu lugar. Cerrados, n. 52, p. 85-107, 2020. Disponível em: encurtador.com.br/dgtu2. Acesso em: 11 fev. 2022.

HOBSBAWM, Eric J. A era das revoluções, 1789-1848. 36. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.

HOBSBAWM, Eric J. A era do capital, 1848-1875. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

HOBSBAWM, Eric J. A era dos impérios. 6. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

KERSHAW, Ian. De volta do inferno: Europa, 1914-1948. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

MATTOS, Maria de Fatima da Silva Costa Garcia de. O sentido da Modernidade no imaginário do século XIX. dObra[s], v. 3, n. 6, p. 906-103, 2009. Disponível em: https://abre.ai/d4DE. Acesso em: 03 mar.2022.

MORAES, Dênis de. Notas sobre imaginário social e hegemonia cultural. Revista Contracampo - Brazilian Journal of Communication, n. 1, p. 93-104, 1997. Disponível em: encurtador.com.br/qHPQZ. Acesso em: 01 fev.2022.

NAPOLITANO, Marcos. História contemporânea 2: do entreguerras à nova ordem mundial. São Paulo: Contexto, 2020.

ORWELL, George. 1984. São Paulo: LeYa Brasil, 2021.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Em Busca de uma Outra História: Imaginando o Imaginário. Revista Brasileira de História, v. 15, n. 29, p. 9-27, 1995.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História & Literatura: uma velha-nova história. Débats, 2006. Disponível em: encurtador.com.br/oHKNU. Acesso em: 30 jun. 2022.

SERBENA, Carlos Augusto. Imaginário, ideologia e representação social. Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas, v. 4, n. 52, p. 1-12, 2003. Disponível em: https://abre.ai/d4DG. Acesso em: 03 mar. 2022.

TALONE, Vittorio da Gamma. Distopias presentes, passadas e futuras: os monstros da sociedade. Sociologias, v. 20, n. 49, p. 368-380, 2018. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/sociologias/article/view/80251. Acesso em: 02 mar. 2022.

VAHL, Mônica Maciel; VASCONCELLOS, Marciele Agosta de. Mentalidades e Imaginário: (des)continuidades. Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas, v. 15, n. 106, p. 221-234, 2014. Disponível em: https://abre.ai/d4DJ. Acesso em: 03 mar. 2022.

ZECHLINSKI, Beatriz Polidori. História e Literatura: uma proposta interdisciplinar de ensino. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 26., 2011, São Paulo. Anais [...] São Paulo: Associação Nacional de História, 2011. Disponível em: encurtador.com.br/deuL6. Acesso em: 29 jun, 2022.

ZUIN, João Carlos Soares. A crise da modernidade no início do século XX. Revista Estudos de Sociologia, v. 6, n. 11, p. 67-90, 2007. Disponível em: https://abre.ai/d4DK. Acesso em: 03 mar. 2022.

Downloads

Publicado

2022-07-10

Como Citar

Furlanetto, G. H. de O., & Oliveira Neto, W. de. (2022). Tempos sombrios entre nós: proposta de aula e de atividade para o ensino de História através da distopia. Revista De Iniciação à Docência, 7(1), 189-208. https://doi.org/10.22481/riduesb.v7i1.10565