DIAGNÓSTICO DA FRAGILIDADE AMBIENTAL EMERGENTE DO MUNICÍPIO DE ANASTÁCIO, MATO GROSSO DO SUL

  • Vanessa Aline Wagner Leite Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Lidiane Perbelin Rodrigues Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Resumo

O município de Anastácio possui extensão de 2.940,6km², está situado na porção centro-oeste do estado de Mato Grosso do Sul, entre as coordenadas 20°25’00” e 21°05’00” S e 56°10’00”, 55°20’00” O. O município possui fortes ligações culturais com a região nordeste do Brasil, caracterizada pela produção artesanal  de farinha de mandioca realizada pela colonia de pernambucanos do município. Apesar da culturalidade dos pequenos produtores, ocorre no município de Anastácio uma massificação da produção bovina para leite e corte, o que vem incrementando o desmatamento das áreas de Cerrado. Frente a essa problemática, o presente trabalho busca analisar a Fragilidade Ambiental Emergente do município de Anastácio-MS adaptando as metodologias de Crepani et al (2001) e Ross (1994). Foram identificadas 4 classes de fragilidade para a área de estudo: Muito baixa, Baixa, Média e Alta. Nota-se que a Fragilidade Média foi fortemente influenciada pela pastagem, o que sugere que o município sofre com o alto nível de antropização.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Referências

ALOS-PALSAR. Especificações Técnicas da plataforma. Alaska Satellite Facility. Disponível em: . Acesso em: 25 Mar. 2018.
BRASIL. Plano de conservação da bacia do alto Paraguai: Análise Integrada e Prognóstico da Bacia do Alto Paraguai. Brasília: PNMA, 1997.
CARVALHO, N. O. Hidrossedimentologia prática. Rio de Janeiro, Editora Interciência, 2008.
CREPANI, E.; MEDEIROS, J. S.; HERNANDEZ FILHO, P.; FLORENZANO, Teresa Galloti.; DUARTE, Valdete; BARBOSA, C. C. F. Sensoriamento remoto e geoprocessamento aplicados ao Zoneamento Ecológico-Econômico e ao ordenamento territorial. São José dos Campos: INPE, 2001. Disponível em < https://goo.gl/RGo1DV> Acesso em 14 abr. 2017.
EMBRAPA, Solos. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Geoportal Digital. Disponível em https://goo.gl/S9T9F3>; Acesso em 14 abr. 2017.
EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Zoneamento agroecológico do Município de Anastácio - MS. Centro Nacional de Pesquisa de Solos: Rio de Janeiro, 2009. Disponível em Acesso em 14 abr. 2017.
IBGE. CENSO DEMOGRÁFICO 2010. Características da população e dos domicílios: resultados do universo. Rio de Janeiro: IBGE, 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 Mai 2017.
JOIA, P. R. Bairros das Cidades de Anastácio e Aquidauana: Uma Proposta de Divisão do Espaço Urbano. Revista Pantaneira, Aquidauana, v.2, n. 1, p 27-32, 2000.
LIBAULT, A. Os quatro níveis da pesquisa geográfica. Universidade de São Paulo, Instituto de Geografia, 1971.
OLIVEIRA, P. T. S.; RODRIGUES, D. B. B.; SOBRINHO, T. A.; CARVALHO, D. F. de; PANACHUKI, E. Spatial variability of rainfall erosive potential in the State of Mato Grosso do Sul, Brazil. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 32, n.1, p.69-79, jan./fev., 2012.
ROSS, J. L. S. Análise Empírica da Fragilidade dos Ambientes Naturais e Antropizados. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, n. 8, p. 63-74, 1994
SILVA, J. S. V.; POTT, A.; ABDON, M. M.; POTT, V. J.; SANTOS, K. R. Projeto GeoMS: cobertura vegetal e uso da terra do Estado de Mato Grosso do Sul. Campinas: Embrapa Informática Agropecuária, 2011.
SILVA, L. N.; MARQUES, H. R.; MARINI, B. O desenvolvimento local no município de Anastácio, MS: a Festa da Farinha - um estudo de caso. Multitemas, Campo Grande, n. 42, p. 115-128, jul./dez. 2012. Disponível em: Acesso em 20 mar. 2018.
Publicado
2018-08-26
Como Citar
WAGNER LEITE, Vanessa Aline; PERBELIN RODRIGUES, Lidiane. DIAGNÓSTICO DA FRAGILIDADE AMBIENTAL EMERGENTE DO MUNICÍPIO DE ANASTÁCIO, MATO GROSSO DO SUL. Geopauta, [S.l.], v. 2, n. 2, p. 17-26, ago. 2018. ISSN 2594-5033. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/geo/article/view/4022>. Acesso em: 19 nov. 2018. doi: https://doi.org/10.22481/rg.v2i2.4022.