CONDOMÍNIOS DE MORADIA POPULAR: O CASO DO RESIDENCIAL ZILDA ARNS NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA/RS

  • Ricardo Stedile Neto Universidade Federal de Santa Maria
  • Paloma Tavares Saccol UFSM

Resumo

A especulação imboliária nas grandes cidades e metrópoles é causadora do adensamento opulacional, além de inúmeros outros problemas, tanto em âmbito estrutural quanto social. Um dos mais ocorrentes, é a apropriação de locais impróprios para moradia, geralmente pela população de baixa renda. Com base nisso, percebe-se que muitas vezes as áreas ocupadas, precisam ser desapropriadas devido a existência de riscos para esta população, bem como por serem áreas públicas e/ou privadas, desencadeando a reintegração de posse. Deste modo, os representantes governamentais estão buscando, por meio de implantação de políticas de moradia, remover essa população dessas localidades que são consideradas inapropriadas. Apoiado nisso, o presente trabalho tem como objetivo geral, a análise do condomínio de moradia popular Residencial Zilda Arns, localizado no município de Santa Maria/RS/Brasil para compreender a atuação das políticas governamentais frente as necessidades básicas da sua população de baixa renda.


Palavras-chave: Urbano. Moradia popular. Desenvolvimento social.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Mestrando em Geografia no Programa de Pós-Graduação em Geografia – PPGGEO/UFSM. E-mail: rickstedile@gmail.com.

##submission.authorWithAffiliation##

Mestranda em Geografia no Programa de Pós-Graduação em Geografia – PPGGEO/UFSM. E-mail: palomasaccol1992@gmail.com

Referências

FEDOZZI, L. Orçamento Participativo: reflexões sobre a experiência de Porto Alegre. Porto Alegre: Tomo, 1999.
HARVEY, D. The right to the city. New left review, London, v. 53, p. 23-40, 2008.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Disponível em: . Acesso em: 5 out. 2017.
IBGE. Sinopse do Censo Demográfico 2010, Rio Grande do Sul. Disponível em: . Acesso em: 5 out. 2017.
LEFEBVRE, H. Espacio y Política: el derecho a la ciudad II. São Paulo: Editora Centauro, 5ª edicação (texto original de 1968).
MARCUSE, P. From critical urban theory to the right to the city. CITY, v. 13, n. 2-3, jun-sep 2009.
MINISTÉRIO DAS CIDADES (Brasil). Secretaria Nacional de Habitação. Déficit habitacional municipal no Brasil 2010. Belo Horizonte. Nov. 2013. Disponível em: < http://www.fjp.mg.gov.br/index.php/docman/cei/deficit-habitacional/216-deficit-habitacional-municipal-no-brasil-2010/file>. Acesso em: 16 set. 2017.
Prefeitura Municipal de Santa Maria – Escritório da Cidade. Disponível em: . Acesso em: 21 set. 2017.
Prefeitura Municipal de Santa Maria – Secretaria de Município de Desenvolvimento Social. Disponível em: . Acesso em: 21 set. 2017.
RODRIGUES, A. M. Moradia nas cidades brasileiras. 7 ed. São Paulo: Contexto, 1997. (Coleção repensando a geografia)
SANTOS, C. N. F. V. Novidades nos modos de Urbanização Brasileiros. In VALADARES, L. do P. Habitação em questão. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar editores, 1981. 196p.
SUBSECRETARIA DE ESTADO DA ORDEM PÚBLICA E SOCIAL DO DISTRITO FEDERAL. Área de Risco. Brasília, 2017. Disponível em: . Acesso em 30 set 2017.
Publicado
2018-08-27
Como Citar
STEDILE NETO, Ricardo; SACCOL, Paloma Tavares. CONDOMÍNIOS DE MORADIA POPULAR: O CASO DO RESIDENCIAL ZILDA ARNS NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA/RS. Geopauta, [S.l.], v. 2, n. 2, p. 82-93, ago. 2018. ISSN 2594-5033. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/geo/article/view/3907>. Acesso em: 23 set. 2018. doi: https://doi.org/10.22481/rg.v2i2.3907.