Análise Geomorfométrica da Bacia Hidrográfica do Mindu – Manaus – Amazonas

Resumo

A Bacia hidrográfica do Mindu está localizada no município de Manaus e para entender a sua dinâmica geomorfológica foram analisados índices geomorfométricos e realizados trabalhos de campo entre os anos de 2018-2019. Observa-se que a maior parte da bacia (80,8%) está localizada em terrenos com declividades planas e onduladas, indicando que a maior parte da bacia possui sucesptibilidade a erosão de baixa a ligeira. A análise das curvaturas de perfil e tangencial indicam que a bacia possui encostas com características de convergência e aceleração de fluxo, pondendo influir na velocidade que a água chega ao curso d’água e nos processos erosivos. A bacia possui um baixo entalhamento do relevo, indicando que existe uma baixa influência da erosão por cursos d’água.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Geografia (Geografia Física) pela Universidade de São Paulo - USP (2013). Mestre em Geologia e Recursos Minerais pela Universidade Federal de Minas Gerais (1992) Bacharel em Geologia pela Universidade Federal do Amazonas, e  Atualmente é Professor Adjunto da Universidade do Estado do Amazonas - UEA. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geografia Física, atuando principalmente nos seguintes temas: Geomorfologia Fluvial, Riscos Naturais e Antropogênicos, Geologia e Impactos Ambientais.

Referências

ALVES, N. S.; CARVALHO, B. L.; RODRIGUES, R. C. C.; SANTOS, W. R. Fatores Condicionantes do Risco de Inundações na Bacia Hidrográfica do Igarapé do Mindu, Manaus-AM. Anais do 11° SINAGEO, Maringá, 2016.
CASSIANO, K. R. M. Análise Geográfica De Áreas De Risco Na Bacia Hidrográfica No Igarapé Do Mindu - Manaus (Am). Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Santa Catarina, 2013.
CASTRO, S. B.; CARVALHO, T. M. Análise morfométrica e geomorfologia da bacia hidrográfica do rio Turvo - GO, através de técnicas de sensoriamento remoto e geoprocessamento. Scientia Plena 5, 025401, 2009.
CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia. São Paulo: Edgard Blucher, 1980.
GATTO, L. S. Relevo. In: Geografia do Brasil; Rio de Janeiro: IBGE, 1989.
GOUDIE, A. The human Impact on the Natural Environment. Oxford Basil Blackwell Publishers, England, 1995.
GROHMANN, C. H. Introdução à Análise Digital de Terreno com GRASS-GIS. Instituto de Geociências – USP, São Paulo, 2008.
GUERRA, A. J. T. Encostas e a Questão Ambiental, In: CUNHA, S.B.; GUERRA, A.J.T. (Orgs.). A Questão Ambiental – Diferentes Abordagens. Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, 4° edição, pp. 191-218, 2008.
GUERRA, A. J. T. Encostas Urbanas. In: GUERRA, A.J.T. (Org.). Geomorfologia Urbana. Rio de Janeiro: BERTRAND BRASIL, 2011, pp. 13-42.
GUERRA, A. J. T. Processos erosivos nas Encostas. In: CUNHA, S.B; GUERRA, A.J.T. (Orgs.). Geomorfologia – Exercícios, Técnicas e Aplicações. Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, 2° edição, pp. 139-155, 2002.
HORN, B. K. P. Hill Shading and the Reflectance Map. Proceedings of the IEEE, 69:14–47, 1981.
HORTON, R. E. Drainage basin characteristics. Transition of the America Geophysical Union, n 13, pp. 350 – 361, 1932.
IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/. Acesso em: Junho de 2019.
IBGE. FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Geografia do Brasil. Rio de Janeiro: Unidade de Relevo IBGE, 2006.
JORGE, M. C. O. Geomorfologia Urbana: Conceitos, Metodologias e Teorias. In: GUERRA, A.J.T. (Org.). Geomorfologia Urbana. Rio de Janeiro: BERTRAND BRASIL, 2011, p. 117-145.
JORGE, M. C. O.; GUERRA, A. J. T. Erosão dos solos e movimentos de massa – recuperação de áreas degradadas com técnicas de bioengenharia e prevenção de acidentes. In: JORGE, M .C. O.; GUERRA, A. J. T. (Orgs.). Processos Erosivos e recuperação de áreas degradadas. Oficina de Textos, São Paulo, p. 07-30, 2013.
NASCIMENTO, D. A., MAURO, C. A., GARCIA, M. G. L. Geomorfologia da Folha SA.21- Santarém. In: BRASIL. Departamento Nacional da Produção Mineral. Projeto RADAMBRASIL. Folha SA-21-Santarém. Geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação e uso potencial da terra. Levantamento de Recursos Naturais. Rio de Janeiro: MME/DNPM, 1976. v. 10, cap. 2, p. 131-98.
PELOGGIA, A. A cidade, as vertentes e as várzeas: a transformação do relevo pela ação do homem no município de São Paulo. Revista do Departamento de Geografia, v. 16, p. 24-31, 2005.
PELOGGIA, A. O homem e o ambiente geológico: geologia, sociedade e ocupação urbana no município de São Paulo. Xamã: São Paulo, 1998.
QUEIROZ, M. S. Caracterização Hidrogeomorfológica da Bacia Hidrográfica do Mindu Manaus – Amazonas. Monografia apresentada à Universidade do Estado do Amazonas – UEA, Manaus, 2019.
QUEIROZ, M. S.; Batista, S. P. M. ; TOMAZ NETO, A. G. ; ALVES, N. S. . EXPEDIÇÃO MINDU: ANÁLISE GEOGRÁFICA DO IGARAPÉ DO MINDU. In: ALBUQUERQUE, C. C.; BATISTA, I. H. (Org.). Workshop Internacional Sobre Planejamento e Desenvolvimento Sustentável em Bacias Hidrográficas. Editora da UFRR, Boa Vista, 2020, p. 922-930a.
QUEIROZ, M. S.; GOIABEIRA, C. V. S ; Batista, S. P. M. ; ALVES, N. S. ANÁLISE BACTERIOLÓGICA DAS ÁGUAS DAS NASCENTES DO IGARAPÉ DO MINDU EM MANAUS - AMAZONAS. In: ALBUQUERQUE, C. C.; BATISTA, I. H. (Org.). Workshop Internacional Sobre Planejamento e Desenvolvimento Sustentável em Bacias Hidrográficas. Editora da UFRR, Boa vista, 2020, p. 165-176b.
RAMALHO FILHO, A.; BEEK, K. J. Sistema de avaliação da aptidão agrícola das terras. 3. ed. rev. Rio de Janeiro: EMBRAPA-CNPS, 1995. 65p.
RODRIGUES, C. MOROZ-CACCIA GOUVEIA, I. C. Importância do fator antrópico na redefinição de processos geomorfológicos e riscos associados em áreas urbanizadas do meio trópico úmido. Exemplos na Grande São Paulo. In: GUERRA, A. J. T.; JORGE, M. C. O. Processos erosivos e recuperação de áreas degradadas. Oficina dos Textos: Rio de Janeiro, 2013.
ROSS, J. L. S. Geomorfologia: Ambiente e Planejamento. 9° ed. 2° reimpressão. Editora Contexto: São Paulo, 2017.
ROZO, J. M. G. Evolução holocênica do rio Amazonas entre a ilha do Careiro e a foz do rio Madeira. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Geociências, Manaus, 2004.
SANTOS, A. M.; TARGA, M. S.; BATISTA, G. T.; DIAS, N. W. Análise morfométrica das sub-bacias hidrográficas Perdizes e Fojo no município de Campos do Jordão, SP, Brasil. Ambi-Agua, Taubaté, v. 7, n. 3, p. 195-211, 2012. (http://dx.doi.org/10.4136/ambi-agua.945).
SCHUMM, S. A. Evolution of drainage systems and slopes in badland of Perth Amboy. Geol. Soc. America Bulletinm 67, pp. 597-646, 1956.
SILVA, C. L. Análise Da Tectônica Cenozóica Da Região De Manaus E Adjacências. Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Geociências da Universidade Estadual Paulista – UNESP, Rio Claro, 2005.
VIEIRA, A. F. G. Desenvolvimento E Distribuição De Voçorocas Em Manaus (Am): Principais Fatores Controladores E Impactos Urbano-Ambientais. Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, 2008.
VILLELA, S. M; MATTOS, A. Hidrologia aplicada. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1975.
Publicado
2020-07-20
Como Citar
QUEIROZ, Matheus Silveira de; ALVES, Neliane de Sousa. Análise Geomorfométrica da Bacia Hidrográfica do Mindu – Manaus – Amazonas. Geopauta, [S.l.], v. 4, n. 2, p. 109-123, jul. 2020. ISSN 2594-5033. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/geo/article/view/6438>. Acesso em: 08 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/rg.v4i2.6438.
Seção
Artigos