A terapia floral no controle do estresse ocupacional

Autores

  • Maria Aparecida Idalêncio Daniel Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina

Palavras-chave:

Cuidado, Equipe de enfermagem, Estresse Ocupacional, Terapia Floral

Resumo

O estudo teve como objetivo conhecer a opinião da equipe de enfermagem que atua na maternidade sobre os efeitos terapêuticos dos florais no controle do estresse ocupacional. Tratase de uma pesquisa de abordagem quali-quantitativa, do tipo ensaio clínico randomizado. A análise dos dados qualitativos foi realizada pela categorização e dos dados quantitativos foi baseada na avaliação dos resultados do teste dos níveis de stress proposto por Baccaro. Aplicou-se a entrevista e o teste para detecção do estresse com dez trabalhadores, antes e após a utilização da terapia floral. Os resultados indicaram que 100% dos trabalhadores de enfermagem estavam com nível de estresse de moderado a intenso e 30% possuíam risco de desenvolver doenças cardíacas. Os resultados da pesquisa denotam que 20% da equipe de enfermagem do grupo controle, com a utilização do floral, diminuíram o nível de stress intenso para moderado e o risco elevado de desenvolver doença cardíaca (Tipo “A1”), para o risco tipo “A2”. A partir dos resultados da pesquisa sugere-se estratégias motivacionais e de melhoria da qualidade de vida no trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-08-22

Como Citar

Idalêncio Daniel, M. A. (2012). A terapia floral no controle do estresse ocupacional. Revista Saúde.Com, 9(1), 33-43. Recuperado de https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/229

Edição

Seção

Artigos originais