Conversando sobre o objeto indireto nulo no português brasileiro (Talking about the null indirect object in Brazilian Portuguese)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/el.v8i1.1119

Palavras-chave:

Objeto indireto nulo, Português Europeu, Português Brasileiro

Resumo

Este texto apresenta uma reflexão sobre o objeto indireto nulo no português brasileiro (PB), numa perspectiva comparativa com o português europeu(PE). Sob uma abordagem teórica particular, afirma-se que o PE e PB diferem na expressão gramatical desta função. Da mesma forma, com base em estudos de natureza quantitativa, observa-se que o OI nulo é muito mais produtivo no PB. Assume-se que tanto a perspectiva teórica como os resultados empíricos são importantes para se entender o estatuto pronominal do OI nulo no PB.
PALAVRAS-CHAVE: Objeto indireto nulo. Português Europeu. Português Brasileiro.

ABSTRACT
This study is about the null indirect object in Brazilian Portuguese(BP). Adopting a comparative perspective it is proposed that BP differs from European Portuguese (EP) in the grammatical expression of the indirect object (IO). Also, based in quantitative studies it is shown that the null indirect object is more productive in BP. Both facts are relevant to understand the pronominal nature of the null indirect object.
KEYWORDS: Null indirect object. European Portuguese. Brazilian Portuguese.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Aparecida Torres-Morais, Universidade de São Paulo (USP/Brasil)

Maria Aparecida Torres Morais é Doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (1995). Atualmente é livre docente no Departamento de Línguas Clássicas e Vernáculas da Universidade de São Paulo. Sua pesquisa está centrada na sintaxe diacrônica, em particular, nos fenômenos de variação e mudança na história do português europeu e português brasileiro.

Referências

BERLINCK, R. de A. Sobre a realização do objeto indireto no português do Brasil. In: II Encontro do Círculo de Estudos Lingüísticos do Sul, 2. Florianópolis. Florianópolis: UFSC, 1997.
BERLINCK, R. de A. Dativo ou Locativo? Sobre sentidos e formas do dativo no português. Revista Letras, v. 56. p.159-175, 2001.
BISPO, K. C. I. A sintaxe do objeto indireto no português do Brasil. Dissertação (Mestrado em Linguística) - Universidade de Brasília, Brasília, 2004.
CUERVO, C. Datives at large. PhD Thesis. MIT Press, Cambridge, 2003.
FREIRE, G. Os clíticos de terceira pessoa e as estratégias para sua substituição na fala culta brasileira e lusitana. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000.
FREIRE, G. A Realização do Acusativo e do Dativo Anafórico de 3a. Pessoa na Escrita Brasileira e Lusitana. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.
GALVES, C. e ABAURRE M. B. Os clíticos no português brasileiro: elementos para uma abordagem sintático-fonológica. In: CASTILHO, A. e BASÍLIO, M. (Org). Gramática do Português Falado. v. 4: Estudos Descritivos. Campinas: Editora da UNICAMP, 2002. p. 267-312.
GALVES, C. Ensaios sobre as Gramáticas do Português. Campinas: Editora da UNICAMP, 2001.
GOMES, C. A. Variação e Mudança na Expressão do Dativo no Português Brasileiro. In: PAIVA, M. C.; DUARTE, M. E. L. (Org.) Mudança Lingüística em Tempo Real. Rio de Janeiro: FAPERJ/Contra Capa, 2003. p. 81-96.
KATO, M. A. A gramática do letrado: questões para a teoria gramatical. In: MARQUES,M.A; KOLLER, E.; TEIXEIRA, J.; LEMOS, A. S. (Org.). Ciências da Linguagem: trinta anos de investigação e ensino. Braga: CEHUM (Universidade do Minho), 2005. p. 131-145.
MATEUS, Maria Helena et ali. Gramática da Língua Portuguesa. Lisboa: Caminho, 2003.
MONTEIRO, J. Pronomes Pessoais. Subsídios para uma Gramática do Português do Brasil. Fortaleza: Editora da Universidade Federal do Ceará, 1994.
PYLKKÄNEN, L. Introducing Arguments. PhD Thesis. MIT Press, Cambrige, 2002.
SIMÕES, J.; KEWITZ, V. Cartas paulistas dos séculos XVIII e XIX: uma Contribuição para os Corpora do PHPB. São Paulo: Humanitas/FFLCH/USP, 2006.
TORRES MORAIS, M. A. Um cenário para o núcleo aplicativo no português europeu. ABRALIN 5. p. 239-266, 2006.
TORRES MORAIS, M. A.; BERLINCK, R. A. A caracterização do objeto indireto no português: aspectos sincrônicos e diacrônicos In: LOBO, T. et al. (ed.) Novos Dados, Novas Análises. Volume.VI.
Tomo I. Salvador: EDUFBA. 2006. p. 73-106.
TORRES MORAIS, M. A. Os Dativos. Tese (Livre Docência) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.
TORRES MORAIS, M. A.; BERLINCK, R. A. ‘Eu disse pra ele’ ou ‘Disse-lhe a ele’: a expressão do dativo nas variedades brasileira e européia do português. In: CASTILHO, A. T. de; TORRES MORAIS, M. A.;
LOPES, R. E. V.; CYRINO, S. M. L. (Org.) Descrição, História e Aquisição do Português Brasileiro – Estudos dedicados a Mary Aizawa Kato. São Paulo. Fapesp. Campinas. Pontes Editores, 2007. p. 61-83.
TORRES MORAIS, M. A., SALLES, H. Parametric Change in the grammatical encoding of indirect objects in Brazilian Portuguese, 2007 (no prelo).

Downloads

Publicado

2010-06-30

Como Citar

TORRES-MORAIS, M. A. Conversando sobre o objeto indireto nulo no português brasileiro (Talking about the null indirect object in Brazilian Portuguese). Estudos da Língua(gem), [S. l.], v. 8, n. 1, p. 171-185, 2010. DOI: 10.22481/el.v8i1.1119. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/1119. Acesso em: 17 set. 2021.