Texto/discurso no/pelo corpo como espaço de resistência, de protesto e de reivindicação (Text/discourse in/by the body as resistance, protest and claim space)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/el.v14i2.1314

Palavras-chave:

Discurso, Memória, Corpo-memória, Sentidos, Língua

Resumo

Nos movimentos de rua de 2013, o corpo é um objeto mais que discursivo: ele funciona pelo simbólico e constitui o corpo-memória de movimentos em (dis)curso. Objetivamos mostrar como o corpo constitui discurso e instaura efeitos de sentidos pelo que retorna como memória e significa pela língua na história e por práticas sócio-históricas em que os sujeitos em suas filiações são o centro, o fio que tece discursividades. A rua constitui-se em espaço de disputa de sentidos e a mídia dá visibilidade a manifestantes e diferencia-os daqueles que protestam e mostram no/pelo corpo a resistência e o desejo de confronto.
PALAVRAS-CHAVE: Discurso. Memória. Corpo-memória. Sentidos. Língua.

ABSTRACT
In street movements and 2013, the body is more than a discursive object: it works by symbolic and constitutes the body-memory of movements in course and discourse. We intends to show how the body constitutes discourses and installs sense effects by what returns as memory and makes sense by the langue in the history and by socio-historical practices, in which the subjects, in their filiation, are the center, the guideline of discursiveness. Street constitutes spaces of senses dispute and the media gives visibility to protesters and differentiates them from those who protest and show in/by the body the resistance and of the confrontation desire.
KEYWORDS: Discourse. Memory. Body-memory. Senses. Langue.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cleci Venturini, Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro/Brasil)

Maria Cleci Venturini é professora do Departamento de Letras e do Programa de Pós-graduação em Letras, da Universidade Estadual do Centro-Oeste, UNICENTRO. Bolsista Produtividade da Fundação Araucária, do Paraná. Desenvolve, atualmente, três projetos financiados: 1) Museus e arquivos: lugares de memória no/do espaço urbano (apoiado pela SETI – Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior), 2) Museus e Arquivos Históricos: memória e imaginários no/do espaço urbano (Bolsa Produtividade da Fundação Araucária), 3) Análise de Discurso: retorno à teoria (Pesquisa Básica e Aplicada – Fundação Araucária). É coordenadora do Laboratório de Estudos Linguísticos e Literárias – LABELL, na UNICENTRO e participa, como pesquisadora, do Laboratório Corpus, UFSM, coordenado por Amanda Scherer e Verli Petri da Silveira.

Referências

BAUDRILLARD, J. Simulacros e simulação. Trad. Maria João da Costa Pereira. Lisboa: Ed. Relógio D ́Água, 1991.
COURTINE, J.J. Análise do discurso político: O discurso comunista endereçado aos cristãos. São Carlos: Edufscar, 2009.
ELIA, L. Conceito de sujeito. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.
FERREIRA, M. C. L. Discurso, arte, sujeito e a tessitura da linguagem. In: INDURSKY, F.; FERREIRA, M. C. L.; MITTMANN, S. (Orgs.) O acontecimento do discurso no Brasil. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2013. p. 127-139.
INDURSKY, F. Unicidade, desdobramento, fragmentação: a trajetória da noção de sujeito em Análise do Discurso. In: MITTMAN, S.; GRIGOLETTO, E.; CAZARIN, E. A. Práticas Discursivas e Identitárias – Sujeito e Língua. Porto Alegre: Nova Prova, 2008.
NECKEL, N. Tessitura e Tecedura: Movimentos de compreensão do Artístico no Audiovisual. 2010. 234f. Tese (Doutorado em Linguística). Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Campinas, 2010.
NUNES, J. H. Marchas urbanas: das redes sociais ao acontecimento. In: PETRI, V. ; DIAS, C. (Orgs.) Análise de Discurso em perspectiva: teoria, método e análise. Santa Maria/RS: editora UFSM, 2013. p. 65-83.
ORLANDI, E. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. Campinas/SP : Pontes, 2001.
______. Análise do Discurso: princípios e procedimentos. Campinas /SP ; Pontes, 2002.
______. Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Campinas, SP: Pontes, 2004.
______. Formas de individuação do sujeito feminino e sociedade contemporânea: o caso da delinquência. In: ORLANDI, E. (Org.). Discurso e políticas públicas urbanas: a fabricação do consenso. Campinas/SP: RG
Editora, 2010. p. 11-42.
______. (Org.). Discurso e políticas públicas urbanas: a fabricação do consenso. Campinas/SP, RG Editora, 2010. p. 11-42.
______. Diluição e indistinção de sentidos: uma política da palavra e suas consequências sujeito/história e indivíduo/sociedade. In: INDURSKY, F.; MITTMANN, S.; FERREIRA, M.C. (Org). Memória e história na/da Análise de Discurso. Campinas/SP: Mercado das Letras, 2011. p. 37-64.
______. Processos de significação, corpo e sujeito. In: ORLANDI, E. Discurso em Análise: sujeito, sentido, ideologia. Campinas/SP: Pontes Editora, 2012. p. 13-30.
PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. Eni Orlandi [et al]. 3 ed. Campinas/SP : Editora da UNICAMP, 1997.
______. O discurso: estrutura ou acontecimento. Trad. Eni Orlandi, Campinas/SP: Pontes Editora, 2002.
SOUZA, A. B. de. O discurso na escritura das ruas na/pela mídia: interpretação e coerção. 2015. Dissertação (mestrado em Letras). Guarapuava, Universidade Estadual do Centro-Oeste, 2015.
VELOSO, M. T. Discursos do corpo que (não) fala. Anais do VII SEAD – Seminário de Estudos em Análise de Discurso [recurso eletrônico]. Comissão organizadora: Evandra Grigoletto e Fabiele Stockmans de Nardi, Recife, SEAD, 2016.
VENTURINI, M. C. Leitura de um espaço urbano: subjetividade e poder das palavras. Revista Desenredo. Passo Fundo: Editora da UPF, 2009.
Revista IstoÉ. Fonte: disponível no site https://www.iba.com.br/revista- digital/ISTO%C3%89-Dezembro-2013-2298-0305f4acda3f85d0fdb75995dd8a6712, acesso em 28 de dezembro de 2013.
Revista Época. Matéria: Quem são eles?Disponível em: http://epoca.globo.com/infograficos/783_todas_capas/index.html. Acesso em acesso em 28 de dezembro de 2013.

Downloads

Publicado

2016-12-30

Como Citar

VENTURINI, M. C. Texto/discurso no/pelo corpo como espaço de resistência, de protesto e de reivindicação (Text/discourse in/by the body as resistance, protest and claim space). Estudos da Língua(gem), [S. l.], v. 14, n. 2, p. 55-76, 2016. DOI: 10.22481/el.v14i2.1314. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/1314. Acesso em: 17 set. 2021.