THE O ROMANCE "A HISTÓRIA DO AMOR DE FERNANDO E ISAURA" EM RELAÇÕES DIALÓGICAS: DO MEDIEVO AO NORDESTE

Autores

  • Janielly Santos de Vasconcelos Viana Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
  • Ramísio Vieira de Souza Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
  • Maria de Fátima Almeida Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

DOI:

https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.6622

Palavras-chave:

Relações dialógicas, Romance, Ariano Suassuna, Cultura popular

Resumo

Esta pesquisa tematiza o percurso dialógico que constitui a formação do romance A história do amor de Fernando e Isaura (1994), de Ariano Suassuna, com base em Bakhtin (2014) para quem o romance é uma diversidade social de linguagens organizadas artisticamente, por línguas e vozes individuais. O estudo das relações dialógicas é condição indispensável para compreensão dos sentidos que determinam a discursividade de um gênero, em perspectiva dialógica. Em vista disso, investigam-se as relações que organizam e constituem o romance de Fernando e Isaura, de modo que o objetivo desta pesquisa é compreender como as relações dialógicas contribuem para formação e compreensão dos sentidos em um romance. Em função do objeto de estudo, desenvolve-se uma pesquisa de método descritivo-interpretativista de abordagem qualitativa, contudo, as análises tomam por base teórico-metodológica, a Teoria Dialógica da Linguagem. Os pressupostos teóricos constituem-se da revisão literária das obras de Bakhtin (2011, 2014 e 2015) E Bakhtin/Volochínov (1981). Compreende-se que o romance pode mesclar, misturar e pluralizar vozes e, que o caráter dialógico que o constitui, coloca suas linguagens frente a frente ao contexto social e real da linguagem, através da interação dos espaços e discursos. O romance prosaico de Fernando Isaura é sinônimo de renovação de sentidos, uma vez que representa a atividade de escrita suassuniana e procura resgatar elementos da cultura erudita nos romances Tristan et Iseut (1903), de Béroul e Tristão e Iseu (1976), de Joseph Bédier (versão traduzida de Afrânio Peixoto), exaltando o imaginário nordestino popular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Janielly Santos de Vasconcelos Viana, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Doutoranda e mestre em Linguística pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB).  Participa como pesquisadora integrante do Grupo de Estudos em Linguagem, Enunciação e Interação (GPLEI).

Ramísio Vieira de Souza, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Doutorando e mestre em Linguística pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Maria de Fátima Almeida, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Doutora em Linguística pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Professora associada do Depar- tamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Programa de Linguística (PROLING) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Referências

1. BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 5. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.
2. ______. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. São Paulo: Hucitec, 2013.
3. ______. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. 6. ed. São Paulo: HUCITEC, 2014.
4. ______. Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução de Paulo Bezerra. 5. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2015.
5. BÉDIER, Joseph. Tristão e Iseu. Versão Afrânio Peixoto. 5. ed. São Paulo: GRD, 1976.
6. BÉROUL. Tristan et Yseut. Paris: Librarie de Firmin Didot et Cia, 1903.
7. CUNHA, Antônio Geraldo da. Dicionário etimológico Nova Fronteira da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.
8. FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário da língua portuguesa. 5. ed. Curitiba: Positivo, 2010. 2222 p. ISBN 978-85-385-4198-1. Disponível em: <https://contas.tcu.gov.br/dicionario/home.aspv> Acesso em: 25 abr. 2020
9. MOREIRA, Aline Leitão. Tristão e Isolda: em torno do que remanesce. 2010. Dissertação de Mestrado em Letras. Universidade Federal do Ceará – UFC, Fortaleza, CE, 2010. Disponível em: <http://www.repositorio.ufc.br/ri/bitstr eam/riufc/2806/1/2010_DIS_ALMOREIRA.pdf>. Acesso em: 25 abr. 2020.
10. SUASSUNA, Ariano. A arte popular no Brasil. Rio de Janeiro: Revista Brasileira de Cultura, 1969 nº 2, p. 37-43.
11. ______. O rico avarento. In: ______. Seleta em prosa e verso. Rio de Janeiro: José Olympio Ed., 1954. p. 5- 16.
12. ______. A onça castanha e a ilha Brasil: uma reflexão sobre a cultura brasileira. 1976. 200 f. Tese (Livre docência) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 1976.

Downloads

Publicado

2020-07-02

Como Citar

[1]
Viana, J.S. de V., Souza, R.V. de e Almeida, M. de F. 2020. THE O ROMANCE "A HISTÓRIA DO AMOR DE FERNANDO E ISAURA" EM RELAÇÕES DIALÓGICAS: DO MEDIEVO AO NORDESTE. fólio - Revista de Letras. 12, 1 (jul. 2020). DOI:https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.6622.