Notas acerca da eduação escolar quilombola no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/poliges.v2i1.8211

Palavras-chave:

Capitalismo, Sociedade Brasileira, Educação Quilombola

Resumo

Este artigo é fruto de uma pesquisa realizada no âmbito da especialização em Políticas Públicas e Gestão Educacional pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Objetivou apresentar uma breve discussão acerca das implicações do capitalismo na educação quilombola na sociedade brasileira. Neste estudo fizemos uso do método denominado de Materialismo Histórico Dialético de Karl Marx, para quem a sociedade brasileira é capitalista e esse sistema é produtor de contradições e de desigualdades sociais. A Educação Escolar Quilombola, apesar da sua imensa importância para atender comunidades remanescentes, povo historicamente excluído e desassistido, nem sempre é contemplada pois as políticas implementadas têm favorecido os interesses do capital. Para ser possível uma Educação Escolar Quilombola comprometida com as lutas dos remanescentes quilombolas, além de intensificar a busca por cidadania, é preciso que os(as) educadores(as) estejam interessados(as) em construir novas posturas e práticas pedagógicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vangéria Teixeira Kunhavalik, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Especialista em História e Humanidades (UEM). Especialista em Políticas Públicas e Gestão Educacional (UESB). Graduação em Pedagogia (UESB).

Arlete Ramos dos Santos, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Doutora em Educação (UFMG), Pós-doutorado em Educação e Movimentos Sociais pela UNESP; Professora Titular do DCHEL/UESB; Profa. do PPGED/UESB e do PPGE/UESC –Brasil. Email: arlerp@hotmail.com 

Referências

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo estrutural – São Paulo: Sueli Carneiro; Polén, 2019.

AUGUSTO, André Guimarães. Ontologia e crítica: o método em Marx. Econômica, UFF Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 131-142, dezembro 1999.

BARROSO, João. Educ. Soc., Campinas, vol. 26, n. 92, p. 725-751. Especial - Out. 2005 725. Disponível em <http://www.cedes.unicamp.br>

BRASIL. Lei nº 10.639/03. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnicas- Raciais e para o ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, 2003.

______. Lei nº 11.645/08. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira Africana e Indígena. Brasília, 2008.

______. Conferência Nacional de Educação (CONAE). Documento final. Brasília: MEC, SEA, 2010.

______. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília (DF).

______. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola, publicado no D.O.U. de 20/11/2012.

______. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica/ Ministério da Educação. Secretária de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. – Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

CARVALHO, Edmilson. A Produção Dialética do Conhecimento. Maceió: Coletivo Veredas, 2017.

CHAUÍ, Marilera. Brasil, Mito Fundador e Sociedade Autoritária. 4. ed. São Paulo: Fundação: Perseu Abramo, 2001.

COSTA, Emília Viotti da. Da Monarquia à República: momentos decisivos.7ª edição. São Paulo: Fundação Editora da Unesp, 1999.

D’ INÇÃO, Maria Ângela. Ideologia Esquecimento: aspectos negados da memória social Brasileira. Edição Letras à Margem. Editora: Maria Ângela D’ Inção. São Paulo, 2010.

FERNANDES, Florestan. O Negro no Mundo dos Brancos. 2. ed. São Paulo: Global Editora, 2007.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários a prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

______, Paulo. Educação como prática da liberdade. 23ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

GENTILLI, P e SILVA, T.T da (orgs) escola S.A – Quem ganha e quem perde no mercado educacional do neoliberalismo. Brasília: editora CNTE, 1996.

GOMES, Flávio dos Santos. Mocambos e Quilombos: Uma História do campesinato negro no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

GOMES, Nilma Lino. Educação das Relações Raciais: Refletindo sobre algumas estratégias de atuação. In: MUNANGA, Kabengele (Org.). Superando o Racismo na escola. 2ª edição. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.

IANNI, Octávio. A Construção da Categoria. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, número especial, p. 397-416, abril, 2011.

______, Octávio. In: Karl Marx: Sociologia. Organizador [da coletânea] IANNI, Octávio. São Paulo: Ática, 1980.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos: inquietações e buscas. Educar, Curitiba, n. 17, p. 153-176. 2001. Editora da UFPR. Acesso em: Acesso em: 10 de outubro de 2020.

MARX, Karl. Manuscritos Econômico-Filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2010.

MÉSZÁROS, Istvan. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. São Paulo: Boitempo, 2011.

¬__________, Istvan. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2008.

MUNANGA, Kabengele. Origem e histórico do quilombo na África. Revista USP – São Paulo (28): 56 – 63, dezembro / fevereiro, 95 / 96.

NOGUEIRA, Juliana Keller. FELIPE, Delton Aparecido. TERUYA Teresa Kazuko. Conceitos de gênero, etnia e raça: reflexões sobre a diversidade cultural na educação escolar. Educação escolar, formação de professores, diversidade cultura. ST 1 - A questão racial no Brasil e as relações de gênero. UEM. Florianópolis, 25 a 28 de agosto de 2008.

OLIVEIRA, Niltânia Brito. A política da educação escolar quilombola no município de Vitória da Conquista/Bahia, período 2012 a 2017. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação) Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores para Educação Básica – (PPGE/UESC), Universidades Estadual de Santa Cruz, ILHÉUS/BAHIA, 2018.

PERONI, Vera. CAETANO Maria Raquel. LIMA, de Paula. Reformas educacionais de hoje: as implicações para a democracia. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 11, n. 21, p. 415-432, jul./dez. 2017. Disponível em:

RANCIÈRE, Jacques. O ódio à democracia. São Paulo: Boitempo, 2014.

SANTOS, Arlete Ramos dos. Aliança (neo) desenvolvimentista e decadência ideológica no campo: Os movimentos sociais e a reforma agrária do consenso. Curitiba: CRV. 2016.

¬¬______. Arlete Ramos dos. Educação do Campo e Agronegócio: Território de Disputas. Educação em Revista, Marília, v.18, n.2, p. 71-90, Jul.-Dez., 2017.

SANT’ANA, Raquel Santos; SILVA, José Fernando Siqueira. O Método na Teoria Social de Marx: e o serviço social? Temporalis. Revista da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social – Pesquisa e Produção de Conhecimento em Serviço Social. Brasília (DF), ano 13, n. 25, p. 181-203, jan./jun. 2013

WOOD, Meiksins Ellen. Democracia Contra Capitalismo: a renovação do materialismo histórico. São Paulo: Editora Boitempo, 2003.

Downloads

Publicado

2021-05-11

Como Citar

KUNHAVALIK, V. T.; SANTOS, A. R. dos. Notas acerca da eduação escolar quilombola no Brasil. Revista de Políticas Públicas e Gestão Educacional (POLIGES), [S. l.], v. 2, n. 1, p. 88-105, 2021. DOI: 10.22481/poliges.v2i1.8211. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/poliges/article/view/8211. Acesso em: 20 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos