Ciência da cidade e planejamento urbano: geoprocessamento enquanto instrumento do planejamento estratégico municipal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/rg.v6.e2022.e9180

Palavras-chave:

Planejamento urbano, Cartografia temática;, Big Data;, Geoprocessamento

Resumo

O espaço urbano é caracterizado pela complexidade e pela dinamicidade dos processos que nele acontece, demandando da gestão pública uma perspectiva ao mesmo tempo múltipla e integrada. O presente artigo tem o de objetivo de discutir sobre o planejamento urbano municipal na administração pública, onde aplicamos a metodologia de Planejamento Baseado em Evidências (PBE) que é fundamentada no geoprocessamento e em dados governamentais. Para a construção desse exposto, foi realizado revisão bibliográfica e produção cartográfica, apresentando os principais trabalhos realizados no município de Aracaju – SE baseados no PBE e os seus reflexos para o município. Concluímos o artigo realizando uma análise crítica sobre à aplicabilidade dessa metodologia no âmbito municipal, onde destacamos os pontos positivos e as principais dificuldades que possam inviabilizar sua aplicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Paulo Henrique Neves Santos, Universidade Federal de Sergipe - UFS- BRASIL

Mestrando pelo PRograma de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Sergipe

 

 

Marcelo Geovane da Cruz , Universidade Federal de Sergipe - UFS- BRASIL

Mestre em Economia pela Universidade Federal de Sergipe 

Wallace Fernando da Silva Santos, Universidade Federal de Sergipe - UFS- BRASIL

Graduação em Geografia pela Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Referências

BATTY, M. et al. Smart cities of the future. The European Physical Journal Special Topics, v. 214, n. 1, p. 481-518, 2012.

BATTY, M. Big data, smart cities and city planning. Dialogues in human geography, v. 3, n. 3, p. 274-279, 2013.

D’ALGE, J. C. L. Cartografia Para Geoprocessamento: Introdução à ciência da geoinformação. São José dos Campos: INPE, p. 32, 2001.

DUARTE, P.A. Conceituação De Cartografia Temática. Geosul, v. 6, n. 11, p. 133-138, 1991.

FERNANDES, I. F. et al. Desafios metodológicos das políticas públicas baseadas em evidências. Boa Vista. Editora IOLE, 2022.

FILHO, A. P. Q.; MARTINELLI, M. Cartografia de Análise e de Síntese na Geografia. Boletim Paulista de Geografia, n. 87, p. 7-44, 2007.

FITZ, P.R. Cartografia Básica. São Paulo. Oficina de Textos, 2008.

MARTINELLI, M. Mapas Da Geografia E Cartografia Temática. Editora Contexto. 5ª edição. – São Paulo. 2009.

MARTINELLI, M. GRAÇA, A.J.S. Cartografia Temática: Uma Breve História Repleta De Inovações. Revista Brasileira de Cartografia, Nº 67/4 - Edição de Cartografia Histórica: p. 913-928. Sociedade Brasileira de Cartografia, Geodésia, Fotogrametria e Sensoriamento Remoto. 2015.

PINHEIRO, Maurício Mota Saboya. Políticas públicas baseadas em evidências (PPBEs): delimitando o problema conceitual. Texto para Discussão, 2020.

RAMOS, C. da S.Visualização Cartográfica E Cartografia Multimídia. UNESP, 2005.

RIBEIRO FILHO, Nelson Rosas. Big data e Geografia Humana: uma provocação. Lisboa: IGOT-UL, 2016.

SENDRA, Joaquín Bosque. Neogeografía, Big Data y TIG: problemas y nuevas posibilidades. Polígonos. Revista de Geografía, n. 27, p. 165-173, 2015.

TAURION, Cezar. Big data. Brasport, 2013.

Publicado

2023-04-03

Como Citar

SANTOS, P. H. N. .; CRUZ , M. G. da .; SANTOS, W. F. da S. . Ciência da cidade e planejamento urbano: geoprocessamento enquanto instrumento do planejamento estratégico municipal. Geopauta, [S. l.], v. 6, p. e9180, 2023. DOI: 10.22481/rg.v6.e2022.e9180. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/geo/article/view/9180. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos