ASSOCIAÇÃO DA IDADE E TEMPO DE INTERNAÇÃO COM TIPO DE PARTO E ABORTOS

Autores

  • Hemilena Carmo Silva Santos
  • Rosilane Dias Souza
  • Rodrigo Santos de Queiroz
  • Cleber Souza de Jesus

Resumo

A escolha do tipo de parto pode influenciar em aumento de custos, riscos à saúde materno-infantil e deve estar em conformidade com políticas nacionais e internacionais. O objetivo do presente estudo é analisar as características dos atendimentos obstétricos de um Hospital Geral do interior da Bahia e verificar a associação entre tempo de internação, tipo de parto e aborto. Trata-se de um estudo retrospectivo e analítico que avaliou dados de 281 prontuários num período de um ano. Do total de atendimento obstétricos, 135 (48,0%) foram partos cesáreos, 106 (37,7%) naturais e 40 (14,3%) internações por aborto. As mulheres que realizaram parto cesáreo (OR = 2,37; IC95%: 1,6-3,5) e abortaram (OR = 2,38; IC95%: 1,6-3,53) permanecem mais tempo internadas no hospital em comparação com as mulheres que realizaram parto natural. Assim, percebe-se elevada frequência de parto cesáreo e abortos na amostra estudada, o que contribuiu para um aumento no tempo de internação hospitalar. Existe clara necessidade de ações mais efetivas para adequação às normas do Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento, principalmente com relação ao incentivo ao parto natural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-12-01

Como Citar

Carmo Silva Santos, H., Dias Souza, R., Santos de Queiroz, R., & Souza de Jesus, C. (2017). ASSOCIAÇÃO DA IDADE E TEMPO DE INTERNAÇÃO COM TIPO DE PARTO E ABORTOS. Revista Saúde.Com, 13(4). Recuperado de https://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/3614

Edição

Seção

Artigos originais