AFRICANIDADES BRASILEIRAS EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE SALVADOR - BA: vamos dialogar com as nossas crianças?

  • Eduardo Oliveira Miranda Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Quecia Silva Damascena

Resumo

Abordar a lei 10.639/03 no espaço escolar se configura como questão central nesta produção textual. Para tal, apresentamos ao leitor um relato de experiência que ocorreu em uma escola pública, com uma turma de 4° ano do Ensino Fundamental I, precisamente no bairro do Pau Miúdo, Salvador, Bahia. Realizamos uma série de atividades pedagógicas com intencionalidades bem demarcadas em relação aspectos étnicos raciais e, sobretudo, saber o que pensam as crianças acerca destas questões. Para compreender os dados produzidos, recorremos aos pesquisadores Munanga (2012), Gomes (2003), Silva (1995), entre outros. Acreditamos, mesmo antes desta prática, que a ancestralidade africana e afrobrasileira precisa ser inserida nos currículos da Educação Básica como estratégia de realimentar as alteridades produtoras do chão da escola.


Palavras-chave: Africanidades. Identidades. Ancestralidade.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Referências

Lei no. 10.639 de 20 de janeiro de 2003. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm > Consultado em 10/12/2016.
GOMES, Nilma Lino. Educação, identidade negra e formação de professores/as:um olhar sobre o corpo negro e o cabelo crespo. Educação e pesquisa, São Paulo, v29, n1, p.167-182, jan. /Jun, 2003
GOMES, Nilma Lino. Educação e identidade negra. Aletria: alteridades em questão. Belo Horizonte, MG, v. 06, n.09, dez/2002, p. 38-47.
MACEDO, R. S. Etnopesquisa crítica, etnopesquisa-forrnação. 2. ed. Brasília, DF: Liber Livro, 2010.
MUNANGA, Kabengele. Negritude: usos e sentidos. São Paulo: Ática, 1986.
MUNANGA, Kabengele Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. 2 ed. Belo Horizonte: Autentica, 2006.
MUNANGA, Kabengele (org.). Superando o racismo na escola. 2 ed. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.
MUNANGA, Kabengele. Uma Abordagem Conceitual das Noções de Raça, Racismo, Identidade e Etnia IN: BRANDÃO, André Augusto P. Programa de Educação Sobre o Negro na Sociedade Brasileira, Ed. EDUFF, Rio de Janeiro, 2004.
MUNANGA, Kabengele. A educação colabora para a perpetuação do racismo. Revista Carta Capital. São Paulo, dez/ 2012.
NASCIMENTO, Elisa Larkin. Sankofa: Educação e Identidade Afrodescendente. IN: CAVALLEIRO, Eliane (org.). Racismo e anti-racismo da escola: repensando nossa escola. São Paulo: Selo Negro, 2001.
OLIVEIRA, Eduardo David de. Filosofia da ancestralidade como filosofia africana: Educação e cultura afro-brasileira. Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação. Número 18: maio-out/2012, p. 28-47.
SANTANA, Marise de. O Legado Ancestral Africano na Diáspora e o Trabalho Docente: desfricanizando para cristianizar. 150 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais). PUC, São Paulo, 2004.
SILVA, Petronílha Beatriz. Aprendizagem e Ensino das Africanidades Brasileiras. IN: MUNANGA, Kabengele (org.). Superando o racismo na escola. 2 ed. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.
SILVA, Petronílha (Relatora). Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais. Brasília – DF: Conselho Nacional de Educação, 2004.
Publicado
2019-06-30
Como Citar
MIRANDA, Eduardo Oliveira; DAMASCENA, Quecia Silva. AFRICANIDADES BRASILEIRAS EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE SALVADOR - BA: vamos dialogar com as nossas crianças?. ODEERE - Revista do Programa de Pós-Graduação em Relações Étnicas e Contemporaneidade, [S.l.], v. 4, n. 7, p. 180-198, jun. 2019. ISSN 2525-4715. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/odeere/article/view/4303>. Acesso em: 15 out. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/odeere.v4i7.4303.