Gestão escolar, trabalho pedagógico e educação do campo: análise de um contexto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/poliges.v2i1.8516

Palavras-chave:

Educação do Campo. Gestão Escolar. Trabalho Pedagógico

Resumo

A Educação do Campo vem conquistando um lugar de destaque na agenda das políticas públicas, inaugurando um outro olhar sobre o campo. O Movimento Por uma Educação do Campo é fruto do acúmulo de diversas experiências políticas, educativas e pedagógicas construídas historicamente pelo conjunto de movimentos populares do Brasil. A Educação do Campo apresenta-se como um paradigma transformador da sociedade que visa à emancipação dos sujeitos, à superação das relações de trabalho excludentes e produção de uma existência humana digna. Desse modo, a epistemologia da Educação do Campo vai exigir a transformação da escola, principalmente quanto à Gestão da escola/democratização do espaço escolar. Nesse sentido, o presente texto tem como foco trazer reflexões sobre a gestão escolar no cotidiano das escolas do campo. Traz um recorte de pesquisas finalizadas e em andamento vinculadas ao Grupo de Pesquisa Observale, Grafho e ao Mestrado Profissional em Educação do Campo da UFRB.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Terciana Vidal Moura, Universidade Federal do Recôncavo Baiano

Doutora em Ciências da Educação pela Universidade do Minho, Graduada em Licenciatura em Pedagogia pela Universidade do Estado da Bahia-UNEB, Especialista em Metodologia do Ensino, Pesquisa e Extensão em Educação pela UNEB, Mestre em Educação e Contemporaneidade pela UNEB.

Juliane Queiróz Muniz Neri, Universidade Federal do Recôncavo Baiano

Mestranda do Mestrado Profissional em Educação do Campo da UFRB (PPGEDUCAMPO). Professora/Assistente de Classe do Sistema Municipal de Educação de Amargosa; integra o Grupo de Pesquisa Observale (UFRB).

Referências

BOLSON, Janaina Boniatti. As miríades possíveis do desempoderamento docente no cotidiano escolar. Trabalho apresentado no IX Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul (Anped Sul), 2012. Caxias do Sul-Rio Grande do Sul, Brasil. Disponível em: <http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/view/90/428.> Acesso em 20 de abril de 2017.

BRASIL. RESOLUÇÃO CNE/CEB 1, DE 3 DE ABRIL DE 2002. Institui Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Disponível em:<http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=1380 0-rceb001-02-pdf&Itemid=30192>. Acesso em: 10 nov. 2016.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 dez. 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 06 set. 2018.

CALDART, Roseli Salete. ELEMENTOS PARA CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO E PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO DO CAMPO. Revista Trabalho Necessário, v. 2, n. 2, 14 dez. 2004. Disponívem em: <https://periodicos.uff.br/trabalhonecessario/article/view/3644. Acesso em 15dejaneiro de 2020>.

LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira; TOSCHI, Mirza Seabra. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. 10ª ed. São Paulo: Cortez, 2012.

LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira; TOSCHI, Mirza Seabra. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. 6ª ed. São Paulo: Cortez, 2012.

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e Gestão da escola: Teoria e prática. 5. ed. Goiânia: Alternativa, 2004.

LIMA, Licínio Carlos. Concepções de escola: Por uma hermenêutica organizacional. In Lima, L. C. (Org.), Perspectivas de análise organizacional das escolas (pp. 15-57). Vila Nova de Gaia-Portugal: Fundação Manuel Leão,2010.

LIMA, Licínio Carlos. Organização Escolar e Democracia Radical: Paulo Freire e a governação democrática da escola pública. 2. ed. São Paulo: Cortez; Instituto Paulo Freire, 2002.

LIMA, Licínio Carlos. A escola como organização e a participação na organização escolar. 2. ed. Braga: Centro de Estudos em Educação e Psicologia, Universidade do Minho, 1998.

MARTINS, Fernando José. J. Gestão democrática da escola do campo. Trabalho apresentado no XXIV Simpósio Brasileiro de Política e Administração da Educação, 2009. Universidade Federal do Espírito Santo - UFES, Vitória-Espírito Santo, Brasil. Disponível em:< http://www.anpae.org.br/congressos_antigos/simposio2009/114.pdf.> Acesso em 24 de março de 2017.

MARTINS, José de Souza. Os camponeses e a política no Brasil. 3ª ed. Petrópolis: Vozes, 1986.

PARO, Vitor Henrique. Administração escolar: introdução crítica. 16. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, Arlete Ramos dos. Ocupar, Resistir e Produzir, também na Educação. O MSTe a burocracia estatal: Negação e Consenso. Jundiaí: Paco Editorial, 2013.

SILVA, Ilsen Chaves da. Escolas multisseriadas: quando o problema é a solução. 2008. Dissertação (Mestrado Acadêmico). Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Planalto Catarinense, Lages-SC, 2008.

SILVA, Maria Socorro. Da raiz à flor: produção pedagógica dos movimentos sociais e a escola do campo. In: MOLINA, M. C. (Org.). Educação do campo e pesquisa. Questões para reflexão. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2006. p. 60-93.

Downloads

Publicado

2021-05-11

Como Citar

MOURA, T. V. .; NERI, J. Q. M. Gestão escolar, trabalho pedagógico e educação do campo: análise de um contexto. Revista de Políticas Públicas e Gestão Educacional (POLIGES), [S. l.], v. 2, n. 1, p. 240-264, 2021. DOI: 10.22481/poliges.v2i1.8516. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/poliges/article/view/8516. Acesso em: 20 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos