Análise Geomorfométrica da Bacia Hidrográfica do Mindu – Manaus – Amazonas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/rg.v4i2.6438

Palavras-chave:

Geomorfometria, Estudo do Relevo, Processos Morfológicos

Resumo

A Bacia hidrográfica do Mindu está localizada no município de Manaus e para entender a sua dinâmica geomorfológica foram analisados índices geomorfométricos e realizados trabalhos de campo entre os anos de 2018-2019. Observa-se que a maior parte da bacia (80,8%) está localizada em terrenos com declividades planas e onduladas, indicando que a maior parte da bacia possui sucesptibilidade a erosão de baixa a ligeira. A análise das curvaturas de perfil e tangencial indicam que a bacia possui encostas com características de convergência e aceleração de fluxo, pondendo influir na velocidade que a água chega ao curso d’água e nos processos erosivos. A bacia possui um baixo entalhamento do relevo, indicando que existe uma baixa influência da erosão por cursos d’água.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Neliane de Sousa Alves, Universidade do Estado do Amazonas - UEA- Brasil

Doutora em Geografia (Geografia Física) pela Universidade de São Paulo - USP (2013). Mestre em Geologia e Recursos Minerais pela Universidade Federal de Minas Gerais (1992) Bacharel em Geologia pela Universidade Federal do Amazonas, e  Atualmente é Professor Adjunto da Universidade do Estado do Amazonas - UEA. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geografia Física, atuando principalmente nos seguintes temas: Geomorfologia Fluvial, Riscos Naturais e Antropogênicos, Geologia e Impactos Ambientais.

Referências

ALVES, N. S.; CARVALHO, B. L.; RODRIGUES, R. C. C.; SANTOS, W. R. Fatores Condicionantes do Risco de Inundações na Bacia Hidrográfica do Igarapé do Mindu, Manaus-AM. Anais do 11° SINAGEO, Maringá, 2016.
CASSIANO, K. R. M. Análise Geográfica De Áreas De Risco Na Bacia Hidrográfica No Igarapé Do Mindu - Manaus (Am). Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Santa Catarina, 2013.
CASTRO, S. B.; CARVALHO, T. M. Análise morfométrica e geomorfologia da bacia hidrográfica do rio Turvo - GO, através de técnicas de sensoriamento remoto e geoprocessamento. Scientia Plena 5, 025401, 2009.
CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia. São Paulo: Edgard Blucher, 1980.
GATTO, L. S. Relevo. In: Geografia do Brasil; Rio de Janeiro: IBGE, 1989.
GOUDIE, A. The human Impact on the Natural Environment. Oxford Basil Blackwell Publishers, England, 1995.
GROHMANN, C. H. Introdução à Análise Digital de Terreno com GRASS-GIS. Instituto de Geociências – USP, São Paulo, 2008.
GUERRA, A. J. T. Encostas e a Questão Ambiental, In: CUNHA, S.B.; GUERRA, A.J.T. (Orgs.). A Questão Ambiental – Diferentes Abordagens. Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, 4° edição, pp. 191-218, 2008.
GUERRA, A. J. T. Encostas Urbanas. In: GUERRA, A.J.T. (Org.). Geomorfologia Urbana. Rio de Janeiro: BERTRAND BRASIL, 2011, pp. 13-42.
GUERRA, A. J. T. Processos erosivos nas Encostas. In: CUNHA, S.B; GUERRA, A.J.T. (Orgs.). Geomorfologia – Exercícios, Técnicas e Aplicações. Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, 2° edição, pp. 139-155, 2002.
HORN, B. K. P. Hill Shading and the Reflectance Map. Proceedings of the IEEE, 69:14–47, 1981.
HORTON, R. E. Drainage basin characteristics. Transition of the America Geophysical Union, n 13, pp. 350 – 361, 1932.
IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/. Acesso em: Junho de 2019.
IBGE. FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Geografia do Brasil. Rio de Janeiro: Unidade de Relevo IBGE, 2006.
JORGE, M. C. O. Geomorfologia Urbana: Conceitos, Metodologias e Teorias. In: GUERRA, A.J.T. (Org.). Geomorfologia Urbana. Rio de Janeiro: BERTRAND BRASIL, 2011, p. 117-145.
JORGE, M. C. O.; GUERRA, A. J. T. Erosão dos solos e movimentos de massa – recuperação de áreas degradadas com técnicas de bioengenharia e prevenção de acidentes. In: JORGE, M .C. O.; GUERRA, A. J. T. (Orgs.). Processos Erosivos e recuperação de áreas degradadas. Oficina de Textos, São Paulo, p. 07-30, 2013.
NASCIMENTO, D. A., MAURO, C. A., GARCIA, M. G. L. Geomorfologia da Folha SA.21- Santarém. In: BRASIL. Departamento Nacional da Produção Mineral. Projeto RADAMBRASIL. Folha SA-21-Santarém. Geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação e uso potencial da terra. Levantamento de Recursos Naturais. Rio de Janeiro: MME/DNPM, 1976. v. 10, cap. 2, p. 131-98.
PELOGGIA, A. A cidade, as vertentes e as várzeas: a transformação do relevo pela ação do homem no município de São Paulo. Revista do Departamento de Geografia, v. 16, p. 24-31, 2005.
PELOGGIA, A. O homem e o ambiente geológico: geologia, sociedade e ocupação urbana no município de São Paulo. Xamã: São Paulo, 1998.
QUEIROZ, M. S. Caracterização Hidrogeomorfológica da Bacia Hidrográfica do Mindu Manaus – Amazonas. Monografia apresentada à Universidade do Estado do Amazonas – UEA, Manaus, 2019.
QUEIROZ, M. S.; Batista, S. P. M. ; TOMAZ NETO, A. G. ; ALVES, N. S. . EXPEDIÇÃO MINDU: ANÁLISE GEOGRÁFICA DO IGARAPÉ DO MINDU. In: ALBUQUERQUE, C. C.; BATISTA, I. H. (Org.). Workshop Internacional Sobre Planejamento e Desenvolvimento Sustentável em Bacias Hidrográficas. Editora da UFRR, Boa Vista, 2020, p. 922-930a.
QUEIROZ, M. S.; GOIABEIRA, C. V. S ; Batista, S. P. M. ; ALVES, N. S. ANÁLISE BACTERIOLÓGICA DAS ÁGUAS DAS NASCENTES DO IGARAPÉ DO MINDU EM MANAUS - AMAZONAS. In: ALBUQUERQUE, C. C.; BATISTA, I. H. (Org.). Workshop Internacional Sobre Planejamento e Desenvolvimento Sustentável em Bacias Hidrográficas. Editora da UFRR, Boa vista, 2020, p. 165-176b.
RAMALHO FILHO, A.; BEEK, K. J. Sistema de avaliação da aptidão agrícola das terras. 3. ed. rev. Rio de Janeiro: EMBRAPA-CNPS, 1995. 65p.
RODRIGUES, C. MOROZ-CACCIA GOUVEIA, I. C. Importância do fator antrópico na redefinição de processos geomorfológicos e riscos associados em áreas urbanizadas do meio trópico úmido. Exemplos na Grande São Paulo. In: GUERRA, A. J. T.; JORGE, M. C. O. Processos erosivos e recuperação de áreas degradadas. Oficina dos Textos: Rio de Janeiro, 2013.
ROSS, J. L. S. Geomorfologia: Ambiente e Planejamento. 9° ed. 2° reimpressão. Editora Contexto: São Paulo, 2017.
ROZO, J. M. G. Evolução holocênica do rio Amazonas entre a ilha do Careiro e a foz do rio Madeira. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Geociências, Manaus, 2004.
SANTOS, A. M.; TARGA, M. S.; BATISTA, G. T.; DIAS, N. W. Análise morfométrica das sub-bacias hidrográficas Perdizes e Fojo no município de Campos do Jordão, SP, Brasil. Ambi-Agua, Taubaté, v. 7, n. 3, p. 195-211, 2012. (http://dx.doi.org/10.4136/ambi-agua.945).
SCHUMM, S. A. Evolution of drainage systems and slopes in badland of Perth Amboy. Geol. Soc. America Bulletinm 67, pp. 597-646, 1956.
SILVA, C. L. Análise Da Tectônica Cenozóica Da Região De Manaus E Adjacências. Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Geociências da Universidade Estadual Paulista – UNESP, Rio Claro, 2005.
VIEIRA, A. F. G. Desenvolvimento E Distribuição De Voçorocas Em Manaus (Am): Principais Fatores Controladores E Impactos Urbano-Ambientais. Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, 2008.
VILLELA, S. M; MATTOS, A. Hidrologia aplicada. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1975.

Downloads

Publicado

2020-07-20

Como Citar

QUEIROZ, M. S. de; ALVES, N. de S. Análise Geomorfométrica da Bacia Hidrográfica do Mindu – Manaus – Amazonas. Geopauta, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 109-123, 2020. DOI: 10.22481/rg.v4i2.6438. Disponível em: http://periodicos2.uesb.br/index.php/geo/article/view/6438. Acesso em: 25 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos de demanda Contínua