As etnogêneses, os índios do Nordeste e a territorialidade dos povos Jê dos Sertões do Leste: o caso Pataxó do Extremo Sul da Bahia

  • Tamires Santos Pereira Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Resumo

No texto ora apresentado, procuramos para além da discussão sobre o território e a territorialidade Pataxó, desenvolver uma contextualização breve sobre os povos Jê dos Sertões e como estes grupos foram categorizados ao longo da história, um esforço que contribui para entendermos a dinâmica da conquista da região aqui estudada e de como os grupos indígenas, dentre eles os Pataxó, foram ao longo da história da colonização sendo representados, categorizados e submetidos à situação de territorialização, ao ponto de se organizarem e constituírem como etnia tal qual estudamos na atualidade, e, do mesmo modo, as mudanças ocorridas em seu território, os impactos da expansão das fronteiras, das Unidades de Conservação e do desenvolvimento das cidades ao longo do século XX e especialmente na segunda metade deste.


Palavras-chave: Etnogênese, Territorialidade, Sertões do Leste, Pataxó.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a propagação do nacionalismo. Lisboa, Edições 70, 2005.

BATISTA, Maria Geovanda. Nos rizomas da alegria vamos todos Hãmiyá: as múltiplas relações entre o corpo e o território no imaginário sociocultural Pataxó. Dissertação (Mestrado). UQAC/UNEB, Chicoutimi/Salvador, 2004.

BARTOLOMÉ, Miguel Alberto. As etnogêneses: velhos atores e novos papéis no cenário cultural e político. Maná, p.39-68, 2006. https://doi.org/10.1590/s0104-93132006000100002

BARBOSA, Márcia Fagundes. Nação, um discurso simbólico da modernidade. Critica Cultural (Critic), Palhoça, SC, v. 6, n.1, p.203-216, jan./jun. 2011.

BARTH, Fredrik. Grupos étnicos e suas fronteiras. In: POUTIGNAT, Philippe e STREIFF-FENART, Jocelyne. Teorias da Etnicidade. 1ed. EDUSP, São Paulo, 1998.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo, UNESP, 2004.

_______________. Razões Práticas: sobre a teoria da ação. 5ª ed. Campinas, Papirus, 1996.

CARAVLHO, Maria do Rosário. O MONTE PASCOAL, OS ÍNDIOS PATAXÓ E A LUTA PELO RECONHECIMENTO ÉTNICO. Caderno CRH, Salvador, v.22, n.57, p.507-521, Set./Dez. 2009.https://doi.org/10.1590/s0103-49792009000300006

CUNHA, Manuela Carneiro da. Introdução a uma história indígena. In; CUNHA, Manuela Carneiro da (org.). “História dos índios no Brasil”. 2 ed.. São Paulo: Cia das letras/ Secretaria Municipal de Cultura, 1992.

DANTAS, Beatriz G., SAMPAIO, José Augusto L., CARVALHO, Maria do Rosário G. de. Os povos indígenas no Nordeste brasileiro: um esboço histórico. In; CUNHA, Manuela Carneiro da (org.). “História dos índios no Brasil”. 2 ed.. São Paulo: Cia das letras/ Secretaria Municipal de Cultura, 1992.

DIEGUES, Carlos e ARRUDA, Rinaldo S.V. Saberes tradicionais e biodiversidade no Brasil. Brasília, Ministério do Meio Ambiente, 2001.

DURKHEIM, Émile e MAUSS, Marcel - De quelques formes primitives de classification, in Mauss, Marcel, Essais de Sociologie, Paris: Éditions de Minuit, 1969, p.162-230.

GELLNER, Ernest. Nações e nacionalismo. Lisboa: Gradiva, 1993.

GIUCCI, Guilhermo. Sem fé, lei ou rei: Brasil 1500-1532 – Tradução de Carlos Nougué. – Rio de Janeiro, Rocco, 1993.

HOBSBAWM, Eric J. Nações e nacionalismo desde 1780. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1990.

LEONARDI, Victor Paes de Barros. Entre Árvores e Esquecimentos: história social nos sertões do Brasil. Brasília: Paralelo 15 Editores, 1996.

LITTLE, Paul E. Territórios Sociais e Povos Tradicionais no Brasil: Por uma antropologia da territorialidade. Série Antropológica, Brasília, 2002.

RENAN, Ernest. O que é uma Nação?. Revista Plural, Sociologia USP, S.Paulo 4, 154-175, 1997. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.1997.75901

PARAÍSO, Maria Hilda Baqueiro. De como obter mão-de-obra indígena na Bahia entre os séculos XVI e XVIII. Revista de História, São Paulo: USP, No 123-132, 1994. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.v0i129-131p179-208

PARAÍSO, Maria Hilda Baqueiro. Os Botocudos e sua trajetória histórica. In; Manuela Carneiro da (org.). “História dos índios no Brasil”. 2 ed.. São Paulo: Cia das letras/ Secretaria Municipal de Cultura, 1992.

_________________________. De Rio Grande de Belmonte a Jequitinhonha: a conquista dos territórios indígenas e a construção de um caminho para o comércio entre Bahia e Minas Gerais. In: NEVES, Erivaldo Fagundes. (Org.). Sertões da Bahia: formação social, desenvolvimento econômico, evolução política e diversidade cultural. 1ed. Salvador: Arcádia, 2011, v. 1, p. 119-164.

PACHECO DE OLIVEIRA, João. Uma etnologia dos "índios misturados"? Situação colonial, territorialização e fluxos culturais. Mana [online]. 1998, vol.4, n.1, pp. 47-77, p. 50. https://doi.org/10.1590/s0104-93131998000100003

RIBEIRO, Darcy. Os índios e a civilização: a integração das populações indígenas no Brasil moderno. 5ª ed. Petrópolis, Vozes, 1986.

SOUZA, Elizabeth Salgado de. A História Salgada: Imagem de índio. Palavra de europeu. Dissertação de Mestrado. Instituto de Ciências Humanas, UNB. Brasília, 1995.

TODOROV, Tzvetan. A conquista da América: a questão do outro. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
Publicado
2018-06-30
Como Citar
PEREIRA, Tamires Santos. As etnogêneses, os índios do Nordeste e a territorialidade dos povos Jê dos Sertões do Leste: o caso Pataxó do Extremo Sul da Bahia. ODEERE, [S.l.], v. 3, n. 5, p. 120-146, jun. 2018. ISSN 2525-4715. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/odeere/article/view/4142>. Acesso em: 06 jun. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/odeere.v3i5.4142.