DESAFIOS E POSSIBILIDADES DO RETORNO AMBIENTAL DAS EMBALAGENS DE PET E VIDRO POR MEIO DA LOGÍSTICA REVERSA EM SALVADOR (BA):

UM OLHAR ATRAVÉS DAS COOPERATIVAS CAEC E COOPERBRAVA

  • Raphael Silva de Magalhães Castro Prefeitura Municipal de Santo Amaro-BA
  • Cristiano Cassiano de Araujo UFBA

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar através do trabalho desenvolvido por duas cooperativas de materiais recicláveis, a CAEC e a COOPEBRAVA, o retorno ambiental das embalagens de Pet e de vidro na cidade de Salvador (BA). Por meio de um método de abordagem indutivo-dedutivo, e utilizando os procedimentos monográfico e estatístico, associado a uma pesquisa qualitativa, semiestruturada, analisa-se o aproveitamento desses materiais pela sociedade soteropolitana, examinando, igualmente, o perfil das duas cooperativas recicladoras no intuito de saber quais são as condições de estocagem e beneficiamento desse material, pontuando os desafios e as possibilidades de fomentar políticas públicas de incentivo à cultura de retorno ambiental nas indústrias (Logística Reversa) e junto à própria sociedade.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, Rui Otávio Bernardes de; TACHIZAWA, Takeshy; e CARVALHO, Ana Barreiros de. Gestão Ambiental: Enfoque estratégico aplicado ao desenvolvimento sustentável. 2ª edição. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2002.
BAIÃO, E. B.; CÂNDIDO, C. V. L.; CASSIANO DE ARAUJO, C.; SILVA, D. D.; SANTOS, F. L. C. Plano de Gerenciamento Integrado de Coleta Seletiva. Belo Horizonte: Fundação Estadual do Meio Ambiente/Fundação Israel Pinheiro, 2010. 32p.
BLOCH, D. Criança, Catador, Cidadão: experiências de gestão participativa do lixo urbano. Recife: UNICEF, 1999. 89 p.
BOWERSOX, D. J.; CLOSS, D. J. Logística empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimento. São Paulo: Atlas, 2001. 594 p.
BRASIL, Lei N°. 12.305 de 02 de Agosto de 2010 - Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).
CALLENBACH, E.; CAPRA, F.; GOLDMAN, L. LUTZ, R. & MARBURG, S. Gerenciamento Ecológico. São Paulo: Cultrix, 1993.
COIMBRA, J. Á. A. Linguagem e percepção ambiental. In: PHILIPPI-JR, A.; ROMERO, M. de A.; BRUNA, G. C. (Orgs). Curso de Gestão Ambiental. Barueri: Manole, 2004. p. 525-570.
CRISPIM, M. Garrafas mais ecológicas. In: Diário do Nordeste. Disponível em: http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/negocios/garrafas-mais-ecologicas-1.405785. Acesso em 03/02/2018
DAMÁSIO, J. Para uma política pública de pagamentos pelos serviços ambientais urbanos de cooperativas e associações de catadores de materiais. 1. ed. Brasília: Comunicação MNCR, 2010. 147p.
DE BRITO, M. P.; DEKKER, R. Reverse logistics: a framework. Econometric Institute. Report EI 2002-38, Rotterdam: The Netherlands, 2002, p. 1-17.
DIAS, G. G.; CRUZ, T. M. S. Plano de gerenciamento integrado de resíduos vítreos – PGIRV. Belo Horizonte: Fundação Estadual do Meio Ambiente/Fundação Israel Pinheiro, 2009. 24 p.
DOWLATSHAHI, S. Developing a theory of reverse logistics. Interfaces, Ano 30, n. 3, Dayton: USA, 2000, p. 143-155.
FRANCO, C. O Vidro está de volta às embalagens. In: Associação Técnica Brasileira das Indústrias de Vidro – Abividro. Disponível em: http://www.abividro.org.br/noticias.php/81. Acesso em 24/10/2017
GABETTA, V. A. C.; DA SILVA, Sandra A.; LOURENÇO, José C. PET ou Vidro? Retorno às origens. INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAS E TECNOLOGIA, CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA – GESTÃO EM LOGÍSTICA EMPRESARIAL CAMPINAS, 2010.
GEYER, R.; JACKSON, T. Supply loops and their constraints: the industrial ecology of recycling and reuse. California Management Review, v.46, n.2, Oakland: EUA, 2004, p. 55-73.
GONÇALVES-DIAS, S. L.F.; TEODÓSIO, A. S. S. Estrutura da cadeia reversa: caminhos e descaminhos da embalagem PET. Produção, v. 16, São Paulo, 2006, p. 429-441.
GRANÁ, O. Entrevista I. [nov. 2017]. Entrevistador: Raphael Silva de Magalhães Castro; Cristiano Cassiano de Araújo. Salvador, 2017. 1 arquivo .mp3 (60 min.).
GRIPPI, S. Lixo: Reciclagem e sua História: Guia para as prefeituras brasileiras. Rio de Janeiro: Interciência, 2006. 134 p.
IPT/CEMPRE. Lixo municipal: manual do gerenciamento integrado. São Paulo: IPT, 2000. 370 p.
LEITE; Paulo Roberto. Canais de Distribuição Reversos (“Supply Chain” Reverso). Revista Tecnologística, ano V, v. 46 , São Paulo, 1999, p. 46-47.
LEITE; Paulo Roberto Logística Reversa Nova Área da Logística Empresarial. Revista Tecnologística, Ano VIII, V. 78, São Paulo, 2002, p. 102-104.
MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003. 311 p.
MEDINA, M. Informal recycling and collection of solid wastes in developing countries: issues and opportunities. In: United Nations University Working. Disponível em: https://www.gdrc.org/uem/waste/swm-ias.pdf. Acesso: 19 /12/2017.
MEDINA, M. Scavenger cooperatives in Asia and Latin America. Resources, Conservation and Recycling, v. 31, Edição 1, Amsterdam: Holanda, 2000, p. 51–69.
PAIVA, V. El “cirujeo” un camino informal de recuperación de resíduos: Buenos Aires 2002-2003. Estudios Demográficos y Urbanos, vol. 21, n. 1, Distrito Federal: México, 2006, p. 189-210.
SOUZA, M. T. S. Rumo à prática empresarial sustentável. Revista de Administração de Empresas, Ano XXXIV, V. 33, São Paulo, 1993, p. 40-52.
Publicado
2018-06-02
Como Citar
SILVA DE MAGALHÃES CASTRO, Raphael; CASSIANO DE ARAUJO, Cristiano. DESAFIOS E POSSIBILIDADES DO RETORNO AMBIENTAL DAS EMBALAGENS DE PET E VIDRO POR MEIO DA LOGÍSTICA REVERSA EM SALVADOR (BA):. Geopauta, [S.l.], v. 2, n. 1, p. 4-25, jun. 2018. ISSN 2594-5033. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/geo/article/view/3349>. Acesso em: 15 out. 2018. doi: https://doi.org/10.22481/rg.v2i1.3349.
Seção
Artigos