Prática espacial, habitus e espaço urbano: Ensaio de geografia da vida cotidiana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/rg.v5i1.7287

Palavras-chave:

Prática espacial, Habitus , Vida Cotidiana , Urbano

Resumo

Desde a década de 1990, o conceito de prática espacial vem ganhando destaque na abordagem geográfica dos espaços urbanos. Isso ocorreu especialmente no contexto do giro cultural da geografia e sua aproximação com a sociologia, psicologia social e linguística. Nesse trabalho, procura-se, com base em revisão teórica, refletir sobre as práticas espaciais e discutir a contribuição do conceito de habitus, a partir de Bourdieu (1986, 2001, 2006, 2007, 1996, 2013), enquanto um elemento instituinte das práticas na vida cotidiana, que abre a possibilidade para uma abordagem crítica das mesmas, envolvendo o desvelamento de processos de estigmatização socioespacial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Reges Sodré, Universidade Federal de Goiás- UFG- Brasil

Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia. Doutorando em Geografia pela Universidade Federal de Goiás-

Referências

BOURDIEU, Pierre. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero Limitada, 1983.

BOURDIEU, Pierre. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996.

BOURDIEU, Pierre. Meditações pascalianas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

BOURDIEU, Pierre. Gente com história, gente sem história. Diálogo entre Pierre Bourdieu e Roger Chartier. História Unisinos, Porto Alegre, v. 10, p. 90-98, jan/abr, 2006. Disponível: <http://revistas.unisinos.br/index.php/historia/article/view/6173>. Acesso em: 12 nov. 2019.

BOURDIEU, Pierre. El sentido práctico. Buenos Aires: Siglo XXI Editores, 2007.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. Porto Alegre: Souk, 2013.

CAILLY, Laurent. Pratiques spatiales, identités sociales et processos d’individualisation. 2004. 444 f. Thèse (Doctorat em Géographie) – Ecole doctorale « Sciences de l'homme et de la société, Université François Rabelais – Tours, 2004.

CAILLY, Laurent. Capital spatial, stratégies résidentielles et processos d’individualisation. Annales de géographie, Paris, n. 654, p. 169-187, 2007. Disponível em: < https://www.cairn.info/revue-annales-de-geographie-2007-2-page-169.htmCFM>. Acesso em: 12/03/2019.

CORRÊA, Roberto Lobato. Corporação, práticas espaciais e gestão do território. Anuário do Instituto de Geociências, Rio de Janeiro, v. 15, p. 35-41, 1992. Disponível em: <https://revistas.ufrj.br/index.php/aigeo/article/view/5934>. Acesso em: 12/03/2019.

CORRÊA, R. L. Espaço: um conceito-chave da Geografia. In: CASTRO, Iná Elias de; GOMES, Paulo Cesar da Costa; CORRÊA, Roberto Lobato. (Org.). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000. p. 15-48.

CORRÊA, R. L. Diferenciação sócio-espacial, escala e práticas espaciais. Revista Cidades, São Paulo, v. 4, n, 6, p. 62­72, 2007. Disponível em: <http://revista.fct.unesp.br/index.php/revistacidades/article/view/570/601>. Acesso em: 12/03/ 2019.

CORRÊA, R. L. Áreas sociais: uma avaliação e perspectivas. Geousp – espaço e tempo, São Paulo, v. 20, n. 1, p. 10-33, 2016. Disponível em: < http://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/111752>. Acesso em: 12/03/2019.

CARPANEZ, Juliana. Liberdade roubada: histórias de pessoas presas por engano relavam o drama de quem foi punido por crime que não cometeu. Uol. 11, nov, 2018. Disponível em: < https://www.uol.com.br/>. Acesso em: 21/03/2019.

CALDEIRA, T. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: Edusp, 2011.

DAL POZZO, Clayton Ferreira. Fragmentação socioespacial em cidades médias paulistas: os territórios do consumo segmentado de Ribeirão Preto e Presidente Prudente. 2015. 400f. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2015.

DATAFOLHA. 82% dos paulistanos são contra rolezinhos em shoppings. Instituto de Pesquisas Datafolha. São Paulo, 2014. Disponível em: <http://datafolha.folha.uol.com.br/>. Acesso em 14/03/2019.

DI MÉO, Guy. Géographies tranquilles du quotidien: une analyse de la contribution des sciences sociales et de la géographie à l’étude des pratiques spatiales. Cahiers de géographie du Québec, Québec, v. 34, n. 118, p. 75-93, 1999.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. São Paulo: Graal, 2012.

GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. São Paulo: Zahar, 1972.

GOMES, Paulo Cesar da Costa. Considerações acerca dos espaços públicos e suas variações no tempo e no espaço. In: SERPA, Angelo; CARLOS, Ana Fani Alessandri (Org.). Geografia urbana: desafios teóricos contemporâneos. Salvador: EDUFBA, 2018. p. 351-375.

LAHIRE, Bernard. O homem plural: as molas da acção. Lisboa: Instituto Piaget, 2003.

LEFEBVRE, Henri. A vida cotidiana no mundo moderna. São Paulo: Ática, 1991.

LÉVY, Jacques. L’espace legitime: sur la dimension géographique de la fonction politique. Paris: Presses de La Fundation Nationale des Sciences Polítiques, 1994.

LÉVY, Jacques; LUSSAULT, Michel et al. Dictionnaire de la Géographie et de l’espaces des societies. Paris: Éditions Belin, 2003.

LINDÓN, Alicia. Geografías de la vida cotidiana. In: LINDÓN, Alicia; HIERNAUX, Daniel (Dir.). Tratado de Geografía Humana. Barcelona, Rubi: Cidade do México, Antrophos Editorial, 2006. p. 356-400.

LINDÓN, Alicia. Las narrativas de vida espaciales: uma expresión del pensamiento geográfico humanista y constructivista. In: CRUZ, Nates Beatriz; LÓPEZ, Londoño César Felipe. Memoria, espacio y sociedade. Barcelona, Rubi: Cidade do México, Antrophos Editorial: Caldas, Universidade de Caldas, 2011, p. 13-32.

LINDÓN, Alicia. La concurrencia de lo espacial y lo social. In: TOLEDO, Enrique de la Garza; LEYVA, Gustavo (Eds). Tratado de metodología de las ciencias sociales: perscpectivas actuales. Cidade do México: Fondo de Cultura Economica, 2012. p. 554-590.

LIPPUNER, Roland. Géographie, culture et quotidien: un renouveau théorique. Géographie et cultures, n. 47, p. 29-44, 2003. Disponivel em: <https://www.editions-harmattan.fr/index.asp?navig=catalogue&obj=article&no=3523>. Acesso em: 21/02/2019.

LIPPUNER, Roland. Culture, space and everyday life. Semantic Sholar, 2004. <https://www.semanticscholar.org/>. Acesso em: 04/05/2020.

MIRANDA, André; TINOCO, Dandara. As injustiças da justiça brasileira. O Globo, 26, jan. 2016. Disponível em: <https://oglobo.globo.com/brasil/as-injusticas-da-justica-brasileira-18541969>. Acesso em: Acesso em: 21/03/2019.

MITCHELL, Don. The end of culture? Culturalism and cultural geography in the anglo-american “university of excellence. Geographishe revue, v. 2, p. 3-18, 2000. Disponivel em: <https://publishup.uni-potsdam.de/opus4-ubp/frontdoor/deliver/index/docId/2216/file/gr2_00_Ess01.pdf>. Acesso em: 21/03/2019.

MOREIRA, Ruy. As categorias espaciais da construção geográfica das sociedades. GEOgraphia, Rio de Janeiro, vol. 3, n. 3, p. 1-18, 2001. Disponível em: <http://periodicos.uff.br/geographia>. Acesso em: 21/03/2019.

MOREIRA, Ruy. Pensar e ser em geografia: ensaios de história, epistemologia e ontologia do espaço geográfico. São Paulo: Contexto, 2008.

MOREIRA, Ruy. Uma ciência das práticas e saberes espaciais. Revista Tamoios, São Gonçalo, ano 13, n. 2, p. 26-43, 2017. Disponível em: <https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/tamoios/article/view/30458>. Acesso em: 15/09/2019.

PADUA, Rafael Faleiros de. Pensando a noção de prática socioespacial. In: CARLOS, Ana Fani Alessandri; SANTOS, César Simoni; ALVAREZ, Isabel Pinto (Org.). Geografia urbana crítica: teoria e método. São Paulo, Contexto, 2018. p. 35-52.

PINHEIRO-MACHADO, Rosana; SCALCO, Lucia Mury. Rolezinhos: marcas, consumo e segregação no Brasil. Revista de Estudos Culturais, São Paulo, vol. 1, 2014. Disponível em: <http://www.each.usp.br/revistaec>. Acesso em: 21/03/019.

PRISÃO de inocentes é erro que se repete no sistema carcerário do país. G1. 06 abr. 2017. Disponível em: <http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2017/04/prisao-de-inocentes-e-erro-que-se-repete-no-sistema-carcerario-do-pais.html>. Acesso em: 21/09/2019.

RIBEIRO, Fabiana Valdoski. A prática socioespecial da resistência. In: CARLOS, Ana Fani Alessandri; SANTOS, César Simoni; ALVAREZ, Isabel Pinto (Org.). Geografia urbana crítica: teoria e método. São Paulo: Contexto, 2018. p. 53-64.

SANTOS, Milton. Por uma geografia nova: da crítica da geografia a uma geografia crítica. São Paulo: Edusp, 2004.

SANTOS, Ale. “Quanto mais escura é a sua pele, mais suspeito você se torna”. The Intercept Brasil. [s.l], 01, set, 2018. Disponível em: < https://theintercept.com/2018/09/01/depoimento-racismo-pele-escura/>. Acesso em: 02/09/2018.

SPOSITO, Maria Encarnação Beltrão. Práticas espaciais e reestruturação em cidades médias. In: Ferreira, Alvaro; Rua, João; Mattos, Regina Célio. O espaço e a metropolização: cotidiano e ação. Rio de Janeiro: Consequência Editora, 2017. p. 627-677.

SOUZA, Jessé. A construção social da subcidadania: para uma sociologia política da modernidade periférica. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012.

SOUZA, Jessé. O rolê da ralé. Estadão, São Paulo, 18, jan, 2014. Entrevista concedida a Ivan Marsiglia. Disponível em: <https://www.estadao.com.br/noticias/geral,o-role-da-rale,1120064>. Acesso em: 21/03/2019.

SOUZA, Jessé. et al. A ralé brasileira: quem é e como vive. São Paulo: Editora Contracorrente, 2018.

TAYLOR, Charles. As fontes do self: a formação da identidade moderna. São Paulo: Loyola, 2011b.

WACQUANT, Loic. Punir os pobres: a nova gestão da miséria nos Estados Unidos. Rio de Janeiro: Revan, 2015.

WACQUANT, Loic.. Habitus. In: CATANI, Afrânio Mendes et al (Org.). Vocabulário Bourdieu. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017. p. 213-217.

Downloads

Publicado

2021-03-31

Como Citar

SODRÉ, R. Prática espacial, habitus e espaço urbano: Ensaio de geografia da vida cotidiana. Geopauta, [S. l.], v. 5, n. 1, p. e7287, 2021. DOI: 10.22481/rg.v5i1.7287. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/geo/article/view/7287. Acesso em: 21 jul. 2024.