Tensões e resistências: análise da abordagem de corpo, gênero e sexualidade nas aulas de ciências

Autores

  • Iorana Raiane Costa Batista Universidade Estadual da Paraíba/Graduanda
  • Valdecy Margarida da Silva

DOI:

https://doi.org/10.22481/riduesb.v7i1.10699

Palavras-chave:

Ensino de Ciências, Educação sexual, Sexualidade, Formação de professores

Resumo

As relações de gênero e diversidades sexuais sempre fizeram parte das práticas e discursos no contexto escolar, mesmo silenciadas nesses espaços. Devido a urgência emergida acerca dessa temática, nos propusemos analisar os atravessamentos entre a abordagem de gênero, corpo e sexualidade e o ensino de Ciências, identificando quais tipos de discursos são propagados pelos/as professores/as. O presente estudo é resultado de um Trabalho de Conclusão de Curso, de caráter exploratório e qualitativo, desenvolvido com sete professores/as de Ciências da rede pública e privada da cidade de Campina Grande - PB, do período de janeiro a fevereiro de 2022, por meio de um questionário online. A pesquisa está fundamentada em estudos pós-estruturais. Identificamos que se repercute uma abordagem biologicista nas salas de aula referentes as temáticas de sexualidade e gênero, tendo como principais desafios questões de preconceito, de cunho polêmico ou constrangedor. Concluímos que não só o exercício docente, mas também os cursos de licenciatura em Ciências Biológicas, necessitam considerar as dimensões históricas, sociais e culturais da sexualidade e relações de gênero, renovando-se e transformando-se.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BANDEIRA, Lourdes Maria. Feminismo: memória e história. In: SALAES, Celecina de Maria Veras et al. (Orgs.). Feminismo: memória e história. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2000.

BOHNENBERGER, Marina; BUENO, Samira. Os registros de violência sexual durante a pandemia de covid-19. Anuário Brasileiro de Segurança Pública. São Paulo, 2020. Disponível em: https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2021/07/7-os-registros-de-violencia-sexual-durante-a-pandemia-de-covid-19.pdf. Acesso em: 04 mar 2022.

BORTOLINI, Alexandre; MOSTAFA, Maria; COLBERT, Melissa; MICALHO, Pedro Paulo; POLATO, Roney; PINHEIRO, Thiago Félix. Trabalhando Diversidade Sexual e de Gênero na Escola: Currículo e Prática Pedagógica. 1. Ed. Instituto de Psicologia da UFRJ. Rio de Janeiro, 2014.

BRAGA, Eliane Rose Maio. Gênero, sexualidade e educação: questões pertinentes à Pedagogia. In: CARVALHO, Elma Júlia Gonçalves de. FAUSTINO, Rosângela Célia.(Orgs.). Educação e Diversidade Cultural. Maringá: Eduem, 2010, p. 209-221.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Base Nacional Comum Curricular. Brasília. 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em 16 jun. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997. p. 13-15. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01.pdf. Acesso em: 20 abr. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Departamento passa a utilizar nomenclatura "IST" no lugar de "DST". Brasília: Ministério da Saúde. 17 nov 2016. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/noticias/departamento-passa-utilizar-nomenclatura-ist-no-lugar-de-dst. Acesso em: 13 jun 2021.

CARVALHO, Elis. Professores são os que mais denunciam violência sexual contra crianças. A Gazeta, Grande Vitória, s/p, 26 nov. 2018. Disponível em: https://www.gazetaonline.com.br/noticias/cidades/2018/11/professores-sao-os-que-mais-denunciam-violencia-sexual-contra-criancas-1014157345.html. Acesso em: 03 mar. 2022.

CARVALHO, Marcello. Família denuncia preconceito contra aluno de 11 anos após sugestão de trabalho com tema LGBT em grupo da escola. G1. Campinas, 13 jun. 2021. Disponível em: https://g1.globo.com/sp/campinas.regiao/noticia/2021/06/13/familia-denuncia-preconceito-contra-aluno-de-11-anos-apos-sugestao-de-trabalho-com-tema-lgbt-em-grupo-da-escola.ghtml. Acesso em: 13 jun. 2021.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 27 ed. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1987. p.288.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade I: A Vontade de Saber. 13 ed. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e José Augusto Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro: Edições Graal. 1988.

FURLANI, Jimena. Educação Sexual: possibilidades didáticas. In.: LOURO, Guacira Lopes; FELIPE, Jane; GOELLNER, Silvana Vilodre (Orgs.). Corpo, gênero e sexualidade: Um debate contemporâneo na educação. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2013. p.67-82.

GIL, Antonio Carlos. Método e Técnicas de Pesquisa Social. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2011.

LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2018.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 16 ed. Petrópolis: Vozes, 2014. p.184.

LOURO, Guacira L. Sexualidade: lições da escola. In.: MEYER, Dagmar Estermann (Orgs.). Saúde e Sexualidade na escola. Porto Alegre: Mediação, (Cadernos Educação Básica 4). 1998. p. 85- 96.

MARTIN, Selma Alves de Freitas. Educação Sexual na Escola: concepções e práticas de professores. 2010. 180 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia, 2010. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/92237>. Acesso em: 03 mar 2022.

MEYER, Dagmar Estermann. Gênero e educação: teoria e política. In: LOURO, Guacira Lopes; FELIPE, Jane; GOELLNER, Silvana Vilodre (Orgs.). Corpo, gênero e sexualidade: Um debate contemporâneo na educação. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2013. p. 11-29.

MINAYO, Maria Cecília de Sousa (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2001.

MOIZÉS, Julieta Seixas; BUENO, Sonia Maria Villela. Compreensão sobre sexualidade e sexo nas escolas segundo professores do ensino fundamental. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 44, n. 1, p. 205-212, 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reeusp/a/BJ3BDnLmv6mdcKGvgtyGSWt/abstract/?lang=pt Acesso em: 03 mar 2022.

PEDRO, Joana Maria. Traduzindo o debate: o uso da categoria gênero na pesquisa histórica. São Paulo: História, v. 24, n. 1. 2005. p. 77-98. DOI https://doi.org/10.1590/S0101-90742005000100004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/his/a/fhHv5BQ6tvXs9X4P3fR4rtr/abstract/?lang=pt. Acesso em: 23 abr 2021.

QUAGLIA, Isabela; PALMIERI, Adriane De Oliveira Chaves; VELHO, Ana Paula Machado; & NAGEL, Lizia Helena. Sexualidade Nos Projetos Políticos-Pedagógicos das Escolas Municipais de Maringá. In VIII EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar, Maringá, PR. 2013. Disponível em: http://www.cesumar.br/prppge/pesquisa/epcc2013/oit_mostra/Isabela_Quaglia.pdf. Acesso em: 03 mar 2022.

REIS, Edmilson Andrade. Sexualidade, gênero e diversidades no contexto de formação inicial de professores na Universidade Federal do Tocantins. 2020. 135 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Geografia) – Universidade Federal do Tocantins. Programa de Pós-Graduação em Geografia, Porto Nacional, 2020.

REIS, Neilton do; PINHO, Raquel. Gêneros não-binários: Identidades, expressões e educação. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 24, n. 1. 2016. p. 7-25. DOI http://dx.doi.org/10.17058/rea.v24i1.7045. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/302066200_GENEROS_NAO-BINARIOS_IDENTIDADES_EXPRESSOES_E_EDUCACAO. Acesso em: 16 jun 2021.

RIOS, Roger Raupp. O conceito de homofobia na perspectiva dos direitos humanos e no contexto dos estudos sobre preconceito e discriminação. In: POCAHY, Fernando (Org.). Rompendo o silêncio: homofobia e heterossexismo na sociedade contemporânea. Políticas, teoria e atuação. Porto Alegre: Nuances, 2007.

SEFFNER, Fernando. Tem nexo não falar sobre sexo na escola? Revista Textual, Porto Alegre, 25 ed. v 1. 2017. p. 22-29. Disponível em: https://issuu.com/sinprors/docs/textual_maio_2017_completa_web. Acesso em: 20 abr 2021.

TRIVELATO, Silvia. Que corpo/ser humano habita nossas escolas? In: MARANDINO, Martha; et al. (Org.). Ensino de Biologia: conhecimentos e valores em disputa. Niterói: EdUFF, 2005. p.121-129.

VALADARES, João. Escola em PE promove discurso homofóbico contra propaganda LGBTQIA+ do Burger King com crianças. Folha de São Paulo, São Paulo. 28 jun. 2021. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2021/06/escola-em-pe-promove-discurso-homofobico-contra-propaganda-lgbtqia-do-burguer-king-com-criancas.shtml>. Acesso em: 16 jun. 2021.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Projeto político-pedagógico: continuidade ou transgressão para acertar? In: CASTANHO, M.E.L.M.; CASTANHO, S. (Org.). O que há de novo na educação superior: do projeto pedagógico à prática transformadora. Campinas: Papirus, 2000.

Downloads

Publicado

2022-07-10

Como Citar

Batista, I. R. C., & Silva, V. M. da. (2022). Tensões e resistências: análise da abordagem de corpo, gênero e sexualidade nas aulas de ciências. Revista De Iniciação à Docência, 7(1), 170-188. https://doi.org/10.22481/riduesb.v7i1.10699