Desvendando a História Interna do Morfema P« da Língua Tenetehára. (Revealing the Internal History of the Morpheme P« in Tenetehára.)

Resumo

O presente estudo apresenta uma proposta de reconstrução do estágio anterior ao momento a partir do qual o morfema que marca o modo gerúndio em Tenetehára - Tembé e Guajajára - se desenvolveu. Serão comparados dados atuais da língua com outros mais antigos, que registram estágios anteriores e permitem traçar a origem deste morfema. O estudo se fundamenta no método de reconstrução interna e na técnica de comparação documental de estágios distintos de uma mesma língua. Com este estudo pretendemos contribuir para o conhecimento de mudanças estruturais ocorridas em uma das línguas da família Tupí-Guaraní.
PALAVRAS-CHAVE: língua Tenetehára. Modo gerúndio. Mudança lingüística.

ABSTRACT
This paper deals with the reconstruction of an earlier stage of the Tenetehára language - Tembé and Guajajára - in which a gerund mood morpheme was developed. Earlier stages of this language are compared to current data, providing information on the origin of this morpheme. This study is based on internal reconstruction and on the technique of documental comparison of different stages of the same language. This paper is a contribution to the understanding of structural changes undergone by a Tupí-Guaraní language.
KEYWORDS: Tenetehára language. Gerund mood. Linguistic change.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Tabita Fernandes da Silva é Mestre em Lingüística pela Universidade Federal do Pará, onde desenvolveu pesquisa sobre a língua Ka'apór, família Tupí-Guaraní. Atualmente é aluna do Programa de Pós-Graduação em Lingüística, LIV, UnB, desenvolvendo junto ao Laboratório de Línguas Indígenas, IL, pesquisa em nível de Doutorado sobre o a gramática e a história da língua Tembé sob a orientação da Dra. Ana Suelly Arruda Câmara Cabral.

##submission.authorWithAffiliation##

Ana Suelly Arruda Câmara Cabral é Professora Adjunta do Departamento de Lingüística, Línguas Clássicas e Vernácula, UnB, atuando como pesquisadora, professora e orientadora de Graduação e Pós-Graduação junto ao Laboratório de Línguas Indígenas, IL, UnB. Autora de mais de 20 artigos publicados em revistas nacionais e internacionais, entre os quais: Fonologia da língua Zo’e; Observações sobre a história do morfema -a da família Tupí-Guaraní; A Posição do Akuntsú na Família Lingüística Tuparí; Flexão relacional na família Tupí-Guaraní; Contribuição aos estudos comparativos da família Tupí-Guaraní; Evidências morfológicas para a não-classificação genética do Kokáma. Co-organizadora de 11 livros publicados, entre os quais: Novos Estudos sobre Línguas Indígenas; Dicionário Asuriní do Tocantins – Português; Por uma educação indígena diferenciada; Mair ixo rahã yman keje. É também autora de 12 capítulos de livros, entre os quais: Sobre a História das Línguas Tupí-Guaraní Faladas no Tocantins; O desenvolvimento do gerúndio e do subjuntivo em Tupí-Guaraní; O desenvolvimento da marca de objeto de segunda pessoa plural em Tupí-Guaraní; Algumas observações sobre a história social da língua geral amazônica.

Referências

BOUDIN, M. H. Dicionário de Tupí-Moderno. São Paulo: Unesp/Presidente Prudente, 1996.
CABRAL, A. S. A.C. C.; CORRÊA DA SILVA, B. C.; JULIÃO, R.; MAGALHÃES, M. M. S. Linguistic diffusion in the Tocantins-Mearim area. Línguas e culturas dos povos Tupí. Brasília: Editora Dupligráfica. [s.p],
2006 (no prelo).
CABRAL, A. S. A.C.; RODRIGUES, A. D. O desenvolvimento do gerúndio e do subjuntivo em Tupí-Guaraní. In: RODRIGUES, A. D.; CABRAL, A. S. A. C. (Orgs.). Novos estudos sobre línguas indígenas. Brasília: UnB, p.47-58, 2005.
CARVALHO, M. G. P. Sinais de morte ou de vitalidade? Mudanças estruturais na Língua Tembé. 2001. 121f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Centro de Letras e Artes da Universidade Federal do Pará, Belém, 2001.
CASTRO, F. Aspectos fonológicos do Apãniekrá (Jê). 1999. 100f.
Dissertação (Mestrado em Lingüística). – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.
DUARTE, F. B. Análise gramatical das orações da língua Tembé. 1997. 85f. Dissertação (Mestrado em Lingüística.) – Instituto de Letras da Universidade de Brasília, Brasília, 1997.
HARRISON, C. H. Verb Proeminence, Verb Initialness, Ergativity and Typological Disharmony. in Guajajára. In: DERBCHIRE, D. C.; PULLUM, G. K. (Eds.) Handbook of Amazonian Languages. v. I. Berlim; New York; Amsterdam: Mouton de Gruyter, [s.p], 1986.
LEMLE, M. Internal classification of the Tupí-Guaraní linguistic family. In: BENDOR-SAMUEL, D. (Ed.) Tupí Studies I. Norman, Oklahoma: Summer Institute of Linguistics, p. 107-129, 1971.
RAMOS, R. S. Análise Fonológica Preliminar do Pykobyê. 2000. 83f. Dissertação (Mestrado em Lingüística) – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.
RODRIGUES A. D. Relações internas na família lingüística Tupí-Guaraní. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 27/28, p. 33-35, 1985.
RODRIGUES, A. D. Relações Internas na Família Lingüística Tupí-Guaraní. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 27, p. 33-53, 1985.
SOARES, M. F. A Perda da Nasalidade e outras Mutações Vocálicas em Kokama, Asurini e Guajajara. 1979. [s.f] Dissertação (Mestrado em Lingüística e Filologia), Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1979.
Publicado
2006-12-30
Como Citar
SILVA, Tabita Fernandes da; CABRAL, Ana Suelly Arruda Câmara. Desvendando a História Interna do Morfema P« da Língua Tenetehára. (Revealing the Internal History of the Morpheme P« in Tenetehára.). Estudos da Língua(gem), [S.l.], v. 4, n. 1, p. 77-86, dez. 2006. ISSN 1982-0534. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/1025>. Acesso em: 19 out. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/el.v4i1.1025.