Republicanismo: vitalidade de um conceito à luz das heranças da modernidade

Resumo

Recuperar a dimensão histórica da ideia de republicanismo torna-se, atualmente, uma necessária contribuição dos estudos históricos para a compreensão das tradições e dos elementos contemporâneos que estão envoltos neste conceito. Dimensionar a sua construção desde as repúblicas italianas, no Renascimento, passando pela Revolução Inglesa do século XVII até chegarmos às revoluções Americana e Francesa do século XVIII, com suas discussões centradas nas ideias de liberdade, virtude cívica e participação, permite-nos aquilatar, para além da formação do próprio conjunto de valores desse ideário, as disputas e apropriações que rondam este conceito na atualidade. Por meio da análise de escritos políticos clássicos da Modernidade inglesa e francesa e, à luz da presente historiografia sobre o tema, o presente artigo pretende adensar a reflexão sobre as heranças modernas das atuais apropriações do republicanismo como construto teórico e como prática política.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Professora de História do Colégio D. Pedro II-RJ. Doutora em Ciências da Educação pela Universidad Politécnica y Artística del Paraguay (UFAP). Mestre em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e Doutoranda em  História pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

##submission.authorWithAffiliation##

Professor da Universidade Vila Velha (UVV). Mestre em doutorando pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Publicado
2020-07-20
Como Citar
SCHEINER, Lívia Mauricio; SIMÕES, Rafael Cláudio. Republicanismo: vitalidade de um conceito à luz das heranças da modernidade. Politeia - História e Sociedade, [S.l.], v. 19, n. 1, p. 73-93, jul. 2020. ISSN 2236-8094. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/politeia/article/view/6708>. Acesso em: 09 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/politeia.v19i1.6708.