A dupla identificação das mulheres nos espaços de enunciação (Dual identity of women in spaces of enunciation)

Autores

  • Fernanda Surubi Fernandes Universidade do Estado do Mato Grosso (UNEMAT/Brasil) http://orcid.org/0000-0002-5537-999X
  • Neuza Zattar Universidade Estadual do Mato Grosso (UNEMAT/Brasil)
  • Olimpia Maluf-Souza Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT/Brasil)

DOI:

https://doi.org/10.22481/el.v11i2.5491

Palavras-chave:

Semântica do Acontecimento, Designação, Meretriz

Resumo

Este artigo analisa, na perspectiva da Semântica do Acontecimento de Eduardo Guimarães (2005), como se dá a constituição dos nomes atribuídos do lugar do meretrício e que predicam a imagem da mulher/meretriz, utilizando como material: registros policiais da década de 60 e 70, realizados na cidade de Cáceres-MT. Nesse espaço de enunciação, analisamos como ocorre a constituição dos sentidos de “vulgos” – os “nomes de guerra” – dessas mulheres, nomes pelos quais elas são identificadas no espaço do meretrício. Assim, buscamos compreender como se constitui sócio-historicamente a dupla identidade jurídica e social dessas mulheres em diferentes espaços de enunciação.
PALAVRAS-CHAVE: Semântica do Acontecimento; Designação; Meretriz.

ABSTRACT
This article aims at analyzing, following the view of the Event Semantics, proposed by Eduardo Guimarães (2005), how the designations given to places of prostitution occur. These designations predicate the image of woman/prostitute. For the analysis, we use as data: police records of the 60s and 70s held in the city of Cáceres-MT. In this space of enunciation, we analyze how the constitution of the meanings of "vulgos" - "professional names" - of these women occur, names by which they are identified in meretricious places. Thus, we intend to understand how the dual legal identity of these women develops in different spaces of enunciation.
KEYWORDS: Event Semantics; Designation; Prostitute.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Surubi Fernandes, Universidade do Estado do Mato Grosso (UNEMAT/Brasil)

Fernanda Surubi Fernandes é mestre e doutoranda em Linguística pela Universidade do Estado de Mato Grosso. Participa do projeto de extensão: "Análise de discurso: aspectos teóricos e práticos", do Departamento de Letras, e do Grupo de Estudos Marxiano (Gemarx) do Departamento de Direito, ambos da UNEMAT. É professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT). Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Análise de Discurso, atuando principalmente nos seguintes temas: registros policiais, discurso, imagem feminina, cidade e prostituição. Pesquisadora do Centro de Estudos e Pesquisa em Linguagem (CEPEL).

Neuza Zattar, Universidade Estadual do Mato Grosso (UNEMAT/Brasil)

Neuza Zattar é doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. É professora da Universidade Estadual do Mato Grosso – UNEMAT/Brasil. Atua como professora de graduação no curso de Letras e no Programa de Pós-Graduação em Linguística da UNEMAT. Tem experiência em Linguística na área da Semântica do Acontecimento, com as temáticas nomeação, designação e performatividade.

Olimpia Maluf-Souza, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT/Brasil)

Olimpia Maluf-Souza é doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. Atualmente é professora titular da Universidade do Estado de Mato Grosso, pesquisadora em grupo de pesquisa da Universidade Federal Fluminense, pesquisadora em grupo de pesquisa da Universidade Estadual de Campinas e ata da congregação do IEL/UNICAMP da Universidade Estadual de Campinas. Também é coordenadora do projeto de extensão: "Análise de discurso: aspectos teóricos e práticos", do Departamento de Letras; e colaboradora do "Grupo de Estudos Marxianos" (GEMARX), do Departamento de Ciências Jurídicas. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Análise do Discurso, atuando principalmente nos seguintes temas: análise do discurso, psicanálise, identidade, análise de discurso e subjetivação. Pesquisadora do Centro de Estudos e Pesquisa em Linguagem (CEPEL).

Referências

GUIMARÃES, Eduardo. Semântica do acontecimento: um estudo enunciativo da designação. 2. ed. Campinas, SP: Pontes, 2005.
GUIMARÃES, Eduardo; MOLLICA, Maria Cecília. (Org.). A palavra: forma e sentido. Campinas: Pontes Editores, RG Editores, 2007.
GUIMARÃES, Eduardo et al. Os falantes e as línguas: multilinguismo e o ensino. Trocando em miúdos a teoria e a prática. Linguagem e letramento em foco. Cefiel/IEL/Unicamp, 2008.
GUISARD, Luís Augusto de Mola. O bugre, um joão-ninguém: um personagem brasileiro. São Paulo Perspec., São Paulo , v. 13, n. 4, Dec. 1999. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-88391999000400010&script=sci_arttext#nt01a> Acesso em: 27/12/2010.
ORLANDI, Eni Puccinelli. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 6. ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2007.
ORLANDI, Eni Puccinelli. A linguagem em revista: a mulher-fêmea. In: A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. 5. ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2009, p. 39-58.
PAULA MACHADO, Carolina de. Os sentidos e o político: a designação da palavra preconceito na obra Casa Grande e Senzala. Anais do Seta, Número 4, 2010.
RAGO, L. Margareth. Do cabaré ao lar: a utopia da cidade disciplinar: Brasil 1890 -1930. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

Downloads

Publicado

2013-12-30

Como Citar

FERNANDES, F. S.; ZATTAR, N.; MALUF-SOUZA, O. A dupla identificação das mulheres nos espaços de enunciação (Dual identity of women in spaces of enunciation). Estudos da Língua(gem), [S. l.], v. 11, n. 2, p. 159-176, 2013. DOI: 10.22481/el.v11i2.5491. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/5491. Acesso em: 27 set. 2021.