Mercedes Baptista na educação infantil: relato de experiência de implementação da Lei n. 10.639/03 na Educação Infantil

  • Ananda da Luz Ferriera Programa de Pós Graduação em Ensino e Relações Étnico-Raciais da Universidade Federal do Sul da Bahia - PPGER/UFSB
  • Jaqueline da Luz Ferreira Instituto Escolhas

Resumo

No relato de experiência será apresentada uma reflexão sobre prática pedagógica realizada em uma instituição de Educação Infantil da zona norte do município do Rio de Janeiro. A ação pedagógica se inspirou na biografia da bailarina Mercedes Baptista que dialogou de forma interdisciplinar e lúdica com a cultura e história afro-brasileira, buscando promover uma educação antirracista na primeira infância colocando em prática Lei n. 10.639/03.


Palavras-chave: Educação Infantil, Lei n. 10.639/03, Mercedes Baptista.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRAMOWICZ, Anete. Prólogo. In: ABRAMOWICZ, Anete e VANDENBROECK, Michel (orgs). Educação Infantil e Diferença. Campinas, SP: Papirus, 2013.
ANTUNES, Celso. Educação Infantil: prioridade imprescindível. 8ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.
, Projeto e práticas pedagógicas na Educação Infantil. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.
BRASIL. Lei nº. 10.639 de 09 de janeiro de 2003. Inclui a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira” no currículo oficial da rede de ensino. Diário Oficial da União, Brasília, 2003.
. Lei nº. 11.645 de 10 de março de 2008. Inclui a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Africana, Afro-Brasileira e Indígena” no currículo oficial da rede de ensino. Diário Oficial da União, Brasília, 2008.
. LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional/ Lei n. 9394, de 20/12/1996. Diário Oficial da União, Brasília, 23 dez. 1996.
CANEN, Ana. A educação brasileira e o currículo a partir de um olhar multircultural: algumas tendências e perspectivas. BARROS, José Flávio Pessoa de e OLIVEIRA, Luiz Fernandes de (orgs). In: Todas as Cores na Educação: contribuições para uma reeducação das relações étino-raciais no ensino básico. Rio de Janeiro: Quartet: FAPERJ, 2008.
CAVALLEIRO, Eliane. Do Silêncio do Lar ao Silêncio Escolar: Racismo, Preconceito e Discriminação na Educação Infantil. 6ed. São Paulo: Contexto, 2017.
. Educação Anti-Racista: compromisso indispensável para um mundo melhor. In: CAVALLEIRO, Eliane (org). Racismo e anti-racismo na educação: repensando nossa educação. 6ed. São Paulo: Selo Negro, 2001.
CEERT. Educação infantil e práticas promotoras de igualdade racial [coordenação geral Hédio Silva Jr., Maria Aparecida Silva Bento, Silvia Pereira de Carvalho]. São Paulo: Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades: Instituto Avisa lá - Formação Continuada de Educadores, 2012.
CRIOLO. Diferenças, Tabu Brasil. In: http://terradegigantes65.blogspot.com.br/2012/11/diferencas-criolo-faz-musica- para.html.
FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 11ª Edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.
. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1997.
LUCENA, Francisco Carlos e LIMA, Jorge dos Santos. Ser Negro: Um Estudo de Caso Sobre “Identidade Negra”. Saberes, Natal – RN, vol.01, nº2, mai2009, p.33-51.
OLIVA, Anderson Ribeiro. A história africana nos cursos de formação de professores. Panorama, perspectivas e experiências. Estudos Afro-Asiáticos, Rio de Janeiro, UCAM, nº 1-2-3, ano 28, jan-dez 2006.
PESAVENTO, Sandra Jatahy Pesavento. História & História Cultural. 3ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.
MEC/SECAD. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília: MEC/SECAD, 2004.
. Plano Nacional de Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das Relações Etnicorraciais e para o Ensino de História e Cultura Afrobrasileira e Africana. Brasília: MEC/SECAD, 2013.
. Orientações e Ações para a Educação das Relações Étnico-Raciais. Brasília: SECAD, 2006.
SANTOS, Emilena Sousa dos. Intérpretes da dança de expressão negra: contextos da arte de estar em cena. Revista de C. Humanas, Viçosa, v. 14, n.1, p. 58-73, jan./jun. 2014. Acessado em agosto de 2018 In: http://www.cch.ufv.br/revista/pdfs/vol14/artigo5vol14-1.pdf.
SILVIA, Geranilde Costa e PETIT, Sandra Haydée. Literatiura Africana e Afrodescendente Junto a Crianças de Escolas Públicas: uma experiência de pesquisa. In: BARRETO, Maria Aparecida Santos Correa (org) Africanidade(s) e Afrodescendência(s): perspectivas para a formação de professores. Vitória, ES: EDUFES, 2012.
SILVA JUNIOR, Paulo Melgaço da. Mercedes Baptista: a criação da identidade negra na dança. Brasília: Fundação Cultural Palmares, 2007.
THIESEN, Juares da Silva. A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo ensino-aprendizagem. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro , v. 13, n. 39, p. 545- 554, dez. 2008 . Disponível em: . acessos em 10 out. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782008000300010.
SME-RJ. Orientações curriculares para educação infantil. Gerência de Educação Infantil, Secretaria de Educação do Município do Rio de Janeiro: 2010.
WINTER, Jonah. Josephine na Era do Jazz. São Paulo: Martins Fontes, 2013.
Publicado
2019-06-30
Como Citar
FERRIERA, Ananda da Luz; FERREIRA, Jaqueline da Luz. Mercedes Baptista na educação infantil: relato de experiência de implementação da Lei n. 10.639/03 na Educação Infantil. ODEERE - Revista do Programa de Pós-Graduação em Relações Étnicas e Contemporaneidade, [S.l.], v. 4, n. 7, p. 270-282, jun. 2019. ISSN 2525-4715. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/odeere/article/view/4318>. Acesso em: 15 out. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/odeere.v4i7.4318.